PIM - PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MATERIAL · pim - procedimento de inspeÇÃo de material ......

Click here to load reader

  • date post

    09-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    218
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of PIM - PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MATERIAL · pim - procedimento de inspeÇÃo de material ......

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 1

PIM - PROCEDIMENTO DE INSPEO DE MATERIAL

PLACA AMORTECEDORA DE BORRACHA PARA FIXAO FERROVIRIA

(PALMILHA)

SUMRIO

1. OBJETIVO

2. DEFINIO - CARACTERSTICAS - FABRICAO

3. FORMA DIMENSO

4. CALIBRES PARA INSPEO

5. TOLERNCIAS

6. INSPEO E RECEBIMENTO

6.1. INSPEO

6.2. PLANO DE AMOSTRAGEM

6.3. VERIFICAES

6.4. MARCAO

6.5. VERIFICAO DIMENSIONAL E VISUAL

6.6. ENSAIO DE DUREZA

6.7. ENSAIO DE ESMAGAMENTO

6.8. ENSAIO DE RESISTNCIA RUPTURA E AO ALONGAMENTO

6.9. ENSAIO DE ELASTICIDADE

6.10. ENSAIO DE TERMOPLASTICIDADE

6.11. ENSAIO DE RESISTNCIA ELTRICA

7. LIBERAO PARA EMBARQUE

8. CARREGAMENTO E TRANSPORTE

9. LOCAL DE ENTREGA

10. TERMO DE ACEITAO PROVISRIA

11. GARANTIA

12. ACEITAO

13. TRANSPORTE E ESTOCAGEM

13.1. CARGA E DESCARGA

13.2. ESTOCAGEM

14. NORMAS TCNICAS

ANEXO: MODELO DE FICHA PARA INSPEO DE PLACA AMORTECEDORA DE BORRACHA PARA FIXAO FERROVIRIA (PALMILHA)

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 2

1. OBJETIVO.

Este Procedimento tem por objetivo definir as principais caractersticas do material

fabricado, bem como as condies exigveis para a inspeo e recebimento de PLACA

AMORTECEDORA DE BORRACHA, para fixao duplamente elstica, com ou sem

placa de apoio, doravante denominada PALMILHA.

2. DEFINIO - CARACTERSTICAS FABRICAO.

Palmilha: Placa interposta entre o patim do trilho e a placa de apoio ou entre o patim do

trilho e o dormente, para absoro das vibraes decorrentes dos esforos dinmicos.

Demais requisitos encontram-se especificados na Norma ABNT-NBR-11448/1988 (EB-

1920).

A palmilha deve ser fabricada em borracha, natural ou sinttica, ou uma mistura de

ambas, ou, ainda, conforme acordo entre o DNIT e o fornecedor, observadas as normas

tcnicas brasileiras e obedecidas as caractersticas e condies definidas neste

Procedimento.

O processo de fabricao de livre escolha do fabricante, que dever informar ao DNIT

sobre o processo adotado e as caractersticas do material, que no podem ser alterados

sem o prvio conhecimento e aprovao do DNIT.

No caso de aquisio de palmilha de terceiros, o material a ser utilizado e o processo de

fabricao podero ser fixados pelo DNIT no Termo de Referncia do Edital.

As palmilhas devero ter bom acabamento, sem defeitos em seu aspecto, com bordas

limpas, superfcies lisas e caneluras abertas sobre todo o comprimento e nas

extremidades, ou outro defeito prejudicial ao uso.

Mediante entendimento entre o DNIT e o fornecedor, o fabricante fornecer certificado

indicando:

a) caractersticas do material utilizado e da palmilha acabada;

b) resultados obtidos em ensaios.

A unidade de compra uma palmilha.

As Palmilhas so classificadas, segundo a Norma ABNT-NBR-11448/1988 (EB-1920),

quanto forma da superfcie e quanto ao isolamento trmico.

Quanto forma da superfcie, a palmilha classificada em:

- Canelada, denominada de PBC; ou

- Lisa, denominada de PBL.

E quanto ao isolamento trmico em:

- Isolante, denominada de PBCI ou PBLI; ou

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 3

- No isolante, denominada de PBC ou PBL.

