Tubos sem costura e conexµes - .(mm) (mm) 9,52104,80 9,52 x 0,40 0,102 22,00 22,00 x 0,50...

download Tubos sem costura e conexµes - .(mm) (mm) 9,52104,80 9,52 x 0,40 0,102 22,00 22,00 x 0,50 0,301

of 16

  • date post

    21-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Tubos sem costura e conexµes - .(mm) (mm) 9,52104,80 9,52 x 0,40 0,102 22,00 22,00 x 0,50...

  • Tubos sem costura e conexes

  • I N T R O D U O

    A Termomecanica lder no setor de transformao

    de cobre e suas ligas, investindo permanentemente

    em tecnologias e inovaes para a melhoria contnua

    de seus produtos e processos produtivos.

    Todo bom profissional de construo civil sabe que

    nada se compara ao cobre e suas ligas quando se

    trata de tubos e conexes para gua quente e fria. O

    cobre altamente resistente s variaes de presso

    e de temperatura, evitando, assim, intervenes e

    retrabalhos nas instalaes.

    Portanto, na hora de construir, os tubos de cobre e

    conexes de cobre e lato da Termomecanica sempre

    sero a melhor opo.

  • B E N E F C I O S D O C O B R E

    No derrete com a ao de gua quente;

    Valoriza os imveis e mais acessvel do que se imagina;

    Fcil manuseio, transporte, aplicao e soldagem, garantindo perfeita vedao e segurana rede hidrulica;

    Boa resistncia a presses internas e a golpes de arete;

    Higiene: o cobre possui ao bactericida e libera ons saudveis ao corpo humano. Portanto, entre todos os tubos para gua, o de cobre o mais aconselhvel para a sade;

    Impermeabilidade: germes, fludos, gases e raios ultravioletas so barrados pelas propriedades do cobre;

    No pega fogo nem libera gases txicos em caso de incndio;

    Representa a melhor relao custo x benefcio, j que sua qualidade possibilita instalaes definitivas, o que justifica o investimento;

    Resiste a altas temperaturas, presso, ao fogo e ao do tempo, uma combinao nica de vantagens;

    Vida til permanente, quando tomados os devidos cuidados de uso e instalao.

    A I M P O R T N C I A D O C O B R EP A R A A S A D EO cobre um nutriente essencial para o organismo, sendo necessria a ingesto de 1 a 3 miligramas ao dia para a manuteno de uma dieta saudvel. Sua falta pode causar doenas como a anemia profunda e problemas cardiovasculares. possvel ingerir o cobre por meio de uma grande variedade de alimentos frescos e pela gua potvel, sendo 2 miligramas de cobre por litro de gua a quan-tidade recomendada pela Organizao Mundial da Sade.Alm disso, o cobre possui ao bactericida e sua utilizao nas tubulaes diminui, de forma notvel, a quantidade de bactrias carregadas pela gua, pro-priedade no encontrada em outros materiais.Por estas razes, o cobre utilizado nas mais diver-sas instalaes hidrulicas, como residenciais, hospitalares e escolares, sendo reco-mendado para a con-duo de gua fria, quente e sistemas de aquecimento solar.

  • A P L I C A E S G E R A I S : T U B O S E C O N E X E S

    T U B O S S E M C O S T U R AExcelente aplicao em instalaes hidrulicas de gua quente e fria, redes de combate a incndio e de gases em geral, tubos de descarga de gua, reserva-trios, tanques, acumuladores de gua quente, inter-ligaes de gua quente, medidores, entre outros. Os tubos de cobre TM so fabricados sem costura, con-forme a norma NBR 13206, garantindo mais segurana e qualidade na conduo de fludos, pois so altamen-te resistentes e no absorvem materiais orgnicos.

    A C O N D I C I O N A M E N T O E T R A N S P O R T EOs tubos devem ser separados de acordo com sua dimenso e classe, e seu acondicionamento deve ser realizado de forma que no provoque danos durante o manuseio e o transporte. Alm disso, devem ser esto-cados em locais limpos e secos, sem que haja contato direto com o solo, com produtos qumicos e com tubos de ao ou ferro. Devem-se evitar tambm choques mecnicos que possam amass-los ou ovaliz-los.

