situação de exceção maNuaL tas Teresa Lufinha, Hospital Militar Principal, Médico...

download

of 50

  • date post

    09-Jul-2019
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of situação de exceção maNuaL tas Teresa Lufinha, Hospital Militar Principal, Médico...

  • situao de exceomaNuaL tas

  • "A gesto efetiva das crises requer tanto de improviso como de preparao. Se falta a primeira, a gesto perde flexibilidade frente s condies em mudana; se falta a segunda, perde clareza em alcanar as respostas essenciais. No nos devemos preocupar se a preparao nos parecer to rgida que minimize a forma e as capacidades de improviso.Pelo contrrio, o esforo de preparao em si, ainda que de forma modesta, aumenta a habilidade de improvisar."

    E.L.QuArANtELLi

    Verso 3.01 Edio, 2012

    9 789898 646088

    ISBN 978-989-8646-08-8

  • situao de exceo (Manual tas)

    PREFCIO

  • O Instituto Nacional de Emergncia Mdica (INEM) tem feito esforos considerveis para melhorar a resposta s situaes de excepo, catstrofe ou multivitimas, nomeadamente atravs da aquisio de material, equipamento e viaturas dedicados a estes cenrios particulares da emergncia mdica.Mas, este esforo para que o Sistema Integrado de Emergncia Mdica trabalhe cada vez melhor no pode ficar apenas por aqui. tambm fundamental melhorar a nossa capacidade de interveno nos CODU, em diferentes cenrios no terreno, melhorar as nossas competncias tcnicas e actualizar os conhecimentos, de forma permanente e continuada, habilitando todos os operacionais a intervirem da melhor forma possvel em toda e qualquer situao de emergncia mdica de rotina e/ou de excepo.Assim, com grande satisfao que lhe apresentamos o novo Manual de Situaes de Excepo, onde poder encontrar aquelas que so as boas prticas atuais, consensualizadas a nvel nacional e internacional, sobre planeamento e actuao em diferentes cenrios de excepo ou potencialmente de multivitimas. Todos aqueles que desempenham funes operacionais na emergncia mdica pr-hospitalar, tm a perfeita noo de que , maioritariamente, nestes cenrios que um bom planeamento e/ou uma boa e adequada abordagem inicial das vtimas, bem estruturada e sequencial, que muitas vidas podem e devem ser ganhas.

    Este Manual destina-se a todos os operacionais do INEM, permitindo-lhes aprofundar conhecimentos previamente adquiridos e tambm adquirir novas competncias, habilitando-os a uma atuao de teor avanado que poder fazer toda a diferena na vida daqueles que diariamente assistimos, em cenrios muitas vezes complexos e hostis.Nestas pginas pode encontrar o trabalho de uma vasta equipa, nas reas tcnicas, pedaggicas e, tambm, audiovisuais, que trabalhou afincadamente para lhe poder disponibilizar este Manual, que esperamos que se venha a revelar como uma ferramenta til do seu processo evolutivo de aquisio de novos e/ou melhores conhecimentos. A toda esta equipa, cuja composio encontrar na Ficha Tcnica, aqui fica o agradecimento do INEM pelo bom trabalho realizado.Termino, afirmando que o INEM conta com todos e com cada um para garantir uma assistncia tecnicamente qualificada, sempre com um elevado respeito e considerao pela vida humana, a todos aqueles que possam eventualmente necessitar do nosso saber e das nossas competncias. Por isso, por essa responsabilidade acrescida, temos a obrigao de aproveitar cada dia como uma oportunidade nica e irrepetvel para aprendermos, para melhorarmos. Que este manual seja um dos instrumentos a utilizar na prossecuo desse modo de vida.

    miguel soares de oliveiraPresidente do Conselho Diretivo do INEM

  • situao de exceo (Manual tas)

  • ficha tcNica

    autores

    miguel soares de oliveira, Presidente do Conselho Diretivo do INEM

    Lus meira, INEM (Departamento de Formao em Emergncia Mdica), Mdico (Anestesiologia)

    miguel Valente, INEM (Departamento de Formao em Emergncia Mdica), Enfermeiro

    rodrigo catarino, INEM (Departamento de Formao em Emergncia Mdica), Enfermeiro

    snia cunha, INEM (Delegao Regional do Norte), Psicloga

    Bruno Brito, Psiclogo

    Bruno Borges, INEM (Departamento de Emergncia Mdica), Coordenador de eventos de risco

    coLaBoradores

    Lus Ladeira, INEM (Delegao Regional do Sul), Enfermeiro

    desigN e PagiNaoDavid Rafachinho

    VaLidado PeLa comisso de Peritos

    Ana Teresa Lufinha,Hospital Militar Principal, Mdico (Anestesiologia)

    antnio marques,Hospital de Santo Antnio, Mdico (Anestesiologia)

    armando almeida,Administrao Regional de Sade (Algarve), Enfermeiro

    cndida duro,Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Enfermeira

    carlos Luz,Hospital Garcia de Orta, Mdico (Cirurgia)

    daniel ferreira,Hospital da Luz, Mdico (Cardiologia)

    ernestina gomes,Hospital Pedro Hispano, Mdico (Anestesiologia)

    fernando Prspero,Centro Hospitalar Trs-os-Montes e Alto Douro, Mdico (Cirurgia)

    francisco abecasis,Centro Hospitalar Lisboa Norte, Mdico (Pediatria)

    hlder Pereira,Hospital Garcia de Orta, Mdico (Cardiologia)