As palmilhas so designadas por:

a) Tipo, conforme classificao acima;

b) Dimenses (largura x comprimento), em mm;

c) Referncia a Normas utilizadas.

Cada embalagem ter inscrito a marca do fabricante e/ou do fornecedor, do DNIT,

designao, quantidade (unidade) e massa bruta (kg).

O pedido de palmilhas dever conter pelo menos:

a) especificao tcnica da palmilha, conforme norma ABNT-NBR-11448/1988;

b) quantidade de unidades;

c) designao;

d) exigncia para colocao da marca do DNIT na palmilha;

e) cronograma de entrega;

f) destino e transporte a ser realizado;

g) onde sero feitos os ensaios do DNIT;

h) normas tcnicas.

Quando for o caso, o pedido conter tambm:

i) exigncia de certificado;

j) acondicionamento; e

k) garantia.

3. FORMA DIMENSO

De acordo com a Norma ABNT-NBR-11448/1988 (EB-1920), a palmilha ter as formas

e dimenses fixadas respectivamente na Figura 3.1 e na Tabela 3.1, representadas a

seguir:

Figura 3.1 Detalhe da PBC

Unidade: mm

Nota: As caneluras so paralelas, sejam retilneas ou em ziguezague.

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 4

Tabela 3.1 Dimenses da palmilha

Smbolo Descrio Dimenses

[mm]

C Comprimento da palmilha

(*)

L Largura da palmilha (*)

e Espessura da palmilha 4,3

l1 Largura inferior das caneluras 2

l2 Largura superior das caneluras 3

d Distncia entre eixos das caneluras 11

(*) Dimenses a serem definidas pelo DNIT no Edital de Licitao

4. CALIBRES PARA INSPEO

Os calibres necessrios ao controle de forma e dimenso so fornecidos pelo fabricante,

sem nus especficos ao DNIT, quando por ele solicitado, e so submetidos aceitao

deste em dois jogos mxima e mnima, antes da fabricao, da palmilha, observada

a Norma ABNT-NBR-11448/1988.

5. TOLERNCIAS

As tolerncias dimensionais da palmilha, segundo a norma ABNT-NBR-11448/1988

esto discriminadas na Tabela 5.1.

Tabela 5.1 Tolerncias dimensionais

Smbolo Dimenso Tolerncia

[mm]

C Comprimento + 6,0

L Largura - 2,0

e Espessura + 0,5

l1 Dimenses das

caneluras

Largura inferior da canelura 0

l2 Largura superior da canelura 0

d Distncia entre eixos da canelura

0

Observadas a Tabela 5.1 e as normas sobre tolerncia, as tolerncias dimensionais

podero ser ajustadas entre o DNIT e o fornecedor.

6. INSPEO E RECEBIMENTO

6.1. INSPEO

facultado ao DNIT, atravs de seus fiscais ou de terceiros devidamente credenciados,

o direito de realizar as inspees que julgar necessrias, tanto na fase de fabricao

quanto na de controle de qualidade, de manipulao, de estocagem e de expedio,

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 5

bem como executar contra-ensaios, a seu exclusivo critrio, sem prejuzo atividade

normal do fabricante.

O fabricante dever colocar disposio do DNIT todos os meios necessrios

execuo das inspees, sejam de pessoal, material, ferramentas, equipamentos, etc.

O pessoal designado pelo DNIT estar autorizado a executar todos os controles

adicionais para se assegurar a correta observao das condies exigidas na

especificao.

Para esta finalidade, o fabricante nacional dever informar ao DNIT com pelo menos 10

dias de antecedncia, o dia do incio previsto de produo e o respectivo cronograma de

produo. Para o fabricante estrangeiro esse prazo no poder ser inferior a 30 dias.

Todas as despesas decorrentes de ensaios e testes laboratoriais e outros que o DNIT

julgar necessrios correr por conta do fabricante, sem nus para o DNIT.

Dever ser fornecida ao DNIT, tambm sem nus, sob forma de certificado, uma via

original de todos os resultados das verificaes, dos ensaios e contra-ensaios.

