SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL – SFN -

of 35/35
Mercado Financeiro Mercado Financeiro Professor: Bruno Klein Professor: Bruno Klein [email protected] [email protected]
  • date post

    02-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    358
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL – SFN -

Mercado Financeiro Professor: Bruno Klein [email protected]

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL

INTERMEDIADORES FINANCEIROS

SISTEMA NORMATIVO

INSTITUIES FINANCEIRAS BANCRIAS INSTITUIES FINANCEIRAS NO BANCRIAS INSTITUIES AUXILIARES

CMN

BACEN

CVM

INSTITUIES ESPECIAIS

BB INSTITUIES NO FINANCEIRAS

BNDES

CEF

SFNO SFN pode ser entendido como um conjunto de instituies financeiras e instrumentos financeiros que visam transferir recursos dos agentes econmicos (pessoas, empresas e governo) superavitrios para os deficitrios. deficitrios. A estrutura Financeira. Financeira. do SFN: SFN: Normativo e Intermedio

Por que um Sistema Financeiro slido primordial para uma nao? nao? Qualquer fato econmico, seja ele de transformao, circulao ou consumo, suficiente para gerar movimentao do mercado financeiro. Por isso, financeiro. fundamental a ESTABILIDADE do sistema que interliga essas operaes. operaes.

CONSELHO MONETRIO NACIONAL um rgo eminentemente normativo, institudo pela Lei 4.505, de 31 de 505, dezembro de 1964, no desempenha nenhuma atividade executiva. 1964, executiva. Formula toda a poltica de moeda e do crdito, objetivando atender aos interesses econmicos e sociais do pas. So atribuies do CMN: pas. CMN: Estabelecer as diretrizes gerais das polticas monetria, cambial e creditcia; creditcia; Regulamentar, sempre que julgar necessrio, as taxas de juros praticadas pelas instituies financeiras; financeiras; Regular a constituio e o funcionamento das instituies financeiras, bem como zelar por sua liquidez; liquidez; Acionar medidas de preveno ou correo de desequilbrios econmicos, surtos inflacionrios, etc.; etc.; Regular as operaes de redescontos e as operaes no mbito do mercado aberto. aberto. COMPOSIO DO CMN: CMN: Ministro da Fazenda, seu presidente; presidente; Ministro do Planejamento Presidente do Banco Central do Brasil. Brasil.

BANCO CENTRAL DO BRASIL o principal poder executivo das polticas traadas pelo CMN e rgo fiscalizador do Sistema Financeiro Nacional. uma autarquia vinculada ao Nacional. Ministrio da Fazenda, e responsvel por garantir o poder de compra da moeda nacional. Principais atribuies de competncia: nacional. competncia: Fiscalizar as instituies financeiras, aplicando, quando necessrio, as penalidades previstas em lei; lei; Conceder autorizaes s instituies, no que se refere ao funcionamento; funcionamento; Executar a emisso de dinheiro e controlar a liquidez do mercado; mercado; Efetuar o controle do crdito, de capitais estrangeiros e receber os depsitos compulsrios dos bancos; bancos; Efetuar operaes de compra e venda de ttulos pblicos e federais; federais; Supervisionar os servios de compensao de cheques entre instituies financeiras. financeiras. Compra e venda de ttulos pblicos, recolhimento de compulsrios e operaes de redesconto so instrumentos utilizados pelo BACEM para implementao da poltica monetria. monetria.

ATENO

COMISSO DE VALORES MOBILIRIOS

CVM -

uma autarquia vinculada ao poder executivo (Ministrio da Fazenda), instituda pela Lei 6.385, de 7 de dezembro de 1976, que 385, 1976, age sob a orientao do CMN. administrada por um presidente e CMN. quatro diretores, todos nomeados pelo Presidente da Repblica. Repblica. A CVM tem por finalidade bsica a normatizao e o controle do mercado de valores mobilirios, representado principalmente por aes, debntures, commercial papers, e outros ttulos emitidos pelas sociedades annimas e autorizados pelo CMN. Suas funes: CMN. funes:

Promover medidas incentivadoras canalizao das poupanas ao

mercado acionrio; acionrio; Estimular o funcionamento das bolsas de valores e das instituies operadoras no mercado acionrio; acionrio; Assegurar a lisura nas operaes de compra e venda de valores mobilirios; mobilirios; Dar proteo aos investidores de mercado. mercado.

