Aden stone contra o reino das bruxas vol 2 (série:Interligados)

download

Embed Size (px)

description

 

transcript

  • 1. 1
  • 2. 2
  • 3. 3 Sinopse Aden Stone finalmente conseguiu o que sempre desejou: um lar, amigos e a namorada dos seus sonhos... Agora ele tambm o Rei dos Vampiros. O nico problema que um feitio de morte foi lanado sobre Aden e seus amigos. E se ele no conseguir reverter essa maldio. Tudo o que conquistou ficar para trs e s lhe restar a dor e a solido. As trs almas que ainda vivem em sua cabea continuam a ajud-lo com as habilidades sobrenaturais: possuindo corpos, ressuscitando os mortos e prevendo o futuro. Essas premonies dizem que o destino de Aden ser sangrento e cabe a ele evitar isso. Fazendo as escolhas certas... A batalha contras as sombras continua. Espcies inimigas se aliam com o objetivo de destruir a fora que emana de Aden, a princesa vampira Victoria, o fiel lobo Riley e Mary Ann - que alm de neutralizar poderes especiais descobre que pode ter outras habilidades. Muitos desafios foram lanados, alguns enigmas descobertos, mas nada ser capaz de desviar Aden e seus amigos de lutarem para continuarem vivos e juntos...
  • 4. 4 Prlogo ADEN STONE SE DEBATIA na cama, lenis estavam caindo no cho. Quente demais. O suor respingava, fazendo sua samba cano, a nica pea que vestia, ficar colada em suas coxas. Demais. Sua mente... Ah, sua pobre e arruinadamente. Tantas imagens piscavam e se misturavam com a escurido intensa, com o caos horrvel, com a dor brutal. No posso aguentar... Muito mais... Ele era humano, embora o sangue ardente dos vampiros agora corresse em suas veias, o sangue poderoso dos vampiros que permitia que o garoto visse o mundo pelos olhos do doador, mesmo que apenas por um breve intervalo. Aquilo era to horrvel! Aden j tinha vivenciado esse tipo de situao antes. No entanto, naquela noite, ele tinha ingerido sangue de duas fontes distintas. Acidentalmente, claro, mas essa condio no era relevante para aquela dor avassaladora. Uma das fontes era sua namorada, a Princesa Victoria. A outra, Dmitri, o ex-noivo da vampira que havia falecido. Enfim. Agora os sangues se enfrentavam em um cabo de guerra pela ateno do garoto. Idas e vindas txicas. Nada demais, certo? Durante os anos de sua vida, Aden tinha lutado contra zumbis, viajado no tempo e conversado com fantasmas. Ele devia ser capaz de rir dessa nova condio. Errado! Ele sentia como se tivesse ingerido uma garrafa de cido e cacos de vidro como aperitivo. Um desses o queimava enquanto o outro o cortava em pedaos. E agora ele estava... Mudando o foco novamente. Ah, Pai. Aden subitamente ouviu Victoria sussurrar. Aden recuou. Ela tinha sussurrado, sim, mas alto demais. Os ouvidos do garoto estavam to sensveis quanto o restante de seu corpo. De alguma forma, ele encontrou foras para afastar a dor e focar seu olhar. Um grande erro. Claro demais. A forte melancolia dos arredores de Dmitri tinha aberto caminho para as cores vibrantes de Victoria. Aden agora enxergava pelos olhos dela, incapaz de sequer piscar sozinho. Voc foi o homem mais forte que j existiu. Ela continuou em um tom solene. Para Aden, aquilo era como se ele estivesse falando, sua garganta raspava como se estivesse em carne viva. Como voc pde ter sido derrotado to rapidamente? Como eu pude no saber que isso estava acontecendo? Pensou Victoria. Ela, seu guarda-costas Riley e sua amiga Mary Ann tinham levado Aden para casa na noite anterior. Victoria queria ficar com o garoto, mas ele a dispensara. Aden no sabia como iria reagir a dois tipos diferentes de sangue em seu corpo e Victoria precisava estar com os vampiros durante o perodo de luto. Por algum tempo, ele tinha tentado dormir, agitando-se e revirando-se, seu corpo se recuperava das agresses que tinha causado... E recebido. Ento, aproximadamente, uma hora atrs, aquele cabo de guerra tinha comeado. Graas a Deus, Victoria tinha se retirado. Que pesadelo terrvel teria sido para Aden ver, pelos olhos da vampira, a si mesmo, naquela situao pattica, e saber o que ela estava pensando dele.
  • 5. 5 Quando Victoria pensasse nele, ele queria que ela se apegasse palavra invencvel. Ou, se isso no fosse possvel, que ela, pelo menos, se apegasse palavra lindo. Qualquer outro termo, no, obrigado. Porque ele pensava que ela era perfeita, de todas as formas. Perfeita e doce, e linda. E dele. A imagem da vampira invadiu a mente de Aden. Ela tinha cabelos longos e escuros que se derramavam sobre aqueles ombros plidos; olhos azuis que brilhavam como cristais; lbios to vermelhos quanto cerejas. Para beijar. Para lamber. Ele a tinha conhecido h poucas semanas, embora tivesse a impresso de que a conhecia desde sempre. O que, de uma forma confusa, era verdade. Bem, ele conhecia Victoria h pelo menos seis meses, graas s informaes fornecidas