ano 7, nº 9, 2Ed. · PDF file ano 7, nº 9, 2Ed. 2013 Sumário A liga...

Click here to load reader

  • date post

    30-Apr-2020
  • Category

    Documents

  • view

    3
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of ano 7, nº 9, 2Ed. · PDF file ano 7, nº 9, 2Ed. 2013 Sumário A liga...

  • ano 7, nº 9, 2Ed. 2013

    inRevista - ano 7, nº 9, 2ª Edição 2013 ISSN: 1980-6418

    EXPEDIENTE

    Reitora Profª. Elmara Lúcia de O. Bonini

    Diretora de Ensino, Pesquisa e Extensão – DEPE Profª. Drª. Neide Ap. de Souza Lehfeld

    Coordenadora de Graduação – DEPE Profª. Ma. Sônia Maria Camargo dos Santos

    Presidente do Conselho Editorial Prof. Dr. Sebastião Geraldo

    Diretora Executiva do Conselho Editorial Profª. Dra. Martha Maria dos Santos

    Editor Executivo Prof. Me. João de Assis Soares

    Conselho Editorial Profa. Me. Assunção Aparecida Laia Cristóvão - Uniara Prof. Me. César Luis Mulati - Unaerp/Uniara Prof. Dr. Dennis de Oliveira - Unimep Piracicaba/ECA-USP Prof". Me. Flávia Cortesi Martelli - Unaerp Prof. Me. João de Assis Soares - Unaerp/Uniara Profa. Dra. Josimey Costa da Silva - UFRN/Gemini - Grupo de Estudos de Mídia - Análises e

    Pesquisas de Processos e Produtos Midiáticos Profa. Dra. Maria Nazareth Ferreira - ECA-USP/Celacc – Centro de Estudos Latino-Americano

    sobre Cultura e Comunicação/Cbela – Centro de Estudos Latino-Americanos Profª. Dra. Martha Maria dos Santos - Unaerp Profª. Drª. Naiá Sadi Camara – Centro Universitário Barão de Mauá/Unaerp Prof. Me. Renato Márcio Martins de Campos - Unaerp/Uniara Prof. Dr. Sebastião Geraldo - Unaerp/Celacc Prof. Dr. Silas Nogueira CUML - Centro Universitário Moura Lacerda/Celacc Profa. Dra. Soledad Galhardo Centro Universitário Sennac/Celacc Profª. Dra. Vera Lúcia Rodella Abriata - Unaerp/Unifran

    Editoração Prof. Me. João de Assis Soares

    Editoração WEB Manassés José Crocceti Ferreira Maria Amélia Binati Gallo

  • ano 7, nº 9, 2Ed. 2013

    Sumário

    A liga alemã de cantores do Rio Grande do Sul - Brasil Uma web musical no século XIX

    Werner Ewald

    As mudanças na relação entre a publicidade e os consumidores Aline Rebeca Amorim Rodrigues da Cunha

    Clássicos do cinema: O panorama atual da relação entre a juventude e os filmes clássicos

    Márcio Ferreira Martinele Lígia Beatriz Carvalho de Almeida

    O mídia training e seus impactos para o uso eficaz do direito à informação jornalística

    Erika dos Santos Zuza Humberto Antonio Martins Sobrinho

    José Albenes Bezerra Júnior

    Economia criativa nos países BRICS: cenários e perspectivas Caroline Taveira Gonçalves

    Marcel Antonio Verrumo

    As portas abertas da Web: a internet como alternativa viável para a divulgação e publicação de histórias em quadrinhos

    Rafael Corrêa Leal Raul Zaniratto Giunta

    O comportamento de compra e consumo de leitura não acadêmica entre os futuros profissionais de comunicação

    Bruna Michelin Pinto Carlos Marcelo Ardigó

    4

    12

    22

    34

    45

    57

    72 inRevista: co-autoria / graduação

  • ano 7, nº 9, 2Ed. 2013

    Resumo

    O espírito associativo na trajetória de comunidades que se deslocam de um lugar para outro, na contemporaneidade ou no passado, foi sempre uma constante, seja pelo desejo de pertencimento social, de reivindicação de direitos, de celebração de memória compartilhada, de perpetuação de

    herança, quando não por simples questão de sobrevivência ou como estratégia para se inserir na sociedade de destino. Como explica Seyferth “...a singularidade elege seus símbolos estes quase sempre evocam pertencimentos primordiais e experiências compartilhadas...” (SEYFERTH, 2000:

    A liga alemã de cantores do Rio Grande do Sul - Brasil

    Uma web musical no século XIX*

    Palavras-Chave: música e imigração; mediação-cultural; instituições musicais

    de imigrantes; comunidades Teuto-Brasileiras.

    Werner Ewald Etnomusicólogo, doutor, pesquisador e Professor nos Bacharelados em

    Música da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Centro de Artes. * Este trabalho está vinculado ao Projeto de Pesquisa “Práticas Musicais de Imigrantes de Fala Germânica” desenvolvido na UFPel e coordenado pelo autor. Trata-se de uma versão revista e significativamente ampliada de uma comunicação apresentada no XII Seminário da Associação de Pesquisadores das Comunidades Teuto-Brasileiras ocorrido nas Faculdades Integradas de Taquara – FACCAT- na cidade de Taquara/RS em abril de 2012.

