Topicos Em Educacao a Distancia

download Topicos Em Educacao a Distancia

of 159

Embed Size (px)

Transcript of Topicos Em Educacao a Distancia

  • O QUE A EAD?

    1Silvane Guimares Silva Gomes

    e-Tec Brasil Tpicos em Educao a Distncia

  • AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    7

    Meta

    Apresentar os principais conceitos de Educao a

    Distncia.

    Objetivos

    Ao final dessa aula, voc dever ser capaz de:

    1. distinguir os principais elementos que caracterizam a

    Educao a Distncia;

    2. elaborar um novo conceito para Educao a Distncia.

  • AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    7Iniciando a aula...

    Neste exato momento, voc est iniciando o estudo da primeira aula de

    uma disciplina de um curso a distncia. Provavelmente voc deve ter realizado

    a maior parte de seus estudos na modalidade presencial, no mesmo? E

    agora, por que escolheu um curso a distncia? Escreva nas linhas a seguir os

    motivos pelos quais voc optou por um curso a distncia:

    GLOBALIZAO

    Processo de integrao

    econmica, social,

    cultural e poltica entre

    os pases causado

    pelo barateamento dos

    meios de transporte e

    comunicao no final do

    sculo XX.

    Provavelmente voc respondeu que optou pela modalidade a distncia

    porque no tem um horrio compatvel com um curso presencial e/ou porque

    no poderia se deslocar at uma escola que oferea tal curso. Portanto,

    podemos dizer que, comparada ao ensino presencial, a modalidade a distncia

    mais flexvel, pois no prende o aluno a horrios e locais determinados pela

    instituio.

    Outra resposta possvel seria que a oferta do curso que voc queria era

    somente na modalidade a distncia. Talvez voc j tenha reparado que, nos

    ltimos anos, houve um aumento da oferta de cursos a distncia. A rpida

    difuso da Educao a Distncia (EAD) conseqncia do desenvolvimento

    tecnolgico e da exploso informacional que o mundo (decorrente do processo

    de GLOBALIZAO) viveu nos ltimos anos. Mas onde ser que tudo comeou?

    Fonte: www.sxc.hu

    Ada

    m C

    iesi

    elsk

    i

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    8

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    9Voc tem idia de quando surgiu a Educao a Distncia?

    Os primeiros registros sobre Educao a Distncia so de cursos por

    correspondncia, viabilizados pela impresso em escala e que permitiam

    a educao de um contingente cada vez maior de pessoas. A inveno

    da PRENSA DE TIPOS MVEIS, juntamente com um sistema de correio postal,

    possibilitou a difuso de informaes. J no sculo XVIII, o jornal A Gazeta de

    Boston publicava a oferta de cursos de TAQUIGRAFIA, por aulas impressas que

    seriam recebidas em casa.

    A PRENSA DE TIPOS MVEIS foi criada por

    Gutenberg, no sculo

    XV, e era usada para

    produo de livros.

    A partir do sculo

    XVIII, passou a ser

    usada para

    imprimir jornais.

    TAQUIGRAFIA

    Arte de escrever to

    depressa quanto

    se fala, por meio de

    sinais e abreviaturas.

    Tambm chamada

    de estenografia.

    Figura 1.1: Os primeiros cursos a distncia foram por correspondncia.

    Fonte: www.sx

    c.hu

    Sophie

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    8

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    9Desde ento, diversas iniciativas foram surgindo, espalhadas pelo mundo.

    Berlim (Alemanha), Boston e Chicago (Estados Unidos), Valncia (Espanha),

    Vitria (Austrlia), Paris (Frana) e Londres (Inglaterra) so alguns exemplos

    de cidades que iniciaram atividades de ensino por correspondncia e,

    posteriormente, por outras mdias.

    Figura 1.2: A EAD se disseminou por vrias partes do mundo.

    Font

    e: w

    ww

    .sxc

    .hu

    San

    ja G

    jene

    ro

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    10

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    11

    Conceitos de EAD

    Devido a sua grande difuso, muito se escreveu sobre EAD. Por isso

    mesmo, encontramos uma diversidade de definies para o termo. Certamente,

    voc poder encontrar definies diferentes das que vamos apresentar aqui,

    no decorrer de suas leituras e pesquisas. Mas uma coisa certa. Todas

    as definies encontradas tm muito em comum no que diz respeito aos

    seguintes aspectos:

    a distncia fsica entre professor e aluno;

    a forma de estudo;

    o uso de tecnologias de informao e comunicao (TICs) para promover

    a interao.

    E no Brasil, quando surgiu a EAD?

    No cenrio nacional, a Educao a Distncia comeou a aparecer

    por volta de 1934, com o Instituto Monitor, que oferecia cursos

    profissionalizantes por correspondncia.

    SAIBA MAIS

    Font

    e: w

    ww

    .sxc

    .hu

    Afo

    nso

    Lim

    a

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    10

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    11Para que voc possa perceber a diversidade de conceitos de EAD,

    selecionamos alguns, contemplando os diferentes autores e seu tempo.

    Para Michael Moore e Greg Kearley (1996), Educao a Distncia o

    APRENDIZADO PLANEJADO que ocorre normalmente em um lugar diferente do local

    do ensino, exigindo:

    tcnicas especiais de criao do curso e de instruo;

    comunicao por meio de vrias tecnologias;

    disposies organizacionais e administrativas especiais.

    Os autores apontam cinco caractersticas essenciais para definir Educao

    a Distncia:

    1. Separao fsica e geogrfica entre estudante e professor.

    2. Planejamento e preparao dos materiais de aprendizado por uma

    organizao educacional.

    3. No processo de ensino e aprendizagem, os suportes que viabilizam

    e incentivam a autonomia dos alunos so importantes para encorajar a

    interao entre eles e contribuir para a aprendizagem.

    4. O aprendizado planejado, e no acidental.

    5. A comunicao acontece por meio de tecnologias e mdias diversas.

    De acordo com Otto Peters (1973), citado por Nunes em 1992, a Educao

    a Distncia um mtodo racional de partilhar conhecimento, habilidades e

    atitudes, aplicando os princpios organizacionais e a diviso do trabalho. O

    uso extensivo de meios de comunicao possibilita instruir um grande nmero

    de estudantes ao mesmo tempo. uma forma industrializada de ensinar

    e aprender. Esse autor destaca os seguintes elementos na definio de

    Educao a Distncia:

    1. A presena do professor ou do tutor se d de maneira virtual em quase

    todo o processo, especialmente quando os recursos de comunicao

    utilizados so mdias que dependem de conexo com a Internet.

    2. O estudo acontece de forma individualizada e independente pelo aluno.

    3. Deve haver um sistema que viabilize e incentive a autonomia dos

    estudantes durante o processo de aprendizagem.

    4. O uso de vrias tecnologias que permitem a mediao entre os envolvidos

    no processo de ensino aprendizagem.

    5. Estabelecimento de dilogo entre professor e aluno, mesmo a distncia.

    No APRENDIZADO PLANEJADO, o aluno

    estimulado, por meio

    do material didtico,

    ao desenvolvimento

    contnuo dos seus

    estudos. Ele recebe

    orientaes que o

    auxiliam na utilizao

    das informaes

    abordadas pelo

    material didtico, de

    uma forma organizada

    e com indicaes dos

    procedimentos a serem

    tomados por ele ao

    longo do curso.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    12

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    13As seguintes caractersticas para a definio de Educao a Distncia so

    apontadas por Keegan (1996):

    1. A separao fsica entre professor e aluno durante quase todo o

    processo educativo.

    2. A separao do aluno de um grupo de aprendizado.

    3. A participao de uma organizao educacional, contendo plane-

    jamento, sistematizao, plano, projeto e organizao dirigida.

    4. O uso de vrias tecnologias e mdias para a distribuio do contedo do

    curso.

    5. A comunicao de mo dupla, ou seja, permite que o aluno tambm

    possa iniciar um dilogo com o professor.

    6. Tem encontros ocasionais presenciais com objetivos didticos e de

    socializao.

    J para Moran (2002):

    1. A Educao a Distncia o processo de ensino-aprendizagem mediado

    por tecnologias, no qual professores e estudantes esto separados

    espacial e/ou temporalmente.

    2. ensino-aprendizagem quando professores e estudantes no esto

    normalmente juntos fisicamente, mas podem estar conectados e interligados

    por tecnologias, principalmente as TELEMTICAS, como a Internet. TELEMTICA

    Conjunto de servios

    informticos fornecidos

    atravs de uma rede

    de telecomunicaes,

    na qual se associam

    meios de informtica

    e de telecomunicao.

    Tambm chamada

    de teleinformtica.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    12

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    13

    Ratne

    sh B

    hatt

    Ludm

    illa

    Ros

    si

    Craig Jewell

    Marcelo Terraza

    Fonte: www.sxc.hu

    Figura 1.3: Tambm podem ser utilizados o telefone, o correio, o vdeo, a televiso, o CD-ROM, o fax, o rdio e tecnologias semelhantes.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    14

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    153. Na expresso ensino a distncia, a nfase dada ao papel do professor

    (como algum que ensina a distncia). Preferimos a palavra educao,

    que mais abrangente, embora nenhuma das expresses, segundo Moran,

    seja perfeitamente adequada.

    Segundo a Legislao Brasileira (1998), no Decreto n 2.494, a Educao

    a Distncia caracteriza-se como modalidade educacional na qual a mediao

    dos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilizao de meios

    e tecnologias de informao e comunicao. Estudantes e professores

    desenvolvem atividades educativas em lugares ou tempos diversos.

    Landim (1997), citado por Pimentel (2006), analisou 21 definies de EAD

    formuladas por diferentes autores no mundo todo entre os anos de 1967 e 1994

    e apontou as caractersticas comuns, com os percentuais de incidncia de cada

    uma, como mostra a tabela a seguir:

    TABELA 1.1: Caractersticas conceituais comuns ao conceito de EAD

    Caractersticas Incidncia em %

    Separao professor-estudante. 95

    Meios tcnicos ou diferentes mdias (vdeo, material impresso, filmes, sons, simulaes e outros).

