SUP FRUTOS SECOS

of 5/5
  • date post

    22-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    224
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Gastronomia regional, fado, folclore, artesanato e um Festival Internacional de acordeão A Feira marca o início do Outono e o ponto de partida para as celebrações do Natal. Este ano o certame celebra as Bodas de Prata e para além de uma mostra fotográfica das edições realizadas, reforça a ligação às escolas e regressa ao interior do pavilhão de exposições da Nersant. VARIEDADE. Feira vai realizar-se entre os dias 1 e 10 de Outubro foto arquivo O MIRANTE

Transcript of SUP FRUTOS SECOS

  • 30 Setembro 2010 | O MIRANTEII | FRUTOS SECOS

    VARIEDADE. Feira vai realizar-se entre os dias 1 e 10 de Outubro foto arquivo O MIRANTE

    A Feira marca o incio do Outono e o ponto de partida para as celebraes do Natal. Este ano o certame celebra as Bodas de Prata e para alm de uma mostra fotogrfi ca das edies realizadas, refora a ligao s escolas e regressa ao interior do pavilho de exposies da Nersant.

    Entre os dias 1 e 10 de Outubro, Torres Novas recebe a tradicional Feira Nacional dos Frutos Secos. Na sua 25 edio (19 com participao Interna-cional e 8 com destaque para o Figo Preto da regio), o certame regressa ao interior do pavilho da Nersant. Uma ex-posio fotogrfi ca, com uma retrospec-tiva dos 25 anos de feira, acompanhada por uma exposio de pintura de artistas da regio, so outras das novidades. As condies climatricas dos ltimos me-ses, com o tempo quente e hmido, vo ainda permitir que o visitante encontre uma oferta destes produtos com melhor qualidade e mais quantidade, explica Ana Lopes, da Associao Nacional dos Frutos Secos e Passados.

    Vamos fazer 25 anos, 25 edies. Um quarto de sculo sem interrupes, bastante importante para a organiza-o, para a regio, para o desenvolvi-mento rural, declarou. A passagem do evento para o pavilho da Nersant, na Vrzea dos Mezies, traz outras condi-es ao evento. mais digno por cau-sa dos produtos alimentares. Pensamos que tem outra dignidade logo partida para o certame.

    Para alm da exposio fotogrfi ca e de pintura, a aposta deste ano incidiu ainda na animao infantil. Ao lado da oferta tradicional, os pais podero en-contrar camas elsticas, triciclos e um insufl vel. Nas tardes dos dias 4 e 6 (se-gunda e quarta-feira), com a colaborao do Gabinete de Educao da Cmara de Torres Novas e da Associao Empresa-rial de Torres Novas, Entroncamento, Alcanena e Goleg (ACIS), vo ser or-ganizadas tardes especiais, em que a Feira ser aberta, com visitas guiadas e outras actividades, s escolas.

    A locomotiva que j no ano passado fez o transporte at Feira regressa s ruas de Torres Novas. As paragens rea-lizam-se nas paragens dos TUT, onde os horrios se encontram afi xados.

    Temos tasquinhas de gastronomia regional de vrias regies do pas: do Ribatejo, Alentejo, Trs-os-Montes e Beiras, afi rmou. So mais de 150 ex-positores que se vo dividir pelas dife-rentes seces da Feira, passando pelos

    Reforo da componente tradicional nas bodas de prata da Feira dos Frutos Secos de Torres NovasGastronomia regional, fado, folclore, artesanato e um Festival Internacional de acordeo

    frutos secos, doaria regional, licores, bebidas, charcutaria e muito artesana-to regional, entre outros. Este ano op-tmos por ceder espao aos artesos, mas de forma a ter artesanato diversi-fi cado. 60 por cento dos vendedores de frutos secos presentes no certame so de Torres Novas.

    Ainda no programa esto previstos vrios concursos, nomeadamente de montras, doaria/frutos secos, fotogra-fi a sob a temtica dos frutos secos e de moda. Dia 9, sbado, pelas 17h, have-r um seminrio sobre os Benefcios Nutricionais dos Frutos Secos na Ali-mentao.

    VISITANTES PROCURAM REVIVER TRADIES Segundo Ana Lopes, a organizao

    concluiu, por meio de inquritos, que quem passa pela Feira dos Frutos Secos de Torres Novas vem sobretudo pela tradio. Chegmos concluso que as pessoas no vm Feira pelos grandes grupos, mas pela tradio, pelos frutos secos, pela olaria, pelo artesanato. As pessoas vo comprar os frutos secos pa-ra o Natal.