    Artigo [4-11]

    Werner Ewald

    4

    O artigo discorre sobre a Liga Alemã de Cantores do Rio Grande do Sul (Deutscher Sängerbund von Rio Grande do Sul), uma instituição de canto e música fundada em 1896. Centra especial interesse em torno do termo Bund, palavra alemã para Liga e aventa o surgimento desta instituição musical no seio das comunidades teuto-brasileiras como rede (web) simbólica de representação e interação musical através de pessoas que se uniam para cantar em coro, resignificando não apenas suas paridades mas também suas diferenças e conflitos e performatizando a comunidade como um todo através da união das vozes no canto em coro.

  • ano 7, nº 9, 2Ed. 2013

    152). No grupo em foco neste trabalho, os imigrantes de fala germânica no Brasil , o espírito corporativo político, econômico, educacional, esportivo, religioso e cultural foi historicamente cultivado e é considerado marca identitária, basta para isto se ter em conta o número de associações como cooperativas, escolas, igrejas, clubes esportivos e associações culturais de todos os tipos fundadas e mantidas até os dias de hoje entre os membros de tal comunidade étnica. Como observa o padre jesuíta Theodor Amstad: “No Brasil como em outros países onde se encontram alemães confirma-se sua lendária inclinação ao associativismo. Diante desta constatação, não poucos falam em “mania associativa”

    (AMSTAD, 1924-1999: 301). O Deutscher Sängerbund von

    Rio Grande do Sul (a Liga Alemã de Cantores do Rio Grande do Sul- daqui em diante indicada pela sigla LACRGS) foi precisamente uma destas iniciativas, uma associação de cunho musical organizada por imigrantes de fala germânica em 1896

    Artigo [4-11]

    5

    Figura 1. Inscrição abaixo da foto: “Primeira reunião dos delegados da Liga Alemã de Cantores do RGS em 23 de novembro de 1896 [ano de sua fundação] em Hamburgo Velho”.

  • ano 7, nº 9, 2Ed. 2013

    como uma web por ser uma agremiação a nível estadual, relacionando em teia grupos e indivíduos que viviam a grandes distâncias uns dos outros em vilarejos ou em regiões rurais as mais remotas, consideradas obviamente as precárias e difíceis condições de comunicação e deslocamento no sul do Brasil em fins do século XIX. Encontros musicais locais entre este grupo imigrante eram recorrentes e já vinham sendo realizados muito antes da última década do século XIX. De acordo com um autor anônimo escrevendo sobre os 50 anos de uma sociedade de canto teuto-brasileira, a “Gesangverein Frohsinn” de Hamburgo- Velho –RS-, encontros de grupos de cantores no RGS eram promovidos pelo menos desde os anos de 1860. Ele escreveu o seguinte:

    Certamente o ano de 1863 foi de suma importância para a história da canção alemã no Rio Grande do Sul. Os senhores Karl von Koseritz, Wilhelm Ter Brïcken e Josef Gertum, sugeriram a realização de uma grande festa de corais (cantores) e se esforçaram sobremaneira para que esta festa se tornasse uma grandiosa manifestação popular. A festa realizou-se em São Leopoldo de 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 1863. ((FEST-SCHRIFT:1938, 11).

    O que é inédito na criação da LACRGS então? A novidade em jogo e o diferencial da Liga, está no fato de que pelos anos de 1890 o número de grupos nas comunidades teuto-brasileiras devotados à música na região sul do Brasil aumentou e se fortaleceu o suficiente para forjar uma rede de cantores a nível estadual, a Sängerbund, isto é, uma Liga de Cantores de interconexão e englobamento das diversas iniciativas musicais que surgiam.

    Este é justamente o ponto focal deste trabalho, destacar a terminação Bund, ou seja o termo alemão para a palavra Liga. A

    Liga é precisamente o elemento ideológico que expressa a busca por interatividade, a relação e conexão entre pessoas, o associativismo de um grupo social mediado pela música, mais especificamente pela canção coral, onde precisamente o cantar de forma conjunta e relacional mais o uso da língua memorial (neste caso o alemão) tem função simbólica basilar. Segundo autores que escreveram memoriais de encontros da Liga, entre os principais objetivos da mesma estava promover e divulgar a canção alemã e fomentar intercâmbios musicais e integração social entre os diversos grupos que se dedicavam à música nesta comunidade étnica (SEHR, 1938:18-19). Foi neste espírito, o de promover a congregação da comunidade étnica de fala germânica de forma mais ampla que se desenvolveu esta instituição, lançando mão e fortalecendo ainda mais uma atividade a ela cara e que representava metaforicamente o grupo étnico, o canto em coro.

    Que a música sempre foi uma atividade importante no seio deste grupo é tema corrente entre seus pesquisadores. É comum ouvir que a música é parte valiosa da herança dos imigrantes germânicos, símbolo de representação e identificação destas comunidades. Não vou me alongar no assunto, mas sim perseguir a questão de como e através de que mecanismos e canais a atividade musical encontrou espaço para suas manifestações comunitá