História da igreja i

Click here to load reader

download História da igreja i

of 51

  • date post

    13-Nov-2014
  • Category

    Education

  • view

    3.327
  • download

    8

Embed Size (px)

description

 

Transcript of História da igreja i

  • 1. Desde o nascer da Igreja queda do Imprio Romano

2. Imprio Romano Sec. I d.c 3. O fundador da Igreja foi Jesus Cristo. Foi ele tambm quemelegeu os Apstolos , e colocou Pedro como a primeira Pedrada Igreja . Aos 33 anos de Idade Cristo Morre , e os discpulos vivemuma fase de disperso e apreenso. Trs dias depois Cristo ressuscita e aparece aos Apstolos edepois vista deles , eleva-se ao cu. Os discpulos regressam a Jerusalm , e vo se reunindo nocenculo com algumas mulheres incluindo a me de Jesus. No dia de Pentecostes ( festa hebraica das colheitas) a Igrejanascente fortalecida pelo Espirito Santo , conhece umnotvel desenvolvimento . 4. Miguel Agnelo Capela Sistina - VaticanoJesus Perguntou-lhes de novo: E vs, quem dizeis que Eu sou?Tomando a palavra, Simo Pedro respondeu: Tu s o Messias, o Filhode Deus vivo. Jesus disse-lhe em resposta: s feliz, Simo, filho deJonas, porque no foi a carne nem o sangue que to revelou, mas o meuPai que est no Cu. Tambm Eu te digo: Tu s Pedro, e sobre estaPedra edificarei a minha Igreja, e as portas do Abismo nada poderocontra ela. Dar-te-ei as chaves do Reino do Cu; tudo o que ligares naterra ficar ligado no Cu e tudo o que desligares na terra serdesligado no Cu. ( Mt 16,15-20) 5. Jesus Disse-lhes: Ide pelo mundo inteiro, proclamai oEvangelho a toda a criatura. Quem acreditar e forbaptizado ser salvo; mas, quem no acreditar sercondenado. Estes sinais acompanharo aqueles queacreditarem: em meu nome expulsaro demnios,falaro lnguas novas, apanharo serpentes com as mose, se beberem algum veneno mortal, no sofreronenhum mal; ho-de impor as mos aos doentes e elesficaro curados. Ento, o Senhor Jesus, depois de lhester falado, foi arrebatado ao Cu e sentou-se direita deDeus. Eles, partindo, foram pregar por toda a parte; oSenhor cooperava com eles, confirmando a Palavra comos sinais que a acompanhavam.( Mc 16, 15-20) 6. Quando chegou o dia do Pentecostes, encontravam-se todos reunidos nomesmo lugar. De repente, ressoou, vindo do cu, um som comparvel ao deforte rajada de vento, que encheu toda a casa onde eles se encontravam.Viram ento aparecer umas lnguas, maneira de fogo, que se iamdividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios doEsprito Santo e comearam a falar outras lnguas, conforme o Esprito lhesinspirava que se exprimissem. Ora, residiam em Jerusalm judeus piedososprovenientes de todas as naes que h debaixo do cu. Ao ouvir aquelerudo, a multido reuniu-se e ficou estupefacta, pois cada um os ouvia falarna sua prpria lngua. Atnitos e maravilhados, diziam: Mas esses queesto a falar no so todos galileus? Que se passa, ento, para que cada umde ns os oia falar na nossa lngua materna? Partos, medos, elamitas,habitantes da Mesopotmia, da Judeia e da Capadcia, do Ponto e da sia,da Frgia e da Panflia, do Egipto e das regies da Lbia cirenaica, colonos deRoma, judeus e proslitos, cretenses e rabes ouvimo-los anunciar, nasnossas lnguas, as maravilhas de Deus! Estavam todos assombrados e, semsaber o que pensar, diziam uns aos outros: Que significa isto? ( Act 2, 1-12) 7. Pedro digere-lhes a palavra e proclama e proclama como verdadeiroMessias