    80

    Organizao no planejamento e preparao dos materiais que sero disponibilizados aos alunos.

    62

    Aprendizagem independente de professor, ou seja, o aluno estimulado a construir o conhecimento por si mesmo, a partir de suas prticas e reflexes, podendo se tornar ator e autor de seu aprendizado.

    62

    COMUNICAO BIDIRECIONAL 35

    Comunicao massiva: um curso produzido e facilmente utilizado por um grande nmero de alunos, com o mnimo de gastos.

    38

    Recursos tcnicos de comunicao professor-aluno e aluno-aluno por meio de correio, rdio, TV, telefone, fax, hipermdia interativa e Internet.

    30

    Educao corporativa, ou seja, as empresas promovem treinamento para seus funcionrios.

    15

    Fonte: Adaptado de Pimentel, 2006.

    Na COMUNICAO BIDIRECIONAL, o

    aluno assume uma

    postura ativa, de

    participao, apesar

    da distncia. Ele

    busca estabelecer

    dilogos com seus

    colegas de curso e

    com seu professor ou

    tutor. Esse processo

    de comunicao

    bidirecional dever

    ser favorecido por

    meio de tecnologias

    de comunicao

    planejadas para

    cada curso.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    14

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    15

    Como voc viu at aqui, existem diferentes conceitos para EAD e cada um

    corresponde a um contexto histrico. Para cada modelo educacional proposto

    em sua poca, uma nova tecnologia foi sendo implementada para promover a

    interao e a mediao entre os envolvidos.

    1. Marque as opes que esto relacionadas aos elementos carac-

    terizadores da Educao a Distncia:

    ( ) Separao fsica e geogrfica entre aluno e professor.

    ( ) Predomnio de atividades expositivas.

    ( ) O professor atende os alunos em horrios fixos e na sala de aula.

    ( ) O ritmo de aprendizado determinado pelo estudante.

    ( ) Processo de ensino-aprendizagem centrado no professor.

    ( ) Processo de ensino-aprendizagem centrado no estudante.

    2. Considerando as definies de Educao a Distncia de acordo

    com diferentes autores, qual delas pode ser considerada incorreta?

    (Leia com ateno.)

    ( ) o processo de ensino-aprendizagem quando professores e estu-

    dantes no esto normalmente juntos fisicamente, mas podem estar

    conectados, interligados por tecnologias.

    ( ) Educao/Ensino a Distncia um mtodo racional de partilhar

    conhecimento, habilidades e atitudes, atravs da aplicao da diviso

    do trabalho e de princpios organizacionais.

    ( ) Em EAD, se reconhece a capacidade do estudante para construir

    seu conhecimento e ser ator e autor de suas prticas e reflexes.

    ( ) Em EAD, os estudantes no esto fisicamente no mesmo lugar,

    mas devem, necessariamente, participar todos ao mesmo tempo das

    atividades.

    ( ) Educao a Distncia uma forma de ensino que possibilita a auto-

    aprendizagem, com a mediao de recursos didticos sistematicamente

    organizados e apresentados em diferentes suportes de informao. So

    utilizados isoladamente ou combinados e veiculados pelos diferentes

    meios de comunicao.

    ATIVIDADE 1 ATENDE AO OBJETIVO 1

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    16

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    17

    Saiba mais sobre EAD visitando os sites a seguir:

    http://www.eca.usp.br/prof/moran/textosEAD.htm

    http://www.escolanet.com.br/

    http://www.eps.ufsc.br/disserta98/roser/index.htm

    http://www.abed.org.br/antiga/htdocs/paper_visem/thelma_

    rosane_de_souza.htm

    http://www.eps.ufsc.br/disserta99/denia/cap4.htm

    http://www.techne.com.br/artigos/Uso_TI.pdf

    http://penta2.ufrgs.br/edu/videoconferencia/dulcecruz.htm

    http://www.edutec.net/Tecnologia%20e%20Educacao/edconc.ht

    m#Ensino%20a%20Distncia

    E nossa sugesto de leitura:

    Fonte: http://www.traca.com.br/seboslivrosusados.cgi?mod=LV70854&origem=resultadodetalhada(LITWIN, E. O que a Educao a Distncia? In: Educao a distncia: Temas para o debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre: ArtMed Editora, p.13-22, 2001)

    E nossa sugesto de leitura:

    Fonte: http://www.traca.com.br/seboslivrosusados.cgi?mod=LV70854&origem=resultadodetalhada

    O que a Educao

    debate de uma nova agenda

    MULTIMDIA

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    16

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    17

    Voc dever criar um novo conceito para EAD a partir das leituras

    feitas at aqui. Se precisar, volte a ler o texto que foi sugerido!

    O conceito dever contemplar os principais elementos que

    caracterizam a EAD.

    A rpida difuso da Educao a Distncia (EAD) conseqncia do

    desenvolvimento tecnolgico e da exploso informacional do mundo

    globalizado.

    Os primeiros registros sobre Educao a Distncia so de cursos

    por correspondncia, viabilizados pela impresso em escala,

    permitindo a educao de um contingente cada vez maior de

    pessoas.

    Diversas iniciativas de EAD foram surgindo, espalhadas pelo mundo.

    Berlim (Alemanha), Boston e Chicago (Estados Unidos), Valncia

    (Espanha), Vitria (Austrlia), Paris (Frana) e Londres (Inglaterra)

    so alguns exemplos de cidades que iniciaram atividades de ensino

    por correspondncia e, posteriormente, por outras mdias.

    Com a grande difuso da EAD, muito se escreveu sobre essa

    modalidade de ensino, o que permitiu uma diversidade de definies

    para o termo.

    Nas definies de EAD, alguns aspectos so comuns: distncia

    fsica entre professor e aluno; forma de estudo; uso de tecnologias

    de informao; e comunicao (TICs) para promover a interao.

    ATIVIDADE 2 ATENDE AO OBJETIVO 2

    RESUMINDO...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    18

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    19

    Atividade 1

    1) Nesse exerccio, o importante voc perceber que os elementos

    que caracterizam a EAD diferem daqueles que caracterizam o ensino

    presencial. Como voc viu, alguns elementos se repetem em diferentes

    conceitos de EAD. Portanto, as opes corretas devem ser: Separao

    fsica e geogrfica entre aluno e professor; O ritmo de aprendizado

    determinado pelo estudante; Processo de ensino-aprendizagem

    centrado no estudante. As demais opes so caractersticas do

    ensino presencial.

    2) Enumeramos alguns conceitos onde possvel encontrar alguma

    informao que no pertinente EAD. Se voc marcou como alternativa

    errada a afirmao: Em EAD os estudantes no esto fisicamente no

    mesmo lugar, mas devem, necessariamente, participar todos ao mesmo

    tempo das atividades, acertou! Essa uma caracterstica interessante

    da EAD. No importa o tempo e o espao, cada aluno ter sempre

    autonomia para definir seu melhor horrio e local de estudo para a

    realizao das tarefas. No necessariamente todos os alunos devero

    estar em um mesmo local ou tempo para a troca de informaes ou

    realizao de tarefas.

    RESPOSTAS DAS ATIVIDADES

    Informaes sobre a prxima aula

    Na Aula 2, vamos nos encontrar para falar sobre a evoluo histrica da

    EAD.

    Voc ter uma idia de como se deu a evoluo da EAD no mundo como

    um todo, inclusive no Brasil.

    Voc deve ter ficado curioso para saber quando surgiu a terminologia

    Educao a Distncia e onde tudo comeou...

    Na prxima aula, voc saber...

    At l!

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    18

    AU

    LA 1

    O

    que

    a

    EA

    D?

    19

    Referncias bibliogrficas

    ARAUJO, S. T; MALTEZ, G. L. Retrospectiva histrica da educao a distncia

    Disponvel em : http://www.colegioafonsopena.com.br/Informativos/Profes-

    sores/ProfClaudio/EAD/Retrospectiva_Hist/retrospectiva_hist.htm

    ARETIO, L. G. Para uma definio de educao a distncia. Tecnologia

    Educacional, Rio de Janeiro, v. 16, n. 78-79, p. 56-61, set./dez., 1987.

    CHAVES, E. O. Conceitos bsicos de tecnologias na educao e ensino a

    distncia, 1999. Disponvel no site http://www.edutec.net/Tecnologia%20e2

    0%Educacao/ednoc.htm

    CORRA, Juliane. O cenrio atual da educao a distncia. In:

    SENAC. Curso de especializao a distncia. E-Book. Rio de Janeiro:

    Editora Senac Nacional, 2005. CD-ROM DE CARVALHO, G. e

    BOTELHO, F. Educao a Distncia: um estudo sobre as expectativas

    dos alunos em relao ao uso do meio impresso ou eletrnico, 2000.

    Disponvel em: .

    DUCASTEL, P. A motivational framework for web-based instruction, 1996.

    Disponvel em: .

    KAHLE, D. Computer mediated communication in distance education an

    annotades bibliography, 1998. Disponvel em:

    Atividade 2

    Caso voc tenha criado um conceito para EAD que no contemple os

    principais elementos que caracterizam essa modalidade de ensino, estude

    novamente o contedo e tente, mais uma vez, criar um novo conceito.

    Na Tabela 1.1 e no conceito de Otto Peters so descritos os principais

    elementos que caracterizam a EAD. A leitura do artigo Das tradies

    virtualidade do livro de Edith Litwin, O que a Educao a Distncia?

    (indicado durante a leitura desta aula), tambm ir auxili-lo nesse exerccio.

    Boa leitura!

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    20

    LITWIN, Edith. Educao a Distncia: temas para o debate de uma nova

    agenda educativa. Porto Alegre: ArtMed, 2001. 110p.

    MORAN. Pgina do Prof. Moran: http://www.eca.usp.br/prof/moran/

    textosEAD.htm, 2002.

    NUNES, I. B. Noes de educao a distncia. 1992. Disponvel em: . Acesso em: 25 jan. 2008.

    PIMENTEL, N. M. Educao a distncia. Florianpolis : SEAD/UFSC, 2006.

    144p.

    Noes de Educao a Distncia. In: Educao a Distncia. Braslia: INED/

    UnB, 4/5 dez/93-abr/94.