VALORES MOBILIRIOSCONCEITO JURDICO: JURDICO:

Representa um investimento realizado em dinheiro, com intuito de

lucro, ofertado ao pblico e sobre o qual este no possui controle direto. direto. EXEMPLOS: EXEMPLOS: Aes Debntures e commercial papers Swap Cotas de Fundos de Investimentos

BANCO DO BRASIL BANCO DO BRASIL uma sociedade annima de capital misto, cujo controle acionrio exercido pela Unio. Unio. Agente Financeiro do Governo Federal recebe os tributos e as rendas federais, realiza os pagamentos necessrios e constantes do oramento da Unio. Unio. Banco Comercial mantm contas correntes de pessoas fsicas e jurdicas, cadernetas de poupanas, concede crdito, etc; etc; Banco de Investimento e Desenvolvimento quando opera com crditos a mdio e longo prazo. prazo.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECNOMICO E SOCIAL BNDES uma empresa pblica que est atualmente vinculada ao Ministrio do Planejamento. Planejamento. Objetivo Principal: o de reequipar e fomentar, por meio de vrias linhas de crdito Principal: voltadas para os setores industrial e social, as empresas consideradas de interesse ao desenvolvimento do pas. pas. Subsidirias do BNDES: BNDES: Finame Agncia Especial de Financiamento Industrial: voltada para o financiamento Industrial: de mquinas e equipamentos industriais a empresas nacionais; nacionais; Embramec Mecnica Brasileira S.A : objetiva fundamentalmente impulsionar o processo de substituio de importaes de bens de capital; capital; Fibasa Insumos Bsicos S.A, Financiamentos e Participaes: objetiva desenvolver Participaes: empreendimentos nacionais voltados produo de insumos bsicos, Ibrasa Investimentos Brasileiros S.A: visa reforar a capitalizao da empresa nacional participando, como acionista minoritrio, do capital social. social. Origem dos recursos utilizados pelo BNDES: BNDES: PIS programa de integrao social; social; PASEP programa de formao de patrimnio do servidor pblico; pblico; Dotaes oramentrias da Unio; Unio; Recursos captados no exterior; exterior; Recursos prprios provenientes do retorno das vrias aplicaes. aplicaes.

COMPOSIO DOS INTERMEDIRIOS FINANCEIROS Foi estruturado em quatro grandes grupos de instituies: instituies: Bancrias; Bancrias; No Bancrias; Bancrias; Auxiliares; Auxiliares; Instituies No Financeiras. Financeiras. DEFINIO o processo pelo qual tomadores e doadores de recursos encontram-se em encontramum ambiente organizado, fiscalizado e controlado por vrios rgos, visando o perfeito funcionamento desta importante funo do SFN. SFN. FUNO Compem o SFN e se dedicam, de alguma forma, ao trabalho de propiciar condies satisfatrias para a manuteno de um fluxo de recursos entre poupadores e investidores capazes de financiar o crescimento da economia. economia.

INSTITUIES FINANCEIRAS BANCRIAS

Englobam os Bancos Comerciais, Bancos Mltiplos e Caixas Econmicas. Econmicas. Bancos Comercias sua principal caracterstica sua capacidade de criar moeda, a qual estabelecida com base nos depsitos a vista captados no mercado. So classificados em bancos de varejo e de mercado. negcios. negcios. Bancos Mltiplos banco comercial, banco de investimento, de desenvolvimento (exclusiva para bancos pblicos), sociedade de crdito e sociedade de crdito imobilirio e de arrendamento mercantil (leasing). (leasing). O banco mltiplo deve ser constitudo por, no mnimo, duas carteiras, sendo uma delas, obrigatoriamente, comercial ou de

investimento. investimento.

INSTITUIES FINANCEIRAS NO BANCRIASINSTITUIES FINANCEIRAS NO BANCRIAS So as que no apresentam capacidade de emitir moeda ou meios de pagamento, como os bancos comerciais. comerciais. so os grandes municiadores de crditos de mdio e longo prazos no mercado, suprindo os agentes carentes em recursos para investimento em capital de giro e capital fixo; fixo; Bancos de Desenvolvimento so instituies pblicas de mbito estadual, que visam promover o desenvolvimento econmico e social da regio onde atuam; atuam; Sociedades de Crdito, Financiamento e Investimento mais conhecidas como financeiras, dedicam-se basicamente ao dedicamfinanciamento de bens durveis s pessoas fsicas por meio do CDC; CDC; Sociedade de Arrendamento Mercantil tm por objetivo a realizao de operaes de arrendamento mercantil (leasing) de bens nacionais, adquiridos de terceiros e destinados ao uso de empresas arrendatrias. Principais tipos de leasing: operacional, arrendatrias. leasing: financeiro e lease-back. lease-back.