6.2. PLANO DE AMOSTRAGEM

O Plano de Amostragem e os procedimentos para inspeo por atributos obedecero as

Normas ABNT-NBR-5426/1985 (NB-309-01) Verso Corrigida/1989 e ABNT-NBR-

11448/1988, observando-se os seguintes parmetros:

a) Plano de Amostragem SIMPLES;

b) Nvel Geral de Inspeo II;

c) Nvel de Qualidade Aceitvel NQA = 2,5%

Outros Ensaios: conforme critrios indicados nos itens dos Ensaios.

d) Regime de Inspeo:

Ao iniciar-se um procedimento de inspeo, deve ser empregado o regime NORMAL.

Em casos especficos poder ser recomendada a substituio do regime de inspeo,

de acordo com o Sistema de Comutao:

Normal para Severo:

Se dentre 5 (cinco) lotes consecutivos, 2 (dois) estiverem sido rejeitados na inspeo

original.

Severo para Normal:

Se 5 (cinco) lotes consecutivos tiverem sido aprovados na inspeo original.

Normal para Atenuado:

Se forem satisfeitas todas as seguintes condies:

- 10 (dez) lotes precedentes tenham sido submetidos inspeo normal sem nenhuma

rejeio;

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 6

- A produo se desenvolve com regularidade;

- A inspeo atenuada for considerada apropriada pelo responsvel designado pelo

DNIT.

Atenuado para Normal:

Se ocorrer qualquer uma das seguintes condies:

- Um lote for rejeitado;

- A produo tornar-se irregular; ou

- Ocorram condies adversas que justifiquem a mudana para a inspeo normal.

Considerando o ANEXO A, Tabelas 1, 2, 3 e 4 da Norma ABNT-NBR-5426/1985 e os

parmetros adotados, teremos o Quadro denominado de Plano de Amostragem Simples.

As amostras sero extradas ao acaso de cada lote, nas seguintes quantidades:

PLANO DE AMOSTRAGEM SIMPLES

Tamanho do Lote

Nvel de Inspeo II

NQA = 2,5%

Cdigo de

Amostras

Regime de Inspeo

Atenuado Normal Severo

Tam. Amostra

Ac Re Tam.

Amostra Ac Re

Tam. Amostra

Ac Re

2 a 8 A 2 0 1 2 0 1 2 0 1

9 a 15 B 2 0 1 3 0 1 3 0 1

16 a 25 C 2 0 1 5 0 1 5 0 1

26 a 50 D 3 0 1 8 0 1 8 0 1

51 a 90 E 5 0 2 13 1 2 13 1 2

91 a 150 F 8 0 2 20 1 2 20 1 2

151 a 280 G 13 1 3 32 2 3 32 1 2

281 a 500 H 20 1 4 50 3 4 50 2 3

501 a 1200 J 32 2 5 80 5 6 80 3 4

1.201 a 3.200 K 50 3 6 125 7 8 125 5 6

3.201 a 10.000 L 80 5 8 200 10 11 200 8 9

10.001 a 35.000 M 125 7 10 315 14 15 315 12 13

35.001 a 150.000 N 200 10 13 500 21 22 500 18 19

150.001 a 500.000 P 315 10 13 800 21 22 800 18 19

Acima de 500.000 Q 500 10 13 1250 21 22 1.250 18 19

Ac = Nmero mximo de peas defeituosas (ou falhas) admitido para aceitao do lote;

Re = Nmero de peas defeituosas (ou falhas) que implica a rejeio do lote.

NQA = Nvel de Qualidade Aceitvel

Conforme o tamanho do lote e o tipo de inspeo determinado no processo de aquisio

obtm-se o tamanho da amostra para ser inspecionada.

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 7

A Tabela acima foi elaborada considerando o Nvel de Qualidade Aceitvel (NQA) =

2,5%, de acordo com a norma ABNT-NBR-5426/1985 (NB-309-01) Verso

Corrigida/1989.

Ac o nmero de peas com defeitos ou falhas aceitveis e que ainda permite

aceitao do lote inspecionado.

Para os nveis de inspeo NORMAL ou SEVERO, se o nmero de peas defeituosas

for maior do que o valor de Ac indicado na tabela o lote dever ser rejeitado.

J para o nvel de inspeo ATENUADO, o lote ser rejeitado caso o nmero de peas

com defeitos ou falhas atinjam os valores de Re da tabela.