    Se no ano passado se atingiram os habituais 50 mil visitantes, este ano es-t a procurar-se superar esse nmero. Estamos a fazer uma divulgao, apos-tando no facto de estarmos a celebrar as bodas de prata da Feira.

    O programa aposta na tradio e nos artistas regionais. Dia 1, sexta-feira, a inaugurao conta com a participao da Banda Operria Torrejana e da fa-

    dista Teresa Tapadas. Um Festival In-ternacional de Acordeo, o rancho Os Camponeses de Riachos, o Grupo Et-nogrfi co e Folclrico de Moitas Venda, a Tuna Feminina da Faculdade de Far-mcia da Universidade de Lisboa, Rui Feliciano ou danas de salo so algu-mas das ofertas para as tardes e noites da semana de Feira.

    A entrada custa 1 euro, para maiores de 12 anos, e o espao estar encerrado para descanso e reposio de stocks nos dias 6 e 7, quarta e quinta-feira. Dia 1 a Feira arranca pelas 18h. Dias 2, 3, 5, 9 e 10 a abertura ser s 11h e dias 4 e 8 s 14h. O espao encerra meia-noite, com excepo do domingo e feriado em que as portas sero fechadas s 23h.

  • O MIRANTE | 30 Setembro 2010 FRUTOS SECOS | III

    foto arquivo O MIRANTE

    Frutos secos ricos em gordura boaA maioria da gordura dos frutos se-

    cos essencialmente gordura mono insaturada e polinsaturada, e contm uma baixa percentagem de gordura que aumenta o nvel de colesterol. A gordura monoinsaturada, e particu-larmente a polinsaturada, baixa o co-lesterol LDL (mau colesterol) e os n-veis de lpidos no sangue. No entanto, e tendo em conta o perfil lipdico dos frutos secos, a sua capacidade para re-duzir o colesterol maior do que a es-perada. Assim, provvel que, sendo o seu consumo habitualmente em baixas quantidades, os seus efeitos se faam sentir para alm da reduo dos nveis de colesterol.

    cheios de nutrientes e outros componentes benFicosCada tipo de fruto seco contm uma

    combinao especfica de vitaminas e minerais, alm das gorduras, protenas e fibras. A maioria destes frutos contm, habitualmente, uma elevada quantida-de de vitamina E, um poderoso antioxi-dante que neutraliza os radicais livres e os impede de atacar clulas saudveis; cido flico, que previne o aumento da concentrao de homocistena (um aminocido presente no sangue, que um factor de risco para a doena car-daca); e magnsio, mineral envolvido no controlo da presso sangunea. Os frutos secos tambm contm outros componentes benficos, como os este-

    O que deve saber sobre os frutos secosComo qualquer outro tipo de alimentos, os frutos secos devem ser consumidos com moderao. E cada pessoa deve saber antecipadamente, face ao seu estado de sade, com aquilo que pode contar. Estes so os prs e os contras. A escolha de cada um.

    ris vegetais, fitoestrognios e outros fitonutrientes, que contribuem para uma boa sade do corao.

    aco anti-inFlamatriaRecentemente, tem sido sugerido

    que os frutos secos ajudam a reduzir a inflamao das artrias, que um sin-toma precoce da doena cardaca. Es-tes alimentos so particularmente ricos em arginina, um aminocido proteico. Arginina necessria na produo de xido ntrico, um composto que ajuda a relaxar e dilatar as artrias e outros vasos sanguneos, promovendo uma boa circulao sangunea. Um estudo espanhol recente concluiu que uma dieta rica em nozes reduz a inflama-o arterial e pode neutralizar os efei-tos de uma refeio rica em gordura. Contudo, ainda no claro se este efei-to se deve s gorduras polinsaturadas (as nozes so ricas em cidos gordos omega-3), arginina, antioxidantes, ou combinao dos trs factores.

    proteco contra outras doenasAlguns destes estudos evidenciaram

    que o consumo frequente de frutos se-cos est associado a um menor risco de diabetes mellitus tipo II, tambm co-nhecido como diabetes do adulto. Acre-dita-se que esta associao se possa de-ver sua actividade anti-inflamatria. Tambm se supe que estes alimentos possam ter uma aco protectora con-tra certos tipos de cancro. Por exemplo, o Estudo Prospectivo Europeu sobre Cancro e Nutrio (EPIC) constatou que quantos mais frutos e sementes a mulher consumir, menor o risco de cancro no clon; no caso dos homens, no se encontrou esta associao.

    consumo de Frutos secosIngerir uma poro de uma mistura

    de frutos secos, vrias vezes por sema-na, benfico para a sade, mas tam-bm tem as suas desvantagens. Estes so alimentos muito calricos, pelo que deveriam ser consumidos como outros alimentos menos saudveis, em vez de serem adicionados simplesmente. pre-fervel que sejam consumidos crus.

