TUBERCULOSE: AÇÕES ASSISTENCIAIS E DE Filter... · tuberculosis: assistance actions and...

download TUBERCULOSE: AÇÕES ASSISTENCIAIS E DE Filter... · tuberculosis: assistance actions and surveillance

of 84

  • date post

    16-Sep-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of TUBERCULOSE: AÇÕES ASSISTENCIAIS E DE Filter... · tuberculosis: assistance actions and...

  • CURSO DE ENFERMAGEM

    Manuela Filter Allgayer

    TUBERCULOSE: AES ASSISTENCIAIS E DE VIGILNCIA EM UNIDADES

    PENITENCIRIAS DO RIO GRANDE DO SUL (RS)

    Santa Cruz do Sul

    2015

  • Manuela Filter Allgayer

    TUBERCULOSE: AES ASSISTENCIAIS E DE VIGILNCIA EM UNIDADES

    PENITENCIRIAS DO RIO GRANDE DO SUL (RS)

    Trabalho de concluso apresentado ao Curso de

    Enfermagem da Universidade de Santa Cruz do Sul para

    obteno do ttulo de Bacharel em Enfermagem.

    Orientador (a): Suzane Beatriz Frantz Krug

    Coorientador (a): Lia Gonalves Possuelo

    Santa Cruz do Sul

    2015

  • FOLHA DE APROVAO

    Santa Cruz do Sul, dezembro de 2015

    TUBERCULOSE: AES ASSISTENCIAIS E DE VIGILNCIA EM UNIDADES

    PENITENCIRIAS DO RIO GRANDE DO SUL (RS)

    MANUELA FILTER ALLGAYER

    Esta monografia foi submetida ao processo de avaliao pela Banca Examinadora para

    obteno do ttulo de Enfermeiro.

    Foi aprovada em sua verso final, em ______________________.

    BANCA EXAMINADORA:

    _______________________ _______________________

    Suzane Beatriz Frantz Krug Lia Gonalves Possuelo

    Prof. Orientador Prof. Coorientador

    _______________________ _______________________

    Janine Koepp Aline Fernanda Fischborn

    Prof. Enf Curso Enfermagem Prof. Enf Curso Enfermagem

  • AGRADECIMENTOS

    Agradecer admitir que houve um momento em que se precisou de algum. E

    reconhecer que o homem jamais poder lograr para si o dom de ser autossuficiente. Ningum

    se faz sozinho: sempre preciso um olhar de apoio, uma palavra de incentivo, um gesto de

    compreenso, uma atitude de amor. (Autor desconhecido)

    Agradeo em primeiro lugar a Deus que de forma espetacular me deu o dom da vida,

    me ouviu nos momentos difceis e me deu foras para chegar onde estou.

    Aos meus pais: Vocs um dia sonharam comigo. Me amaram antes mesmo que eu existisse.

    Vocs se alegraram com a minha chegada ao mundo, acompanharam meu crescimento e

    trabalharam dobrado, sacrificando seus sonhos a favor dos meus. No foram apenas pais, mas

    meus amigos e companheiros, mesmo nas horas em que meus ideais pareciam distantes e

    inatingveis.

    Agradeo ao meu pai Jacob Roberto Allgayer Neto, meu exemplo. Presenteou-me com

    a riqueza do estudo, da educao, sempre me incentivando a procurar o conhecimento.

    Agradeo a minha me Maria Elena Filter Allgayer que me ensinou os maiores valores que se

    pode ter na vida, o de honestidade e responsabilidade. Agradeo a minha irm Mnica Filter

    Allgayer, que apesar de todos os contratempos de irms, foi sempre minha amiga, me

    apoiando em todos os momentos. Hoje passo para ti essa responsabilidade. Agradeo ao meu

    namorado Rodrigo Maccari que esteve presente neste momento aguentando minhas crises de

    choro, me fazendo estudar, me amparando e compartilhando comigo suas experincias.

    Agradeo a minha orientadora. Dra. Suzane Frantz Krug enfermeira que tanto admiro.

    Ser aceita por voc como orientanda foi um privilgio. Obrigada pelos ensinamentos, pelo

    incentivo e pelo tempo que dedicaste a mim e a esta pesquisa. Agradeo a minha

    coorientadora Dra. Lia Gonalves Possuelo pesquisadora admirvel. Obrigada pelas

    oportunidades que me deste desde que eu ingressei no Programa de Educao pelo Trabalho

    para a Sade - Vigilncia em Sade (PET/VS), pelos ensinamentos, pelo incentivo, por

    acreditar e confiar no meu trabalho e principalmente por ter despertado em mim o amor pela

    pesquisa.

    Agradeo tambm a Escola do Servio Penitencirio da Superintendncia dos Servios

    Penitencirios (SUSEPE) pela aprovao da realizao deste trabalho nas penitencirias do

    Rio Grande do Sul (RS), assim como todas as equipes de segurana e sade visitadas pela

    receptividade e acolhimento.