    I N S TA L A E S E N T E R R A D A S , C O N F O R M E A N O R M A N B R 1 5 3 4 5Os tubos devem receber proteo anticorrosiva por meio da aplicao de fitas adesivas especficas para tal finalidade, ou outras formas de proteo adequa-das, sempre considerando o meio onde esto instala-dos e o material da prpria instalao. Em situaes em que for identificado qualquer tipo de agresso em potencial, recomenda-se prever meios que protejam os tubos, tais como: lajes, canaletas, envelopamento de concreto, etc.

    I N S TA L A E S E M B U T I D A S , C O N F O R M E A N O R M A N B R 1 5 3 4 5Em paredes construdas em alvenaria, a tubulao deve ser fixada com argamassa de cimento e areia, evitando o contato com outros tipos de materiais. No caso de paredes pr-moldadas, sistemas dry wall e pisos elevados, a tubulao deve ser fixada por meio de suportes adequados que a mantenha permanen-temente posicionada. Nas instalaes embutidas em pisos, deve-se fazer proteo adequada para evitar que infiltraes de materiais de limpeza provoquem danos tubulao.

    I N S TA L A E S A PA R E N T E S , C O N F O R M E A N O R M A N B R 1 5 3 4 5As tubulaes devem ser fixadas por meio de suportes de fixao adequados.

    INSTALAES MISTAS DE COBRE E AO, CONFORME A NORMA NBR 1 5 3 4 5Nas instalaes, deve-se evitar a unio de mate-riais metlicos com potenciais inicos diferentes. Em fixaes com abraadeiras metlicas e unio entre sistemas de metais diferentes, devem ser utilizados materiais isolantes entre si.

    T U B O S D E C O B R E F L E X v E I SO tubo de cobre flexvel de 15 a 28 mm, sem costura, fabricado pela Termomecanica produzido conforme a norma NBR 14745 e sinnimo de praticidade, rapidez e qualidade nas instalaes. O uso dos tubos de cobre flexveis permite a instala-o de prumadas em edifcios com mais de 20 andares sem a realizao de emendas, reduzindo muito o uso de conexes, solda, fluxo e permitindo a reduo do tempo mdio de instalao em at 10 vezes. Ou seja, maior produtividade e menor custo com grande redu-o de tempo. Por sua flexibilidade permite desenhos mais ousados nas instalaes, podendo acompanhar a arquitetura do prdio. O reduzido nmero de conexes alm de economia propicia tambm uma instalao menos suscetvel a vazamentos. Excelentes para conduo de gua, tambm so altamente recomendados para conduo de gs em edificaes, pois a eliminao de emendas confere maior segurana e estanqueidade s instalaes. Informaes sobre equipamentos e tcnicas para dobrar e endireitar os tubos de modo a obter uma instalao retilnea e com tima esttica podem ser obtidas com nosso corpo tcnico.

  • Dimetro Dimetro Externo x Peso Nominal Espessura da Parede (kg/m) (mm) (mm) 9,52 9,52 x 0,40 0,102 22,00 22,00 x 0,50 0,301

    T U B O S P A R A A P L I C A O S O L A R

    T E R M O T U B O E T E R M O T U B O F L E X

    Dimetro Dimetro Externo x Peso Presso de Nominal Espessura da Parede (kg/m) Servio (mm) (mm) Mpa 15,00 15 x 0,50 0,203 4,25

