TÉCNICAS PARA DINAMINIZAÇÃO DA PASTORAL DO DÍZIMO · capaz de levar a pessoa a produzir alguma...

of 50/50
TÉCNICAS PARA DINAMINIZAÇÃO DA PASTORAL DO DÍZIMO D. Edson Oriolo
  • date post

    10-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of TÉCNICAS PARA DINAMINIZAÇÃO DA PASTORAL DO DÍZIMO · capaz de levar a pessoa a produzir alguma...

  • TCNICAS PARA

    DINAMINIZAO DA

    PASTORAL DO DZIMO

    D. Edson Oriolo

  • - Reorganizar a Pastoral do Dzimo como construir

    uma casa. Se o alicerce fraco, no passa do

    primeiro andar, isso quando no desmorona.

    Ex.Casa

    http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.rede2000.com.br/assets/images/pag.construcao.jpg&imgrefurl=http://www.rede2000.com.br/html/promocoes.htm&h=280&w=260&sz=15&hl=pt-BR&start=2&tbnid=duU4Regn7ktJzM:&tbnh=114&tbnw=106&prev=/images?q=CONSTRU%C3%87%C3%83O&gbv=2&hl=pt-BR&sa=G

  • Tcnicas para Pastoral do Dzimo

  • O Agente da Pastoral do Dzimo deve ser a pessoa da criticidade. Deve ser crtico em sua prtica, agir e capaz de levar a pessoa a produzir alguma coisa.

    Criticidade

    ptica

    Criticidade

    hermenutica

    Criticidade

    Praxiolgica

  • a) Criticidade ptica

    Atua pelo olhar. Olhar crtico. Olhar prospectivo. Olhar inovador. Olhar para o amanh, para o

    futuro. Ser capaz de garimpar o que se esconde. Debulhar a espiga capciosa.

    Ex. Zaqueu (Lc 19,1-10)

    - Conhecer profundamente a instituio em que trabalha (Arquidiocese, Parquia e Comunidade).

    - Conhecer profundamente a causa defendida.

    - Co-responsvel pelo cumprimento da misso da instituio.

  • b) Criticidade Hermenutica

    Analisar o que est por detrs do acontecimento. Avaliar o que est escondido naquele olhar e

    escutar.

    Paul Ricoeur: Interpretar decifrar o sentido do oculto no sentido aparente.

    - Quem seria a melhor pessoa na organizao para solicitar a doao?

    - Qual o histrico de doao na comunidade?

    - Qual o valor da doao e da disponibilidade de cada doador?

  • c) Criticidade Praxiolgica

    Estimula e orienta o agir humano.

    - Com muita simplicidade, criatividade, cortesia, colaborao e conhecimento deve-se planejar o que incentiva a pessoa a contribuir com a instituio.

    - Deve-se despertar na conscincia motivaes que levem algum a fazer suas doaes.

    - Quanto mais se conhece o doador, seus desejos, hbitos e necessidades, mais fcil se torna atender suas necessidades.

  • PROCESSO DE

    DINAMINIZAO PARA

    PASTORAL DO DZIMO

  • Processo / Ciclo

    4 - Exposio dasNecessidades

    3 - Pesquisa

    2 Planejamento

    1 - Cenrio

    5 - Pedido

    6 - Agradecimento

  • O termo cenrio vem do latim coenatoriu,

    local onde a famlia praticava a ceia,

    momento considerado de grande

    importncia na Antiguidade. Com o tempo,

    o cenrio passou a designar o conjunto de

    diversos materiais para criar a realidade ou a

    atmosfera para a ao.

    1 - CENRIO

  • Uma pastoral do dizimo que no contenha

    uma boa anlise de cenrios ser fatalmente

    passvel de muitos questionamentos quanto

    sua viabilidade.

  • impossvel analisar um cenrio do dzimo

    paroquial partindo do zero. uma tarefa

    demasiadamente rdua, seno, impossvel.

    Para comear, pense macro.

  • Tal tarefa exige muita orao, criatividade,

    visibilidade e objetividade.

    preciso ver o cenrio do dzimo paroquial

    com o olhar de Deus, um olhar que tem

    como objetivo a salvao.

  • Assim, encontraremos muitos sinais da

    ao de Deus e poderemos entender

    melhor os fiis leigos com suas

    potencialidades, qualidades e

    possibilidades, participando eficazmente

    na ministerialidade eclesial.

  • O jeito mais prtico de se realizar uma anlise

    SWOT (o termo SWOT uma sigla oriunda

    do idioma ingls, e um acrnimo de Foras

    , Fraquezas, Oportunidades e Ameaas).

    Consiste em elaborar uma tabela com uma

    lista dos aspectos apropriados e, depois,

    comear a trabalhar para aperfeioar este

    campo de ao pastoral (realidade do dzimo

    na parquia).