  • EVOLUO HISTRICA

    DA EAD

    2Silvane Guimares Silva Gomes

    e-Tec Brasil Tpicos em Educao a Distncia

  • AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    23

    Meta

    Apresentar a evoluo da EAD, relacionando-a com as

    principais tecnologias utilizadas.

    Objetivo

    Ao final desta aula, voc dever ser capaz de:

    1. identificar as geraes de evoluo da EAD baseadas nas

    tecnologias utilizadas.

    Fonte: www.sxc.huFonte: www.sxc.hu

    Fonte: w

    ww.sxc.hu

    Trin

    e de

    Flo

    rie

    Foto: Laura00

    Gok

    han

    Oku

    r

  • AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    23Iniciando a aula...

    Como vimos na aula passada, nos ltimos anos houve um aumento de

    ofertas de cursos na modalidade a distncia e tambm dos estudos sobre

    EAD. Agora voc vai ver em detalhes como a EAD comeou.

    Nesta aula, faremos uma retrospectiva da histria da EAD, relacionando

    sua evoluo ao desenvolvimento de tecnologias. Vamos perceber que a

    EAD no to recente como muita gente imagina, uma vez que h relatos

    dessa modalidade de ensino em sua forma embrionria e emprica desde o

    sculo XIX. Entretanto, somente nas ltimas dcadas passou a fazer parte das

    atenes pedaggicas.

    A EAD surgiu da necessidade do preparo profissional e cultural de milhes

    de pessoas que, por vrios motivos, no podiam freqentar um estabelecimento

    de ensino presencial e vem evoluindo, ao longo do tempo, com as tecnologias

    disponveis, as quais influenciam o ambiente educativo e a sociedade.

    Evoluo histrica da EAD

    Se voltarmos no tempo, poderemos encontrar indcios de educao aplicada

    a distncia, nas EPSTOLAS DE SO PAULO, ou quando da inveno da Imprensa

    no sculo XV, em que os livros impressos eram lidos e transmitidos aos

    alunos. No entanto, a difuso da EAD s ocorreu, de fato, nos sculos XIX e XX,

    em vrios pases europeus, como Sucia, Frana, Espanha, Inglaterra e tambm

    nos Estados Unidos. No Brasil, porm, so pouco precisos os registros sobre a

    existncia de ensino a distncia, mas h relatos de experincias de um curso

    profissionalizante de datilografia por correspondncia no Rio de Janeiro,

    na segunda metade do sculo XIX.

    Sendo assim, apresentaremos de forma sucinta, como se

    deu a evoluo da EAD no mundo como um todo, inclusive

    no Brasil.

    Fonte: www.sxc.hu

    EPSTOLAS DE

    SO PAULO

    Conjunto de cartas do

    apstolo Paulo reunidas

    no Novo Testamento.

    Rob

    ert A

    ichi

    nger

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    24

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    25Uma retrospectiva histrica...

    A Educao a Distncia (EAD), tambm chamada de Teleducao, em

    sua forma embrionria e EMPRICA conhecida desde o sculo XIX, mas

    somente nas ltimas dcadas assumiu status que a coloca no cume das

    atenes pedaggicas de um nmero cada vez maior de pases.

    J na Grcia antiga e, depois, em Roma, (Cartas de Plato e Epstolas de

    So Paulo) existia uma rede de comunicao que permitia o desenvolvimento

    significativo da correspondncia. (PICONEZ, 2003, p. 2)

    EMPRICA

    Que dado pela

    experincia, sem

    comprovao cientfica.

    Kon

    stan

    tinos

    Daf

    alia

    s

    Figura 2.1: O Parthenon o mais conhecido dos edifcios remanescentes da Grcia Antiga.

    Fonte: www.sxc.hu

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    24

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    25

    Figura 2.2: O Coliseu, smbolo do Imprio Romano.

    Um primeiro marco da educao a distncia foi o anncio publicado

    na Gazeta de Boston, no dia 20 de maro de 1728, pelo professor de

    taquigrafia Cauleb Phillips:

    Toda pessoa da regio, desejosa de aprender esta arte, pode receber em

    sua casa vrias lies semanalmente e ser perfeitamente instruda, como

    as pessoas que vivem em Boston.

    Em 1833, um anncio publicado na Sucia j se referia ao ensino por

    correspondncia e na Inglaterra, em 1840, Isaac Pitman sintetiza os

    princpios da taquigrafia em cartes postais que trocava com seus alunos.

    (PICONEZ, 2003, p. 2 e 3)

    Fran

    cisc

    o G

    omez

    Flo

    res

    Fonte: www.sxc.hu

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    26

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    27

    Em 1856, em Berlim, Charles Toussaint e Gustav Langenscheidt fundam

    a primeira escola por correspondncia destinada ao ensino de lnguas.

    Posteriormente, em 1873, em Boston, Anna Eliot Ticknor cria a Society

    to Encourage Study at Home. Em 1891, Thomas J. Foster, em Scarnton

    (Pennsylvania) inicia o International Correspondence Institute com um curso

    sobre medidas de segurana no trabalho de minerao.

    No segundo tero do Sculo XX, as instituies passam a utilizar os recursos

    do rdio e da televiso para a difuso de programas educacionais, agregando

    como suporte e apoio materiais impressos encaminhados via Correios. O

    rdio alcanou muito sucesso em experincias nacionais e internacionais,

    tendo sido bastante explorado na Amrica Latina nos programas de educao

    a distncia do Brasil, Colmbia, Mxico, Venezuela, entre outros.

    (...)

    A partir das dcadas de 60 e 70, a educao a distncia, embora

    mantendo os materiais escritos como base, passa a incorporar articulada

    e integradamente o udio e o videocassete, as transmisses de rdio e

    televiso, o videotexto, o computador e mais recentemente, a tecnologia de

    multimeios, que combina textos, sons, imagens, assim como, mecanismos

    de gerao de caminhos alternativos de aprendizagem (HIPERTEXTOS,

    diferentes linguagens) e instrumentos para fixao de aprendizagem com

    feedback imediato (programas tutoriais informatizados) etc. (PICONEZ,

    2003, p. 3 e 4)

    HIPERTEXTO

    Sistema de organizao

    da informao, no qual

    certas palavras de um

    documento esto ligadas

    a outros documentos,

    exibindo o texto quando

    a palavra selecionada.

    Permite ao utilizador

    procurar e encontrar itens

    relacionados e circular entre

    eles facilmente. Exemplos:

    pginas na internet.

    B S

    K

    Figura 2.3: O correio foi uma importante ferramenta para o surgimento da EAD.

    Fonte: www.sxc.hu

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    26

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    27

    Cronologia do desenvolvimento de algumas aes em EAD

    no mundo

    1829, Sucia: Instituto Liber Hermodes (150.000 usurios).

    1840, Reino Unido: Faculdades Sir Isaac Pitman primeira escola

    por correspondncia na Europa.

    1898, Sucia: Instituto Hermond curso de lnguas por

    correspondncia.

    1922, Unio Sovitica: Ensino por correspondncia (350.000

    usurios).

    1938, Canad: Fundao do Conselho Internacional para Educao

    por Correspondncia.

    1946, frica do Sul: Unisa Universidade da frica do Sul

    primeiros cursos superiores em educao a distncia.

    1967, Alemanha: Fundao do Instituto Alemo para Estudos a

    Distncia.

    1968, Noruega: Fundao da Associao Norueguesa de

    Educao a Distncia (reorganizada em 1984).

    1969, Reino Unido: fundao da Universidade Aberta (200 mil

    alunos).

    1972, Espanha: Fundao da Universidade Nacional de Educao

    a Distncia (110 mil alunos).

    1974, Canad: Reconstituio da Universidade de Athabasca.

    1982, Irlanda: Implantao do Centro Nacional de Educao a

    Distncia.

    1988, Portugal: fundao da Universidade Aberta.

    1990: Implantao da Rede Europia de Educao a Distncia,

    baseada na declarao de Budapeste.

    1991, Relatrio da Comisso sobre Educao Aberta e a Distncia

    na Comunidade Europia.

    (Adaptado de CORRA, Juliane. O cenrio atual da educao a distncia. In: SENAC. Curso de especializao a distncia. E-Book. Rio de Janeiro: Editora Senac Nacional, 2005. CD-ROM). Disponvel em: http://www.unifebe.edu.br/02_ead/fund_teorica_EAD_Unifebe_13mar2006.pdf Acessado em: 16/6/2008.

    SAIBA MAIS...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    28

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    29EVOLUO TECNOLGICA

    Podemos considerar como

    evoluo tecnolgica todo e

    qualquer recurso tecnolgico

    que em determinado

    momento foi considerado

    uma inovao. Na EAD,

    podemos exemplificar com

    algumas tecnologias vistas,

    na poca da sua apario,

    como inovaes: o quadro,

    negro, a caneta, o caderno,

    o livro... posteriormente a

    TV, o rdio, o fax e, mais

    recentemente o computador,

    a internet etc.

    Podemos afirmar, assim, que a EAD vem sendo largamente difundida pelo

    mundo todo, graas EVOLUO TECNOLGICA.

    A evoluo tecnolgica e a EAD

    O desenvolvimento tecnolgico aplicado ao campo da comunicao e

    da informao provocou mudanas na evoluo da EAD. Essa evoluo

    tecnolgica da qual a EAD faz parte pode ser dividida em fases cronolgicas.

    A primeira ocorreu at a dcada de 1960; foi chamada de gerao textual e

    utilizava somente textos impressos enviados pelos Correios.

    A segunda ocorreu entre as dcadas de 1960 e 1980; foi chamada

    de gerao analgica e utilizou como suporte em textos impressos

    complementados por RECURSOS TECNOLGICOS AUDIOVISUAIS.

    A terceira, e atual, a gerao digital; utiliza o suporte de recursos tecnolgicos

    modernos, tais como as tecnologias de informao e comunicao e de fcil

    acesso s grandes redes de computadores, bem como internet.

