ARBORIZAÇÃO URBANA Fevereiro/2008. INTRODUÇÃO A arborização urbana desempenha importante papel...

of 34/34
ARBORIZAÇÃO URBANA ARBORIZAÇÃO URBANA Fevereiro/ 2008
  • date post

    17-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    107
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of ARBORIZAÇÃO URBANA Fevereiro/2008. INTRODUÇÃO A arborização urbana desempenha importante papel...

  • Slide 1
  • ARBORIZAO URBANA Fevereiro/2008
  • Slide 2
  • INTRODUO A arborizao urbana desempenha importante papel na manuteno da qualidade ambiental das cidades, A arborizao urbana desempenha importante papel na manuteno da qualidade ambiental das cidades, Na cidade de So Paulo sua importncia potencializada em virtude da grande carncia de reas verdes, Na cidade de So Paulo sua importncia potencializada em virtude da grande carncia de reas verdes, O tratamento adequado da arborizao, como servio urbano essencial, o principal objetivo do Programa de Arborizao Urbana. O tratamento adequado da arborizao, como servio urbano essencial, o principal objetivo do Programa de Arborizao Urbana.
  • Slide 3
  • SITUAO ATUAL Segundo dados do Atlas Ambiental, 48% do territrio paulistano carente em arborizao e reas verdes, Segundo dados do Atlas Ambiental, 48% do territrio paulistano carente em arborizao e reas verdes, Segundo o Plano Diretor Estratgico, pouco mais de 3% do territrio configura- se em Zona Exclusivamente Residencial, (composta principalmente por bairros jardins), Segundo o Plano Diretor Estratgico, pouco mais de 3% do territrio configura- se em Zona Exclusivamente Residencial, (composta principalmente por bairros jardins), Cerca de 20% do territrio est ocupado por remanescentes de Mata Atlntica, contidos na Reserva da Biosfera do Cinturo Verde da Cidade de So Paulo. Cerca de 20% do territrio est ocupado por remanescentes de Mata Atlntica, contidos na Reserva da Biosfera do Cinturo Verde da Cidade de So Paulo.
  • Slide 4
  • INDICADORES Tipo de rea Verde rea Total (Ha) m 2 /hab Pq Municipal 1.462,32 a 1,35 Pq Estadual 11.473,20 b 10,62 Praas > 6.000m 2 1.126,28 c 1,04 AV no Municpio 14.060,80 (9,32%) 13,01 ZER* 5209,74 d (3,4%) -- -- -- a SVMA, b SMA, c Informe GEO Cidade de So Paulo (CEROI), d Plano Diretor. *ZER-Zona Exclusivamente Residencial
  • Slide 5
  • APAs EXISTENTES,
  • Slide 6
  • APAs PROJETADAS,
  • Slide 7
  • APAs EXISTENTES, APAs PROJETADAS, PARQUES ESTADUAIS E
  • Slide 8
  • APAs EXISTENTES, APAs PROJETADAS, PARQUES ESTADUAIS E PARQUES URBANOS MUNICIPAIS
  • Slide 9
  • Slide 10
  • IMPACTOS AMBIENTAIS POSITIVOS Estabilizao microclimtica e reduo das ilhas de calor; Estabilizao microclimtica e reduo das ilhas de calor; Reduo da poluio atmosfrica, atravs da reteno de material particulado em suspenso; Reduo da poluio atmosfrica, atravs da reteno de material particulado em suspenso; Reduo da poluio sonora; Reduo da poluio sonora; Proporcionar alimento, abrigo e local de nidificao para a fauna silvestre; Proporcionar alimento, abrigo e local de nidificao para a fauna silvestre; Aprimoramento da paisagem urbana; Aprimoramento da paisagem urbana; Contribuio para o controle de enchentes e inundaes medida que melhora as condies de drenagem das guas pluviais, reduzindo tambm os problemas com eroso e assoreamento; Contribuio para o controle de enchentes e inundaes medida que melhora as condies de drenagem das guas pluviais, reduzindo tambm os problemas com eroso e assoreamento;
  • Slide 11
  • IMPACTOS AMBIENTAIS Valorizao de imveis, atravs da sua qualificao ambiental e paisagstica; Valorizao de imveis, atravs da sua qualificao ambiental e paisagstica; Contribuio para o equilbrio psico-social do homem, atravs da aproximao com o meio natural. Contribuio para o equilbrio psico-social do homem, atravs da aproximao com o meio natural. A criao de florestas e bosques urbanos, em reas livres e/ou degradadas, contribui ainda para o seqestro de carbono, consistindo em medida mitigadora do aquecimento global. A criao de florestas e bosques urbanos, em reas livres e/ou degradadas, contribui ainda para o seqestro de carbono, consistindo em medida mitigadora do aquecimento global. A composio das espcies utilizadas para a arborizao urbana decisiva para a atrao e o estabelecimento de uma fauna diversificada e deve ser considerada como uma estratgia para o aumento da biodiversidade. A composio das espcies utilizadas para a arborizao urbana decisiva para a atrao e o estabelecimento de uma fauna diversificada e deve ser considerada como uma estratgia para o aumento da biodiversidade.
