MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGLOMERANTES - moniz/matconst2/gesso.pdf · PDF...

Click here to load reader

  • date post

    17-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    216
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGLOMERANTES - moniz/matconst2/gesso.pdf · PDF...

  • MATERIAIS DE CONSTRUO II

    AGLOMERANTES - GESSO

    Gesso. Especificaes e propriedades.

    SEO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAO E CONSTRUO

    MAJ MONIZ DE ARAGO

  • GESSO

    Definio:

    Aglomerante inorgnico obtido por calcinao do minrio natural gipso

    Caractersticas:

    Endurecimento rpido

    divisrias de gesso acartonado

    proteo ao fogo de estruturas metlicas

    Plasticidade da pasta fresca e lisura da superfcie endurecida:

    acabamentos decorativos de paredes e tetos

    ornamentos pr-moldados

    Retrao evitada por pequena expanso dimensional

    Aps endurecido, no estvel na gua (aglomerante areo)

    Principais aplicaes nacionais: revestimentos de alvenaria, placas para forros,

    painis acartonados para divisrias e forros;

  • GESSO: produo por calcinao

    calcinado

    at 350C

    GIPSO

    matria prima

    calcinao insuficiente

    moagem grossa

    H2O

    (minrio composto de sulfatos de clcio

    hidratados residuais e gipsita)

    ANIDRITA (CaSO4)

    HEMIDRATO (CaSO4.1/2H2O)

    GIPSITA (CaSO4.2H2O)

    (aglomerante mineral obtido a partir da

    calcinao do gipso e moagem)

  • GESSO: Calcinao

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    Reservas brasileiras do minrio: Par (60%)

    Pernambuco (30%),

    MA, CE, RN, PI e TO

    Composio dos sulfatos encontrados no gesso.

  • GESSO: Hidratao

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    Microcalorimetria de um hemidrato (Magnan, 1973)

    anidritas (solveis)

    hemidrato+ H2O gipsita

    incio

    da

    pega

    molhagem

    induo

    O material anidro em p transformado em dihidrato...

  • GESSO: Hidratao

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    Incio da pega:

    instante em que a agulha

    estaciona a 1mm da base;

    Fim da pega:

    Instante em que a agulha no

    mais penetrar na pasta, deixando

    apenas uma leve impresso.

    Determinao da pega pela NBR 12128: aparelho de Vicat

  • GESSO: Hidratao

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    Determinao da pega pela norma

    alem:

    Incio da pega:

    o corte no mais se fecha

    Fim da pega:

    no aparece mais impresso digital

    Tabela 3 - NBR 13207 : Exigncias fsicas do gesso para construo civil

  • GESSO: expanso dimensional

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    Depois de uma fase inicial de contrao observa-se um incremento de

    volume devido ao arranjo geomtrico dos cristais.

  • GESSO: microestrutura

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    Imagem de pasta de gesso, aglomerados de cristais de dihidrato em

    forma de agulha intertravada, conferindo resistncia mecnica. Entre

    esses cristais existem defeitos, os poros.

  • GESSO: resistncia compresso

    Ma

    teria

    is d

    e C

    on

    str

    u

    o C

    ivil

    , IB

    RA

    CO

    N, 2

    00

    7

    O aumento da relao gua/gesso provoca sensvel incremento da permeabilidade

    do material ao vapor, acelerando o processo de movimentao higroscpica, que

    por sua vez provoca ciclos de expanso e contrao que podem gerar fissuras,

    comprometendo a durabilidade.

    Relao

    gua/gesso usual:

    0,6 a 0,9

  • GESSO: aplicaes

    Revestimento em pastas de gesso

    simplificam o processo de revestimento em paredes;

    oferecem superfcie branca, facilmente coberta por pintura, e

    acabamento liso, dispensando a aplicao da massa corrida;

    hidrata-se rapidamente, encurtando o intervalo entre a

    aplicao e pintura, aumentando a velocidade da obra;

    Problemas:

    elevada sensibilidade exposio da umidade;

    elevada gerao de resduos na aplicao do revestimento;

    tempo mdio de aplicao: 30 minutos.

  • GESSO: revestimento

    Revestimento de gesso desempenado sobre parede

    Re

    f: E

    lian

    e Q

    uin

    alia

    , T

    ch

    ne

    99 -

    jun

    ho

    de

    20

    05

  • GESSO: revestimento

    Como aplicar gesso projetado Ref: PINI

    http://www.youtube.com/watch?v=JIjNOQLMCXE

  • GESSO aplicaes: forro

  • GESSO aplicaes: elementos decorativos

  • GESSO aplicaes - Drywall

    http://www.youtube.com/watch?v=yBTH2fEf-ok

    Como fazer uma parede em Drywall

    (Gesso Acartonado) - Ref: Knauf

  • GESSO: aplicaes

    Forro em gesso acartonado

  • GESSO

    Outras Referncias

    Sindugesso - Revestimento em Gesso

    http://www.youtube.com/watch?v=4YWwP0dG3ik

    Produo de Gesso em Trindade-PE

    http://www.youtube.com/watch?v=TtvNRk1Ofyc

    http://www.youtube.com/watch?v=4YWwP0dG3ikhttp://www.youtube.com/watch?v=TtvNRk1Ofyc