Emergência das mídias digitais bauman

download Emergência das mídias digitais bauman

of 17

  • date post

    08-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    603
  • download

    22

Embed Size (px)

Transcript of Emergência das mídias digitais bauman

  • Tecnologia e Sociedade:A emergncia das mdias digitais.Colgio Dourado

  • O baco:Instrumento criado pelos Chineses a praticamente 5 mil anos para clculos matemticos simples e mais avanados para a poca. Era feito de bambu com bolas ou sementes. Este modelo j feito em mrmore, provavelmente Grego.

  • Numerao decimal:Durante a Idade Mdia, os Europeus tiveram contato com a numerao decimal dos Indianos, o que acabou trazendo novidade diante da numerao utilizada pelos Romanos: IV, III, IX, etc...Foi com o crescimento do comrcio ps Renascimento que foi permitido o barateamento do papel com apoio tambm da inveno da Prensa de Gutenberg.

  • E a Filosofia? E a Matemtica?Os Filsofos Leibniz e Pascal desenvolveram mquinas de calcular que poderiam desenvolver resultados a partir da entrada de dois dados e da escolha de uma operao pretendida. Da a mquina calcularia a resposta de forma imediata. Posteriormente, Leibniz desenvolveu uma mquina de clculo de raiz quadrada. No sculo XIX, mquinas de cartes perfurados foram criadas e deram origem aos primeiros computadores analgicos.

  • Os primeiros computadores...A evoluo das mquinas de calcular para os computadores foi rpida. De respostas e clculos simples, passou-se a clculos usando cdigos binrios ou a ideia de sim ou 1 para ligado e no e zero para desligado. A IBM foi uma das empresas pioneiras a fazer negcios inclusive com o Nazismo durante e antes da II Guerra Mundial.A miniaturizao aumentou, o processamento tambm e os preos despencaram.

  • ENIAC:

  • Univac:

  • O impacto:Cientistas e Historiadores acreditam em impactos na forma de vida dos homens, na emergncia do tempo e na rapidez com que lidamos com as coisas e os outros. Na imediatez dos acontecimentos e na forma como lidamos com o (a) outro (a). No so isoladas tais descobertas do homem. Elas impactaram e continuaro a impactar as atividades de todos (as).

  • Internet e Guerra Fria:A Internet nasce com a MILNET, rede militar de computadores do Governo dos EUA. Se temia naquele auge da guerra fria, durante os anos 60, que um ataque nuclear da URSS fizesse as comunicaes entre as bases militares se acabar. Da nasce a necessidade de implantao de uma rede entre as Universidades e posteriormente aberta a sociedade com a inveno do Hypertexto. Chegvamos aos anos 90 e o comeo da Internet.

  • Consequncias:Existem diversos estudos da Psicologia e da Medicina nos nossos dias que j constatam problemas de sade por dependncia no uso de tantas tecnologias.O uso e prescrio de medicamentos anti-depressivos em todo o mundo nos dias de hoje, aumentou centenas de vezes em relao ao consumo inicial nos anos 70 e 80.Existe uma crise de ansiedade, tristeza ou depresso entre os homens modernos? Se sim, por qu? Se somos to tristes, por que ns, Brasileiros, conhecidos como o pas da felicidade e o povo mais alegre da Terra, somos ao mesmo tempo os campes em consumo de anti-depressivos?

  • Consequncias:Tais consequncias so caractersticas do que a Sociologia chama de o homem da ps-modernidade. Este um momento em que todos os valores aceitos como padres para a vida em sociedade pelas geraes passadas, no so mais aceitos como vlidos. Na Ps-Modernidade no existem mais valores rgidos sobre quaisquer assuntos. o que o Socilogo Zygmunt Bauman descreve como a modernidade lquida.

  • Zygmunt Bauman:

  • Consequncias:Na modernidade lquida, os padres, valores, gostos, modos e jeitos de agir e de ser so transformados e completamente alterados. Eles fluem mais facilmente como a gua entre os dedos da mo: no h como segur-la. O comportamento se torna mais subjetivo, pessoal, individual.Na modernidade slida, o que era considerado certo, correto, padro, no era discutido. Tudo era preto no branco, portanto mais fcil de se entender. Aqui, o comportamento era mais padronizado, menos subjetivo, maior domnio do coletivo sobre o individual.

  • Muito Obrigado.

    Prof. Fernando Monteiro.