    A EAD e o tipo de tecnologia utilizada: independente ou dependente

    Como a EAD possui uma longa histria, possvel agrup-la em geraes, de

    acordo com os recursos tecnolgicos utilizados em cada uma delas. As formas de

    ensinar e estudar a distncia foram se modificando ao longo dessas geraes, e

    as tecnologias educacionais usadas podem ser divididas em dois tipos:

    Independentes, quando no dependem de recursos eltricos ou

    eletrnicos para sua utilizao e/ou produo.

    RECURSOS TECNOLGICOS AUDIOVISUAIS

    Todo e qualquer recurso de

    imagem e sons utilizados

    na educao para ajudar no

    entendimento de um assunto,

    fixar a aprendizagem, motivar,

    estimular a participao em

    atividades etc. Podemos citar,

    como exemplos, o quadro-

    de-giz, a voz da pessoa que

    est ministrando uma aula,

    gravuras ou ilustraes,

    maquetes, televiso

    educativa, retroprojetor,

    fitas cassete CD-Rom e

    computador.

    Visite os sites das universidades e veja o que elas esto oferecendo

    na modalidade EAD:

    http://www.ufv.br/; https://www2.cead.ufv.br/cead/;

    http://www.ufsc.br/; http://www.ufpr.br/portal/; http://www.ufrgs.br/

    ufrgs/; http://www.portal.ufba.br/; http://www.unb.br/;

    SAIBA MAIS...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    28

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    29

    Sanja Gjenero

    Figura 2.4: Material impresso, livros e apostilas

    so exemplos de tecnologias independentes.Fonte: www.sxc.hu

    Dependentes, quando dependem de um ou de vrios recursos eltricos

    ou eletrnicos para serem produzidas e/ou utilizadas, como por exemplos:

    vdeos, filmes, internet, chat, frum, e-mails, texto eletrnico.

    Figura 2.5: O computador uma tecnologia dependente da energia eltrica e do tipo de comunicao. Se a comunicao for sncrona, como no exemplo da figura com o chat, depende da internet.

    Foto

    : Equ

    ipe

    de d

    esen

    volv

    imen

    to d

    e am

    bien

    te e

    duca

    tivo

    da C

    EA

    D/U

    FV

    Fonte: https://www2.cead.ufv.br/sistemas/pvanet/Chat/chat_exibe_chat.php?cod=10631

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    30

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    31

    Geraes de EAD

    O desenvolvimento da EAD pode ser dividido em cinco geraes, de

    acordo com as tecnologias utilizadas:

    Geraes de EAD

    CaractersticaTecnologia e mdia utilizadas

    Objetivos pedaggicos

    Mtodos pedaggicos

    1 gerao 1880

    Imprensa e Correios.

    Atingir alunos desfavorecidos socialmente, especialmente as mulheres.

    Guias de estudo, auto-avaliao, material entregue nas residncias.

    2 gerao 1921

    Difuso de rdio e TV.

    Apresentao de informaes aos alunos, a distncia.

    Programas teletransmitidos e pacotes didticos (todo o material referente ao curso entregue ao aluno pelos correios ou pessoalmente).

    3 gerao 1970

    Universidades Abertas.

    Oferecer ensino de qualidade com custo reduzido para alunos no universitrios.

    Orientao face a face, quando ocorrem encontros presenciais.

    4 gerao 1980

    Teleconferncias por udio, vdeo e computador.

    Direcionado a pessoas que aprendem sozinhas, geralmente estudando em casa.

    Interao em tempo real de aluno com aluno e instrutores a distncia.

    5 gerao 2000

    Aulas virtuais baseadas no computador e na internet.

    Alunos planejam, organizam e implementam seus estudos por si mesmos.

    Mtodos CONSTRUTIVISTAS de aprendizado em colaborao.

    O uso combinado desses dois tipos de tecnologias educacionais em cursos de

    EAD interessante, porque assegura maior possibilidade de atingir os diferentes

    tipos de pblico. No caso do Brasil, um pas com dimenses continentais,

    imprescindvel que sejam utilizados os vrios tipos de tecnologias, para assegurar

    o acesso de maior nmero possvel de pessoas aos cursos de EAD.

    CONSTRUTIVISTA

    Relativo ou pertencente

    ao construtivismo,

    uma das correntes

    tericas em educao,

    empenhada em explicar

    como a inteligncia

    humana se desenvolve,

    partindo do princpio de

    que o desenvolvimento

    da inteligncia

    determinado pelas

    aes mtuas entre o

    indivduo e o meio.

    continua...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    30

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    31

    ...continuao

    Geraes de EAD

    CaractersticaFormas de

    comunicaoTutoria Interatividade

    1 gerao

    1880

    Correios e

    correspondncia.

    Instruo por

    correspondncia.Aluno/material didtico escrito.

    2 gerao

    1921

    Rdio, TV e outros

    recursos didticos,

    como: caderno

    didtico, apostilas, fita

    K-7.

    Atendimento

    espordico,

    dependendo de

    contatos telefnicos,

    quando possvel.

    Pouca ou nenhuma interao

    professor/aluno.

    3 gerao

    1970

    Integrao

    udio e vdeo e

    correspondncia.

    Suporte e orientao

    ao aluno. Discusso

    em grupo de

    estudo local e uso

    de laboratrios da

    universidade nas

    frias.

    Guia de estudo

    impresso, orientao por

    correspondncia, transmisso

    por rdio e TV, AUDIOTEIPES gravados, conferncias por

    telefone, kits para experincias

    em casa e biblioteca local.

    4 gerao

    1980

    Recepo de lies

    veiculadas por

    rdio ou televiso e

    audioconferncia

    ATENDIMENTO SNCRONO e ASSNCRONO,

    dependendo de

    contatos eletrnicos.

    Comunicao sncrona e

    assncrona com o tutor,

    professor e colegas.

    5 gerao

    2000Sncrona e assncrona.

    Atendimento regular

    por um tutor, em

    determinado local e

    horrio.

    Interao em tempo real ou

    no, com o professor do curso

    e com os colegas de curso.

    Fonte: Adaptado de MOORE, M.; KEARSLEY, G. 1996.

    ATENDIMENTO ASSNCRONO

    Permite o debate de temas,

    com a incluso de opinies

    em qualquer tempo, no sendo

    necessrio que os alunos estejam

    conectados simultaneamente,

    como na comunicao sncrona.

    Como exemplo, podemos citar

    correspondncia, e-mail, aulas

    gravadas etc.

    AUDIOTEIPE

    Fita cassete.

    ATENDIMENTO SNCRONO

    Aquele que permite a

    comunicao entre duas

    ou mais pessoas em tempo

    real. Neste caso, as pessoas

    precisam estar conectadas

    de alguma forma. Exemplos:

    no chat, no telefone, na

    videoconferncia.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    32

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    33

    A EAD se desenvolveu ao longo do tempo, e sua evoluo pode

    ser caracterizada por diferentes geraes. Voc seria capaz de

    ordenar, de 1 a 5, as geraes de EAD, conforme elas foram

    surgindo?

    ( ) Universidades Abertas.

    ( ) Aulas virtuais baseadas no computador e na internet.

    ( ) Imprensa e Correios.

    ( ) Teleconferncias por udio, vdeo e computador.

    ( ) Difuso de rdio e TV.

    ATIVIDADE ATENDE AO OBJETIVO 1

    Concluso

    importante voc levar em considerao que, em cursos na modali-

    dade a distncia, de nada adianta utilizar uma inovao tecnolgica atual,

    por si s. preciso selecionar os meios mais apropriados para deter-

    minada situao de ensino-aprendizagem, considerando os objetivos

    pedaggicos e didticos previamente definidos, bem como as carac-

    tersticas da clientela e a acessibilidade aos meios. fundamental que

    alunos, professores, tutores estejam integrados e prximos, para que haja

    facilitao no processo de ensino-aprendizagem. Para isso, alguns fatores

    devem ser levados em considerao: o pblico-alvo do curso em EAD; a

    tecnologia utilizada para levar a informao; o grau de interao entre alunos,

    professores e tutores; as mediaes pedaggicas. Se voc fez uma reflexo,

    levando em conta esses fatores, est no caminho certo... necessrio

    considerar o sujeito envolvido no processo de ensino-aprendizagem, a

    escolha e o uso didtico que ser dado a cada tecnologia utilizada e se

    o principal ator do processo, o aluno, ter acesso tecnologia que ser

    empregada no curso.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    32

    AU

    LA 2

    E

    volu

    o

    hist

    ric

    a da

    EA

    D

    33

    H relatos de que as Epstolas de So Paulo podiam ser consideradas,

    no passado, uma forma de aplicao da educao a distncia.

    A difuso da EAD s ocorreu, de fato, nos sculos XIX e XX, em

    vrios pases europeus, como Sucia, Frana, Espanha, Inglaterra e

    tambm nos Estados Unidos.

    No Brasil, so pouco precisos os registros sobre a existncia de

    ensino a distncia, mas h relatos de experincias de um curso

    profissionalizante de datilografia por correspondncia no Rio de

    Janeiro, na segunda metade do sculo XIX.

    A evoluo tecnolgica da qual a EAD faz parte pode ser dividida

    em fases cronolgicas. A primeira, na dcada de 1960, foi chamada

    de gerao textual e utilizou somente textos impressos enviados

    pelos correios; a segunda ocorreu entre as dcadas de 1960 e

    1980 e foi chamada de gerao analgica, utilizando como suporte

    textos impressos complementados por recursos tecnolgicos

    audiovisuais; a terceira e, atual, a gerao digital, que utiliza o

    suporte de recursos tecnolgicos modernos, tais como as tec-

    nologias de informao e comunicao e de fcil acesso s grandes

    redes de computadores, bem como internet.

    As formas de ensinar e estudar a distncia foram se modificando

    ao longo dessas geraes, e as tecnologias educacionais usadas

    podem ser divididas em independentes (muito utilizadas na primeira

    gerao de EAD) e dependentes.

    RESUMINDO...

    Informaes sobre a prxima aula

    Na Aula 3, vamos nos encontrar para continuarmos a falar sobre a evoluo

    histrica da EAD, s que, desta vez, vamos focar a evoluo da EAD no Brasil,

    especificamente. At l!