    SWOT

  • preciso analisar as foras, as fraquezas,

    as oportunidades e as ameaas da

    Pastoral do Dzimo. Com estes dados

    possvel organizar uma boa equipe de

    agentes, capazes de um trabalho eficiente

    na reestruturao da Pastoral do dzimo.

    SWOT

  • Terico: Que ameaas podem lhe prejudicar?

    Quais so as influncias negativas?

    AMEAAS

  • Prtico: - Falta de espiritualidade dizimal;

    - Agentes que se envolvem, mas no se comprometem;

    - Falta de conscientizao dos fiis e de suas responsabilidades em relao a Igreja e Jesus

    Cristo;

    - Falta de administrao rigorosa;

    - Agentes que s pensam em dinheiro e s fazem as coisas quando do lucro;

    AMEAAS

  • - Falta de orao e de entusiasmo da equipe;

    - No prestao de contas;

    - Agentes pouco motivados e pouco qualificados;

    - Conhecimento limitado dos agentes sobre as

    dimenses bblica, teolgica, espiritual e

    pastoral do dizimo;

    - Falta de treinamentos, encontros, palestras e

    leituras para os agentes da pastoral.

    AMEAAS

  • Terico: No que a Pastoral pode

    melhorar?

    O que acham que so suas fraquezas?

    FRAQUEZAS

  • Prtico: - Baixa conscientizao dizimal;

    - Falta de maturidade eclesial quanto pertena e comprometimento dos fiis em forma de partilha e comunho

    com a parquia;

    - Falta de conscientizao dos fiis e de suas responsabilidades em relao Igreja;

    - Falta do testemunho pessoal de como a adeso ao dzimo fonte de bnos;

    - Falta de articulao da equipe da pastoral do dzimo;

    - Equipamento e programa de informtica obsoleto ou necessitando ser trocado;

    - Agentes pouco motivados, agentes pouco qualificados;

    - - Excesso de conscientizao sobre o dizimo.

    FRAQUEZAS

  • Terico: O que a Pastoral faz bem?

    Que recursos especiais possui e pode

    aproveitar?

    O que outros acham que ela faz bem?

    OPORTUNIDADES

  • Prtico: - Excelente mstica dizimal;

    - Clareza de ser Igreja missionria;

    - - Igreja em sada: ir frente, envolver-se

    acompanhar e frutificar;

    - Transparncia nas contas da parquia;

    - Senso de famlia crist na administrao;

    - Fiis sensibilizados pela pastoral;

    OPORTUNIDADES

  • - Escolha de pessoas interessadas e convencidas do

    valor do dzimo;

    - Formao dos agentes da pastoral do dizimo;

    - Utilizao do endomarketing;

    - Agentes altamente qualificados;

    - Sistema de informtica sofisticado.

    OPORTUNIDADES

  • Terico: O que a Pastoral faz bem feito?

    Que recursos especiais possui e pode

    aproveitar?

    FORAS

  • Prtico: - Rezar e divulgar a orao do dizimista em todas as ocasies possveis e oportunas;

    - Crescimento do dzimo;

    - Agentes qualificados e piedosos;

    - Maturidade eclesial dos agentes, dos fiis e das comunidades;

    - Comprometimento dos fiis em forma de partilha e comunho com a parquia;

    - Fiis mais generosos;

    FORAS

  • - Administrao transparente;

    - Mais beleza, tcnica, conforto e acolhimento na parquia;

    - Testemunhos pessoais de como a adeso do dizimo traz bnos para os dizimistas;

    - Disposio dos agentes para treinamentos;

    - Projeto de evangelizao bem articulado.

    FORAS

  • Com isso, a Pastoral do Dzimo

    reforada e cumpre sua misso de

    promover a partilha, a co-

    responsabilidade, expresses de uma

    Igreja Viva da comunho e participao

    FORAS

  • Oportunidades

    Planejamento

    Misso, Metas

    Objetivos

    Ameaas

    Foras Fraquezas

    AMBIENTE

    EXTERNO

    Aes de

    desenvolvimento

    Aes de

    Reorganizao interna

    Modificaes

    Estruturais

    Profundas

    Aes de modificar

    o ambiente

    AM

    BIE

    NT

    E

    INT

    ER

    NO

  • 2 - PLANEJAMENTO

    O planejamento estratgico no soluo mgica.

    No resolve tudo, mas por outro lado ajuda a

    aproveitar melhor os recursos que temos.

    necessrio um planejamento estratgico para

    detect-los e estabelecer o que queremos.

    No existe um tipo correto de estratgia. A

    estratgia mais adequada aquela que melhor

    corresponda aos valores e disposio para

    assumir riscos pelos gestores de cada

    organizao.

  • Planejar elaborar um roteiro de aes para se atingir um determinado fim. Saber distribuir recursos necessrios

    para alcanar suas metas e o desenvolvimento de aes especficas.

    Quo melhor o planejamento, to melhor a sua organizao.