    As variedades salgadas devem consu-mir-se com moderao, especialmente por aqueles que devem moderar a quan-tidade de sal na alimentao. Por outro lado, algumas pessoas so alrgicas aos frutos secos que provm de rvores (no-zes do Brasil, amndoas, avels, etc.) ou a amendoins*. Estas alergias podem causar um choque anafiltico, e por is-so devem evitar-se os frutos secos em questo e todos os alimentos que con-tenham vestgios destes.

    * Os amendoins no so verdadeiros frutos secos, mas so leguminosas, como as ervilhas e o feijo. Contudo, nutricio-nalmente so mais semelhantes aos fru-tos secos e to benficos como estes para a nossa sade.

    -Informao retirada do site The European Food Information Council (Conselho Europeu para a informao alimentar)

    SAudvEl. Ingerir uma mistura de frutos secos vrias vezes por semana benfico para a sade

  • 30 Setembro 2010 | O MIRANTEIV | FRUTOS SECOS

    A maior parte das pessoas conso-me frutos secos apenas em alturas es-peciais como o Dia de Todos os San-tos, o Natal ou o Ano Novo. E apro-veita a Feira dos Frutos Secos para fazer as suas compras. Quem natu-

    ral de Torres Novas conhece bem o fi go preto que durante dcadas serviu para fabricar lcool e foi importante para a economia da regio, mas so raros os que conhecem quem ainda se d ao trabalho de apanhar aque-

    la qualidade de fi go e a pr a secar para depois vender.

    O MIRANTE aproveitou o contacto com cidados da zona de Torres No-vas para lhes perguntar se costumam assistir aos espectculos apresenta-

    dos no renovado Teatro Virgnia. As respostas deixam a desejar. Especta-dores assduos no encontrmos ne-nhum mas encontrmos quem nunca l tenha entrado.

    Frutos Secos sim, espectculos no Virgnia nem por isso

    Antnio Chora Barroso, RiachosPor tradio, com a famlia, Antnio

    Chora Barroso procura visitar todos os anos a Feira dos Frutos Secos. Quando vou vejo de tudo um pouco, s l vou uma vez na semana, e compro sempre frutos secos. Normalmente vou ao fi -go branco, s nozes e s passas de uva. Gosto muito, mas engorda, comen-ta rindo.

    Costuma comprar os frutos secos nesta altura do ano e guarda-os para ocasies especiais, como o Dia de Todos os San-

    Francisco Silva, Torres NovasA viver em Torres Novas h cerca de

    40 anos, Francisco Silva afi rma gostar muito de frutos secos, desde amndoas, nozes ou avels. Nos fi gos, prefere o fi go branco. So produtos que guarda para ocasies especiais. Dias mais assinala-dos, mas que compra apenas por alturas da Feira dos Frutos Secos. Todos os anos procura passar pelo certame.

    Msico desde os 14 anos, comenta que muito esquisito com a oferta musical. O evento no o atrai tanto pelo programa

    tos ou o Natal. No conhece ningum que ainda tenha as suas fi gueiras e seque os fi gos para vender. No sei se um tio meu ainda tem fi gos.

    Do fi go preto tem vrias recordaes. Em pequeno andei a apanhar fi gos. Os meus avs eram da Brogueira e na altura das frias amos com os primos apanhar fi gos, todos contentes em cima do burro. O meu av dava um tosto ou dois por ca-da balde que ns apanhssemos. Acho que era uma tradio boa e mesmo assim ainda dava trabalho a muita gente quan-do se fazia aguardente de fi go.

    O ltimo espectculo que viu no Tea-tro Virgnia foi em 2009, com o primo, o cantor Pedro Barroso, que ali assinalou 40 anos de carreira. No vou mais por falta de tempo, explica.

    cultural, mas sobretudo pela oferta gas-tronmica. No conhece quem seque e venda o fi go preto e lamenta que j no haja hoje clientes para esta produo. Tenho pena que no se aproveite esse produto tpico de Torres Novas.

    Sabe que o Teatro Virgnia foi recu-perado mas no se recorda da ltima vez que l foi. Confesso que no costumo ir a espectculos no Virgnia.

