Oficina de Pôster

download Oficina de Pôster

of 25

  • date post

    23-Jan-2016
  • Category

    Documents

  • view

    21
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Oficina de Pôster. PET-Psicologia PUC/SP. A Função do Pôster:. Fornecer as informações BÁSICAS e RELEVANTES sobre o trabalho, portanto, seja OBJETIVO. ESTRUTURA DO PÔSTER TÍTULO E FILIAÇÃO: Brasão da Instituição - lado esquerdo superior da folha Nome da Instituição - PowerPoint PPT Presentation

Transcript of Oficina de Pôster

  • Oficina de PsterPET-Psicologia PUC/SP

  • A Funo do Pster:

  • ESTRUTURA DO PSTER

    TTULO E FILIAO:

    Braso da Instituio -lado esquerdo superior da folha

    Nome da InstituioGrande rea em que a pesquisa foi realizada

    Ttulo do Trabalho

    Nome do Pesquisador *Caso seja Bolsista de Iniciao cientfica, colocar a sigla IC e o nome do curso

    Nome do Orientador

    Nome e Departamento do Orientador - Se tiver

    Agncia Financiadora- Se tiver

  • Pontifcia Universidade Catlica de So PauloFaculdade de PsicologiaA ATUAO DO PET-PSICOLOGIA DA PUC-SP rgo Financiador: MEC / SESu / DEPEMPROGRAMA DE EDUCAO TUTORIALTutora: Profa. Dra. Regina A. F. Kato Alunos: Camila A. Bianco, Carolina k. Kracker, Carolina L. Simo, Isabella H. Kolesnikovas, Layla L. de Carvalho, Marina de M. e Souza, Mariana Couri, Rafael M. RaicherExemplo:

  • 2 . INTRODUO

    Procurar manter objetividade Deixar claro:-o problema de pesquisa -os objetivos-relevncia do tema de trabalho

    3 . METODOLOGIA

    Apresentar:- sujeitos - procedimento - instrumentos - critrio de anlise utilizado.

  • 5 . CONSIDERAES FINAIS E CONCLUSODeve ser apresentada de maneira Breve* Pode ser exposta em forma de itens

    4 . RESULTADOS E DISCUSSO Apresentar os principais resultados.* Podem ser utilizados grficos e tabelas como recursos visuais.A discusso deve ser sucinta * Recomenda-se a disposio do contedo da discusso na forma de itens6 . REFERNCIASInserir somente as referncias utilizadas no Pster seja na introduo, Mtodo, Resultados e discusso e Concluso

  • Cuidado com recursos visuais e com a quantidade de informao:Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo Pesquisadores: xxxxxxxx Introduo(A.F. Barros da Silva Lima1, M. Fleck1, F. Pechansky1, R. de Boni1 & P. SukopEstudos,2004) o alcoolismo esta presente entre 3 a 12% da populao sendo mais comum em pessoas de 30 a 49 anos. (1 -8). Alm disso, sabe-se que este problema apresenta diversas implicaes sociais, culturais, polticas e econmicas. O difcil manejo dessa temtica diz respeito ao seu carter multifatorial, no havendo uma causa nica vinculada ao incio do uso nocivo ou mesmo sua manuteno. Sendo assim, observam-se a necessidade de haver locais que ofeream o suporte necessrio a pessoas que tenham este tipo de problema, no caso, os CAPS. Os Centros de ateno psicossocial a usurios de substncias psicoativas oferecem atendimento especializado para usurios de lcool e demais substncias, respeitando suas caractersticas individuais e Visa com este procedimento promover a capacidade dos usurios no auto-cuidado, o que pode melhorar sua qualidade de vida. Sendo este o foco desta pesquisa. A OMS (Organizao mundial de Sade) define qualidade de vida como: "a percepo do indivduo de sua posio na vida, no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relao aos seus objetivos, expectativas, padres e preocupaes". Para identificar tal percepo O Grupo Qualidade de Vida da OMS criou o instrumento WHOQOL-bref. A OMS (Organizao mundial de Sade) define qualidade de

    Resultado e discusso(A.F. Barros da Silva Lima1, M. Fleck1, F. Pechansky1, R. de Boni1 & P. SukopEstudos,2004) o alcoolismo esta presente entre 3 a 12% da populao sendo mais comum em pessoas de 30 a 49 anos. (1 -8). Alm disso, sabe-se que este problema apresenta diversas implicaes sociais, culturais, polticas e econmicas. O difcil manejo dessa temtica diz respeito ao seu carter multifatorial, no havendo uma causa nica vinculada ao incio do uso nocivo ou mesmo sua manuteno.

    Pechansky1, R. de Boni1 & P. SukopEstudos,2004) o alcoolismo esta presente entre 3 a 12% da populao sendo mais comum em pessoas de 30 a 49 anos. (1 -8). Alm disso, sabe-se que este problema apresenta diversas implicaes sociais, culturais, polticas e econmicas. O difcil manejo dessa temtica diz respeito ao seu carter multifatorial, no havendo uma causa nica vinculada ao incio do uso nocivo ou mesmo sua manuteno. Sendo assim, observam-se a necessidade de haver locais que ofeream o suporte necessrio a pessoas que tenham este tipo de problema, no caso, os CAPS. Os Faculdade de PsicologiaApresentao posterApresentao posterApresentao posterpesquisa. A OMS (Organizao mundialpesquisa. A OMS (Organizao mundialApresentaoMuitos textos e imagens poluem o pster e dificultam sua leitura e entendimento

    Grf1

    8.2

    3.2

    1.4

    1.2

    Vendas

    Plan1

    Vendas

    1 Tri8.2

    2 Tri3.2

    3 Tri1.4

    4 Tri1.2

    Para redimensionar o intervalo de dados do grfico, arraste o canto inferior direito do intervalo.

