Noticias do Bonfim 2005

of 8 /8
Jornal do BONFIM Curitiba e Região Metropolitana 02 de Novembro de 2005. Ano 02 - Número 01 Bonfim: mais bonito e moderno! Recomendações para o dia de dinados pág. 02 Cruzeiro Novo pág. 02 Floricultura do Bonfim atende todos os dias do ano. pág. 03 Cemitério Parque Senhor do Bonfim se preocupa com o meio ambiente! pág. 04 Manutenção: por que é importante estar em dia? pág. 05 Padronização de Lápides: Qual a importância? pág. 06 Bonfim constrói um relógio solar. pág. 08 Administração do Cemitério participa de encontros nacionais. pág. 07 Como chegar ou voltar do Bonfim? pág. 08 Curiosidades do Bonfim. pág. 08 FOTO: ACERVO PRÓPRIO FOTO: ACERVO PRÓPRIO FOTO: ACERVO PRÓPRIO 05_BI1001-Finados_Pré.indd 1 26/10/2005 17:17:38

Embed Size (px)

description

Jornal distribuido aos visitantes no dia de finados de 2005 no Cemiterio Parque Senhor do Bonfim

Transcript of Noticias do Bonfim 2005

  • Jornal do

    BONFIM

    Curitiba e Regio Metropolitana 02 de Novembro de 2005. Ano 02 - Nmero 01

    Bonfim:mais bonito e moderno!

    Recomendaes para o dia de dinados pg. 02

    Cruzeiro Novo pg. 02

    Floricultura do Bonm atende todos os dias do ano. pg. 03

    Cemitrio Parque Senhor do Bonm se preocupa com o meio ambiente! pg. 04

    Manuteno: por que importante estar em dia? pg. 05

    Padronizao de Lpides: Qual a importncia? pg. 06

    Bonm constri um relgio solar.pg. 08

    Administrao do Cemitrio participa de encontros nacionais. pg. 07

    Como chegar ou voltar do Bonm? pg. 08

    Curiosidades do Bonm. pg. 08

    FOTO

    : ACE

    RVO

    PR

    PRIO

    FOTO

    : ACE

    RVO

    PR

    PRIO

    FOTO

    : ACE

    RVO

    PR

    PRIO

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 1 26/10/2005 17:17:38

  • Pgina 2 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Novembro/2005

    acende-las), que possui mais espao para a queima das velas e tambm oferea um visual harmonioso e rela-xante para o visitante.

    com muita satisfao que a segunda edio do Jornal do Bonm chega a suas mos.

    Este veculo de comunicao de suma importncia para ns da administrao do cemitrio. Por meio dele podemos contar as nossas realizaes, fatos importantes que esto ocorrendo e conseguir um contato com vocs.

    Nesta edio muitas novidades sero apresentadas, informaes sobre a importncia da manuteno, melhorias realizadas neste ano de 2005, os nossos servios de lpides, oricultura, curiosidades sobre cemitrios e a nossa preocupao com o meio ambiente e bem estar do visitante.

    Alm das melhorias fsicas (como reforma do cruzeiro), o Bonm oferece um sistema integrado por computador de mapeamento dos jazigos, facilitando a localizao das sepulturas por parte dos visitantes, numa iniciativa pioneira no dia de nados e que coloca a disposio do usurio um prossional capacitado a operar um moderno sistema, inovador nos cemitrios da regio.

    Falando em novidades, neste ano de 2005, novos investimentos foram realizados, ressaltando ainda mais a preocupao com o meio ambiente e bem estar da famlia Joseense. Tambm vamos falar um pouquinho da modicao do cruzeiro, do relgio solar e manuteno do nosso site que pode ser acessado pelo seguinte endereo eletrnico: www.cemiteriobonm.com.br

    Boa leitura!

    Robson PosnikAdministrador do Bonm

    EDITORIAL

    Finados a data escolhida para relembrar e homenagear aqueles que j nos deixaram. A data foi escolhida porque dia 1 de novembro o dia do pentecosto e no sculo I os cristos j realizavam tais homenagens.Nesta data muitas famlias comparecem aos cemitrios para rezar e depositar velas e ores em forma de homenagem, para diminuir a saudade e relembrar momentos felizes. No dia de nados os cemitrios esto cheios. No Bonm, um dos mais visitados da regio, o nmero de pessoas ultrapassa os 60 mil. Por isso, alguns cuidados devem ser tomados, principalmente quando relacionado as velas. Quando a vela acesa no gramado, local imprprio para tal prtica, o gramado