  • Planejamento estratgico estabelece objetivos, metas, planos, polticas, tticas, destinao

    de recursos, logstica, sinergia, posicionamento, processo decisrio, viso etc... com o intuito de otimizar e alcanar resultados, sem a ocorrncia de entropia.

  • uma busca pela excelncia, como dizia Peter Drucker, filsofo e administrador

    austraco, considerado o pai do Marketing e da administrao

    modernos: o planejamento no diz respeito a decises futuras, mas s implicaes futuras de decises

    presentes.

  • PLANEJE SEU TRABALHO PASTORAL

  • Etapas

    Planejamento Pastoral

    4 - Elaborao deMetas

    3 - Estabelecimentode

    Objetivos

    2 - Conhecimento da

    Realidade

    1 - Formao de Equipe

    de organizao

    5 - Criao dePlanos de ao

  • 1- FORMAO DE UMA EQUIPE DE COORDENAO

    - Proco, leigos de

    todas as pastorais,

    movimentos e

    comunidades da

    parquia.

  • 2 -CONHECIMENTO DA REALIDADE

    a) Analise do Ambiente Interno (conhecer

    o pblico alvo da Igreja. Pastoral de

    Manuteno, Pastoral de Conservao)

    b) Anlise do Ambiente Externo (Ao

    Evangelizadora. Abrir Espao).

    Vemos aqueles que no nos vem, somos vistos por

    aqueles que no vemos.

    Assemblias Comunitrias e Paroquial.

    Cenrio:

  • ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS

    - Fatores vitais para obter xito do

    trabalho de acordo com o

    magistrio ordinrio e

    extraordinrio. So elementos que

    devem existir para triunfar e crescer

    a pastoral.

  • 4 - ELABORAO DE METAS

    - Escolhemos necessidades, o que vamos fazer para atend-

    las. Saber o que se quer alcanar e impacto positivos sobre

    as aes. Elas devem causar um impacto positivo nas aes.

    Elas no existem para nos assustar, e sim nos desafiar. As

    metas na pastoral so possveis desde que o xito seja

    alcanado e nos leve santidade.

  • CRIAO DE PLANOS DE ACO

    - o registro por escrito das

    motivaes tomadas para dar

    andamento ao trabalho. O plano

    pode ser modificado se, no

    decorrer do processo de

    planejamento for percebida uma

    necessidade de correo de

    decises anteriormente tomadas.

  • Planos de Ao

    4 - Onde?

    3 - Quando?

    2 - Como?

    1 - O que faremos?

    5 - Recursos

  • ELABORAO DE UM PLANO DE AO

    OBJETIVO

    - O que queremos mesmo, como Igreja? Definir o que

    pensamos que deva ser a Igreja vai refletir no trabalho que

    faremos.

    - Quem quer uma Igreja servidora vai planejar aes

    diferentes das que so desejada por quem sonha com uma

    Igreja triunfante e hegemnica.

  • O QUE FAREMOS ?

    Um projeto geralmente envolve

    vrias aes referentes

    preparao, execuo e avaliao.

    Sempre bom confrontar cada ao

    com o objetivo para conferir se

    combinam mesmo.

  • COMO ?

    O mtodo usado tem de combinar com o objetivo de alcanar

    (instrumentos, dinmicas e tcnicas a serem utilizadas, passo do

    trabalho).

    A maneira de fazer tambm comunica, ensina. Imagine o efeito

    de um curso sobre comunho e participao dado de forma

    autoritria e repressora.

  • QUANDO ?

    Ao escolher a poca de

    desenvolvimento do projeto levamos

    em conta as outras atividades da

    comunidade, os dados recolhidos no

    ver, a possibilidade de contar com a

    colaborao de outras pessoas.

    Cronograma das atividades( lista de

    aes a serem realizadas, com seus

    prazos, agentes e destinatrios)

  • ONDE ?

    No haja duas atividades diferentes

    ocorrendo no mesmo lugar, local.

  • COM QUE RECURSOS ?

    - Recursos humanos

    - Recursos, verba, material de trabalho,

    equipamentos, subsdios etc...

  • LANCEMO-NOS NA EXPERINCIA DE UM

    PROCESSO DE PLANEJAMENTO QUE

    AJUDE A IGREJA A SER SINAL E

    INSTRUMENTO DO REINO DE

    LIBERTAO QUE JESUS INAUGUROU E

    QUE ESTAMOS CHAMADOS A FAZ-LO

    CADA VEZ MAIS PRESENTE.

    CONCLUINDO

  • PORQUE DE UM BOM PLANEJAMENTO

    - Definir resultados ou metas.

    - Determinar aes.

    - Reservar recursos.

    - Visar a alvos definidos.

    - Dominar as ondas de choque.

    - Explorar tendncias.

    - Gerir acontecimentos.

    - Monitorar os indicadores crticos.

  • Muito agradecido por sua participao.

    Dom. Edson Oriolo

    [email protected]