6.3. VERIFICAES

Devero ser executadas, sob a coordenao e acompanhamento do pessoal designado

pelo DNIT, as seguintes verificaes:

1. Marcao

2. Dimensional e Visual

3. Dureza

4. Esmagamento

5. Ruptura e alongamento

6. Elasticidade

7. Termoplasticidade

8. Resistncia eltrica

Dever ser fornecido pelo fabricante Certificado de Qualidade da matria prima utilizada

na confeco das palmilhas.

6.4. MARCAO

De acordo com a Norma ABNT-NBR-11448/1988, a marcao da palmilha feita sobre

uma das faces, mediante gravao, com caracteres de 8 mm de altura, de modo a no

interferir na aplicao da palmilha e deve conter:

Marca do fabricante

Marca do DNIT

Data de fabricao mediante o nmero correspondente ao trimestre (1 a 4) ou ao ms

(01 a 12) e os dois ltimos algarismos do ano de fabricao

Um ponto grosso de borracha vermelha incrustado na massa, quando a placa

isolante (PBCI ou PBLI).

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 8

6.5. VERIFICAO DIMENSIONAL E VISUAL

De acordo com a Norma ABNT-NBR-1148/1988, antes de qualquer outra verificao,

todas as amostras de cada lote devem ser submetidas s verificaes de aspecto, forma

e dimenso, a critrio do DNIT. Assim, durante a inspeo visual de recebimento, o

DNIT poder, a seu critrio, decidir quais lotes de palmilhas sero aceitos ou rejeitados.

A verificao dimensional das peas acabadas ser realizada por meio do uso de

gabaritos e calibres a serem fornecidos, em dois jogos pelo fabricante, previamente

aprovados pelo DNIT.

As medidas a serem verificadas so aquelas cotadas no desenho especificado pelo

fornecedor e aprovado pelo DNIT.

Alm dos outros tipos de defeitos superficiais as palmilhas no devem apresentar os

seguintes defeitos visuais:

Bordas sujas;

Superfcies irregulares;

Canelura fechada sobre todo o comprimento e extremidades;

Rebarba, exceto na borda de at 0,4 mm;

Outros defeitos prejudiciais ao uso.

6.6. ENSAIO DE DUREZA

De acordo com a norma ABNT-NBR-11448/1988, a verificao da dureza ser realizada,

obrigatoriamente sobre trs placas acabadas, utilizando-se equipamento especfico

denominado durmetro shore.

A dureza mnima admitida 65 Shore A.

6.7. ENSAIO DE ESMAGAMENTO

Devero ser realizados, obrigatoriamente, ensaios de esmagamento, com a utilizao de

dois relgios comparadores, para determinao da curva de esmagamento,

temperatura ambiente, sobre duas palmilhas caneladas (PBC) acabadas.

As curvas de esmagamento so obtidas pelas mdias das leituras dos relgios

comparadores e devem se situar entre as curvas limites definidas na figura 6.1 abaixo.

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 9

Figura 6.1 Curvas de esmagamento limites

6.8. ENSAIO DE RESISTNCIA RUPTURA E AO ALONGAMENTO

Devero ser realizados, obrigatoriamente, ensaios de verificao de resistncia ruptura

e ao alongamento, sobre cinco palmilhas no estado novo e outras cinco palmilhas

submetidas a processo de envelhecimento de 96h em estufa a 100C.

Mede-se a carga de ruptura e o alongamento na ruptura antes e aps o envelhecimento.

Os resultados obtidos devero obedecer aos limites mnimos estabelecidos na Tabela

6.2 abaixo.

Tipo de

palmilha

Resistncia ruptura da seo primitiva

Alongamento na ruptura

Conservao das caractersticas no envelhecimento

(MPa) (%) (%)

Envelhecimento Envelhecimento Ruptura Alongamento

Antes Aps Antes Aps

PBC 12 10 250 180 70 60

PBL 8 5,3 120 80 - -

Tabela 6.2 Valores mnimos da resistncia ruptura e ao alongamento

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 10

6.9. ENSAIO DE ELASTICIDADE

Devero ser realizados, obrigatoriamente, ensaios para determinao do mdulo de

elasticidade a 100% sobre dois corpos de prova de uma palmilha, sendo um no estado

novo e outro submetido a processo de envelhecimento de 96h em estufa a 100C.