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    34

    ( 3 ) Universidades Abertas.

    ( 5 ) Aulas virtuais baseadas no computador e na internet.

    ( 1 ) Imprensa e Correios.

    ( 4 ) Teleconferncias por udio, vdeo e computador.

    ( 2 ) Difuso de rdio e TV.

    RESPOSTA DA ATIVIDADE

    Referncias bibliogrficas

    CORRA, Juliane. O cenrio atual da educao a distncia. In: SENAC. Curso de

    especializao a distncia. E-Book. Rio de Janeiro: Editora Senac Nacional, 2005.

    CD-ROM). Disponvel em: Acesso em: 16 jun. 2008.

    MOORE, M. G.; KEARSLEY, Greg. Distance education: a systems view.

    Belmont: Wadsworth Publishing Company, 1996. Traduo, 2005.

    NUNES, I. B. Noes de educao a distncia. Revista Educao a Distncia,

    Braslia,. v. 4/5, dez.1993-abr. 1994: p. 7-25. Disponvel em: . Acesso em: 23 jun. 2008

    PICONEZ, S. C. B. Introduo Educao a Distncia: os novos desafios da

    virtualidade. Portal do Ncleo de Estudos de Eja e Formao de Professores.

    2003. Disponvel em: . Acesso em: 23 jun. 2008

    PIMENTEL, N. M. Educao a distncia. Florianpolis: SEAD/UFSC, 2006.

    ROSINI, A.M. As novas tecnologias da Informao e a educao a distncia.

    So Paulo: Thomson Learning, 2007.

    VALENTE, Jos Armando. Por qu o computador na educao? Disponvel em:

    . Acesso em: 23

    jun. 2008

  • HISTRICO DA EAD

    NO BRASIL

    3Silvane Guimares Silva Gomes

    e-Tec Brasil Tpicos em Educao a Distncia

    H B

    eren

    ds

    Fonte: www.sxc.hu

    Bra

    no H

    udak

  • AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    37

    Meta

    Apresentar a histria da EAD no Brasil e sua legislao.

    Objetivo

    Ao final desta aula, voc dever ser capaz de:

    1. identificar os principais marcos da EAD no Brasil.

  • AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    37Introduo

    Na aula passada, apresentamos de forma sucinta um histrico geral da

    EAD no mundo. Percebemos que, ao longo dos anos, a EAD evoluiu, podendo

    ser caracterizada de acordo com os recursos tecnolgicos utilizados, sendo

    possvel diferenciar geraes. Nesta aula, faremos uma retrospectiva na histria

    da EAD no Brasil. Podemos observar que, a cada ano, h um crescimento na

    oferta de cursos tanto em escolas pblicas quanto nas particulares. S para se

    ter uma idia, a Associao Brasileira de Educao a Distncia (ABED) aponta

    que no ano de 2007 mais de 2 milhes de brasileiros fizeram algum curso a

    distncia, nas mais diferentes reas do conhecimento.

    Voc deve estar se perguntando: Ser que fazendo esse curso tambm

    estou incluso na estatstica de crescimento da EAD? A resposta sim. Com

    certeza, voc ir colher bons resultados pela sua escolha.

    Histrico da EAD no Brasil

    Fonte: www.sxc.hu

    Foto

    : cre

    ativ

    e da

    w

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    38

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    39Desde a fundao do Instituto Rdio-Monitor, em 1939, e, depois, do Instituto

    Universal Brasileiro, em 1941, vrias experincias de educao a distncia

    foram iniciadas, algumas com sucesso. Muitas experincias de EAD no Brasil

    ganharam impulso no incio do sculo XXI, com as TICS.

    Algumas das primeiras experincias de EAD ainda podem ser vistas hoje em

    dia. Como exemplo, podemos citar o Telecurso Segundo Grau e o Telecurso

    2000, cursos de EAD via televiso.

    TICS

    Sigla para Tecnologias

    de Informao e

    Comunicao. Exemplos

    dessas tecnologias so:

    televiso, rdio, telefone,

    celular, computador

    conectado internet.

    Figura 3.1: Esta uma sala de vdeo que pode ser utilizada por quem faz cursos a distncia via TV.

    Fonte: www.sxc.hu

    Kar

    en A

    ndre

    ws

    Nosso governo criou leis e estabeleceu normas para a legalizao

    da EAD em 1996, com a Lei de Diretrizes e Bases (LDB). Visite o

    portal do MEC em http://portal.mec.gov.br/seed/ e leia sobre as

    polticas e os programas em EAD que esto sendo implementados

    no Brasil.

    MULTIMDIA

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    38

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    39

    Fonte: www.sxc.hu

    Afo

    nso

    Lim

    a

    No Brasil, tudo comeou com o rdio e os correios

    Ant

    onio

    Jim

    nez

    Alo

    nso

    Figura 3.2: Na foto, vemos um modelo de rdio antigo e um novo, demonstrando a evoluo desta tecnologia.

    importante lembrar que foi por meio do rdio que programas

    educativos contriburam de forma signifi cativa na produo do conhe-

    cimento para milhares de pessoas no mundo todo e no Brasil. O

    responsvel por esse feito no Brasil foi EDGARD ROQUETTE PINTO, da

    Academia Brasileira de Cincias, que criou a pioneira Rdio Socie-

    dade do Rio de Janeiro, com o intuito de difundir a educao em

    meados de 1923. J nessa poca os anncios dos cursos a distncia

    convidavam o cidado a participar de um curso tcnico em suas horas

    de folga, no aconchego da sua casa.

    Alguns anos depois, em 1936, Roquette Pinto doou a Rdio So-

    ciedade do Rio de Janeiro ao Governo Brasileiro, passando a ser

    denominada Rdio MEC.

    EDGARD ROQUETTE PINTO

    Foi o fundador da radiodifuso

    brasileira. Formou-se em medicina,

    mas trocou logo a prtica mdica

    pela pesquisa cientfi ca. Destacou-

    se nas pesquisas antropolgicas

    estudando stios arqueolgicos.

    Foi considerado um brilhante

    intelectual na sua poca.

    Se voc fi cou interessado em

    saber mais sobre a vida desse

    grande pesquisador, acesse:

    http://www.academia.org.br/abl/

    cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid

    =196&sid=198

    Af

    Af

    A

    Ant

    onio

    Jim

    nez

    Alo

    nso

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    40

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    41E a pergunta que fazemos para voc neste momento : Voc consegue

    se imaginar fazendo um curso tcnico via rdio? Escreva, nas linhas a seguir,

    o que vem sua mente. Seria fcil ou difcil acompanhar um curso via rdio?

    Quais dvidas ou curiosidades surgem na sua cabea neste momento?

    Curso por correspondncia

    No Brasil, o primeiro curso por correspondncia aconteceu

    em meados de 1939, quando o imigrante hngaro Nicols

    Goldberger fundou o Instituto Rdio Tcnico Monitor, em So

    Paulo. Naquela poca, as apostilas de curso eram enviadas pelo

    correio juntamente com os materiais necessrios para que o

    cursista pudesse colocar em prtica os ensinamentos da apostila.

    Um exemplo seria um curso de tcnico em montagem de rdio.

    Alm da apostila, as ferramentas e as peas para a montagem

    de um rdio eram enviadas pelo correio para o aluno. J naquela

    ocasio, a soma de duas tecnologias era utilizada para a EAD: o

    correio e o rdio. Essa forma de ensinar j acontecia na Europa

    e nos Estados Unidos.

    O Instituto Universal Brasileiro,

    que surgiu em 1941, continua

    atuando at hoje, oferecendo

    mais de 30 cursos tcnicos

    que vo desde corte e costura

    a tcnico em eletrnica, todos

    por correspondncia.

    SAIBA MAIS...D

    orot

    a K

    aszc

    zysz

    yn

    Fonte: www

    .sxc.hu

    Fonte: www.sxc.hu

    Ada

    m C

    iesi

    elsk

    i

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    40

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    41O uso da TV para fins educativos

    O primeiro curso de EAD pela televiso foi ao ar em 1961, pela TV Rio.

    Tratava-se de um curso de alfabetizao de adultos na TV, com a participao

    da professora Alfredina de Paiva e Souza. A partir de 1967, o governo militar

    criou o Centro Brasileiro de TV Educativa, que produziu centenas de programas

    educativos a distncia. A televiso foi um marco da EAD nos anos 80 no Brasil,

    especialmente com os telecursos de primeiro e segundo graus, que foram

    transmitidos em mais de 40 emissoras.

    Em 1996, surgiu o Telecurso 2000, um programa educacional a distncia

    dirigido a jovens e adultos que pretendiam cursar os Ensinos Fundamental e

    mdio. Para saber mais, acesse: http://www.telecurso2000.org.br/telecurso/

    index.html#/main.jsp?lumPageId=1D6530765D5644709741AEAA3622D3BC

    A televiso contribuiu para o aumento do oferecimento de cursos na mo-

    dalidade a distncia. A possibilidade da transmisso de imagem e som por

    meio da tecnologia da TV foi, sem dvida, uma inovao na rea educacional.

    Em um passado no to distante, em meados dos anos 90, com a difuso da

    informtica, surgiram novas possibilidades de se fazer EAD; a partir da, ela

    tem evoludo para outros nveis de ensino antes no explorados, chegando

    inclusive s universidades.

    Cra

    ig J

    ewel

    l

    Fonte: www.sxc.hu

    Figura 3.3: A TV, como j citamos anteriormente, uma das TICs utilizadas pela EAD.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    42

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    43A Legislao Brasileira de EAD

    Um importante momento para a EAD no Brasil foi a criao, em 1996,

    da Secretaria de Educao a Distancia (SEED). Entre as responsabilidades

    dessa secretaria, est a de atuar como agente de inovao dos processos

    de ensino e aprendizagem na EAD. Tambm em 1996, as bases legais para

    a modalidade EAD foram consolidadas pela ltima reforma educacional

    brasileira, a Lei de Diretrizes e Bases. A Lei n 9.394/96 oficializou a EAD

    no pas como modalidade vlida e equivalente para todos os nveis de ensino

    (fundamental, mdio, superior e ps-graduao). A partir da, as experincias

    brasileiras em EAD j somam um grande nmero.