  • A todos vocs, o meu muito obrigado!

  • A vocs pai e me que num preldio de anos me fizeram vida e me

    ensinaram a viv-la com dignidade, a emoo me cala ficando a

    certeza de que hoje lhes ofereo esta vitria, pois tudo o que tenho

    feito receber. Sem palavras. Amo vocs!

  • Um a um, os doentes foram trazidos nossa presena. Tuberculose

    geral: gente emagrecida, com febre, sudorese noturna e tosse,

    espalhando gotculas de secreo no xadrez apinhado. Naquele

    ambiente mal ventilado, o nico que no podia se queixar das

    condies de vida era o bacilo de Koch.

    (VARELLA, D. Estao Carandiru)

  • LISTA DE ILUSTRAES

    Figura 1 Municpios visitados que apresentam unidades de sade prisional 17

  • LISTA DE TABELAS

    Tabela 1- Caractersticas das unidades prisionais de anlise 19

    Tabela 2 - Aes relacionadas busca de casos e diagnstico 20

    Tabela 3 - Instrumentos de vigilncia epidemiolgica existentes para o controle da TB 21

    Tabela 4: Dispe da estrutura fsica e disponibilidade de recursos materiais na unidade 22

  • LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

    APS Ateno Primria Sade

    BSR Busca de Sintomtico Respiratrio

    CEP

    HIV

    LRSR

    MS

    PCAT

    PNCT

    PNSSP

    PPL

    RS

    SINAN

    SR

    SUSEPE

    TB

    TCLE

    TDO

    TRM-TB

    UBS

    UP

    UNISC

    USP

    TSA

    Comit de tica em Pesquisa

    Vrus da Imunodeficincia Humana

    Livro de Registro de Sintomtico Respiratrio

    Ministrio da Sade

    Primary Care Assessment Tool

    Programa Nacional de Controle da Tuberculose

    Plano Nacional de Sade no Sistema Penitencirio

    Populao Privada de Liberdade

    Rio Grande do Sul

    Sistema de Informao de Agravos de Notificao

    Sintomtico Respiratrio

    Superintendncia dos Servios Penitencirios

    Tuberculose

    Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

    Tratamento Diretamente Observado

    Teste Rpido Molecular para Tuberculose

    Unidades Bsicas de Sade

    Unidade Penitenciria

    Universidade de Santa Cruz do Sul

    Universidade de So Paulo

    Teste de sensibilidade a antimicrobianos

  • SUMRIO

    1 ARTIGO CIENTFICO .......................................................................... 11

    1.1 Resumo portugus ............................................................................... 12

    1.2 Resumo ingls ....................................................................................... 13

    1.3 Resumo espanhol .................................................................................. 14

    1.4 Introduo ................................................................................................ 15

    1.5 Mtodos .................................................................................................... 17

    1.6 Resultados ................................................................................................ 19

    1.7 Discusso .................................................................................................. 23

    1.8 Referncias ............................................................................................... 29

    ANEXO A - PROJETO DE PESQUISA ............................................................. 34

    ANEXO B - NORMAS DA REVISTA ................................................................ 68

  • ARTIGO ORIGINAL

    TUBERCULOSE: AES ASSISTENCIAIS E DE VIGILNCIA EM

    UNIDADES PENITENCIRIAS DO RIO GRANDE DO SUL (RS)

    TUBERCULOSIS: ASSISTANCE ACTIONS AND SURVEILLANCE IN UNITS

    OF RIO GRANDE DO SUL PRISONS (RS)

    AES DE CONTROLE DA TUBERCULOSE EM PENITENCIRIAS DO RS

    Manuela Filter Allgayer

    Departamento de Enfermagem e Odontologia. Universidade de Santa Cruz do Sul,

    Santa Cruz do Sul - RS, Brasil. Endereo residencial: Rua Capito Pedro Werlang, 730.

    Telefone: (51) 9549-7048. manuelaallgayer@hotmail.com

    Lia Gonalves Possuelo

    Departamento de Biologia e Farmcia. Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz

    do Sul RS, Brasil. liapossuelo@unisc.br

    Suzane Beatriz Frantz Krug

    Departamento de Enfermagem e Odontologia. Universidade de Santa Cruz do Sul,

    Santa Cruz do Sul RS, Brasil. skrug@unisc.br

    Monografia para obteno do ttulo em Bacharel em Enfermagem. Autor (a): Manuela

    Filter Allgayer, 2015, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC).

    mailto:manuelaallgayer@hotmail.commailto:liapossuelo@unisc.br

  • RESUMO

    Objetivo: identificar aes assistenciais e de vigilncia relacionadas Tuberculose

    (TB) em unidades penitencirias (UP) do Rio Grande do Sul (RS). Mtodos: foram

    visitadas no estado 13 UP e realizado entrevistas com enfermeiros e tcnicos de

    enfermagem integrantes das equipes de sade dos respectivos lugares. Os valores

    encontrados foram expressos em nmeros absolutos e percentuais. Resultados: a busca

    de sinto