o Jesus de Nazar, morto e ressuscitado. Como fruto do sermode Pedro aderem trs mil Judeus mensagem de cristo e recebem obaptismo. Um novo incremento d-se quando Pedro cura no Templo um coxo denascena . Nessa altura o numero dos crentes eleva-se a cinco mil. ( cf.Act 3, 1-9) 8. Os cristos tm conscincia de formar uma comunidade particular . O Actos indicam-nos j com o nome de ECCLESIA . Esta palavra designou primeiramente a Igreja de Jerusalm , mas usou-se esta palavra para designar tambm as outras Igrejas , sob o modelo de Jerusalm.Os cristos vivem uma vida normal , mas renem-se em casas privadas . A reunies do-se com frequncia .Algumas destas reunies aconteciam durante a Noite , sobretudo na noite de Sbado para Domingo e ao Domingo.Essas reunies so narradas pelo livro dos Actos dos Apstolos.Eram assduos ao ensino dos Apstolos, unio fraterna, fraco do po e soraes. Perante os inumerveis prodgios e milagres realizados pelos Apstolos, otemor dominava todos os espritos. Todos os crentes viviam unidos e possuam tudoem comum. Vendiam terras e outros bens e distribuam o dinheiro por todos, deacordo com as necessidades de cada um. Como se tivessem uma s alma,frequentavam diariamente o templo, partiam o po em suas casas e tomavam oalimento com alegria e simplicidade de corao. Louvavam a Deus e tinham a simpatiade todo o povo. E o Senhor aumentava, todos os dias, o nmero dos que tinhamentrado no caminho da salvao. (Act 2, 41-47) 9. Os mesmos Judeus que levaram Cristo Morte , viram-se agora contra os quedizem que ele tinha ressuscitado. Alm disso a crescente converso de Judeus aoCristianismo e a pregao dos Apstolos levou interveno das autoridadesJudaicas. O livro dos Actos dos Apstolos diz que Pedro e Joo so presos e proibidos defalar e de ensinar em nome de Jesus . ( Act 4, 3 e 18) Segundo o livro dos Actos foi um anjo quem abriu as portas da priso a Pedro ea Joo Voltam depois a ser chamados ao sindrio e intimidados para nofalarem de Jesus. Bernardo Strozzi- A libertao de S. Pedro,1635. 10. Estevo, um dos diconos chamado ao sindrio e acaba por sofrer oMartrio. ( Act 7, 57-60) . O seu discurso perante o sindrio, faz estalar uma perseguio. A primeirasofrida pela Igreja . Esta perseguio obrigou muitos discpulos a abandonarem Jerusalm, estasada origina uma maior difuso do cristianismo. :Antioquia , Chipre ,Damasco e por outras cidades da Samaria e da Judeia 11. Era de Tarso Descendente de helenistas. ( gregos) Recebeu a Educao Judaica. Falava Grego e Aramaico. No contente com o martrio de Estevo quis ir a Damasco perseguir osCristos.Saulo, entretanto, respirando sempre ameaas e mortes contra os discpulosdo Senhor, foi ter com o Sumo Sacerdote e pediu-lhe cartas para as sinagogasde Damasco, a fim de que, se encontrasse homens e mulheres que fossemdesta Via, os trouxesse algemados para Jerusalm. Estava a caminho e jprximo de Damasco, quando se viu subitamente envolvido por uma intensaluz vinda do Cu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo,porque me persegues? Ele perguntou: Quem s Tu, Senhor? Respondeu:Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Ergue-te, entra na cidade e dir-te-o oque tens a fazer. (Act 9 , 1-6)Aps a sua converso Saulo baptizado em Damasco pelo discpulo AnaniasE comea a pregar nas sinagogas que Jesus o Filho de Deus. 12. Converso de S. Paulo - Caravaggio 13. Se seguirmos a descrio das trs viagens de Paulo ecom os seus companheiros, narradas nos Actos dosApstolos, vemos que eles percorreram em torno de16 mil quilmetros. Enfrentaram muitos problemas(2Cor 11,25-26) e tambm dificuldades na misso deanunciar o Evangelho. 