    Quer saber mais sobre a Lei n 9.394/96?

    Acesse o site a seguir para l-la na ntegra:

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/

    l9394.htm

    MULTIMDIA

    Entre os muitos artigos que compem a Lei n 9.394/96, est o artigo 80, que

    trata da EAD:

    O Poder Pblico incentivar o desenvolvimento e a veiculao de programas

    de ensino a distncia, em todos os nveis e modalidades de ensino e de educao

    continuada. (BRASIL, 1996)

    Em 2005, um grupo de especialistas do Ministrio da Educao criou a regu-

    lamentao do artigo 80 da LDB, determinando os procedimentos que devem ser

    adotados pelas instituies para obter o credenciamento do MEC para a oferta de

    cursos a distncia.

    Para ver a regulamentao do artigo 80 da Lei

    n 9.394/96, acesse http://www.planalto.gov.br/

    ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/

    D5622.htm

    MULTIMDIA

    Fonte: www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm

    Fonte: www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    42

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    43A partir de 2005, as universidades, faculdades e os centros tecnolgicos

    podem oferecer at 20% da carga horria total de qualquer um de seus cursos

    presenciais na modalidade a distncia, desde que o referido curso seja reconhecido

    pelo MEC.

    Em 2007 mais um passo importante foi dado para a democratizao do

    acesso ao ensino tcnico pblico, por meio da modalidade de educao a

    distncia. Objetivando levar cursos tcnicos a regies distantes das instituies

    de ensino e para a periferia das grandes cidades brasileiras, incentivando os

    jovens a conclurem o Ensino Mdio, foi criado o projeto e-Tec Brasil, do qual

    voc faz parte.

    Fonte: http://etecbrasil.mec.gov.br/

    Saiba mais sobre EAD visitando os sites:

    http://portal.mec.gov.br/seed/

    http://portal.mec.gov.br

    http://www.abed.org.br/

    http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/lemos/estrcy1.html

    http://www.widesoft.com.br/corporate/educacao/

    http://www.ufba.br/~pretto/pesquisas/cnpq_pq2004/

    politicas_publicas_tic.htm

    MULTIMDIA

    Para visualizar melhor o histrico da EAD no Brasil, leia o boxe a seguir.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    44

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    45

    Apresentao cronolgica da evoluo da EAD no Brasil

    1923/1925 criao da Rdio Sociedade do Rio de Janeiro.

    1941 incio do Instituto Universal Brasileiro cursos por correspon-

    dncia, cursos tcnicos para formao profissional bsica.

    1970 criao do Projeto Minerva, programa de rdio elaborado pelo

    governo federal com a finalidade de educar pessoas adultas. Era transmitido

    por rdio em cadeia nacional.

    1991 a Fundao Roquete Pinto cria o Programa Um Salto para o Futuro,

    para a formao continuada de professores do Ensino Fundamental.

    1995 o Programa TV Escola criado pela Secretaria de Educao a

    Distncia do Ministrio da Educao (SEED/MEC).

    1997 a SEED/MEC desenvolve o PROINFO, Programa Nacional de

    Informtica na Educao.

    2000 as primeiras universidades so credenciadas pelo MEC para

    oferecerem cursos a distncia.

    2000 criao da UNIREDE Rede de Educao Superior a Dis-

    tncia, consrcio que rene 68 instituies pblicas do Brasil.

    2002 criao do Projeto Veredas, para a formao de professores

    das sries iniciais em nvel superior, pela Secretaria Estadual de Edu-

    cao de Minas Gerais.

    2005 criao da Universidade Aberta do Brasil, programa do

    Ministrio da Educao. A UAB formada por instituies pblicas de

    ensino superior, que se comprometem a levar ensino superior pblico

    de qualidade aos municpios brasileiros.

    2006 participao das Instituies de Ensino Federais (IEFs) no

    projeto-piloto da Universidade Aberta do Brasil.

    2008 lanamento do Projeto e-Tec Brasil/Programa Escola Tcnica

    Aberta do Brasil, parte da poltica de expanso da educao profissio-

    nalizante, por meio da articulao da Secretaria de Educao a Distncia

    (SEED) e da Secretaria de Educao Profissional e Tecnolgica.

    SAIBA MAIS...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    44

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    45

    Identifi que, na linha do tempo, os principais marcos da EAD no Brasil:

    ATIVIDADE ATENDE AO OBJETIVO 1

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    46

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    47

    As experincias de EAD no Brasil ganharam impulso no incio do sculo

    XXI com as TICs (Tecnologias de Informao e Comunicao).

    Desde a fundao do Instituto Rdio-Monitor, em 1939, e depois

    do Instituto Universal Brasileiro, em 1941, vrias experincias de

    educao a distncia foram iniciadas, e algumas delas ainda podem

    ser vistas hoje em dia, como, por exemplo, o Telecurso Segundo

    Grau e o Telecurso 2000, cursos de EAD via televiso.

    A partir da oficializao da EAD no pas como modalidade vlida

    e equivalente para todos os nveis de ensino (fundamental, mdio,

    superior e ps-graduao), as experincias brasileiras em EAD j

    somam grande nmero.

    Um importante momento para a EAD no Brasil foi a criao, em

    1996, da Secretaria de Educao a Distancia (SEED). Entre as

    responsabilidades dessa secretaria, est a de atuar como agente

    de inovao dos processos de ensino e aprendizagem na EAD.

    RESUMINDO...

    Informao sobre a prxima aula

    Na Aula 4, voc vai estudar as Polticas Pblicas em EAD. At l!

    1923: Criao da Rdio Sociedade do Rio de Janeiro

    1941: Surgimento do Instituto Universal Brasileiro

    1961: Primeiro curso pela TV Rio

    1967: Criao do Centro Brasileiro de TV Educativa

    1996: Surgimento do Telecurso 2000

    1996: Consolidao da Lei n 9.394/96 e da SEED

    2005: Regulamentao do artigo 80 da LDB

    2007: Criao do Projeto e-Tec Brasil

    RESPOSTA DA ATIVIDADE

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    46

    AU

    LA 3

    H

    ist

    rico

    da E

    AD

    no

    Bra

    sil

    47Referncias bibliogrficas

    AZEVEDO, Wilson. Panorama atual da EAD no Brasil. Disponvel em: . Acesso em: 24 jun. 2008.

    BRASIL. Lei n 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes

    e bases da educao nacional. Dirio Oficial (da) Repblica Federativa do

    Brasil. Braslia, 21 de dezembro de 1996, Seo 1. Disponvel em: . Acesso em: 26 set. 2008.

    CORRA, Juliane. O cenrio atual da educao a distncia. In: SENAC. Curso

    de especializao a distncia. E-Book. Rio de Janeiro: Editora Senac Nacional,

    2005.

    LANDIN, M. M. P. F. Educao a distncia: algumas consideraes. Rio de

    Janeiro, 1999.

    LITWIN, Edith (Org.). Educao a distncia: temas para o debate de uma nova

    agenda educativa. Porto Alegre: Artmed, 2001.

    PIMENTEL, Nara. O ensino a distncia na formao de professores. Revista Pers-

    pectiva, Florianpolis, n. 24, p. 93-128, 1995.

    ROSINI, Alessandro Marco. As novas tecnologias da informao e a educao

    a distncia. So Paulo: Thomson Learning, 2007.

  • POLTICAS PBLICAS

    EM EAD NO BRASIL

    4Silvane Guimares Silva Gomes

    e-Tec Brasil Tpicos em Educao a Distncia

    Fonte: www.sxc.hu

    Vicky S

    Gab

    riella

    Fab

    bri

    Julia Freem

    an-Wo

    olp

    ert

  • AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    51

    Meta

    Apresentar as polticas pblicas de EAD no Brasil.

    Objetivo

    Ao final desta aula, voc dever ser capaz de:

    1. identificar aspectos da poltica pblica brasileira

    para EAD.

  • AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    51Introduo

    Na aula passada, voc estudou como a EAD iniciou no Brasil. Deve ter

    percebido que o crescimento da EAD deveu-se tambm s polticas pblicas

    voltadas para EAD. Nesta aula, ver quais so essas POLTICAS PBLICAS.

    Uma coisa certa: nos ltimos anos houve um esforo do Poder Pblico

    incentivando o desenvolvimento de programas na rea educacional e muito

    especificamente da educao a distncia.

    Como j foi relatado na nossa primeira aula, o processo de globalizao

    tem provocado mudanas nas relaes econmicas e sociais no mundo todo,

    e no Brasil no poderia ser diferente. A globalizao e o rpido avano das

    inovaes tecnolgicas, especialmente aquelas voltadas para a informao,

    tm revelado um cenrio mundial cada vez mais competitivo. A sociedade

    como um todo passou constante busca por atualizao e aperfeioamento

    nas diversas reas do conhecimento. Devido a todas essas mudanas, so

    necessrias as transformaes:

    na organizao do trabalho;

    na produo;

    nos mecanismos de relacionamento social;

    no acesso informao.

    Tudo isso passa pelas questes polticas do pas, ou seja, sempre depen-

    der de decises polticas e polticas pblicas.

    S para lembrar, uma deciso poltica a escolha entre vrias propostas.

    um planejamento do que ser colocado em prtica. J a poltica pblica, que

    engloba tambm a deciso poltica, refere-se prtica.

    Na tentativa de se construir um Brasil menos desigual e excludente, muitos

    programas de governo foram criados com o propsito de ampliar o acesso

    educao em todos os nveis. Aes nesse sentido j foram relatadas na aula

    anterior, lembra?

    Voc seria capaz, neste momento, de relatar pelo menos duas propostas de

    aes governamentais que j foram criadas objetivando a democratizao do

    ensino? Se precisar, recorra s informaes da aula anterior, mas no deixe de

    escrever nas linhas a seguir o que voc conseguir lembrar.