  • O MIRANTE | 30 Setembro 2010 FRUTOS SECOS | V

    Manuel Romo, Torres Novas

    Proprietrio de um restaurante, Manuel Romo vai Feira dos Frutos Secos conforme a sua disponibilida-de, mas refere que passa pelo certame todos os anos. Costumava ir Feira mais para ver a Fersant (Feira Empre-sarial que se realizava na mesma altura da Feira dos Frutos Secos), agora no sei como ser, refere. Vou espera de encontrar aquilo mais vazio, afi r-ma, comentando que conhece pessoas que j no vo expor os seus produtos porque a Fersant este ano se realizou em Santarm.

    Manuel Romo gosta de todo o tipo de frutos secos, passando pelo tradi-cional fi go preto, a noz ou a amndoa. Mas consome estes produtos sobretu-do nesta poca. No tempo do calor, s se for mesmo um amendoim com uma imperial, refere a rir.

    Dos tradicionais produtores que con-servem as suas fi gueiras e sequem os fi gos pretos para vender no conhece ningum. Mas h aqui um supermer-cado que tem sempre fi go preto, todo o ano, comenta.

    Quanto a hbitos culturais so es-cassos. Nunca fui ao teatro Virgnia desde que foi recuperado. Tenho mui-to trabalho, justifi ca-se.

    Joo Gonalves, Torres Novas

    Costuma passar todos os anos pela Feira dos Frutos Secos e hbito levar alguns para casa. De toda a oferta, pre-fere as nozes. Vou por tradio, desde a altura que a Feira comeou. A seco dos doces contudo a sua favorita.

    Joo Gonalves comenta que costu-ma esperar por esta poca do ano para comprar frutos secos. Pessoas que ain-da possuam fi gueiras e sequem os fi gos para vender existem cada vez menos na zona e refere que esta uma tradio que se est a perder. Conheci pessoas que o faziam, mas hoje em dia os fi gos que vm do estrangeiro, de locais como a Turquia, so mais baratos. Aqui faze-mos uma Feira mas os produtos, na re-alidade, vm de outros pases, diz.

    Dono de um restaurante, afi rma que no se recorda bem da ltima vez que foi ao Teatro Virgnia. Tenho uma fi -lha que est na dana e a ltima vez que estive no espao foi para ver um espectculo dela, confessa.

    Joo Pedro, Casvel

    Especial apreciador de amndoas, Joo Pedro afi rma que adora todos os frutos secos, menos o fi go preto, tradicional da regio. Provavelmente por se ter cansa-do de os apanhar. Quando era mais no-vo, para conseguir algum dinheiro para as frias, andei na apanha do fi go preto. No fi nal do dia recebia cerca de mil escu-dos. Como era pago ao balde, dependia da produo das fi gueiras e da minha disposi-o, conta. E sublinha que o dia passado naquele ofcio no era para brincadeiras. Havia sempre em sua volta pessoas mais velhas que o faziam trabalhar.

    Todos os anos passa pela Feira dos Fru-tos Secos. Costumo ir para ver alguns con-certos e aproveito para passar l a tarde, comer qualquer coisa. A compra dos fru-tos secos um hbito de todo o ano e em sua casa nunca faltam as amndoas.

    Em Casvel ainda conheo muita gen-te que tem fi gueiras e seca os fi gos, mas no vende, apenas oferece. O meu pri-meiro empregador, quando andava na apanha do fi go preto, julgo que ainda vende, mas j tem 90 anos.

    Da ltima vez que Joo Pedro esteve no Teatro Virgnia, em Torres Novas, foi para assistir a um concerto dos Cl, h cer-ca de dois anos. Ainda no percebi se falta de interesse em ir ou falta de infor-mao sobre os espectculos. Talvez um pouco das duas coisas, refl ecte.

    Rosalina Santos, Torres Novas

    Apreciadora de frutos secos, Rosali-na Santos diz que gosta de todas as va-riedades, incluindo os fi gos. Por causa do sabor, refere. Todos os anos visita a Feira dos Frutos Secos, porque a sua empresa tem l um stand de vendas.

    Tenho mais o hbito de comprar os frutos secos nesta altura por causa da Feira, conta. No conhece quem ain-da seque fi gos para vender, mas refere que algumas colegas conservam as suas fi gueiras e vo colhendo os fi gos. H sempre mercado para estes produtos embora a agricultura esteja a passar uma fase m, afi rma.

    O ltimo espectculo que viu no Te-atro Virgnia foi h dois ou trs anos, com o humorista Jos Pedro Gomes. Tenho uma vida muito ocupada. E nem sempre possvel conjugar as coi-sas, admite.

    MMED10092301A027CMMED10092301A028CMMED10092301A029CMMED10092301A030CMMED10092301A031C