14. Realiza-se no ano 40 . O Concilio de Jerusalm foi uma reunio inicial entre as lideranas crists nosmeados do sculo I, para abordar se os gentios (no-judeus) deveriam seguircostumes da religio israelita. O Concilio contribuiu para um maior distanciamento entre o Cristianismo e aSinagoga. Fica definitivamente resolvida as questes entre o cristianismo e a LeiMoisaica.(Act 15- 23,29) 15. Estescristos primitivos eram umapequena minoria, frequentemente situadana periferia da vida pblica, mas eles noconsideravam a sua misso como umassunto privado. Era algo que tinha a vercom a transformao do mundo. - John W.de Gruchy 16. Duas frentes: judasmo e mundo gentio(Romanos e Helenistas). Socialmente: do povo comum para as classesmais altas. Clemente de Alexandria: Que tipo depessoa rica pode ser salva? Geograficamente a expanso ocorre por todo oImprio Romano e para o Oriente. Do mediterrneo oriental para a Glia, Germnia,Espanha e frica do Norte (em 185). Para o Oriente: ndia e Sria. 17. 1. Difuso da lngua e Cultura Helnica A lngua Grega era sabida por Judeus e Romanos , sobretudo os mais cultos.2. A Existncia de um texto bblico como os 70 que ajudou Evangelizao dos no Cristos (Pagos e Judeus).3. Sinagogas Lugares de Culto que poderiam ser utilizados pelos Evangelizadores.4. Grande espectativa messinica por parte do povo Judeu.5. Facilidade de comunicaes quer terrestres quer martimas ( Vias Romanas)6. A Religio Greco Romana estava em Crise7. O Evangelho era mais compreensvel - resolvia os grandes problemas que afligiam o homem : imortalidade da alma, vida eterna , justia retributiva. 18. Estradas Romanas 19. O testemunho dos cristos: Por palavras - um corao cheio de amor incendiando umoutro corao. Por actos Tertuliano: O mundo pago diz: vejam comoeles se amam. Eles amam-se a ponto de um dar a vida pelooutro. Pela morte Tertuliano: O sangue dos mrtires a sementede Novos Cristos. 20. pregar Cristo Crucificado era escndalo para os Judeus eLoucura para os Gentios ( 1cor 1 23) Religio monotesta ao contrrio da Religio Greco -Romana . Aspirava conquistar o mundo inteiro para Cristo e eliminartodas as Religies. Ameaava o estado pelo base . Os Cristos recusavamprestar culto ao Imperador. Era sinal de alta traio. Nos finais do sculo II os Cristos eram vistos como causade calamidades publicas, por no adorarem os deusesRomanos. 21. Perseguio de Nerorelaciona-se com o incndio de Roma que destrui parte da cidade.Nero culpabiliza os Cristos pelo incndio. Bastava algum declarar-se cristo, para ser condenado morte .As execues deram-se nos Jardins de Nero.Foi feita de modo cruel, mas tambm de modo teatral . Trs Gneros de Suplcios :1.Venatio- Os cristos eram revestidos de pele de feras para que os cesos dilacerassem.2.Crusifixio- Pregados ou atados numa cruz.3.Tunica molesta- queimados vivos par iluminarem as trevas nocturnas4. Nesta perseguio so mortos mais de mil cristo , ente eles osApstolos S. Pedo e S. Paulo 22. Caravaggio- Martrio de S. Pedro S. Pedro foi crucificado em Roma onde fica actualmente oVaticano. Foi tambm a Sepultado. 23. Perseguio Judaica. Perseguio Romana. De 60 a 320. 10 perseguies. 1. Perseguio sob Nero (64-68) O Historiado