por uma das almas que viviam em sua cabea. Sim, como se vampiros e sangues telepticos no fossem estranhos o suficiente, Aden dividia sua cabea, agora, com trs outras almas humanas. Mais que isso, cada uma dessas almas possua uma habilidade sobrenatural. Julian era capaz de levantar os mortos. Caleb podia possuir outros corpos. E Elijah tinha o dom de prever o futuro. Por meio de Elijah, Aden tinha descoberto que encontraria Victoria antes mesmo de ela chegar a Crossroads, Oklahoma. Um lugar que, no passado, Aden considerava a filial do inferno na Terra, mas que agora ele pensava ser o Paraso, muito embora aquele fosse um solo extremamente frtil para criaturas supostamente mticas. Bruxas, duendes, fadas, elfos (todos inimigos de Victoria) e, claro, vampiros. Ah, e lobisomens, os protetores dos vampiros. E tudo bem. Isso era um monte de criaturas esquisitas. No entanto, se um mito fosse verdadeiro, de certa forma fazia sentido que todos os mitos tambm se tornassem verdadeiros. O que vou fazer com... Victoria comeou a falar novamente, trazendo a ateno de Aden para o presente. Ele realmente queria ouvi-la completar a sentena. Entretanto, antes que a vampira pudesse pronunciar outra palavra, o foco do garoto mudou. Mais uma vez. A escurido subitamente o envolveu, consumindo-o, fazendo sua ligao com Victoria desaparecer. Aden voltou a se debater na cama, a dor explodia por todo o corpo antes de se ligar ao outro vampiro. Dmitri. O Dmitri morto. O garoto queria abrir os olhos, ver alguma coisa, qualquer coisa, mas suas plpebras estavam, de alguma forma, coladas. Em meio a uma respirao trmula, ele sentia o cheiro de terra e de... Fumaa. Sim. Fumaa. Espessa e nauseante, fazendo sua garganta coar. Ele tossiu e tossiu. Ou aquilo era Dmitri tossindo? Dmitri ainda estava vivo? Ou aquele corpo apenas reagia porque os pensamentos de Aden corriam por uma mente compartilhada? Ele tentou movimentar os lbios de Dmitri, forar para que palavras sassem para chamar a ateno de algum. No entanto, os pulmes se apertaram, rejeitando o ar poludo. E, de repente, ele j no conseguia respirar. Queime-o. disse friamente algum. Vamos nos assegurar de que o traidor esteja realmente morto. Ser um prazer. respondeu outro, com um tom ligeiramente eufrico. Em meio escurido, Aden no conseguia enxergar os falantes. No sabia se eles eram humanos ou vampiros. No sabia onde ele estava ou... As palavras do primeiro homem finalmente foram absorvidas, consumindo os pensamentos de Aden. Queime-o... No. No, no, no. No enquanto Aden estivesse ali. E se ele sentisse cada labareda das chamas? No! O garoto tentou gritar. Novamente, nenhum som saiu.
  • 6. 6 O corpo de Dmitri foi erguido. Aden sentia como se estivesse suspenso, preso a um fio, com a cabea caindo para trs e os membros esquecidos. Prximo dali, ele ouviu o estalar daquelas chamas assustadoras. O calor passava por ele, girando em volta dele, envolvendo-o. No! Ele tentava se debater, lutar, mas o corpo continuava sem nenhum movimento. No! Um momento depois, houve um contato. E, ah, sim. Ele sentiu. As primeiras chamas tocaram os ps antes de incendiarem... De espalharem-se. Agonia. Agora maior que qualquer agonia que ele j tinha sentido. A pele estava derretendo. Msculos e ossos, liquefazendo-se. O sangue, desintegrando-se. Meu Deus. Ainda assim, ele tentava lutar, afastar-se e correr. Entretanto, o corpo sem vida se recusava a obedecer. No! Ajuda! Embora parecesse impossvel, a agonia se intensificou... Ardendo por todo o corpo, devorando-o, pedao por pedao. O que aconteceria se ele continuasse ligado a Dmitri at o fim? O que aconteceria se ele... Pontos de luz piscaram em meio escurido, pontos que cresciam at se juntarem, e, novamente, ele passou a ver o mundo pelos olhos de Victoria. Mais uma mudana. Graas a Deus. Aden tremia, to ensopado de suor que poderia praticamente nadar. No entanto, apesar da mudana, a dor residual, muito maior que o cido que ainda raspava nas veias, escorregava dos ps at o crebro. Ele queria gritar. Aden estava... Tremendo, ele se deu conta. No, Victoria estava tremendo. Uma mo suave e aquecida encostou-se em seu ombro. No ombro dela. Victoria olhou para cima, a viso se embaava em consequncia das lgrimas. A luz da lua brilhava no cu, ele percebeu, assim como as estrelas. Alguns pssaros da noite voavam, gritando uns para os outros... Com medo? Provavelmente. Eles deviam sentir o perigo que estava logo abaixo deles. Victoria baixou o olhar e Aden observou os vampiros ao redor dela. Todos eram altos, plidos, lindos. Vivos. A maior parte deles no estava de acordo com a imagem retratada nos romances. Eles apenas eram diferentes; os humanos eram uma fonte de comida da qual eles no podiam se importar. Afinal, vampiros viviam sculos, enquanto os humanos se debilitavam e morriam rapidamente. Exat