  • Slide 12
  • IMPACTOS AMBIENTAIS Uma rvore concorre pelo espao da calada: no subsolo com as redes de distribuio de gua, gs e coleta de esgoto; na superfcie com os postes, placas e guias rebaixadas e no nvel da copa, com a fiao telefnica, eltrica, edificaes, etc. Uma rvore concorre pelo espao da calada: no subsolo com as redes de distribuio de gua, gs e coleta de esgoto; na superfcie com os postes, placas e guias rebaixadas e no nvel da copa, com a fiao telefnica, eltrica, edificaes, etc. Isto limita as possibilidades na escolha de espcies, dificultando a arborizao urbana e provocando interferncias diversas. Isto limita as possibilidades na escolha de espcies, dificultando a arborizao urbana e provocando interferncias diversas. Os impactos negativos relacionados com a presena da arborizao urbana decorrem principalmente da implantao e do manejo inadequados e da mudana de uso ocorrida no espao urbano. Os impactos negativos relacionados com a presena da arborizao urbana decorrem principalmente da implantao e do manejo inadequados e da mudana de uso ocorrida no espao urbano. Percepo da rvore como um elemento negativo na cidade. Percepo da rvore como um elemento negativo na cidade.
  • Slide 13
  • IMPACTOS AMBIENTAIS NEGATIVOS Danos fsicos e financeiros causados pela queda de rvores; Danos fsicos e financeiros causados pela queda de rvores; Interferncia com a rede de distribuio de energia eltrica, causando prejuzos s concessionrias de servios pblicos; Interferncia com a rede de distribuio de energia eltrica, causando prejuzos s concessionrias de servios pblicos; Interferncia com a iluminao de logradouros, causando problemas de segurana pblica; Interferncia com a iluminao de logradouros, causando problemas de segurana pblica; Danos s edificaes; Danos s edificaes; Disseminao de pragas urbanas (cupins e brocas). Disseminao de pragas urbanas (cupins e brocas).
  • Slide 14
  • IMPACTOS AMBIENTAIS MEDIDAS MITIGADORAS Plantio em conformidade com as NTs para Projeto e Implantao de Arborizao em Vias e reas Livres Pblicas do Municpio de So Paulo; Plantio em conformidade com as NTs para Projeto e Implantao de Arborizao em Vias e reas Livres Pblicas do Municpio de So Paulo; Aes conjuntas com os rgos e concessionrias de servios pblicos; Aes conjuntas com os rgos e concessionrias de servios pblicos; Instrumentao dos setores responsveis pelo manejo da arborizao; Instrumentao dos setores responsveis pelo manejo da arborizao; Aumento da biodiversidade e manejo adequado da arborizao para estabelecer o equilbrio na ocorrncia de pragas urbanas; Aumento da biodiversidade e manejo adequado da arborizao para estabelecer o equilbrio na ocorrncia de pragas urbanas; Conscientizao da populao a respeito da importncia da arborizao e sua participao como co-responsvel no processo. Conscientizao da populao a respeito da importncia da arborizao e sua participao como co-responsvel no processo.
  • Slide 15
  • METAS Reverso do quadro de carncia em arborizao e reas verdes, Reverso do quadro de carncia em arborizao e reas verdes, Elevao da cobertura vegetal arbrea da cidade, priorizando as regies onde ela mais escassa. Elevao da cobertura vegetal arbrea da cidade, priorizando as regies onde ela mais escassa.
