Uma casa pra morar, uma água pra beber e outra pra regar; muit

download
  • date post

    23-Jul-2016
  • Category

    Documents
  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Com seus quintais verdinhos e bem cuidados, a comunidade do Assentamento Jerusalm (Rubim, Minas Gerais) reflete bem como o acesso terra e gua foi importante para a mudana na vida de cada uma das 80 famlias que l residem. Um exemplo disso a histria dos agricultores Ilma dos Santos Rocha e Adelson Pereira da Cruz.

transcript

  • Uma casa pra morar, uma gua pra beber e outra pra regar;

    muito alimento pra dar e vender!

    Boletim Informativo do Programa Uma Terra e Duas guas

    Ano 8 n2054

    Rubim

    Com seus quintais verdinhos e bem cuidados, a

    comunidade do Assentamento Jerusalm,

    prximo ao distrito de Rubim, no Vale do

    Jequitinhonha, reflete bem como o acesso terra e

    gua foi imprescindvel para a mudana na vida

    de cada uma das 80 famlias que ali residem. Um

    exemplo disso a histria de Ilma dos Santos

    Rocha e Adelson Pereira da Cruz. Os dois

    agricultores passaram a juventude na casa de

    parentes, em Palmpolis, municpio vizinho de

    Rubim, tambm no Baixo Jequitinhonha, e sempre

    ajudaram no trato das variedades cultivadas em

    seus pedacinhos de terra.

    As casas eram diferentes, mas a situao era a mesma: falta de gua e longas caminhadas para

    buscar o elemento bsico sobrevivncia e s plantaes. Filha mais nova dentre 12 irmos, alm

    de cuidar da produo de feijo para venda, Ilma tambm se ocupava dos afazeres domsticos

    junto me. "A gente at tinha uma barraginha, mas a

    gua no dava para o ano todo e era s para os animais,

    plantas e uso domstico. No era boa pra beber. Essa a

    gente pegava mais distante, levava muito tempo",

    relembra.

    Contexto parecido era o de Adelson, que vivia na

    chcara de seu av. Com esperana de mudar essa

    realidade e construir uma vida com a sua ento

    namorada Ilma, foi trabalhar na rea de construo

    civil, em So Paulo. "Fui pra cidade grande em busca de

    melhorias, mas s encontrei dificuldades. Depois de

    um ano e meio o servio acabou, e eu no tinha

    condies de bancar o custo alto de vida na capital

    paulista. Alm disso, a violncia e a bandidagem me

    incomodavam muito", conta.

    Foi assim que o jovem agricultor voltou terra natal,

    retomou os trabalhos na roa de sua famlia e firmou o

    relacionamento com Ilma. Em 2002, os dois se integraram ao Movimento dos Trabalhadores Sem

    Terra (MST), e passaram a ocupar um acampamento provisrio na Comunidade do Baixo,

    prximo a Rubim. Viveram l por sete anos, junto a outros quarenta agricultores. Foi ali que Ilma

    deu luz a seus filhos Wanderson e Warley, de 11 e 7 anos de idade, respectivamente. "A vida no

    acampamento era muito boa, aquele povo todo junto, todos se ajudando... Era animado!

    Tnhamos uma horta comunitria de onde tirvamos o nosso alimento, tudo fresquinho, sem

    agrotxico...", relata.

    Agosto/2014

    Ilma e seus canteiros econmicos de alface e coentro

    Famlia reunida em frente cisterna-calado

  • Boletim Informativo do Programa Uma Terra e Duas guas Articulao Semirido Brasileiro Minas Gerais

    Com a terra veio a gua

    A vida j estava boa com a oferta de alimentos orgnicos variados no prprio acampamento, muita

    cooperao e solidariedade. Mas ficou ainda melhor a partir de 2009, quando o casal conquistou

    um pedao de terra cedido pela reforma agrria no Assentamento Jerusalm. Em 2012, aps

    morarem em tenda de lona e barraco de adobe, construram uma casa adequada para receber as

    tecnologias sociais do Programa Um Milho de Cisternas (P1MC) e do Programa Uma Terra e Duas

    guas (P1+2), da Articulao no Semirido Brasileiro (ASA). "Mesmo com o lote nosso, ainda no

    tnhamos gua pra beber e plantar. A gente dependia do vizinho pra cultivar nossas hortalias e

    fruteiras. E gua de beber a gente contava com a generosidade de amigos em Rubim. Era uma

    andana longa com o jegue pra encher as latas nas casas deles". Com a chegada dos programas ao

    assentamento, Ilma foi escolhida para participar dos cursos de Gerenciamento de Recursos

    Hdricos (GRH), de Gerenciamento de gua para Produo de Alimentos (GAPA) e de Capacitao

    sobre Manejo de Sistemas Simplificados de gua para Produo (SISMA).

    A construo da cisterna de placas e da cisterna-calado, em

    2012, deu outro rumo para a vida desses dois lutadores. Com o

    conhecimento adquirido nos cursos, mantm ainda seis

    canteiros, sendo trs deles econmicos, que ficam midos o

    ano todo. Dessa forma passaram de sobreviventes do

    Semirido mineiro a cidados atuantes e fornecedores de

    alface, couve, coentro e pimento para a feira de agricultores de

    Rubim. Tudo cultivado sem o uso de agrotxicos e fertilizantes.

    Se o solo precisa de uma vitamina, usam a terra vermelha e o

    esterco de gado. Veneno, nem pensar!

    Semirido da fartura

    Alm do cultivo da horta, a gua ainda serve para manter uma

    roa com cenoura, quiabo, beterraba, coco, urucum, limo,

    pimenta de cheiro, mamo, mandioca, milho e feijo. Tudo para

    colorir a refeio diria dos quatro. As idas cidade hoje se

    restringem apenas aos dias de venda na feira e a algumas

    compras de batata, arroz e macarro. Quando algum vizinho

    precisa completar o prato e bate porta do casal, eles tm de

    sobra pra compartilhar.

    A chegada dessas tecnologias, alm de prover gua e

    alimento de qualidade e diversificar a renda da

    famlia, tambm criou um novo significado de

    relacionamento com a terra. Se antes se acreditava

    que a vida e o trabalho na cidade grande poderiam

    melhorar a condio das pessoas, hoje Ilma e

    Adelson comprovam o contrrio, que possvel e

    prazeroso viver do que a terra do Semirido nos d.

    uma atividade que envolve toda a famlia e que passa

    por geraes. "Os meninos estudam de dia e, nos

    horrios livres, nos ajudam na horta. isso que eu

    esperava pra eles. Construindo um futuro perto da

    natureza e longe da insegurana da cidade grande",

    diz Adelson, experiente no assunto.

    Realizao Apoio

    Adelson e Ilma exibem as verduras fresquinhas

    As crianas ajudam na colheita

    Page 1Page 2