    POLTICAS PBLICAS

    Orientaes para a tomada

    de decises em assuntos

    pblicos, polticos ou

    coletivos, como educao,

    lazer, arte, sade,

    habitao etc.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    52

    AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    53

    Polticas pblicas no Brasil voltadas para a EAD

    Para colocar em prtica as aes e as polticas em EAD, existe, no Ministrio

    da Educao (MEC), a Secretaria de Educao a Distncia (SEED). Vrios

    programas so coordenados por essa secretaria, objetivando a educao de

    qualidade e a ampliao do acesso educao e aos materiais didticos com

    menores custos.

    Os avanos tecnolgicos no sistema educacional tm incentivado o poder

    pblico a desenvolver polticas pblicas voltadas para programas de educao

    a distncia. Isso pelo fato de que as tecnologias criam novas condies de

    produo e recepo de conhecimentos em que a presena fsica do professor

    pode ser dispensvel.

    Se adequadamente aplicadas, as polticas pblicas voltadas para a EAD

    vo contribuir, por exemplo, para:

    a expanso do ensino em todos os nveis (fundamental, mdio e superior);

    a incluso social (por meio do acesso, da permanncia e da qualidade da

    aprendizagem para a populao menos favorecida economicamente);

    a qualificao de professores por meio de programas de aperfeioamento;

    a oferta de ensino de qualidade em todos os cantos do pas.

    Exemplos de polticas pblicas atuais voltadas para a EAD no Brasil so:

    o programa de ampliao da oferta do ensino superior gratuito e de

    qualidade no Brasil;

    o Programa de Formao Inicial para Professores do Ensino Fundamental

    e Mdio, o PR-LICENCIATURA, que um curso do MEC destinado a

    professores que no possuem a habilitao mnima legalmente exigida, mas

    encontram-se lecionando no Ensino Fundamental ou no Ensino Mdio;

    Fonte: www.sxc.hu

    Ada

    m C

    iesi

    elsk

    i

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    52

    AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    53 projetos envolvendo a produo de contedos educacionais digitais multi-

    mdia nas reas de Matemtica, Lngua Portuguesa, Fsica, Qumica e Biologia

    do Ensino Mdio e incentivando o uso de novas tecnologias nas escolas;

    Ficou interessado por esses projetos? Para saber mais, acesse

    http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/Editais/edital_

    mct_seed.pdf.

    MULTIMDIA

    o Projeto Universidade Aberta do Brasil UAB, objetivando expandir a

    oferta de educao superior a distncia;

    MDIAS ELETRNICAS

    Meios de comunicao

    que necessitam de

    recursos eletrnicos

    para que o usurio tenha

    acesso aos contedos (de

    vdeo ou udio, gravados

    ou transmitidos em

    tempo real). So mdias

    eletrnicas: a televiso,

    o rdio, o telefone, o

    computador

    e o videogame.

    em 2007, o Projeto Escola Tcnica Aberta do Brasil (e-Tec Brasil), com o

    objetivo de democratizar o acesso ao ensino tcnico pblico por meio de

    uma rede nacional de escolas de ensino profissionalizante na modalidade

    a distncia.

    Fonte: http://portal.mec.gov.br/seed/index.php?option=com_content&task=view&id=247

    o Curso-piloto de Administrao a Distncia da UAB em parceria com o

    MEC-SEED, Banco do Brasil e instituies federais e estaduais de ensino

    superior;

    o Proinfo, que promove o uso pedaggico das diversas MDIAS ELETRNICAS

    nas escolas pblicas de todo o Brasil, equipando-as com tecnologias

    da informao e capacitando professores para fazer uso adequado dos

    recursos nas aulas;

    Fonte: http://portal.mec.gov.br/seed/index.php?option=com_content&task=view&id=247

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    54

    AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    55

    Fonte: http://etecbrasil.mec.gov.br/

    Mais informaes sobre os projetos citados podem ser encontradas no Portal do

    MEC, em:

    Fonte: http://portal.mec.gov.br/seed/index.php?option=com_content&task=view&id=247

    MULTIMDIA

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    54

    AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    55Em 1990, o Brasil assumiu o compromisso de garantir a educao para todos, partindo

    do princpio de que um direito essencial e deve ser estendido populao, sem

    distino de ideologias, credo, raa ou cor. Esse compromisso foi firmado na Declarao

    do Brasil para a Cpula Mundial da Educao de Dacar, no Senegal. Trechos importantes

    dessa declarao sero aqui transcritos para voc tomar conhecimento do compromisso

    do governo brasileiro com a educao:

    Este Foro Mundial de Educao realiza-se numa ocasio especialmente

    significativa para o Brasil, que acaba de celebrar 500 anos do seu descobrimento.

    O transcurso desta data histrica se d num contexto institucional de

    estabilidade poltica, de retomada do crescimento econmico e de consolidao

    da democracia, conquistas recentes da sociedade brasileira. Este ambiente

    propicia condies muito favorveis para um debate profundo sobre a nossa

    herana colonial e escravocrata, raiz das desigualdades sociais e econmicas

    ainda presentes na realidade do nosso Pas (CASTRO, 2000).

    O destaque reafirma a preocupao inicial desta aula com a excluso social, que tem

    razes profundas e que ainda permanecem na nossa sociedade como um todo.

    Vivemos hoje em um mundo globalizado e interdependente, mas dominado

    por uma lgica perversa que incentiva a competitividade. Neste contexto, o

    acesso ao conhecimento torna-se cada vez mais determinante para o destino

    das naes e dos indivduos. A educao , portanto, uma questo-chave para o

    desenvolvimento sustentvel e eqitativo.

    As profundas e histricas desigualdades sociais geradas pelo processo de

    desenvolvimento brasileiro explicam, em grande medida, o atraso educacional

    de dcadas e a baixa escolaridade mdia da nossa populao... De fato, os

    progressos educacionais realizados pelo Brasil na segunda metade da dcada

    de 90 foram notveis. Mesmo assim, esses avanos no foram suficientes para

    satisfazer adequadamente as demandas existentes, at porque as exigncias da

    sociedade mudaram, acompanhando as transformaes tecnolgicas.

    Para voc ter acesso Declarao do Brasil para a Cpula Mundial da Educao de

    Dacar, no Senegal, na ntegra, acesse o endereo: http://www.inep.gov.br/imprensa/

    noticias/outras/news00_13.htm

    SAIBA MAIS...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    56

    AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    57

    Com relao s polticas pblicas de EAD, assinale a alternativa

    incorreta:

    ( ) A globalizao e, conseqentemente, os avanos tecnolgicos

    levaram o poder pblico brasileiro a desenvolver polticas pblicas voltadas

    para o oferecimento de programas de educao a distncia.

    ( ) A UAB, assim como o e-Tec Brasil, visa oferecer educao a

    distncia de nvel tcnico.

    ( ) O PR-LICENCIATURA um programa voltado para a formao inicial

    de professores dos Ensinos Fundamental e Mdio.

    ATIVIDADE ATENDE AO OBJETIVO 1

    Um dos fatores importantes para o crescimento da EAD no Brasil

    so as polticas pblicas voltadas para a EAD.

    Nossa sociedade, hoje, a da informao, que exige nova forma

    de organizao social, e se fazem necessrias transformaes

    na organizao do trabalho, na produo, nos mecanismos de

    relacionamento social, no acesso informao. Tudo isso passa

    pelas questes polticas do pas, ou seja, vai sempre depender de

    decises polticas e de polticas pblicas.

    Os avanos tecnolgicos no sistema educacional tm incentivado

    o poder pblico a desenvolver polticas pblicas voltadas para o

    desenvolvimento de programas de educao a distncia.

    Para institucionalizar as aes e as polticas em EAD, foi criada, no

    Ministrio da Educao (MEC), a Secretaria de Educao a Distncia

    (SEED), responsvel pela coordenao de vrios programas de

    polticas pblicas objetivando a educao de qualidade, a ampliao e

    a democratizao do acesso educao.

    RESUMINDO...

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    56

    AU

    LA 4

    P

    olti

    cas

    pbl

    icas

    em

    EA

    D n

    o B

    rasi

    l

    57

    Referncias bibliogrficas

    CASTRO, Maria Helena Guimares de. Declarao do Brasil para a Cpula

    Mundial da Educao. Frum Mundial de Educao. Dacar, Senegal. Abr.

    2000. Disponvel em: . Acesso em: 13 out. 2008.

    CORRA, Juliane. O cenrio atual da educao a distncia. In: SENAC.

    Curso de especializao a distncia. E-Book. Rio de Janeiro: Editora Senac

    Nacional, 2005.

    GRUPO TELEFNICA NO BRASIL. A sociedade da informao no Brasil.:

    presente e perspectivas. Disponvel em: . Acesso

    em: 3 out. 2008.

    GUARESCHI, N. M. et al. Prticas psicolgicas nas polticas pblicas: um

    debate sobre a temtica da violncia. Revista Psicologia Poltica, v. 5, n. 9,

    2005.

    LANDIN, M. M. P. F. Educao a distncia: algumas consideraes. Rio de

    Janeiro: [s.n.], 1999.

    LITWIN, Edith (Org.). Educao a distncia: temas para o debate de uma nova

    agenda educativa. Porto Alegre: Artmed, 2001.

    PIMENTEL, Nara. O ensino a distncia na formao de professores. Revista

    Perspectiva, Florianpolis, n. 24, 1995.

    SCHWARTZMAN Simon. Bases do autoritarismo Brasileiro. 3. ed. rev. Ampl.

    Campus, 1988. Disponvel em: . Acesso em: 3 out. 2008.

    (X) A UAB, assim como o e-Tec Brasil, visa oferecer educao a distncia

    de nvel tcnico. (A UAB oferece curso de nvel superior.)

    RESPOSTA DA ATIVIDADE

    Informao sobre a prxima aula

    Na prxima aula, vamos falar sobre planejamento e organizao dos sistemas

    de EAD. At l!

  • PLANEJAMENTO E

    ORGANIZAO DE

    SISTEMAS DE EAD

    5Silvane Guimares Silva Gomes

    e-Tec Brasil Tpicos em Educao a Distncia

    Fonte: www.sxc.hu

    Gok

    han

    Oku

    r

  • AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    61

    Meta

    Apresentar as bases para o planejamento e a organizao

    dos sistemas de EAD.