    22,00 22 x 0,60 0,360 3,46

    28,00 28 x 0,60 0,460 2,70

    35,00 35 x 0,70 0,672 2,52

    42,00 42 x 0,80 0,923 2,40

    54,00 54 x 0,90 1,338 2,09

    66,70 66,7 x 1,00 1,840 1,88

    79,40 79,4 x 1,20 2,628 1,90

    104,80 104,8 x 1,20 3,481 1,43

    T E R M O T U B O C L A S S E E ABNT NBR 13206

    Dimetro Dimetro Externo x Peso Presso de Nominal Espessura da Parede (kg/m) Servio (mm) (mm) Mpa 15,00 15 x 0,80 0,318 6,91 22,00 22 x 0,90 0,532 5,24 28,00 28 x 0,90 0,683 4,09 35,00 35 x 1,10 1,044 4,00 42,00 42 x 1,10 1,260 3,32 54,00 54 x 1,20 1,774 2,81 66,70 66,7 x 1,20 2,201 2,26 79,40 79,4 x 1,50 3,272 2,38 104,80 104,8 x 1,50 4,339 1,80

    T E R M O T U B O C L A S S E A ABNT NBR 13206

    Dimetro Dimetro Externo x Peso Presso de Nominal Espessura da Parede (kg/m) Servio (mm) (mm) Mpa 15,00 15 x 1,00 0,392 8,73 22,00 22 x 1,10 0,644 6,46 28,00 28 x 1,20 0,900 5,50 35,00 35 x 1,40 1,317 5,12 42,00 42 x 1,40 1,592 4,25 54,00 54 x 1,50 2,205 3,52 66,70 66,7 x 1,50 2,733 2,84 79,40 79,4 x 1,90 4,123 3,03 104,80 104,8 x 2,00 5,757 2,40

    T E R M O T U B O C L A S S E I ABNT NBR 13206

    Dimetro Espessura Externo (mm) de Parede (mm) Nominal Mdio Tolerncia (+-) Nominal Tolerncia (+-) 15 15,00 0,05 0,7 0,07 22 22,00 0,05 0,8 0,08 28 28,00 0,05 0,9 0,09

    T E R M O T U B O F L E X C L A S S E 0 1 ABNT NBR 14745

    Dimetro Espessura Externo (mm) de Parede (mm) Nominal Mdio Tolerncia (+-) Nominal Tolerncia (+-) 15 15,00 0,05 1,0 0,10 22 22,00 0,05 1,1 0,11 28 28,00 0,05 1,2 0,12

    T E R M O T U B O F L E X C L A S S E 0 2 ABNT NBR 14745

  • C O T O v E L O 4 5 o

    Referncia Material 606 Cobre

    Dimenses (mm) Bolsa Bolsa 15 15 22 22 28 28 35 35 42 42 54 54 66 66 79 79 104 104

    L U v A

    Referncia Material 600 Cobre

    Dimenses (mm) Bolsa Bolsa 15 15 22 22 28 28 35 35 42 42 54 54 66 66 79 79 104 104

    C O N E X E SPara complementar a segurana e a qualidade dos tubos de cobre, a Termomecanica oferece, tambm, uma grande variedade de conexes soldveis (sem anel de solda) e conexes rosqueveis em lato. Com alta qualidade e preciso, as conexes TM so indicadas para aplicaes que exigem vedaes per-feitas e resistentes.

    A C O N D I C I O N A M E N T O E T R A N S P O R T EAs conexes devem ser separadas de acordo com sua dimenso e tipo, e seu acondicionamento deve ser realizado de forma que no provoque danos durante o manuseio e o transporte, conforme determina a norma NBR 11720. A estocagem das conexes deve ser feita em locais limpos e secos, sem contato com produtos qumicos e ferragens em geral.

    C O N E X E S T E R M O F I T

    C O N E X E S D E L A T OO uso das conexes de lato TM para a instalao de gua e gs com tubos de cobre, obedece aos requisitos da Norma ABNT NBR 11720. As conexes de lato seguem uma tendncia mundial, pois esto de acordo com a Diretiva Rohs. Em muitos pases da Europa o uso das conexes de bronze est proibido, devido presena de chumbo em teores acima de 4%, o que prejudicial sade. As conexes de lato trazem uma relao custo benefcio muito interessante, dando a oportunida-de de reduo de custos sem perda de qualidade e dentro das normas. Alm disso, o mercado tem consagrado seu uso tanto em instalaes de gua quanto de gs.

    Referncia Material 601 Cobre

    Dimense