Bancos de Investimentos

INSTITUIES AUXILIARES

INSTITUIES AUXILIARES Bolsas de Valores so associaes civis sem finalidades lucrativas, cujos patrimnios so constitudos por ttulos patrimoniais adquiridos por seus membros, as sociedades corretoras. Tem como objetivo proporcionar liquidez corretoras. aos ttulos negociados, atuando por meio de preges contnuos. contnuos. so instituies que efetuam, com exclusividade, a intermediao financeira nos preges das bolsas de valores. Tm como valores. competncia: competncia: Promover ou participar de lanamentos pblicos de aes; aes; Administrar e custodiar carteiras de ttulos e valores mobilirios; mobilirios; Organizar e administrar fundos e clubes de investimentos; investimentos; Operar como intermediadora na compra e venda de moedas estrangeiras; estrangeiras; Prestar servios de assessoria tcnica em operaes inerentes ao mercado financeiro. financeiro.

Sociedades Corretoras

Sociedades Distribuidoras

exercem funes semelhantes as corretoras, com uma exceo, no podem operar no recinto das Bolsas. Bolsas. so pessoas fsicas credenciadas pelas instituies financeiras intermediadoras (corretoras, distribuidoras, bancos e financeiras) para atuarem na colocao de ttulos e valores mobilirios. mobilirios.

Agentes Autnomos de Investimentos

INSTITUIES NO FINANCEIRAS

Sociedades de Fomento Comercial Factoring so empresas comerciais que operam por meio de aquisies de duplicatas, cheques, promissrias, etc, de forma similar a uma operao de desconto bancrio. bancrio. Companhias Seguradoras esto consideradas no sistema financeiro nacional por terem a obrigao de aplicar parte de suas reservas tcnicas no mercado de capitais. capitais.

MERCADOS FINANCEIROSMercado monetrio - operaes de curto e curtssimo prazo; prazo; Mercado de crdito operaes de curto e mdio prazo; prazo; Mercado de capitais operaes de mdio e longo prazo; prazo; Mercado cambial operaes de converso de moeda de um pas pela de outro. outro. MERCADO MONETRIO So negociados, principalmente, os papis emitidos pelo Tesouro Nacional com o objetivo de financiar o oramento pblico. Ex.: NTN pblico. Ex.: e LTN. LTN. So negociados tambm no mercado monetrio os certificados de depsitos interfinanceiros (CDI), exclusivamente entre instituies financeiras, e ttulos de emisso privada, como CDB e debntures. debntures.

MERCADO MONETRIOSISTEMA DE CUSTDIA E LIQUIDAO DE TTULOS SELIC E CETIP

SELIC foi desenvolvido pelo Banco Central do Brasil e Andima ( Associao Nacional

das Instituies de Mercado Aberto) em 1979, voltado a operar com ttulos pblicos 1979, federais de emisso do Bacen e do Tesouro Nacional. um sistema eletrnico que Nacional. processa o registro, a custdia e a liquidao financeira das operaes realizadas com ttulos federais, garantindo segurana, agilidade e transparncia nos negcios. negcios.

CETIP

Central de Custdia e de Liquidao Financeira de Ttulos Privados passou a funcionar a partir de 1986 como o sistema bastante semelhante com o selic, s que abrigando ttulos privados, como CDB, RDB, debntures, CDI, etc. etc.

Os dois sistemas de liquidao e custdia tm por objetivo bsico promover a boa liquidao das operaes do mercado monetrio, propiciando maior segurana e autenticidade aos negcios realizados. realizados. TTULOS PBLICOS Os Governos federal, estadual e municipal costumam captar recursos no mercado por intermdio da emisso de ttulos representativos da dvida pblica. pblica.

DEFINIO DA FUNO

TRADUZINDO PARA NOSSO DIA A DIA

SELIC

Administrada pelo BACEM, um sistema informatizado que se destina custdia de ttulos escriturais de emisso do Tesouro Nacional. Nacional. Efetua a custdia de ttulos e valores mobilirios de emisso privada, derivativos, ttulos emitidos por estados e municpios. municpios.