    Recomendae s pa ra F i nado s

    queimado e muitas vezes a lpide tambm, da famlia e do vizinho. O resultado so danos na regio que abriga a lpide, especialmente na grama em torno, o que prejudica a esttica do ambiente, principalmente para o tmulo queimado. Por isso quando for acender velas coloque-as no cruzeiro que foi totalmente reformado para o conforte de todos ou no porta-vela encontrado nas lpides padronizadas. Se por acaso, devido a quantidade de pessoas, no encontrar o terreno da famlia procure a equipe do Bonm. Ela ca em um local estratgico, em frente a administrao do cemitrio, com equipamentos de ltima gerao que o ajudam a encontrar a lpide o mais rpido possvel. Um conforto que no existe na maioria dos cemitrios da regio.

    Rua Isabel a Redentora, 1651 - 1 Andar - Centro 83.005-010 - So Jos dos Pinhais - Paran - Brasil

    41 3282-4147www.bureaucomunicacao.com.br

    [email protected]

    Criao e Diagramao

    Josiany Fiedler Vieira DRT: 5511 PR

    Jornalista Responsvel

    Gazeta do Povo

    Fotolito e Impresso

    10.000 exemplares

    Tiragem

    Escritrio Centro - 41 3232-4521Rua Saldanha Marinho, 452

    83.410-150 - Curitiba - ParanDe Segunda Sextadas 08:30 s 17:30

    (no fecha para almoo)

    Escritrio Cemitrio - 41 3382-3135Rua Valdomiro Valaski, s/n - Guatup

    83.065-400 - So Jos dos Pinhais - ParanDiriamente das 08:00 s 17:30(no realizamos sepultamento

    entre 12:00 e 13:30)

    http://www.cemiteriobonfim.com.br

    Expediente

    ILU

    STRA

    O

    : ACE

    RVO

    PR

    PRIO

    Mais conforto: Cruzeiro reformado

    Quando uma famlia vai visitar um ente querido j sepultado, ela utiliza muito da infra-estrutura do cemitrio sem perceber: das vias de acesso at o terreno, gramado, atendimento de funcionrios e outros.O nico local fora o terreno que ela percebe o cruzeiro, pois ali so re-alizadas as oraes.O cruzeiro do cemitrio Bonm, por ser local de destaque, j mudou de lugar trs vezes em 30 anos. A lti-ma modicao apresentava uma m distribuio do local principalmente para acender velas, alm de ser visu-almente deprimente e sem conforto. Preocupados com isso a administra-o resolveu criar um cruzeiro novo que oferece conforto, local apropria-do para acender velas (onde o usurio no precisa se ajoelhar no cho para

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 2 26/10/2005 17:17:39

  • Novembro/2005 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Pgina 3

    No dia dois de novembro dia de nados - as lembranas de amigos e familiares que no se encontram mais em nosso con-vvio aumentam.

    Muitas pessoas freqentam, nes-ta data, os cemitrios como for-ma de homenagear essas pesso-as. Por isso, os cemitrios cam lotados.

    Quem os freqenta no so so-mente familiares e amigos mas tambm comerciantes informais que vendem de tudo (ores,

    velas, gua, comida e demais itens) neste dia como forma de conseguir uma renda extra.

    Eles cam em barracas ofere-cendo os mais variados produ-tos. A maior concentrao de barraquinhas de venda de o-res.

    No entanto, o Cemitrio Parque Senhor do Bonm possui uma oricultura interna onde, em qualquer dia do ano, as pesso-as podem encontrar ores da melhor qualidade, durabilida-

    de, com preos acessveis e das mais diversas espcies e mode-los (avulsas at vasos).

    O atendimento personaliza-do e os prossionais indicam as ores com maior durabilidade e beleza de acordo com o que voc quer e pode gastar.

    Tudo isso para trazer ainda mais comodidade aos visitantes do cemitrio Bonm, no importa o dia e nem a data do ano. A o-ricultura estar aberta para os atender.

    Bom a tend imen to t odo s o s d i a s do ano

    Espao para Anncio(1/2 Pgina)

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 3 26/10/2005 17:17:39

  • Pgina 4 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Novembro/2005

    SADE NO BONFIMmoram perto do Cemitrio estariam comprometidas, diz o administrador, Robson Posnik.