    Joo Joo mendes,Centro Hospitalar Lisboa Central, Mdico (Medicina Interna)

    Jos artur Paiva,Hospital de So Joo, Mdico (Medicina Interna)

    miguel flix,Centro Hospitalar de Coimbra, Mdico (Pediatria)

  • situao de exceo (Manual tas)

    Ndice

    1. defiNies e coNceitos Bsicos 10 a. Magnitude dos eventos: definies 12 b. Situao de exceo: o conceito 12

    2. triagem 14 a. Triagem primria 15 b. Triagem secundria 20

    3. etiQueta de triagem 22 a. Como utilizar a etiqueta de triagem? 23

    4. o iNem em situaes com muLtiVtimas 26 a. Proteo civil 27 b. Os agentes de proteo civil 27 i. Sistema integrado de operaes de proteo e socorro 28 ii. Estruturas de coordenao no mbito do SIOPS 28 c. A setorizao dos teatros de operaes 29 d. Posto de comando operacional 29 e. O papel do INEM 29 i. O centro de coordenao de doentes urgentes (CODU) 30 e. O princpio da coordenao 30 f. A chegada dos meios ao teatro de operaes 31 g. O posto mdico avanado 33 h. Comunicaes 34 i. Evacuao 34

    5. iNterVeNo PsicossociaL em situaes de crise 36 6. BiBLiografia e sigLas 40

  • situao de exceo (Manual tas)

    10

    1. defiNies e coNceitos Bsicos

    SITUAO DE EXCEO

  • 11

    notas:

    Definio e conceitos bsicos

    Num contexto de permanente possibilidade de ocorrncia de uma catstrofe natural, epidemia, acidente tecnolgico e/ou incidente nuclear, radiolgico, biolgico ou qumico de grandes ou importantes propores, fundamental que diversas entidades realizem, periodicamente, uma anlise da sua situao, tendo em considerao a envolvente interna e externa, em constante mutao, planeando, de forma sistemtica e integrada, uma resposta de emergncia a dar em qualquer um dos cenrios acima referidos, ou a outro, que, pela sua natureza ou extenso, implique, momentnea ou permanentemente, um desequilbrio entre as necessidades e os recursos existentes.

    A estrutura de emergncia mdica pela qual o INEM responsvel dispe de meios operacionais fundamentais para uma resposta imediata em cenrios de crise, que tem vindo a aperfeioar-se de forma progressiva.

    Problemas especf icos requerem solues especficas. O objetivo deste manual fornecer guidelines/orientaes para as equipas de EPH por forma a definir um sistema de abordagem/gesto de multivtimas (ex. acidente grave, situao de exceo) que permita ultrapassar limitaes impostas por diversas circunstncias.

    Figura 5

    anlise dos riscos

    ameaa ou acoNtecimeNto de sade PBLica

    Epidemia, Pandemia e outros.

    acideNte resuLtaNte do deseNVoLVimeNto

    tecNoLgico

    Incndios; Colapso de edifcios.

    acideNte iNdustriaL e/ou NrBQ

    Nuclear, radiolgico, biolgico e qumico.

    acideNte com traNsPortes

    Transportes individuais ou coletivos, urbanos ou interurbanos: Subterrneos; Terrestres; Aquticos: Areos.

    acideNte de origem NaturaL

    Fenmeno ssmico; Situao meteorolgica extrema:

    Inundao; Estado de seca; Avalanche.

    catstrofe reLacioNada com comPortameNto

    humaNo

    Circuitos automobilsticos; Espetculos pirotcnicos; Atos de terrorismo e eventos blicos; Manifestaes culturais, artsticas e polticas.

    Figura 1

  • situao de exceo (Manual tas)

    12

    notas: situao de exceo: o coNceitoVerifica-se uma ausncia de definio e de enquadramento legislativo relativo a este conceito, encontrando-se apenas estipulado/definido os conceitos de acidente grave e de catstrofe (lei de bases da Proteo Civil).

    Apesar de no ser frequente, em territrio nacional, a declarao de acidente grave ou catstrofe, frequente a existncia de situaes de exceo.

    Uma situao de exceo, no contexto de prestao de cuidados de emergncia mdica consiste fundamentalmente numa situao em que se verifica, de forma pontual ou sustentada, um desequilbrio entre as necessidades verificadas e os recursos disponveis. , por sua vez, esta desigualdade que vai condicionar a atuao das equipas de emergncia mdica, nomeadamente, atravs de uma criteriosa coordenao e gesto dos recursos humanos e tcnicos disponveis, bem como de toda a informao disponvel, em cada momento. Como exemplo de Situaes de Exceo em Portugal h acidentes com elevado nmero de vtimas, incndios florestais, incndios urbanos/industriais e intoxicaes, sendo tambm habitual embora, normalmente, sem grande nmero de vtimas, fenmenos naturais como aluvies, cheias e/ou inundaes, ondas de calor e vagas de frio.

    magNitude dos eVeNtos: defiNies

    Acidente Grave: um acontecimento inusitado (provocado por ao do homem ou da natureza), com efeitos relativamente limitados no tempo e no espao, suscetvel de atingir as pessoas e outros seres vivos, os bens e o ambiente.Lei de bases da Proteo Civil Decreto Lei N 27/2006

    Crise:Aes ou omisses induzidas por uma organizao. Como exemplos: Derrame de petrleo no Alasca em 1989 (Exxon

    Valdez); Envenenamento por cpsulas comercializadas de

    Tylenol, nos EUA em 1982, pela empresa Johnson & Johnson (aparentemente foi colocado ci