2016 3 TRI LI‡ƒO 4 - O JUZO DE JUD E DE JERUSAL‰M

download 2016 3 TRI LI‡ƒO 4 -  O JUZO DE JUD E DE JERUSAL‰M

of 39

  • date post

    14-Apr-2017
  • Category

    Education

  • view

    9.336
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of 2016 3 TRI LI‡ƒO 4 - O JUZO DE JUD E DE JERUSAL‰M

  • TEXTO DO DIA

    "O Senhor vem em juzo contra os ancios do seu

    povo e contra os seus prncipes; que fostes vs

    que consumistes esta vinha; o esplio do pobre

    est em vossas casas."

    (Is 3.14)

  • SNTESE

    O profeta de Deus percebe quando h injustia

    entre os homens e quando esta atrai o juzo de

    Deus. Ele discerne tudo e conhece os grandes

    dilemas do seu povo e do seu tempo.

  • TEXTO BBLICO Isaas 3.1-5; 8; 13-15

  • 1 Porque eis que o Senhor Deus dos Exrcitos tirar de Jerusalm e de Jud o bordo e o cajado, todo o sustento de po e toda a sede de gua;

    2 o valente, e o soldado, e o juiz, e o profeta, e o adivinho, e o ancio;

    3 o capito de cinquenta, e o respeitvel, e o conselheiro, e o sbio entre os artfices, e o eloquente;

    4 e dar-lhes-ei jovens por prncipes, e crianas governaro sobre eles.

    5 E o povo ser oprimido; um ser contra o outro, e cada um, contra o seu prximo; o menino se atrever contra o ancio, e o vil, contra o nobre.

    8 Porque Jerusalm tropeou, e Jud caiu, porquanto a sua lngua e as suas obras so contra o Senhor, para irritarem os olhos da sua glria.

    13 O Senhor se levanta para pleitear e sai a julgar os povos.

    14 O Senhor vem em juzo contra os ancios do seu povo e contra os seus prncipes; que fostes vs que consumistes esta vinha; o esplio do pobre est em vossas casas.

    15 Que tendes vs que afligir o meu povo e moer as faces do pobre? - diz o Senhor, o Deus dos Exrcitos.

  • INTRODUO

  • INTRODUO

    O que justia para voc?

    A palavra juzo amplamente usada no AT, em Isaas 40 X.

    Os governantes, os ricos, os sacerdotes e os profetas estavam coniventes com o erro; sentindo-se seguros dentro das fortalezas, usavam todo o seu poder para oprimir os pobres.

    Quem deveria proteger o povo, faz o contrrio, o explora.

    O projeta anuncia a justia e o juzo de Deus.

  • I - A INJUSTIA E A OPRESSO DE UM POVO

  • 1. Justia

    Atualmente a palavra justia significa o cumprimento de uma lei moral (equidade e a igualdade).

    Para o judeu, era sinnimo de seguir as exigncias da lei de Deus e de sua justia.

    A arrogncia levou, principalmente a elite de Israel, a inverter o sentido da justia, trocando o que justo pelo injusto.

    Explorao daqueles que no tm como se defender, como o fraco, o pobre, o rfo e a viva (Is 1.17; 23; Is 3.14; 10.2).

    Desenvolvimento custa dos injustiados.

  • 2. A opresso oficializada

    Sempre existiram desigualdades em Israel, mas no tempo de Isaias elas adquiriram grandes propores.

    Diviso de dois grandes grupos: os oprimidos (pobres e marginalizados) e os opressores (elite) - Is 3.12,15; Am 3.9-12.

    Mesmo entre os pobres havia explorao e abuso (Is 3.5).

    As instituies, inclusive educacional, serviam para legitimar o sistema de opresso (ver o livro: Educao Crist Libertadora).

  • 3. A injustia como instrumento de triunfo

    Justia tem o significado de retido em um caminho tico.

    Em vez disso, derramavam sangue para se alcanar os objetivos pessoais e egostas (Is 5.7).

    Desonestidade e corrupo na esfera pblica e uma grande diferena entre as classes sociais.

    Desrespeito tradio clnica de proteo da terra familiar (Is 5.8 ver tambm o exemplo da vinha de Nabote)

    Isaas denunciou o governo e lderes que enganavam o povo e causava dificuldades em vez de facilitar a vida deles.

  • 4. A injustia no mundo atual

    Semelhana da organizao poltica e socioeconmica do livro de Isaias com o mundo atual.

    Aproximadamente 10 milhes de brasileiros vivem abaixo da linha da misria; no mundo, quase um bilho de pessoas sobrevive com menos de dois dlares por dia.

    A afirmao de Jesus de que sempre teramos pobres entre ns no serve de desculpa para uma inrcia crist diante desta situao.

    Alm de pregar o Evangelho, a Igreja tem a responsabilidade de promover a justia e igualdade.

  • APLICAO PRTICA

    Qual a sua contribuio para mudar a realidade injusta de nossa sociedade?

    O que voc pode aprender com a atitude de Isaias?

  • PENSE

    A pobreza uma condio de existncia que

    reduz as potencialidades de vida humana. Ela

    causa sofrimento e desigualdades sociais.

  • PONTO IMPORTANTE

    Na profecia bblica, os problemas sociais tambm so encarados como misso e

    desafios dos servos de Deus. Os profetas eram homens sensveis voz do Esprito de

    Deus e aos clamores das injustias e opresses sociais.