Neste sistema so registradas todas as operaes que envolvem ttulos pblicos federais: federais: Exemplo: Exemplo: LFT, LTN, NTN, NTN-D E NTNNTNNTN-F, dentre outros. outros. Isso a garantia de que os ativos existem, esto registrados em nome do legtimo proprietrio e podem ser controlados de forma segregada. segregada. Exemplo: Exemplo: CDB, LH, CDI, Debntures e Comercial Papers

CETIP

TTULOS PBLICOS

TTULOS DE TESOURO NACIONAL

TTULO DO BANCO CENTRAL

LTN letras do tesouro nacional BBC bnus do Banco Central LFT letras financeiras do tesouro LBC letras do Banco Central NTN notas do tesouro nacional NBC notas do Banco Central CTN certificado do tesouro nacional CFT certificado financeiro do tesouro

LFT

LETRA FINANCEIRA DO TESOURO

So emitidas na modalidade escritural, nominativas e negociveis. Prazos de emisso (mnimo e mximo): no h restrio so estabelecidas pelo Ministro da Fazenda. Valor nominal de emisso (valor de face): mltiplos de R$ 1.000,00 Remunerao: variao da Taxa Selic. Formas de Negociao: Ao par: exatamente o valor de face. Com desgio: o investidor paga MENOS do que o valor de face. Com gio: o investidor paga MAIS do que o valor de face.

LTN

LETRA DO TESOURO NACIONAL

So emitidas na modalidade escritural, nominativa e negocivel. negocivel. So colocadas no mercado por oferta pblica, ou direta em favor do interessado. interessado. Prazos (mnimo e mximo) de emisso: no h restrio emisso: so estabelecidos pelo Ministro da Fazenda. Fazenda. Valor de face e resgate: mltiplos de R$ 1.000,00. resgate: 000,00. Remunerao: Remunerao: prefixada, baseada na taxa de juros de mercado. mercado. Valor de Mercado: negociada com desconto pela taxa de juros Mercado: desejada o investidor paga uma quantia inferior ao valor de face. face.

NTNs

NOTAS DO TESOURO NACIONAL

Se caracterizam por pagar cupom de juros semestralmente e o capital, ajustado pelo ndice de correo do ttulo, somente no vencimento. Prazo: definido pelo Ministro da Fazenda, quando da emisso do ttulo. Taxa de juros (cupom): definida pela Ministro da Fazenda So emitidas: na modalidade escritural, nominativa e negocivel SRIES DA NTN NTNNTN-B remunerao variao do IPCA NTNNTN-C remunerao variao do IGP-M IGPNTNNTN-D remunerao variao do PTAX NTNNTN-F remunerao prefixada

TTULO

TIPO DE RENTABILIDADE

PAGAMENTO DO CUPOM JUROS

PAGAMENTO DO PRINCIPAL AJUSTADO

LFT LTN NTNNTN-B NTNNTN-C NTNNTN-D NTNNTN-F

Valor da taxa Selic over Taxa prefixada definida no momento da compra. Variao IPCA acrescida de juros Variao do IGP-M acrescida de IGPjuros Variao cambial acrescida de juros Taxa prefixada, acrescida de juros Semestral Semestral Semestral Semestral

Vencimento Vencimento Vencimento Vencimento Vencimento vencimento

MERCADO MONETRIOATUAO DOS BANCOS COMERCIAIS NO MERCADO MONETRIO

Os Bancos comerciais levantam recursos no mercado monetrio mediante captaesde depsitos a vista e colocao de ttulos de sua emisso, com o objetivo de financiarem suas diversas aplicaes de ativos. ativos.

DEPSITOS COMPULSRIOS OUTRAS TRANSAES DE AFETAM O NVEL DE RESERVAS BANCRIASRecolhimentos e respectivas transferncias ao Tesouro Nacional de tributos e contribuies federais; federais; Negociaes com ttulos de sua prpria emisso no mercado; mercado; Saldo das transaes realizadas pela instituio, envolvendo entradas de recursos (depositantes) e sadas (tomadores); (tomadores); Operaes com moeda estrangeira. estrangeira.

PRECATRIO

um documento originado de uma ordem judicial que obriga o devedor, considerado culpado na ao impetrada, a pagar ao credor o valor atribudo na causa. causa.

MERCADO MONETRIOTAXAS DE JUROS DO MERCADO FINANCEIRO

Taxa referencial de Juros

TR apurada e anunciada mensalmente pelo Governo. Governo. Sua forma de clculo segue regras prprias, sendo obtida com base na remunerao mdia mensal dos CDB/RDB operados pelos maiores bancos. bancos.