Os mdulos de elasticidade obtidos devero obedecer aos limites estabelecidos na

Tabela 6.3 abaixo.

Mdulo de elasticidade

Antes do envelhecimento Aps o envelhecimento

Mximo: 5 MPa No pode divergir de menos de 40% do valor encontrado

antes do envelhecimento Mnimo: 3 MPa

Tabela 6.3 Mdulo de elasticidade a 100%

6.10. ENSAIO DE TERMOPLASTICIDADE

Devero ser realizados, obrigatoriamente, ensaios para verificao da deformao

residual de um corpo de prova de cada uma de trs palmilhas, submetidas em estufa a

100C, a um alongamento de 50% e a uma compresso de 50%, ambos durante 24h.

Os resultados obtidos devero obedecer aos limites estabelecidos na Tabela 6.4 abaixo.

Deformao permanente mxima do CP

Alongamento de 50% durante 24 h a 100C

Compresso a 50% durante 24 h a 100C

25% 30%

CP = corpo de prova

Tabela 6.4 Deformao permanente mxima

6.11. ENSAIO DE RESISTNCIA ELTRICA

Sero realizadas, obrigatoriamente verificaes de resistncia eltrica sobre duas

palmilhas com isolamento trmico (PBCI ou PBLI).

A resistncia eltrica medida dever ser de, no mnimo, 100 M.

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 11

7. LIBERAO PARA EMBARQUE

A liberao para embarque das palmilhas dar-se- aps a execuo de todas as

verificaes, ensaios e contraensaios sob a superviso e fiscalizao do DNIT, e a

correspondente emisso de Termo de Liberao de Inspeo.

8. CARREGAMENTO E TRANSPORTE

As palmilhas devem ser acondicionadas em embalagens com 100 unidades, de mesma

fabricao, acomodadas umas sobre as outras e ligadas por arcos de fita metlica

dispostos em dois planos perpendiculares, com os pontos de apoio da fita sobre as

arestas do pacote protegidos, devero ser carregadas e transportadas de modo que

cheguem ao local de entrega em perfeitas condies.

A embalagem deve conter etiqueta do fornecedor com, pelo menos, a marca do

fabricante, marca do DNIT, ano de fabricao e indicao do tipo da palmilha (PBC,

PBL, PBCI ou PBLI).

O fabricante ou fornecedor poder sugerir, opcionalmente, outro tipo de embalagem,

desde que explicite, detalhadamente, o tipo embalagem a ser utilizada, para que o

mesmo possa ser analisado e aprovado pelo DNIT.

9. LOCAL DE ENTREGA

O local de entrega o estipulado pelo DNIT no Contrato de fornecimento.

10. TERMO DE ACEITAO PROVISRIA

Aps a chegada das palmilhas nas dependncias do DNIT, os mesmos sero vistoriados

e, se o DNIT julgar necessrio, sero realizadas verificaes de qualquer ordem. Caso

esteja tudo em ordem, inclusive a parte quantitativa, o DNIT emitir o Termo de

Aceitao Provisria.

11. GARANTIA

A palmilha ser garantida, no mnimo, at 31 de dezembro do ano N+3, sendo N o ano

de fabricao marcado na palmilha, contra todo e qualquer defeito imputvel sua

fabricao independentemente dos resultados da inspeo no ato do recebimento e/ou

ensaios posteriores.

O DNIT poder optar entre a substituio da palmilha comprovadamente com defeito de

fabricao por outra nova colocada no mesmo local, ou por uma indenizao, em valor

equivalente ao de uma nova, na data de substituio, mais as despesas decorrentes

para ser disponibilizada no mesmo local.

As palmilhas defeituosas, substitudas ou indenizadas pelo fabricante, no sendo

retiradas no prazo de 30 dias a contar da data da substituio, passam a ser de

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 12

propriedade do DNIT, que delas poder dispor a seu exclusivo critrio, sem qualquer tipo

de nus.

12. ACEITAO

Sero aceitos somente os lotes de palmilhas que atenderem totalmente a Especificao

Tcnica constante no Termo de Referncia do Edital.

