DISCURSIVA CIRURGIA VASCULAR/ANGIOLOGIA CIRURGIA endovaacular...  Aneurismas arteriais...

download DISCURSIVA CIRURGIA VASCULAR/ANGIOLOGIA CIRURGIA endovaacular...  Aneurismas arteriais s£o definidos

of 8

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    217
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of DISCURSIVA CIRURGIA VASCULAR/ANGIOLOGIA CIRURGIA endovaacular...  Aneurismas arteriais...

  • HOSPITAL UNIVERSITRIO PEDRO ERNESTO

    FACULDADE DE CINCIAS MDICAS

    HOSPITAL UNIVERSITRIO PEDRO ERNESTO

    HOSPITAL UNIVERSITRIO PEDRO ERNESTO

    HOSPITAL UNIVERSITRIO PEDRO ERNESTO

    DISCURSIVACIRURGIA VASCULAR/ANGIOLOGIA

    CIRURGIA ENDOVASCULAR

    ATIVIDADE DATA LOCAL

    Divulgao do gabarito - Prova Discursiva

    Interposio de recursos contra o gabarito da PO e PD

    Divulgao do resultado dos recursos e resultado final

    Prova Discursiva

    wwww.cepuerj.uerj.br

    05/11/2011

    07 a 10/11/2011

    21/11/2011

    1

  • 2

  • CIRURGIA ENDOVASCULAR

    Questo 1:

    Aneurismas arteriais so definidos como dilataes localizadas e irreversveis com dimetro da artria maior que 50% de seu dimetro normal presumido, e podem ser classificados de acordo com sua localizao, dimetro, formato e etiologia. Responda s seguintes questes a respeito dos aneurismas arteriais:

    a) Cite a classificao etiolgica mais comum dos aneurismas e diferencie, de forma sucinta, o aneurisma verdadeiro do pseudo aneurisma.

    b) O aneurisma de aorta abdominal representa a maioria dos aneurismas verdadeiros. Cite cinco manifestaes clnicas da doena e trs parmetros aceitos que indicam o tratamento cirrgico eletivo.

    c) Os aneurismas poplteos so os aneurismas perifricos mais frequentes. Cite a principal manifestao clnica da doena e principais parmetros para indicao de tratamento cirrgico.

    Resposta classificao etiolgica: (Rutherford pg. 1405) degenerativos ou inespecficos. Diferena entre aneurisma verdadeiro e falso: (Rutherford pg. 1404 e 1405) Verdadeiro dilatao da artria onde esto presentes todas as camadas da parede arterial; Falsos no contm qualquer camada da parede arterial, representando um hematoma contido por camadas de tecido conjuntivo devido ruptura da artria.

    Respostamanifestaes clnicas: (Rutherford pg. 1413) massa abdominal pulstil, expanso aguda e/ou ruptura, sintomas compressivos urinrios, trombose venosa profunda, dor lombar por eroso de vrtebras, trombose aguda e embolia distal. Tratamento cirrgico: (Rutherford pg. 1415) dimetro > 5,5 cm, crescimento > 1 cm por ano e sintomas atribudos ao aneurisma.

    Respostamanifestao clnica: (Rutherford pg. 1540) isquemia do membro inferior devido doena tromboemblica. Tratamento cirrgico: (Rutherford pg. 1542) aneurismas > 2 cm de dimetro com baixo risco cirrgico; aneurismas > 3 cm de dimetro com risco cirrgico alto; presena de trombos intraluminais; pacientes assintomticos sem pulsos distais.

    Respostafatores etiolgicos: (Rutherford pg. 1566) fibrodisplasia arterial sistmica, hipertenso porta com esplenomegalia e gestaes repetidas. Indicaes cirrgicas: (Rutherford pg. 1568) aneurismas > 2 cm de dimetro, aneurismas sintomticos, gestantes ou mulheres em idade frtil.

    d) Os aneurismas da artria esplnica respondem pela maioria dos aneurismas esplncnicos. Cite os trs fatores etiolgicos mais envolvidos na formao desses aneurismas e principais indicaes cirrgicas.

    ORGANIZADOR

    Concurso Residncia Mdica 2012 CADERNO DE PROVA DISCURSIVA

    3

  • Questo 2:

    Paciente masculino, 65 anos, diabtico, hipertenso, dislipidmico e tabagista. Nega histria prvia de IAM ou AVE. Evoluiu h uma semana com necrose seca de hlux esquerdo associada dor intensa no local. Ao exame vascular dos membros inferiores, apresenta pulsos femorais bilaterais normais e demais pulsos distais ausentes. Membro inferior direito assintomtico. Membro inferior esquerdo (MIE) apresentando palidez e diminuio de temperatura no p, com hiperemia reativa importante. Submetido arteriografia de MIE que evidenciou eixo aortoilaco normal, artria femoral comum e femoral profunda prvias, ocluso de artria femoral superficial na origem com recanalizao completa de artria tibial posterior formando o arco plantar. Baseado no caso clnico acima, responda s seguintes questes:

    a) Cite a classificao de Fontaine e de Rutherford para o caso em questo.

    b) Cite as principais vantagens aceitas da tcnica de revascularizao com veia safena in situ em relao tcnica reversa e trs complicaes e/ou falhas frequentes da tcnica in situ.

