UMA REVISÃO DA LITERATURA SOBRE A LIDERANÇA · PDF filepessoas ou tarefas, a...

Click here to load reader

  • date post

    11-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of UMA REVISÃO DA LITERATURA SOBRE A LIDERANÇA · PDF filepessoas ou tarefas, a...

UMA REVISO DA LITERATURA

SOBRE A LIDERANA SITUACIONAL

EM GESTO DE PROJETOS

Helen Silva Gonalves (UFPE)

[email protected]

O estilo de liderana que deve ser adotado por um gerente de projetos

um assunto que vem sendo enfatizado em pesquisas recentes. A

liderana situacional apresentada por Hersey e Blanchard (2007)

aborda as maturidades para o trabalho e psiicolgica como elementos

que influenciam o desempenho dos funcionrios. Tal nvel permite a

utilizao de um estilo de liderana mais adequado. Este artigo aborda

a necessidade de utilizao de uma ferramenta que auxilie de maneira

eficiente o gerente de projetos a adotar o estilo de liderana mais

adequado situao e aos liderados. Observou-se que para uma

liderana ser mais efetiva, h necessidade de se contar com mtodos

mais estruturados para tal definio.

Palavras-chaves: estilo de liderana, liderana situacional, gerente de

projetos

XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUO Maturidade e desafios da Engenharia de Produo: competitividade das empresas, condies de trabalho, meio ambiente.

So Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro de 2010.

2

1. INTRODUO

A liderana tem papel fundamental nas relaes humanas e a capacidade de liderar torna-se

associada ao sucesso ou fracasso das organizaes. Alguns artigos abordam as caractersticas,

habilidades ou competncias importantes no lder em funo de um estilo de liderana a ser

adotado, ou abordam, em razo desses aspectos, qual a liderana que est sendo utilizada de

fato (DULEWICZ E HIGGS, 2003; MULLER E TURNER, 2005; MULLER E TURNER,

2007; DULAIMI E LANGFORD, 1999). Quando se considera ambientes especficos para o

desenvolvimento da liderana, como a rea de gesto de projetos, por exemplo, tem-se que

ponderar as especificidades relacionadas ao seu tipo, como rea de atuao e complexidade,

que tratam de resultados especficos.

Muller e Turner (2007) em pesquisa sobre sucesso do projeto, atravs do estilo de liderana

do gerente e diferentes estilos para diferentes tipos de projeto, confirmaram que as

competncias da liderana desenvolvidas pelos gerentes estavam correlacionadas com o

sucesso do projeto, relacionado a custo, prazo e tempo, e que estilos de liderana variados

seriam adequados a diferentes tipos de projetos.

Um elemento que se apresenta como oportunidade de estudo se refere a como os liderados

podem ser avaliados em termos de preparao, ou como os autores Hersey e Blanchard (2007)

denominam maturidade, para realizao das atividades. Quando se fala em lder, fala-se

tambm em liderados e tarefas. So trs variveis interdependentes. Em funo da tarefa a ser

realizada, seu grau de complexidade, importncia, tempo, a pessoa ou grupo responsvel

dever apresentar um comportamento ou maturidade especfica. Para isso, o papel do lder

de fundamental importncia no que se refere a manuteno de um nvel de maturidade ou

passagem para outro.

Neste artigo apresentada a importncia do uso de um instrumento que possa auxiliar o

gerente de projetos a verificar o nvel de maturidade de seus liderados, para ento adotar o

estilo de liderana adequado em determinada situao ou etapa do projeto. Para tal, realizou-

se uma breve reviso da literatura da rea de liderana e sua relao com projetos.

2. LIDERANA E SEUS ASPECTOS GERAIS

Segundo Luthans (2005), no obstante toda a ateno dada liderana, ainda h controvrsia.

sabido que existe e tm influncia no desempenho humano, mas seu funcionamento e

dimenses especficas no so precisamente definidos. Contudo, a definio especfica de

liderana no importante, e sim interpret-la em termos de enquadramento terico e

especfico para perceber que a liderana faz a diferena.

Apesar de algumas definies especficas, a maioria depende da orientao terica

considerada. Alm da influencia, a liderana tem sido definida em termos de processo grupal,

personalidade, respeito, comportamentos especficos, persuaso, poder, conquista de meta,

interao, diferenciao, o incio da estrutura, e combinaes destes.