  • Slide 16
  • Proteger a rede hdrica estrutural e os mananciais atravs do plantio de espcies nativas ao longo dos cursos dgua, nascentes, fundos de vale e cabeceiras de drenagem; Proteger a rede hdrica estrutural e os mananciais atravs do plantio de espcies nativas ao longo dos cursos dgua, nascentes, fundos de vale e cabeceiras de drenagem; Criar corredores que conectem reas verdes atravs da arborizao de eixos virios como: canteiros centrais de avenidas, canteiro entre vias expressa e local das Marginais; Criar corredores que conectem reas verdes atravs da arborizao de eixos virios como: canteiros centrais de avenidas, canteiro entre vias expressa e local das Marginais; Aprimorar a qualidade do ambiente construdo, atravs da arborizao dos passeios pblicos, das reas livres passveis de arborizao e das reas institucionais. Aprimorar a qualidade do ambiente construdo, atravs da arborizao dos passeios pblicos, das reas livres passveis de arborizao e das reas institucionais. ESTRATGIAS
  • Slide 17
  • Normas Tcnicas Parmetros para planejamento: dimenses de passeio, recomendaes de localizao, canteiros e faixas permeveis, classificao das espcies, padro das mudas. Parmetros para o plantio: Preparo do local, Tutores e protetores, Podas, Irrigao, Tratamento fitossanitrio, Reposio de mudas.
  • Slide 18
  • NCLEOS DE GESTO DESCENTRALIZADA (NGD) CF DECRETO 47.949/2006: NCLEOS DE GESTO DESCENTRALIZADA (NGD) CF DECRETO 47.949/2006: Norte:SP-MG, ST, JT, CV, F, PJ, PENorte:SP-MG, ST, JT, CV, F, PJ, PE Sul: SP-CL, CS, AD, JA, MB, PA, SASul: SP-CL, CS, AD, JA, MB, PA, SA Leste: SP-AF, CT, IP, MO, SM, VP, EM, G, IT, IQ, PE, MPLeste: SP-AF, CT, IP, MO, SM, VP, EM, G, IT, IQ, PE, MP Centro-Oeste: SP-BT, LA, PI, S, VMCentro-Oeste: SP-BT, LA, PI, S, VM SERVIOS DE PLANTIO E MANUTENO DE MUDAS DE RVORES ATRAVS DE EQUIPES CONTRATADAS: SERVIOS DE PLANTIO E MANUTENO DE MUDAS DE RVORES ATRAVS DE EQUIPES CONTRATADAS: Uma equipe por NGD e uma volante, no total de 5 equipesUma equipe por NGD e uma volante, no total de 5 equipes PLANTIO DE RVORES SECRETARIA MUNICIPAL DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE
  • Slide 19
  • TCNICOS DA SVMA RESPONSVEIS PELA ARBORIZAO E PELO GERENCIAMENTO DO CONTRATO: TCNICOS DA SVMA RESPONSVEIS PELA ARBORIZAO E PELO GERENCIAMENTO DO CONTRATO: DEPAVE-2: Carla Martin BiancoDEPAVE-2: Carla Martin Bianco NGD-NORTE: Adeliana Saes Coelho BarbedoNGD-NORTE: Adeliana Saes Coelho Barbedo NGD-SUL: Edna Maria Holtz Moura/Carlos Alberto da Silva F/Reinier Marcos RotermundNGD-SUL: Edna Maria Holtz Moura/Carlos Alberto da Silva F/Reinier Marcos Rotermund NGD-LESTE: Luiz Gustavo Arcaro ConcciNGD-LESTE: Luiz Gustavo Arcaro Concci NGD-CENTRO OESTE: Luiz Rodolfo KellerNGD-CENTRO OESTE: Luiz Rodolfo Keller PLANTIO DE RVORES SECRETARIA MUNICIPAL DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE
  • Slide 20
  • ANO SUBPREFEITURATOTAL2005*2006**2007 PIRITUBA/JARAGUA7.961 3.1904.771 CASA VERDE8.132 6.2381.894 FREGUESIA DO 4.640 3.0591.581 VILA MARIA/VILA GUILHERME2.699 1.1111.588 PERUS546 340206 JAAN/TREMEMB1.238 895343 SANTANA/TUCURUVI4.045 2.4381.607 TOTAL29.261017.27111.990 PLANTIO DE RVORES SVMA/NGD-NORTE
  • Slide 21
  • ANO SUBPREFEITURATOTAL2005*2006**2007 CAPELA DO SOCORRO18.3102.1308.6387.542 SANTO AMARO3.143 1.1931.950 JABAQUARA2.972 2.408564 CAMPO LIMPO3.0246041.0501.370 M'BOI MIRIM8.644 5.8952.749 CIDADE ADEMAR3.023 1.2391.784 TOTAL39.1162.73420.42315.959 PLANTIO DE RVORES SVMA/NGD-SUL
  • Slide 22