    Objetivo

    Ao final desta aula, voc dever ser capaz de:

    1. identificar os aspectos que devem ser considerados no

    planejamento e na organizao de um sistema de EAD.

  • AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    61Introduo

    Na aula passada, falamos sobre a importncia das polticas pblicas

    voltadas para a Educao a Distncia. Falamos um pouco, tambm, sobre as

    aes governamentais objetivando oferecer boa educao para todos no Brasil.

    Nesta aula, voc vai saber como importante planejar e organizar um sistema

    de EAD para a instituio que ir implementar essa modalidade de ensino.

    O ensino na modalidade a distncia tambm precisa de PROJETO PEDAGGICO,

    levando em considerao as necessidades especficas de cada curso. Alguns

    aspectos importantes, que sero falados ao longo desta aula, devem ser

    considerados na organizao de um curso.

    As bases de implantao da EAD O PDI e o PP

    O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) o elemento primordial

    para a implantao da educao, seja na modalidade presencial ou a distncia,

    pois ele que define os princpios da instituio no que se refere s suas

    aes de educao.

    Na elaborao de um Projeto Pedaggico (PP), que faz parte do PDI,

    necessrio considerar os seguintes aspectos, que vo compor a estrutura

    operacional do sistema de EAD:

    identificao das necessidades especficas do curso;

    definio dos objetivos a alcanar;

    seleo e organizao dos contedos;

    elaborao dos materiais didticos;

    definio dos sistemas de comunicao;

    definio da infra-estrutura de suporte;

    orientao e tutoria;

    organizao das condies de aprendizagem, tanto por parte do

    professor quanto do estudante;

    gesto pedaggica, tecnolgica e administrativa;

    avaliao da aprendizagem;

    custos.

    PROJETO PEDAGGICO

    (PP)

    Um instrumento de

    referncia para o

    desenvolvimento de um

    programa de ensino que

    ser a base das prticas

    dos profissionais de uma

    instituio de ensino.

    A construo do projeto

    pedaggico se d de

    forma participativa e

    contextualizada, ou seja,

    depende do curso e do

    pblico ao qual o projeto

    ser destinado.

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    62

    AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    63

    O Projeto Pedaggico

    O Projeto Pedaggico foi institudo pela Lei no. 9.394/96

    da LDB, embora sua obrigatoriedade seja explicitada mais

    claramente na legislao do Conselho Estadual de Educao

    (CEE) pela Deliberao 07/2000. Essa deliberao sobre a

    autorizao para funcionamento e reconhecimento de cursos

    e habilitaes novos, oferecidos por Instituies de Ensino

    Superior (IES). De acordo com o disposto no art. 4, o PP de

    um curso deve conter:

    perfil do profissional a ser formado;

    objetivos gerais e especficos do curso;

    descrio do Currculo Pleno, que ser oferecido com o

    ementrio das disciplinas, das atividades e a bibliografia

    bsica;

    nmero de vagas iniciais e turno de funcionamento;

    relao dos docentes e especificao da composio por

    nveis;

    acervo da biblioteca;

    apresentao de instalaes, equipamentos, laboratrios.

    SAIBA MAIS...

    Fonte: www.sxc.hu

    Hol

    ger D

    iete

    rich

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    62

    AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    63

    SISTEMA DE EAD

    Conjunto de componentes

    que fazem parte da estrutura

    operacional da EAD. Cada

    instituio tem o seu sistema,

    mas em geral os sistemas de

    EAD abrangem:

    o desenvolvimento do curso;

    a produo do material

    didtico;

    a definio do sistema de

    avaliao;

    os mecanismos de

    distribuio das disciplinas;

    os mecanismos de apoio

    aprendizagem do aluno;

    os servios de

    comunicao com o aluno e

    com a tutoria;

    as estruturas fsica,

    tecnolgica e de pessoal.

    Fonte: www.sxc.hu

    Nin

    a B

    riski

    Planejar o SISTEMA DE EAD

    A EAD uma modalidade educativa que vai alm do simples oferecimento de

    informaes, seja por meio de material impresso, seja pelas PGINAS atraentes

    de um AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM. No basta criar condies de acesso

    informao, preciso que os contedos da disciplina ou do curso como um todo

    sejam bem elaborados, de maneira que seja possvel desenvolver interaes dos

    alunos com os contedos para a construo do aprendizado.

    PGINAS

    Quando folheamos um livro, um

    caderno ou uma apostila, cada folha

    de papel que compe o material

    uma pgina. Da mesma forma,

    quando acessamos a internet, o que

    nos mostrado imediatamente

    uma pgina contendo informaes.

    AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (AVA)

    Sistemas de computadores disponveis na internet que do

    suporte a atividades de ensino e aprendizagem mediadas

    pelas TICs. Permitem articular palavras, sons e imagens.

    Os contedos a serem desenvolvidos no AVA devem ser

    organizados de maneira a viabilizar ao aluno a construo de

    sua autonomia no processo de aprendizagem.

    A figura a pgina de acesso a um ambiente virtual de

    aprendizagem, o PVANet, desenvolvido na Universidade

    Federal de Viosa/MG para cursos na modalidade a distncia.

    Fonte: www2.cead.ufv.br/sistemas/pvanet/geral/login.php

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    64

    AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    65O planejamento do sistema de EAD pode iniciar com uma proposta

    pedaggica bem elaborada, com definio clara:

    dos objetivos;

    do pblico-alvo;

    dos mecanismos de avaliao;

    dos demais aspectos envolvidos, como produo de material didtico,

    tutoria, secretaria, que so fundamentais para o bom andamento de

    qualquer curso na modalidade a distncia.

    O curso deve ser estruturado a partir das necessidades do aluno. Um bom

    planejamento educacional em EAD consegue fazer a ponte entre a teoria e a

    prtica. Nada melhor do que fazer o diagnstico da realidade do pblico-alvo

    do curso para:

    selecionar e organizar os contedos de aprendizagem;

    escolher os meios e as atividades mais adequadas;

    definir como avaliar o ensino.

    Bem, voc j deve ter percebido que planejamento e organizao so

    fundamentais para um curso na modalidade a distncia, no mesmo? Ento,

    veja, a seguir, como podemos colocar isso em prtica.

    Formas de planejar e organizar um sistema de EAD

    O resultado do Congresso Internacional de Educao a Distncia no

    Ensino Superior, que aconteceu no Rio Grande do Sul, no ano de 2005,

    foi a elaborao de um material que pode ajudar os profissionais da EAD na

    elaborao do planejamento e da organizao dos sistemas de EAD.

    Articulao entre reas: comunicao e educao

    As prticas educativas em EAD demandam processos comunicativos. Para

    isso, as tecnologias de informao e comunicao favorecem esse processo,

    mas no so por si s educativas. Dependem da prtica pedaggica, e tanto o

    professor quanto o aluno precisam saber utilizar as TICs para que o ensino e a

    aprendizagem aconteam na prtica educativa.

    muito importante que o professor tenha a capacidade de humanizar a

    relao com seus alunos, independentemente da tecnologia que est sendo

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    64

    AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    65adotada. Essa humanizao acontece com a interao/comunicao do

    professor com os alunos, por meio de recursos tecnolgicos usados para

    a transmisso do conhecimento, motivando a aprendizagem e evitando a

    sensao de isolamento.

    Motivao dos envolvidos na implantao da EAD

    Um desafio para o gestor e para toda a equipe de trabalho (coordenadores,

    professores e tutores) o uso de TECNOLOGIAS MULTIMDIAS. Toda a equipe

    dever estar motivada a fazer uso das tecnologias na sua prtica educativa,

    desenvolvendo a atitude crtica quanto ao seu uso, pois o valor da tecnologia

    no est em si mesmo, mas depende do uso que o professor vai fazer dela.

    TECNOLOGIAS MULTIMDIAS

    Integram textos, udios,

    vdeos e imagens. Exemplos

    de multimdias: alguns tipos

    de AVAs, que agregam

    um pouco de cada mdia,

    como vdeos, textos,

    imagens e udio; sites

    como o YouTube (de

    compartilhamento de vdeos

    na internet), que permitem

    que qualquer pessoa no

    mundo possa assisti-los.

    Figura 5.1: O gestor e a sua equipe devem trabalhar em conjunto para realizar um bom trabalho em EAD.

    Fonte: www.sxc.hu

    Car

    l Dw

    yer

    Figura 5.2: O computador deve ser adequadamente utilizado, visando

    educao de qualidade.

    Em

    re N

    acig

    il

    Fonte: www.sxc.hu

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    66

    AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    67Aprimoramento da comunicao entre os envolvidos no sistema (professores e alunos)

    Democratizao de saberes: os conhecimentos devem ser compartilhados

    entre professores e alunos. Essa troca s possvel se a comunicao entre

    os envolvidos estiver acontecendo de maneira adequada.

    Figura 5.3: Quando o processo de comunicao flui, possvel democratizar os saberes.

    Em relao ao planejamento e organizao de um sistema de

    EAD, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.

    ( ) Somente para cursos presenciais necessrio elaborar uma

    proposta pedaggica de curso, uma vez que as prticas educacionais

    podem ser avaliadas no cotidiano da instituio.

    ( ) Assim como na modalidade presencial, a definio clara dos

    objetivos, do pblico-alvo e dos mecanismos de avaliao fundamental

    para o bom andamento de um curso a distncia.

    ATIVIDADE ATENDE AO OBJETIVO 1

  • e-Te

    c B

    rasi

    l T

    pic

    os e

    m E

    duca

    o

    a D

    ist

    ncia

    66

    AU

    LA 5

    P

    lane

    jam

    ento

    e o

    rgan

    iza

    o d

    e si

    stem

    as d

    e E

    AD

    67( ) O Projeto Pedaggico o instrumento de referncia somente

    dos cursos presenciais.

    ( ) Na construo do Projeto Pedaggico, quanto menos pessoas

    envolvidas, melhor a qualidade dele.

    ( ) O bom planejamento educacional para cursos na modalidade a

    distncia aquele que consegue aliar a teoria prtica.

    ( ) Para cursos a distncia no necessrio fazer diagnstico da

    realidade dos alunos porque a caracterstica dessa modalidade o