    RespostaFontaine Estgio IV (Rutherford pg. 1083) e Rutherford Grau III / Categoria 5 (Rutherford pg. 1154)

    Respostavantagens: (Rutherford pg. 705) Melhor equivalncia de tamanho entre as extremidades da veia e as artrias doadora e receptora, menor manipulao da veia durante o seu preparo, preservao dos vasa vasorum. Falhas: leso endotelial, seco incompleta das vlvulas e fstulas arteriovenosas residuais por no ligadura de tributrias da veia. (Rutherford pg. 708)

    Respostamtodo diagnstico: Ecodoppler (Dplex Scan). Alteraes: leses focais com pico de velocidade sistlica > 300 cm/seg., relao das velocidades (ratio) na estenose e no enxerto > 3,5 4,0 e velocidade sistlica mxima < 45 cm/seg. no enxerto (Rutherford pg. 1168)

    Resposta patncia primria: patncia ininterrupta sem a necessidade de interveno no enxerto, refletindo a durabilidade da reconstruo inicial; patncia primria assistida: patncia aps interveno para tratamento de alguma alterao em um enxerto que ainda est prvio, refletindo o impacto da vigilncia sobre o enxerto e patncia secundria: patncia aps interveno para tratamento de um enxerto aps sua trombose. (Rutherford pg. 1164)

    c) Cite o principal mtodo diagnstico utilizado para vigilncia dos enxertos venosos infrainguinais e seus principais parmetros aceitos que classificam o enxerto venoso como em falncia.

    d) Diferencie patncia primria, primria assistida e secundria.

    ORGANIZADOR

    Concurso Residncia Mdica 2012 CADERNO DE PROVA DISCURSIVA

    5

  • Questo 3:

    A doena carotdea ateroesclertica extracraniana est envolvida em uma parcela significativa de eventos neurolgicos enceflicos (ataque isqumico transitrio AIT e acidente vascular enceflico - AVE), que representam uma das principais causas de morbimortalidade em todo mundo. Com relao a este assunto, responda as questes a seguir:

    a) Cite o principal mecanismo aceito como responsvel pelos episdios de amaurose fugz ou sintomas hemisfricos transitrios.

    b) O ecodoppler de cartidas e vertebrais um exame padronizado e muito utilizado no diagnstico e planejamento cirrgico da doena carotdea ateroesclertica extracraniana. Cite trs parmetros importantes em relao placa de ateroma que podem ser avaliados por este mtodo no mdulo B (escala cinza) e dois parmetros na anlise espectral de fluxo que quantificam o grau de estenose.

    Resposta embolia a partir da superfcie das placas. (Rutherford pg. 1889)

    Respostaimagem em escala cinza: grau de estenose, caractersticas da placa de ateroma (extenso, localizao, ulcerao, dura - calcificao, mole lipdica, placa heterognia); anlise espectral: pico de velocidade sistlica e velocidade diastlica final. (Rutherford pg. 1959

    Respostaeventos clnicos: embolia cerebral com acidente vascular enceflico e bradicardia sinusal. Medidas tomadas: disseco meticulosa e delicada e infiltrao do bulbo com lidocana a 1%. (Rutherford pg. 1979)

    Respostanervo vago: paralisia ipsilaleral das cordas vocais (rouquido, tosse ineficaz e fonao deficiente); nervo hipoglosso: paralisia ipsilateral da lngua (dificuldades na fala e deglutio); nervo marginal da mandbula ramo do nervo facial: queda do ngulo da boca e escorrimento de saliva. (Rutherford pg. 2099)

    c) Que eventos clnicos podem ocorrer durante a disseco do bulbo carotdeo e que medidas devem ser tomadas para evit-los?

    d) Com relao s complicaes da endarterectomia carotdea, as leses de nervos cranianos esto entre as mais frequentes. Cite os trs nervos mais comumente lesados segundo o estudo NASCET e seus respectivos sinais e sintomas.

    ORGANIZADOR

    Concurso Residncia Mdica 2012 CADERNO DE PROVA DISCURSIVA

    7

  • Questo 4:

    Paciente masculino, 50 anos, hipertenso, diabtico, com histria prvia de infarto agudo do miocrdio h seis meses, sem histria de claudicao. Apresentou quadro de dor sbita intensa e progressiva em membro inferior direito (MID) h quatro horas. Ao exame vascular, apresentava pulsos normais e irregulares em membro inferior esquerdo (MIE) e ausncia de pulsos em MID, que se apresentava com palidez intensa, temperatura diminuda, parestesia moderada, dificuldade em mobilizar os pododctilos mantendo, porm, capacidade de dorsiflexo plantar, panturrilha dolorosa palpao, mas sem rigidez muscular, ausncia de fluxo arterial pulstil e presena de fluxo venoso ao Doppler porttil no p. Mantendo bom estado geral e estabilidade hemodinmica. Com relao ao caso clnico acima, responda as seguintes perguntas:

    a) Cite o diagnstico clnico e etiolgico mais provvel.

    b) Qual a classificao de Rutherford para o caso em questo?

    c) Cite trs sinais ou sintomas de isquemia irreversvel (membro invivel).

    Respostaocluso arterial aguda em MID por embolia arterial. (Rutherford pg. 975)

    Respostaclasse 2 B viabilidade ameaada imediata. (Rutherford pg. 961 e 976)

    Respostarigidez muscular, paralisia, anestesia, pele marmrea e ausncia de fluxo arterial e venoso audvel. (Rutherford pg. 976)

    Respostaanticoagulao sistmica seguida de embolectomia cirrgica atravs de acesso femoral e cateter de embolectomia. (Rutherford pg. 978)

    d) Cite as medidas teraputicas iniciais que devem ser tomadas e o tratamento ideal preconizado.

    ORGANIZADOR

    Concurso Residncia Mdica 2012 CADERNO DE PROVA DISCURSIVA

    9

  • Questo 5:

    A trombose venosa profunda (TVP), segundo dados epidemiolgicos, uma doena de alta incidncia e prevalncia, principalmente em pacientes hospitalizados e est relacionada a uma srie de fatores de risco, manifestaes clnicas e complicaes. Com relao a esse assunto, responda s seguintes questes:

    a) Cite seis fatores de risco associados TV