O DNIT se reserva o direito de rejeitar qualquer pea defeituosa, encontrada na

inspeo, independentemente do fato de pertencer ou no a amostra, e do lote ser

aprovado ou rejeitado. As peas rejeitadas de um lote aprovado podero ser reparadas

e apresentadas para nova inspeo, desde que autorizada pelo DNIT.

Os lotes rejeitados somente podero ser reapresentados, para nova inspeo, aps

haverem sido reexaminadas todas as unidades pertencentes aos referidos lotes e

retiradas ou reparadas aquelas consideradas defeituosas.

Nesse caso, o responsvel pela inspeo determinar qual o regime de Inspeo a ser

utilizado (normal ou severo) e se este deve incluir todos os tipos de defeitos ou ficarem

restritos somente aqueles que ocasionaram as referidas rejeies.

O fabricante colocar disposio dos inspetores do DNIT todos os meios necessrios

ao bom desempenho de suas funes, permitindo o livre acesso a qualquer fase da

fabricao e controle de qualidade.

Ser obrigatria a execuo pelo fabricante, de todos os ensaios exigidos neste

procedimento, na presena dos inspetores do DNIT.

13. TRANSPORTE E ESTOCAGEM

13.1. CARGA E DESCARGA

A responsabilidade pela carga e descarga e empilhamento do material exclusiva do

transportador, cabendo ao responsvel pelo almoxarifado do DNIT a conferncia pelas

quantidades entregues e verificao da existncia de possveis danos ocorridos durante

a carga, transporte e/ou descarga.

Na ocorrncia de danos no material, este pode ser recusado pelo responsvel pelo

recebimento, lavrando no ato um Termo de No Recebimento de Material, onde ser

discriminada a quantidade e motivo do no aceite.

13.2. ESTOCAGEM

importante que o responsvel pelo almoxarifado conhea bem a rea de estocagem

para que este possa orientar o transportador quanto aos acessos e locais de

empilhamento dos lotes de palmilhas.

PIM-010 Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria (Palmilha): 13

14. NORMAS TCNICAS

ABNT-NBR-7649/1988 (TB-209) Fixao ferroviria - Terminologia.

Data de Publicao: 30/10/1988

Objetivo: Esta Norma define os termos empregados na fixao das fiadas de trilhos de

via frrea.

ABNT-NBR-11448/1988 (EB-1920) Placa amortecedora de borracha para fixao

ferroviria - Especificao.

Data de Publicao: 30/10/1988.

Objetivo: Esta Norma fixa as condies exigveis a placa amortecedora de borracha

para fixao duplamente elstica, com ou sem placa de apoio.

ABNT-NBR-5426/1985 Verso Corrigida/1989 (NB-309-1) Ttulo: Planos de

amostragem e procedimentos na inspeo por atributos - Procedimento.

Data de Publicao: 30/01/1985.

Objetivo: Esta Norma estabelece planos de amostragem e procedimentos para

inspeo por atributos. Quando especificada pelo responsvel, esta Norma deve ser

citada nos contratos, instrues ou outros documentos, e as determinaes

estabelecidas devem ser obedecidas.

Modelo de Ficha para Inspeo de

Placa Amortecedora de Borracha para Fixao Ferroviria

(Palmilha)

DNIT DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTURA DE TRANSPORTES PIM - PROCEDIMENTO DE INSPEO DE MATERIAL

FICHA DE INSPEO DE PALMILHA 1 / 3

Processo: Edital:

Contratada:

ESPECIFICAO TCNICA

Tipo da Palmilha: Designao: PB ___ ___

Processo de fabricao da Palmilha:

Material da Palmilha:

DIMENSES NOMINAIS DA PALMILHA em mm (Figura 3.1 e Tabela 3.1)

Caractersticas Dimenses Tolerncias Medio

C Comprimento da palmilha 0 a +6,0

L Largura da palmilha -2,0 a 0

e Espessura da palmilha 4,3 0 a +5,0

l1 Largura inferior das caneluras 2,0 0

l2 Largura superior das caneluras 3,0 0

d Distncia entre eixos das caneluras 11,0 0

PLANO DE AMOSTRAGEM SIMPLES

Tamanho do Lote de palmilhas Un.