Taxa Financeira Bsica

TBF uma taxa de juros dos ttulos de renda fixa do mercado financeiro nacional que transmite aos agentes uma idia sobre o comportamento dos juros previstos para os prximos 30 dias. dias.

Taxas do Banco Central TBC e TBAN Taxa de Juros de Longo PrazoTJLP uma taxa de juros aplicada em operaes de longo prazo. O prazo de vigncia de trs meses. utilizada prazo. meses. para remunerar os recursos de PIS/Pasep e do Fundo de Amparo do Trabalhador FAT. Para clculo da TJLP so consideradas as taxas de juros FAT. dos ttulos da dvida externa e interna do Brasil. Brasil.

MERCADO DE CRDITOVisa suprir as necessidades de caixa de curto e mdio prazo dos vrios agentes econmicos, seja por meio da concesso de crdito s pessoas fsicas, seja por emprstimos e financiamentos s empresas. empresas.

EMPRSTIMOS DE CURTO E MDIO PRAZO Desconto bancrio de ttulos; ttulos; Contas garantidas; garantidas; Crditos rotativos; rotativos; Hot money; money; Emprstimos para capital de giro; giro; Operaes de vendor; vendor; CDC; CDC; Adiantamento de contrato de cmbio ACC CENTRAL DE RISCO DE CRDITO CRC uma central de informaes de crdito do sistema financeiro nacional, gerenciada pelo Banco Central. Objetivo bsico de prever e prevenir Central. eventuais crises no mercado financeiro proveniente de problemas de cobranas nas carteiras de crdito das instituies. instituies.

MERCADO CRDITOSERVIOS BANCRIOS Essas atividades impulsionam o crescimento de inmeras instituies, seja por meio da cobrana de tarifas ou outras formas de receitas ou, ainda, pelo ganho que podem obter do floating que diversas operaes costumam oferecer. oferecer.

Principais servios prestados pelas instituies bancrias: bancrias: Emisso de saldos e extratos; extratos; Emisso de documentos de crdito (DOC e TED); TED); Acesso eletrnico a saldos de aplicaes financeiras; financeiras; Extratos por meio de fax e servios de homebanking; homebanking; Fornecimento de requisies avulsas de tales de cheques; cheques; Servios de courier (entrega de tales de cheques, cartes e outros documentos em domiclio); domiclio); Caixas eletrnicos para saques, depsitos e pagamentos; pagamentos; Emisso de cartes eletrnicos e de crditos; crditos; Sustao de pagamentos de cheques; cheques; Cobranas bancrias; bancrias; Dbitos automticos em c/c de tarifas pblicas e privadas; privadas; Cofres de aluguel; aluguel; Abertura de crdito. crdito.

CHEQUES definido como uma ordem de pagamento a vista. Sua emisso envolve vista. quatro partes. partes. Emitente (sacador) aquele que emite o cheque; cheque; Beneficirio (favorecido) a pessoa a favor de quem o cheque foi emitido; emitido; Sacado banco em que o emitente tem o dinheiro depositado; depositado; Depositrio banco onde o cheque foi depositado. depositado. INSTRUMENTOS DE TRANSFERNCIA DE FUNDOS

MERCADO DE CRDITO

DOC TED

uma forma adotada pelos bancos para transferncia de recursos entre contas mantidas por seus depositantes. O crdito reconhecido na depositantes. conta do favorecido no dia til seguinte sua emisso; emisso;

uma forma nova de transferir recursos entre instituies financeiras, permitindo a confirmao do crdito no mesmo dia. Esta maior dia. agilidade devido implementao do Sistema de Pagamentos Brasileiros (SPB). (SPB).

MERCADO CAMBIAL o segmento financeiro em que ocorrem operaes de compras e vendas de moedas internacionais conversveis, ou seja, converses de moeda nacional em estrangeira e vice-versa. vice-versa. O Banco Central atua nesse mercado visando principalmente ao controle das reservas cambiais da economia e para manter o valor da moeda nacional em relao a outras moedas internacionais. internacionais. TAXA DE CMBIO E A PTAX o valor pelo qual duas moedas de diferentes economias podem ser trocadas. trocadas. Ex: US$ Ex: US$ 1,00 = R$ 2,00 R$ 1,00 = US$ 0,50 US$ PTAX um indicador oficial do Banco Central para divulgar a cotao das moedas estrangeiras negociadas no Brasil. calculada Brasil. atravs da mdia ponderada das operaes realizadas no mercado interbancrio de cmbio, no decorrer de cada dia. dia.