  • II - A ARROGNCIA QUE CEGA

  • 1. A descrio da arrogncia pelo profeta

    Isaas corajoso ao denunciar que as pessoas importantes do governo se portavam com orgulho.

    A profecia de Isaias no era contra o desfrute de coisas boas e do cuidado pessoal. Ele denunciou contra os meios que sustentavam e o descaso com o prximo.

    Num crculo vicioso, a arrogncia leva injustia e a injustia arrogncia.

  • 2. Um pecado abominvel

    O orgulho foi o primeiro pecado praticado no universo.

    Desde o incio da humanidade, o ser humano procura ser um deus, o centro de tudo.

    Triste a situao do ser humano que se acha suficiente e independente de Deus.

    Somos seres sociais e precisamos um do outro.

  • 3. Os males do orgulho

    Orgulho uma afronta a Deus.

    Supervaloriza o "eu" em detrimento do outro.

    Leva a prtica da desumanizao.

    Isaias demonstra que o orgulho leva prtica da injustia.

  • APLICAO PRTICA

    Como voc tem tratado as pessoas?

    Voc tem dado lugar arrogncia?

  • PENSE

    O orgulho revela a nossa falta de

    autoconhecimento enquanto seres humanos.

    Quem conhece suas limitaes e a fragilidade

    da vida de modo algum se torna orgulhoso.

  • PONTO IMPORTANTE

    O livro do profeta Isaas um bom exemplo

    do modo como o orgulho destruiu a

    dependncia do povo israelita de Deus.

  • III - A MISERICRDIA E A JUSTIA DE DEUS

  • 1. O profeta prediz a runa

    A depravao do povo, em especial dos lderes, resultaria em uma anarquia.

    O profeta anuncia a destruio do sistema de dominao e humilhao dos exaltados.

    O cumprimento foi o exlio babilnico, quando os principais smbolos de proteo divina sobre a nao foram destrudos (templo, inviabilidade de Jerusalm, muros de proteo, entre outros).

    Toda causa tem sua consequncia: a lei da semeadura.

    Isso inevitvel!

  • 2. Humildade

    A soluo era o reconhecimento da dependncia de Deus e submisso Sua justia.

    A humildade precede a honra" (Pv 15.33).

    Deus promete habitar "com o contrito e humilde de esprito, para dar novo nimo ao esprito do humilde e novo alento ao corao do contrito" (Is 57.15).

    Jesus disse que o Reino dos Cus dos humildes (Mt 5.3).

  • 3. A justia de Deus

    A justia divina geralmente manifestada como atos de salvao, misericrdia e bondade de Deus, mas tambm de juzo.

    O profeta estava prevendo esse momento para o povo, em que seriam visitados em sua maldade.

    O povo seria poupado se estivesse um lder justo = o messias (lembrando que a expectativa era de um lder humano, no divino).

    O NT ir demonstrar que a justia de Deus se revela por meio de Cristo e sua Igreja (Ver livro Justia e Graa).

  • APLICAO PRTICA

    Como Igreja, o que temos feito para o estabelecimento da misericrdia e justia de Deus?

    Como Igreja, temos feito a diferena na sociedade?

  • PENSE

    A humildade o caminho mais fcil para

    conseguir o favor de Deus e dos homens.

  • PONTO IMPORTANTE

    A tradio proftica israelita sempre trouxe em sua mensagem a combinao entre

    anncio de juzo e restaurao, justia e graa ao povo, pois em ltima instncia a vontade de Deus sempre trazer vida e esperana, e

    no destruio ao ser humano, apesar de sermos merecedores.

  • CONSIDERAES FINAIS

  • CONSIDERAES FINAIS

    Nesta lio nos aprendemos que:

    1. A funo proftica sempre esteve junto com questes sociais e polticas. As formas de injustia social em nossa sociedade, demonstra o quanto a profecia de Isaas atual;

    2. A arrogncia conduz o ser humano a ignorar o outro;

    3. A igreja de Cristo deve ser um meio da revelao da misericrdia e a justia de Deus.

  • Subsdios bibliogrficos

  • "Depois da morte do bom rei Ezequias, em 686, e do profeta Isaas, Jud entrou em um processo de declnio em todos os setores, do qual no mais viria a recuperar-se, exceto pelo breve reinado de Josias.

    Uma falha especfica no carter de Ezequias pode ser vista no seu comportamento para com os embaixadores de Merodaque-Balad, de Babilnia. [...] O autor de Reis e o profeta Isaas declaram que o rei Ezequias exps os tesouros do reino embaixada babilnica (2Rs 20.12-15; Is 39.1-4). [...] O fato de Ezequias ter aberto seus tesouros para os embaixadores da Babilnia pode ser a expresso de um suposto apoio a causa dos caldeus, de forma que queria impression-los mostrando sua fora e seu poder. Tal atitude foi m aos olhos do Senhor, ocasionando a ira de Yahweh contra Jud e Jerusalm. Ezequias arrependeu-se, mas Isaas o informou de que chegaria o tempo em que os descendentes polticos desses mesmos caldeus retornariam para Jerusalm. Eles despojariam todo o tesouro de Jud e levariam seus filhos e filhas para a corte real da Babilnia" (MERRILL, H. Eugene. Histria de Israel no Antigo Testamento: O reino de sacerdotes que Deus colocou entre as naes. 12.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, pp. 457-458).

  • HORA DA REV