Hersey e Blanchard (2007) definem a liderana como o processo de influenciar as atividades

dos indivduos ou grupos para a consecuo de um objetivo em uma situao. Uma definio

de liderana que capta a essncia de suas caractersticas a de Weathersby (1999), para quem

a liderana centra-se na criao de uma viso comum. Significa motivar as pessoas a

contribuir para a viso e encoraj-los a alinhar os seus prprios interesses com os da

3

organizao.

Existem bases tericas distintas para a liderana, que podem ser visualizadas no tabela 1.

Tabela 1: Evoluo das principais Teorias de liderana

Teorias Foco Aspectos da

liderana

Caractersticas

Teoria dos

traos de

liderana

Montana e

Charnov (2003)

Enfatiza de forma especial as qualidades

pessoais do lder; determinadas

caractersticas de personalidades

Avalia os fatores

fsicos: altura, peso,

fsico, aparncia e

idade; Avalia as

habilidades:

inteligncia,

fluncia verbal,

escolaridade e

conhecimento;

Avalia aspectos de

personalidade:

moderao,

introverso,

extroverso,

dominncia,

ajustamento pessoal,

autoconfiana,

sensibilidade

interpessoal e

controle emocional.

A dificuldade final

com esse tipo de

abordagem para o

entendimento da

liderana que, sendo

uma teoria baseada na

gentica, ela no

assume que as

caractersticas so

aprendidas.

Teoria da

abordagem

comportamental

Luthans (2005)

Enfatiza que a liderana pode ser

aprendida por meio de tcnicas de

desenvolvimento pessoal

Liderana

autocrtica- uma

orientao intensa

produo, as

atividades do lder

esto ligadas a

coisas; Estilo

democrtico- uma

orientao aos

funcionrios,

envolvendo pessoas;

Estilo liberal- o lder

delegar totalmente

as decises ao grupo

e deix-lo vontade

e sem controle

algum, apontando

O foco dessa

abordagem ao

comportamento de

liderana proporcionou

uma percepo

verdadeira das origens

e eficcia da liderana,

mas sua procura pelo

melhor estilo de

liderana um ponto

fraco

Abordagem de

Blake e

Mouton

Estes autores desenvolveram uma teoria

que flexibiliza fatores relacionados a

pessoas ou tarefas, a Grade gerencial

(Managerial Grid).

Identificaram cinco

estilos de liderana

baseados em suas

preocupaes

(pessoas e

produo). Eles

propuseram um

gride gerencial, para

que fosse possvel

enquadrar os estilos

de liderana.

Por ser um modelo que

mede os valores e

atitudes de um gerente,

pode ser bastante

subjetivo, difcil de

medir e mudar os

estilos.

5

Teoria da

abordagem

contingencial ou

situacional

Kouzes e Posner

(2007); Hersey e

Blanchard (2007)

Passa a visualizar como realmente a

liderana flui, deixando de lado os

comportamentos dos lderes, surgindo a

figura dos seguidores e seus anseios em

relao ao estilo de liderana adotado.

H distino prvia

entre a orientao s

tarefas e aos

empregados e

assinala que o estilo

de liderana mais

apropriado depende

da situao geral.

Critrios: Lderes-A

autoridade formal e

personalidades;

Seguidores-com

suas expectativas e

interesses; Situao-

com suas

relevncias e

emergncias.

A abordagem

situacional torna-se

atraente por considerar

tais critrios. Porm, o

exerccio da liderana

exige, tambm, uma

constante busca de

autoconhecimento e de

autodesenvolvimento

de um lder.

Abordagem de

Fiedler

Postula que a efetividade da liderana

depende do estilo de interao com as

pessoas e da favorabilidade da situao.

Seu modelo

propunha que o

estilo de liderana

(orientado a tarefa

ou pessoa) uma

caracterstica

relativamente

estvel da

personalidade; que a

situao pode ser

mais ou menos

favorvel na

influncia do lder

sobre os

subordinados; e que

a efetividade da

liderana um

produto desses dois.

O modelo de Fiedler

foi um dos primeiros

avanos nestes

estudos, por apresentar

um modelo que

associava elementos

situacionais aos

aspectos da eficcia da

liderana.

Abordagem do

Path-goal

Reala para alm da importncia da

situao, as necessidades e objetivos dos

subordinados.

A funo

motivacional do

lder