  • Portanto...Seja objetivo nos textos

    Divida o texto em colunas para facilitar a visualizao

    Textos em caixas podem melhorar a organizao visual

    No escreva em todo o espao do pster

    Portanto, para fazer um bom pster, importante seguir algumas dicas...

  • No esquea de informar o endereo de contatoIMPORTANTE

  • PONTIFCIA UNIVERSIDADE CATLICA DE SO PAULOFACULDADE DE PSICOLOGIAA ATUAO DO PET-PSICOLOGIA DA PUC-SP Alunos: Bruno de Paula - Carolina Kracker Filipe Yamaki Flvia Strumpf - Isabella Kolesnikovas -Lvia Faggian - Marina de Marco - Olvia Franoso - Paula Schmitt - Rafael Raicher - Renata Ishida - Renato Fonseca - Taiz Paiva

    Tutora: Profa. Dra. Regina A. F. Katorgo Financiador: MEC / SESu / DEPEM

    PROGRAMA DE EDUCAO TUTORIALIntroduo

    A Psicologia da sade tem se estruturado como um novo campo de saber. Sua insero e sua construo necessria, tendo em vista a necessidade de ressignificao da prtica, da identidade do profissional antes voltado para o trabalho quase exclusivo de consultrio e da ampliao de sua participao em equipes numa perspectiva transdisciplinar. A melhoria da formao de profissionais necessita de ferramentas e oportunidades, de modo que seja propiciado ao aluno de graduao no s uma maior viso de mercado, das relaes de trabalho e das polticas pblicas, mas que incorpore em sua identidade profissional a reflexo contnua e busca de solues inovadoras para problemas complexosadvindos da prtica. O PET, como um programa voltado para a melhoria do ensino superior, possibilita a criao de diversas relaes e parcerias que aproximam a produo acadmica e o exerccio profissional. Apoiados na indissociabilidade da trade ensino, pesquisa e extenso, o grupo PET Psicologia PUC-SP realiza suas atividades voltadas para o estudo da implementao da Humanizao das Polticas Publicas em diversas frentes, com especial foco nos equipamentos de sade que desenvolvam algum tipo de trabalho nascido de proposta inovadora no mbito da sade materno-infantil e de rede alternativaAtividades de Pesquisa/Ensino/Extenso promovidas pelo PET- PsicologiaHUMANIZAO DA SADElcool e Outras Drogas (AD)-Estudo exploratrio de Aspectos Inter-geracionais de Usurios com Uso Indevido de lcool e Outras Drogas (pesquisa realizada no CRAD e CRATOD).O estudo tem por objetivos discutir a transmisso inter-geracional da drogadico e compreender quais os subsdios necessrios para polticas pblicas preventivas e programas com vistas melhoria da qualidade do atendimento populao. Tradicionalmente, o enfoque do tratamento mantido sobre o indivduo, estigmatizando-o. Ao se focar a famlia e os aspectos inter-geracionais como centrais ao considerar-se fatores de risco e de proteo, verificou-se a necessidade no trato com asCentro de Convivncia e CooperativaAtravs das temticas especficas deste equipamento, tais como a incluso social, vulnerabilidade, heterogeneidade, qualidade de vida, o PET desenvolve as suas atividades - Estudo sobre Vulnerabilidade e grupos heterogneos no CECCO Ibirapuera Visa saber se, e como, o CECCO e seus grupos heterogneos contribuem para o papel das vulnerabilidades em uma incluso social e no resgate da cidadania.- Qualidade de Vida : uma questo dehumanizao do atendimento sade Me - Canguru- Estudo exploratrio das condies de acesso e manuteno em Me Canguru para usurios e profissionais - (pesquisa realizada no HGIS Hospital Geral de Itapecerica da Serra).Estudo exploratrio do Programa Canguru implantado em UTIs de alta complexidade para prematuros, visa trabalhar com o corpo clnico especializado por meio de entrevistas semi-estruturadas e devolutiva posterior. Pretende subsidiar maior aderncia e humanizao na Sade Pblica para efetivao do Programa de forma maisConclusoSemana de Integrao e AcadmicaOrganizao de palestras e apresentaes culturais; Apresentao do grupo; Mesas Redondas;Oficinas;Discusses sobre Polticas Pblicas;Apresentaes sobre as pesquisasRodada de PalestrasO grupo organiza um ciclo de palestras com temticas variadas, pertinentes aos projetos desenvolvidos, contando com a participao de profissionais de diferentes reas.Semana dos BixosRecepcionar e integrar os novos alunos Universidade, apresentando a proposta do grupo PET atravs de dinmicas de grupoContato:petpsicopucsp@yahoo.com.brEXEMPLO

  • Cuidado com o TIPO e com o TAMANHO das letras, pois isso pode tanto ...Facilitara leitura, quantoPrejudic-la

  • Por isso:

    Prefira letras comuns como Arial ou Tahoma

    Evite o uso de letras artsticas

    Use fonte de tamanho mnimo 34, lembrando que se o texto ultrapassar o espao a soluo NO deixar a letra muito pequena, mas sim enxugar o texto

    Lembre-se que deve ser possvel ler o pster um ou dois metros de distncia

    Os textos no devem ser escritos em letra maiscula (isso s pode ser feito nos ttulos)

  • Tomar o devido cuidado para que o texto no se perca no meio da imagem e para que a leitura no se torne mais difcilA utilizao de imagens em marca d`agua so uma boa opo Recolorir a imagem, ou alterar seu brilho e contraste deixando-a mais clara, pode facilitar a leitura do textoCaixas para o texto facilitam seu entendimento Cuidados e opes quanto ao uso de IMAGENS:O PET