    A preservao e tratamento da gua nas localidades do Bonm muito im-portante para toda a populao da re-gio pois se ela no seguir as normas de qualidade as pessoas podem ser conta-minadas pelo lquido que sai dos corpos em decomposio. Um corpo leva dois anos e meio para se decompor e nes-se perodo origina um lquido chamado

    necrochorume. Esse lquido viscoso, com uma colorao acin-zentada e forma-do por 60% de gua, 30% de sais minerais e 10% de substncias orgnicas, duas delas altamente txicas: a putresina e a cadave-rina.

    Com a chuva ele pode atingir o aqfero fre-tico e contribuir para a proliferao de do-enas como poliomie-lite e hepatite. Para se ter um exemplo de

    como importante um tratamento ade-quado, um cadver de 70 quilos produz cerca de 30 quilos de necrochorume.

    Por isso a preocupao com o meio am-biente uma das tnicas da administra-o do Bonm. Cada jazigo conta com um sistema de drenagem e tratamento da gua, que impedem a contaminao do lenol fretico da regio, preservan-do assim a vida dos Joseenses, a ora e a mata nativa, que a nica da regio intacta pelo homem.

    O surgimento dos cemitrios acon-teceu por questes sanitrias. Na idade mdia os corpos era sepultados em igrejas e o costume era de que os sepultamentos fossem realizados noite para ostentar a riqueza do mor-to e tornar a cena mais dramtica do que seria a luz do dia. O enterro era em procisso com tochas e archotes.

    Apesar da ostentao as condies sanitrias eram baixssimas pois o fa-lecido era colocado em catacumbas dentro da igreja e elas s eram fechadas de-pois de dias. A putrifica-o do corpo ao ar livre resultava em um odor forte que impedia mui-tas famlias de entrar nas igrejas. Os caixes que eram alugados pela igreja para utilizao comunitria transmitia doenas para os fami-liares que entravam em contato com o caixo ou at mesmo com o fale-cido. Outro problema resultante desta situ-ao foi falta de es-paos nas igrejas para novos sepultamentos, resultando no sepultamento dos nobres no interior das igrejas e dos mais humildes no terreno em volta a ela.

    A construo de cemitrios pblicos no sculo XIX foi soluo para os ma-les sanitrios e o problema da lotao da igreja. Apesar disso, muitas pesso-as tinham preconceito em enterrar os entes queridos em um local criado so-mente para isso, acreditavam que no era religioso e indicado para o descan-

    so eterno como eram as igrejas. Muito tempo se passou para que as pessoas se conscientizassem de que os cemi-trios so os locais mais adequados para o sepultamento de corpos e que o espao com melhores condies sanitrias para o mesmo. No entanto, muito tem que ser feito, pois a ma-nuteno destes cemitrios deve ser constante para mant-los adequados e impedir que prejudiquem a vida de quem mora aos arredores e que ele contamine o meio ambiente.

    O Cemitrio Parque Senhor do Bonm investe, todos os anos, em infra-es-trutura para seus visitantes, em obras de construes sanitrias para evitar a contaminao do lenol fretico e o re-orestamento, possuindo reas de pre-servao composta por matas ciliares e de oresta em avanado estgio de desenvolvimento.

    Os cuidados com a gua so muito im-portantes pois se no nos preocupar-mos com isso a sade das pessoas que

    FOTO

    : ACE

    RVO

    PR

    PRIO

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 4 26/10/2005 17:17:40

  • Novembro/2005 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Pgina 5

    Manuteno constante traz melhorias populao de So Jos

    Manuteno de Cemitrio ajuda a prevenir a sadeO Bonm foi um dos primeiros cemitrios parques do Brasil. Fundado em 1974 por Nelson Wellner e Silvio Sebastio dos San-tos no dia sete de fevereiro daquele ano, no bairro Guatup. Atualmente os mante-nedores do Cemitrio se preocupam com o bem estar das famlias visitantes e em proporcionar um local de descanso para os que j se foram.

    Essa losoa com a constante preocu-pao em manter o local agradvel e tranqilo gera custos e a adequao do cemitrio as normas das legislaes am-bientais demandam por investimentos e geram altos custos para o Bonm.

    A cada ano, as famlias e os visitantes per-cebem as melhorias implantadas no Ce-mitrio Parque Senhor do Bonm.De um campo verde com estacas no cho surgi-ram lpides padronizadas, um cruzeiro, reorestamento com mais de 1500 mudas de rvores plantadas, algumas exticas, sinalizao adequada, vias de acesso, sala de repouso, banheiros, segurana, estacionamento, informatizao, funcio-nrios uniformizados e treinados, manu-teno dos gramados e da infra-estrutura e muito mais que tem por vir.