  • ANO SUBPREFEITURATOTAL2005*2006**2007 ARICANDUVA/VILA FORMOSA11.1212009.4071.514 CIDADE TIRADENTES4.238 2603.978 ERMELINO MATARAZZO3.9081.2731.820815 GUAIANASES1.606 1301.476 ITAIM PAULISTA1.119 ITAQUERA5.173 1.9543.219 MOCA330 PENHA6.951 4.7512.200 SO MATEUS2.390355 2.035 SO MIGUEL PAULISTA4.247 1.2772.970 VILA PRUDENTE1.450 750700 TOTAL42.5331.82820.67920.026 PLANTIO DE RVORES SVMA/NGD-LESTE
  • Slide 23
  • ANO SUBPREFEITURATOTAL2005*2006**2007 MARGINAL SP LA, SE, MO, AF11.767 FREGUESIA DO (MARGINAL)751 VILA MARIA/ VILA GUILHERME (MARGINAL)600 BUTANT16.0447266.7758.543 LAPA9.406 8.891515 MOOCA6.058 4.9761.082 PINHEIROS28 S820 VILA MARIANA350 DIVERSAS500 TOTAL46.32472622.81322.785 PLANTIO DE RVORES SVMA/NGD-CENTRO/OESTE
  • Slide 24
  • ANO NGD TOTAL2005*2006**2007 CENTRO-OESTE46.32472622.81322.785 LESTE42.5331.82820.67920.026 NORTE29.261017.27111.990 SUL39.1162.73420.42315.959 TOTAL157.2345.28881.18670.760 PLANTIO DE RVORES SECRETARIA MUNICIPAL DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE
  • Slide 25
  • Arborizao Urbana x CONVIAS
  • Slide 26
  • Programa de arborizao urbana X Interferncias existentes nas vias pblicas Preveno de danos
  • Slide 27
  • CONVIAS 2 SOLICITA E RECEBE AS INFORMAES DAS PERMISSIONRIAS E CONCESSIONRIAS DE INFRA-ESTRUTURA URBANA FORNECE INFORMAES SOBRE AS REDES DE INFRA- ESTRUTURA URBANA
  • Slide 28
  • Programa de arborizao urbana Prazos reduzidos para execuo do plantio Procedimento diferenciado para solicitao do cadastro de interferncias
  • Slide 29
  • 1- CONVIAS 2 recebe e-mail da SVMA, informando os locais e datas onde ser realizado o plantio de rvores, com a mxima antecedncia possvel. Procedimento diferenciado para solicitao de cadastro: No haver croquis de localizao. Os locais sero identificados atravs de uma listagem de ruas, dividida por subprefeitura, com a descrio dos trechos atingidos (por exemplo: Av. Ipiranga entre a Av. So Joo e a Av. Rio Branco, nos dois lados da via)
  • Slide 30
  • 2- CONVIAS 2 repassa imediatamente esse e-mail para todas as permissionrias e concessionrias de infra-estrutura urbana, solicitando uma resposta urgente (em 24 ou 48hs) :sim ou no, ou seja, se possuem ou no redes implantadas nesses locais; Procedimento diferenciado para solicitao de cadastro:
  • Slide 31
  • 3- Esse e-mail respondido simultaneamente para CONVIAS 2 e para o solicitante: na solicitao ser informado o nome e endereo eletrnico do solicitante ( tcnico da SVMA responsvel pelo plantio no local indicado, e com quem dever ser mantido contato para sanar dvidas sobre as obras, marcar reunies ou agendar o acompanhamento das obras. Devido ao prazo reduzido,no ser solicitado, nesse momento, o envio de arquivos impressos ou eletrnicos referentes s redes existentes, mas sim a presena de um tcnico da Empresa para acompanhamento das obras. Procedimento diferenciado para solicitao de cadastro:
  • Slide 32
  • Compatibilizao Programa de arborizao urbana X Aprovao de Redes Novas nas vias pblicas
  • Slide 33
  • O e-mail de SVMA CONVIAS-2cadastro CONVIAS-1 pesquisa de redes recm- aprovadas e-mail para SVMA e permissionria interferncia lanamento no mapa mapa nico com todas programaes, aprovaes, obras pblicas, restries, etc. consulta durante aprovao interferncia comunique-se para reviso do projeto
  • Slide 34
  • CGVias recebe o comunicado de incio de obras (SVMA) Informe para a CET Informe para as Permissionrias Informe para as SPs Publicao da lista de obras: http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/infrae struturaurbana/convias/obras_novas/0001