MERCADO CAMBIAL ARBITRAGEM DE CMBIO Quando ocorrem diferenas de cotaes temporrias em diferentes centros financeiros, possvel atuar em um mercado e outro de maneira a tirar vantagens dessas diferenas. diferenas. Esse processo conhecido por arbitragem, em que uma moeda adquirida em um mercado onde seu preo for mais baixo e vendida em outro, que opera um preo mais elevado, apurando-se um resultado na apurandotransao. transao. Ex: Ex: 5000 dlares 1US$ = R$ 3,00 US$ R$ 15000,00 15000, ? 1US$ = R$ 2,50 US$ R$ 15000,00 15000,

6000 dlares ganho de 20% 20%

CRIMES CONTRA O MERCADO FINANCEIRO

LAVAGEM DE DINHEIRO Segundo a lei brasileira, a lavagem de dinheiro o processo que busca emprestar aparncia de dinheiro limpo , de origem legtima ao dinheiro sujo , de origem ilcita originrio dos seguintes crimes. crimes. Trfico de drogas; drogas; Terrorismo; Terrorismo; Contrabando ou trfico de armas; armas; Extorso contra Administrao Pblica; Pblica; Crimes praticados por organizao criminosa. criminosa.

LAVAGEM DE DINHEIROCOLOCAO fazer o dinheiro passar pelo caixa ou balco dos bancos. bancos. a colocao do dinheiro ilcito no sistema financeiro, de forma a torn-lo mais porttil e menos suspeito, ou seja, objetiva tornocultar sua origem. origem. OCULTAO confundir o rastreamento por meio de transferncias ou aplicaes mltiplas. Objetivo quebrar a cadeia de evidncias mltiplas. sobre a origem do dinheiro. dinheiro. INTEGRAO trazer o dinheiro de volta economia agora com origem, aparentemente, legtima. o passo final do ciclo da legtima. lavagem. lavagem. O dinheiro ilcito que agora est limpo incorporado formalmente ao sistema econmico. econmico.

EXERCCIOS1 - O Conselho Monetrio Nacional pode operar diretamente no mercado ttulos pblicos federais. federais. (F) O CMN apenas deliberativo. Quem pode operar diretamente no deliberativo. mercado de ttulos o BACEM. BACEM. 2 O funcionamento e as atividades dos bancos comerciais so regulamentados pela CVM. CVM.

(F) O BACEM o rgo supervisor competente. competente. 3 Somente os bancos comerciais podem manter contas de depsitos vista de livre movimentao. movimentao.

(F) Bancos mltiplos com carteira comercial tambm podem manter contas de depsitos vista. vista.

4

O SELIC um sistema eletrnico que custodia e liquida as operaes com ttulos pblicos federais. federais.

(V) 5 A Bovespa uma entidade auto-reguladora que opera sob a autosuperviso do CMN. CMN.

(F) A superviso compete a CVM 6 As instituies financeiras bancrias so as que no apresentam capacidade de emitir moeda ou meios de pagamento, como os bancos comerciais. comerciais.

(F) As instituies financeiras no bancrias. bancrias.

7 - Sociedades Distribuidoras exercem funes semelhantes as corretoras, com uma exceo, no podem operar no recinto das Bolsas. Bolsas. (V) 8 A LTN se caracteriza por pagar cupom de juros semestralmente e o capital, ajustado pelo ndice de correo do ttulo, somente no vencimento. vencimento.

(F) a NTN 9 As LFTs so emitidas na modalidade escritural, nominativas e negociveis. negociveis. Tem valor nominal de emisso (valor de face) mltiplos de R$ 1.000,00 e 000, remunerao pela variao da Taxa Selic. Selic.

(V)

10

O ocultao o processo fazer o dinheiro passar pelo caixa ou balco dos bancos. a colocao do dinheiro ilcito no sistema bancos. financeiro, de forma a torn-lo mais porttil e menos suspeito, ou tornseja, objetiva ocultar sua origem. origem.

(f) Colocao 11O SPC uma central de informaes de crdito do sistema financeiro nacional, gerenciada pelo Banco Central. Objetivo bsico de prever e Central. prevenir eventuais crises no mercado financeiro proveniente de problemas de cobranas nas carteiras de crdito das instituies. instituies.

(F) Central de Risco de Crdito - CRC