    A adequao as normas ambientais exten-sas e rgidas demandam altos investimen-tos em reorestamento, monitoramento e anlise do lenol fretico, correndo soluo para os lquidos resultantes da decomposio dos corpos sepultados e a canalizao e drenagem das guas da chuva, entre outros.Esse bem estar para os visitantes contri-bui para diminuir o sofrimento da perda e deixar a casa do familiar que j sei mais bonita e em condies sanitrias adequadas para visitao.

    Falta de estrutura em Cemitrios

    Nas semanas que antecedem o dia 02 de novembro, dia de nados, comum encontrar muitas pessoas limpando e reformando seus ter-renos nos cemitrios que esto em pssimo estado de conservao.

    Esse somente um entre tantos ou-tros transtornos de quem possui fa-miliares enterrados em cemitrios mal administrados, o furto a tmu-los, o vandalismo, a falta de segu-rana e de banheiros tambm so caractersticas destes cemitrios.

    A novidade agora a falta de va-gas. Os cemitrios pblicos esto lotados e no h mais espao para novos terrenos. Este fenmeno est acontecendo em todo o pas e por isso que voc deve garantir seu es-pao no Bonm.

    Por ser cemitrio privado e bem ad-ministrado, a famlia que possui um terreno no Cemitrio Bonm no se preocupa com a limpeza do terreno e do cemitrio e nem com o van-dalismo que aqui inexistente. O cemitrio Bonm possui grande in-fra-estrutura como banheiros, sala de espera e cruzeiro. Possui segu-rana e uma equipe de funcionrio treinada para disponibilizar paz e tranqilidade a voc com um preo baixo. Consulte nossos preos.

    No entanto, para que tudo isso possa acontecer necessrio o pagamento em dia da taxa de manuteno por parte do concessionrio. Esta taxa a nica fonte de receita do Cemitrio para o pagamen-to de suas despesas, manuteno e inves-timentos. Sem esse dinheiro a estrutura pode car comprometida, a manuteno precria e os investimentos podem pa-rar.

    Todos os concessionrios de um terreno no Cemitrio Parque Senhor do Bonm tem que pagar a taxa de manuteno. Quando esta taxa de manuteno no paga a pessoa perde o direito de utili-zao de qualquer servio do cemitrio. Aps o perodo de um ano pode ter o con-trato cancelado.

    de grande costume muitos clientes pen-sarem erroneamente em pagar sua taxa de manuteno apenas no dia do sepul-tamento, pois ele vai ter que quitar a dvida na hora e sem parcelamento ou vai descobrir, s eno quitar, que perdeu o terreno por inadimplncia e no pode enterrar ningum al.

    Para evitar esses transtornos e deixar o espao adequado para o repouso de seus familiares pague a manuteno em dia ou regularize duas pendncias o quanto antes. Para regularizar basta entrar em contato com a administrao do Bonm pelo telefone 3232-4521 / 3382-3135 ou se dirija ao nosso escritrio dentro do ce-mitrio ou na Rua Saldanha Marinho, 452 no centro de Curitiba.

    No paguei a manuteno:o que acontece?

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 5 26/10/2005 17:17:40

  • Pgina 6 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Novembro/2005

    Padronizao das lpidesA padronizao das lpides do ce-mitrio foi um projeto iniciado em 2004 que est quase concludo. Ain-da faltam algumas lpides irregula-res para serem trocadas, mas 90% delas j esto nos padres exigidos.

    Com essa padronizao muitos pro-blemas foram solucionados. A m qualidade das lpides que esta-vam sendo utilizadas era um gran-de transtorno para os funcionrios do Bonm. Eles tinham que limpar constantemente a sujeira que o ma-terial causava devido a qualidade inferior.

    Com a mudana climtica que constante em nosso Estado as lpi-des rachavam ou quebravam com

    facilidade o que gerava um custo grande para os donos do terreno que tinham que substituir o material de-feituoso por outro.

    Alm de ajudar no bolso dos proprie-trios as novas lpides, que so mais resistentes, tambm embelezam o parque do Bonm. Para o Adminis-trador do Cemitrio, Robson Posnik, a padronizao est beneciando a todos. O cemitrio est mais bo-nito com as lpides padronizadas e nenhuma se destaca mais que as outras e sim o conjunto, ou seja, o parque todo, diz.

    O proprietrio tambm sai ganhando pois tem um material de boa quali-dade e resistente, diz.

    Quem ainda no a substituiu as lpi-des antigas pode entrar em contato com a administrao do Bonm.