Tamanho da Amostra Un.

Nvel Especial de Inspeo "II"

Ensaios realizados / Nveis de Qualidade Aceitvel (NQA) Regime Inspeo /

Comutao

AC Limite Aceite

Medio

Ensaio Dimensional e Visual / NQA = 2,5%

Outros Ensaios (Especificar):

Dureza Limite mnimo Medio

Palmilha acabada n 1 65 Shore A Shore A

Palmilha acabada n 2 65 Shore A Shore A

Palmilha acabada n 3 65 Shore A Shore A

Curva de Esmagamento (temperatura ambiente) Entre as curvas limites?

Palmilha acabada n 1 ( ) SIM ( ) NO

Palmilha acabada n 2 ( ) SIM ( ) NO

DNIT DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTURA DE TRANSPORTES PIM - PROCEDIMENTO DE INSPEO DE MATERIAL

FICHA DE INSPEO DE PALMILHA 2 / 3

Resistncia Ruptura Valor mnimo Medio

Envelhecimento de 96h em estufa a 100C Antes Depois Antes Depois

Palmilha no estado novo n 1 MPA MPA MPA MPA

Palmilha no estado novo n 2 MPA MPA MPA MPA

Palmilha no estado novo n 3 MPA MPA MPA MPA

Palmilha no estado novo n 4 MPA MPA MPA MPA

Palmilha no estado novo n 5 MPA MPA MPA MPA

Resistncia ao Alongamento Percentual mnimo Medio

Envelhecimento de 96h em estufa a 100C Antes Depois Antes Depois

Palmilha no estado novo n 1 % % % %

Palmilha no estado novo n 2 % % % %

Palmilha no estado novo n 3 % % % %

Palmilha no estado novo n 4 % % % %

Palmilha no estado novo n 5 % % % %

Mdulo de Elasticidade a 100% Limite Medio

Antes do Envelhecimento de 96h em estufa a 100C Mnimo Mximo Antes

Corpo de Prova - CP 01 - Palmilha no estado novo 3 MPA 5 MPA MPA

Aps Envelhecimento de 96h em estufa a 100C < 40% MPA Antes Aps

Corpo de Prova - CP 02 - Palmilha aps envelhecimento

MPA MPA

Deformao permanente mxima do CP (Termoplasticidade)

Limite mximo Medio

Alongamento de 50% durante 24h a 100C

Corpo de Prova - CP da palmilha n 1 25% %

Corpo de Prova - CP da palmilha n 2 25% %

Corpo de Prova - CP da palmilha n 3 25% %

Compresso de 50% durante 24h a 100C Medio

Corpo de Prova - CP da palmilha n 1 30% %

Corpo de Prova - CP da palmilha n 2 30% %

Corpo de Prova - CP da palmilha n 3 30% %

Resistncia eltrica Limite mnimo Medio

Palmilha com isolamento trmico n 1 100 M M

Palmilha com isolamento trmico n 2 100 M M

DNIT DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTURA DE TRANSPORTES PIM - PROCEDIMENTO DE INSPEO DE MATERIAL

FICHA DE INSPEO DE PALMILHA 3 / 3

OUTROS ENSAIOS (Especificar)

Tipo de ensaio realizado:

PARMETRO ATENDE NO ATENDE

MARCAO Marca do fabricante, ano de fabricao, tipo da palmilha e marca do DNIT gravados em alto relevo

[ ] [ ]

VISUAL

Borda limpa [ ] [ ]

Superfcies lisas [ ] [ ]

Caneluras abertas sobre todo o comprimento e extremidades

[ ] [ ]

Isenta de irregularidades de superfcie [ ] [ ]

Isenta de rebarba (exceto na borda de at 0,4mm) [ ] [ ]

Outros defeitos prejudiciais ao uso. [ ] [ ]

ENSAIO

Dureza [ ] [ ]

Esmagamento [ ] [ ]

Ruptura e Alongamento [ ] [ ]

Mdulo de elasticidade [ ] [ ]

Termoplasticidade (deformao permanente) [ ] [ ]

Resistncia eltrica [ ] [ ]

Outros (Especificar) [ ] [ ]

Data e Identificao do Responsvel:

Trabalho compilado pelo