    Os preos variam, a mais barata com uma foto preto e branca pode ser encontrada por R$ 205, a colorida com quatro fotos R$ 410, tambm pode ser adquirido os kits (com lo-cal para vela e ores), que so mais completos.

    O Cemitrio est mais bonito com as lpides

    padronizadas Robson Posnik

    Espao para Anncio(1/2 Pgina)

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 6 26/10/2005 17:17:40

  • Novembro/2005 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Pgina 7

    ILU

    STRA

    O

    : ACE

    RVO

    PR

    PRIO

    Foram quatro

    semanas de trabalho interrupto

    Robson Posnikadministrador

    Bon f im i naugu ra p r ime i ro r e l g i o s o l a r em cem i t r i o pa rque

    Quatro semanas de tra-balho. Foi esse o tempo de estudo e de constru-o do relgio solar do Cemitrio Parque Senhor do Bonfim. O Cemitrio

    So realizados, anualmente, vrios encontros de Cemitrios particulares no Brasil. Nestes encontros so abordados te-mas como melhoria dos servi-os oferecidos pelos cemitrios aos seus clientes e visitantes, so debatidos questes rela-cionadas ao meio ambiente e outros assuntos da categoria.

    Neste ano de 2005 o Instituto

    de Engenharia do Paran rea-lizou na Universidade Federal do Paran, o 1 Encontro Na-cional de Engenharia para Ce-mitrios, onde foram proferi-das palestras sobre cemitrios e a contaminao do meio-am-biente.

    Tambm houve o 6 Encontro Nacional dos Cemitrios Par-ticulares do Brasil, realizado

    Administrao do Bonm participa de encontro de Cemitrios

    Bonfim o primeiro do Estado a ter um relgio solar para decorao. Por respeitar todas as religi-es e no adota nenhuma como oficial o relgio foi

    criado. Foi adotado como quesito esttico no lu-gar de esttuas de anjos e adornos religiosos que existem nos outros cemi-trios.

    em outubro no Rio de Janeiro. Nele os temas discutidos foram a criao do cdigo de tica dos cemitrios e o selo de qua-lidade, como tambm questes sobre contaminao do meio ambiente pelos cemitrios. A administrao do Bonm este-ve presente em todos os even-tos e aplicando as politicas administrativas discutidas por cemitrios do pas todo.

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 7 26/10/2005 17:17:40

  • Pgina 8 Cemitrio Parque Senhor do Bonm Novembro/2005

    Confira as vias de acesso. No dia de Finados, estar disponvel uma linha especial de nibus, a linha Cemitrio Bonfim, de 15 em 15 minutos, com pontos de partida do terminal Guadalupe, em Curitiba, e no Terminal Afonso Pena, em So Jos dos Pinhais.

    MAPAS:localize-se!

    * Alguns cemitrios do pas j esto disponibilizando para amigos e parentes que assistam o velrio pela Internet. O principal motivo para a criao dos velrios online foi a questo da distncia, pois muitos parentes moram em cidades ou pases diferentes.Sem custo adicional cmeras de vdeo so posicionadas nas capelas e quem est distante pode acompanhar a cerimnia de qualquer lugar do mundo e tambm enviar mensagens de condolncias pela rede.As imagens so disponibilizadas somente com autorizao das famlias sem custo adicional.

    CURIOSIDADES DO BONFIM* Uma outra ferramenta tecnolgica que est servindo como local de lembranas so os blogs dirios eletrnicos em que os familiares do continuidade a memria do ente que se foi atualizando a pgina deles sempre que possvel.

    * Um radialista resolveu inovar. No querendo em seu velrio pessoas indesejveis, ele resolveu, h trs meses, organizar a festa e escolher os convidados. O evento j tem hora marcada e s poder entrar quem tiver convite. No nal dele, a seguinte frase destacada: se voc no comparecer, vou morrer de raiva.

    * O site do Cemitrio Parque Senhor do Bonm (www.cemiteriobonm.com.br) em breve passar por algumas reformulaes. A idia deixar o site mais informativo e interativo o que vai possibilitar uma compreenso mais fcil dos procedimentos para enterrar um ente querido, como utilizar o translado e outros servios oferecidos pelo Bonm. Segundo o responsvel pelo projeto de reformulao do site, Fabio Luiz Crema, a mudana do site est em faze de anlise. Estamos analisando formas de deixarmos o site mais fcil e informativo. O mais rpido possvel o novo site j est no ar.

    05_BI1001-Finados_Pr.indd 8 26/10/2005 17:17:43