Controle Qualidade JABORANDI

of 14 /14
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas Colegiado de Ciências Farmacêuticas Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires

Embed Size (px)

description

controle de qualidade

Transcript of Controle Qualidade JABORANDI

Slide 1UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Informações Gerais
Janilda Moreira
Larissa Ramalho
Thálita Caires
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
Gênero Pilocarpus – Família Rutaceae;
Arbusto ou arvoreta de 3 a 7,5 de altura de grande ocorrência no Brasil;
Fitofármaco cujo princípio ativo é a pilocarpina;
Utilizada para uso oftalmológico, xerostomia e cirurgias ópticas ;
Uso originado na cultura indígena.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
É retirada uma pequena parte do conteúdo a ser analisado representando o todo.
Testes realizados com a finalidade de saber se a matéria-prima poderá ser usada na preparação de medicamentos.
A amostragem é feita manualmente com a droga triturada.
A retirada da amostra é realizada fazendo quarteamento.
1.unknown
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
Exame do aspecto visual, do odor, do sabor e da textura das matérias-primas vegetais
Coleção de farmácogenos legitimados.
Exame visual (contaminação por fungos ou ataque de insetos) e do odor (material em decomposição)
JABORANDI odor aromático e sabor amargo. (Farmacopéia Brasileira, 1977)
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
Parâmetro de identidade botânica dada através de ensaios macro e microscópico e presença dos constituintes químicos.
Análise feita a olho nu ou com auxílio de lupa.
Espécie farmacopéica X adulterante.
JABORANDI:
Folhas – de 3-5 cm (pilocarpus microphyllus) e 4-15cm (outras espécies), imparipinadas, de 3-5 folíolos (ovais ou lanceolados e emarginado na ponta). Venação Broquidódroma.
(Farmacopéia Brasileira, 1977)
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
Faz-se uso do microscópio para auxiliar a análise. (Estrutura do material e constituintes químicos)
JABORANDI: cutículas espessadas e levemente estriada. Estômatos pequenos. Pêlos tectores, espessados, compridos e cobertos com raros pêlos glandulares. Parênquima lacunoso, frouxo e parênquima paliçádico formado por uma fileira de células curtas. No mesófilo aparecem células esquizo-lisígenas de óleo. Feixe vascular com fibras bem espessas. (Farmacopéia, 1977)
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
Identificação da droga por seus constituintes químicos através de reações químicas de caracterização.
JABORANDI (1):
(ANVISA)
4.unknown
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
JABORANDI (2): Cromatografia em camada delgada utilizando sílica-gel como fase e uma mistura de diclorometano-metanol-hidróxido de amômio (85:14:1). Aplicar 40µL da tintura na placa e 20µL de uma solução de 10mg de cloridrato de pilocarpina em metanol com volume completado para 2mL.
Percurso de 15cm. Secar placa em estufa (100-105º C) durante 10 minutos e deixar esfriar. Nebulizar com iodobismutato de potássio aquo-acético e depois com nitrito de sódio. A mancha apresenta-se com coloração castanho-avermelhada.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
JABORANDI : Cromatografia em camada delgada utilizando utilizando uma placa com sílica-gel. Neste teste, prepara-se uma tintura de 1/10 em álcool 60% e uma solução padrão constituída de pilocarpina a 1% em metanol. Deposita-se, separadamente, sobre a placa cromatográfica 20µL da solução da amostra e 2µL da solução padrão. Posteriormente deixar correr (eluir) a placa no solvente clorofórmio-acetona anidreamoníaco concentrado na proporção de 25:24:1 e após 45 minutos seca-se a placa e esta é revelada com solução de iodobismutado de potássio. Na tintura do jaborandi deve aparecer uma mancha principal com intensidade comparável e no mesmo nível que a mancha obtida com a solução padrão de pilocarpina.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
JABORANDI : 1- Umedecer 25g de folhas trituradas com 20mL de uma solução de carbonato de sódio 10%;
2- Extrair com benzeno em um aparelho Soxhlet, durante 3 horas;
3- Extrair a solução fria de benzeno com 4 porções sucessivas de 30, 20, 20 e 10mL de uma solução ácido sulfúrico 1%;
4- Filtrar o líquido ácido e neutralizar com hidróxido de amônio em presença de Vermelho Congo;
5- Oxidar uma solução de permanganato de potássio 1% até que uma gota desta provoque coloração rósea pouco duradoura;
6- Alcalinizar a solução com hidróxido de amônio e extrair 10 vezes com quantidades pequenas de clorofórmio;
7- Neutralizar os extratos clorofórmicos reunidos, após filtração, por carbonato dissódico anidro e com uma solução diluída de ácido nítrico até neutralidade completa;
8- Evaporar em banho-maria e tratar o resíduo com pequena quantidade de acetona , afim de dissolver eventuais impurezas;
9- Filtrar com um cadinho de Gooch, secar em uma temperatura inferior a 100ºC e pesar.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
imidazol
histidina
> 22 componentes (limoneno, sabineno, betacariofileno )
50% (1º ano)
Apenas traços(2º ano)
0,5 a 1% de óleos essenciais
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
É um antagonista colinérgico que provoca constrição pupilar, espasmos da acomodação do cristalino
É Utilizado no tratamento de glaucoma
A aplicação subcutânea de 10 a 15mg provocam vasodilatação e sudorese local aumentada, promove a secreção de glândulas salivares, lacrimais, entre outros. Aumenta a eliminação de água, uréia, cloreto de sódio. Aumentando o tônus e as contrações estomacais.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Departamento de Saúde Colegiado de Ciências Farmacêuticas
Janilda Moreira - Larissa Ramalho - Thálita Caires
Controle de Qualidade de Matéria-Prima Vegetal – Jaborandi (Pilocarpus Jaborandi)
 
 
 
 
 
 
 
 
Evaporar 50mL da titnura de jaborandi
Tratar resíduo com 10mL de água e 5 gotas de HCl
Filtrar e lavar o filtrado com éter etílico
Alcalinizar com hidróxido de amônio 6M
Agitar 2x com 5mL de clorofómio
Agitar soluções clorofórmicas reunidas com 5ml de água
Adicionar 1 gota de ácido nítrico e deixar separar
Juntar à pequeno cristal de dicromato de potássio,
2mL de clorofórmio e 1mL de peróxido de hidrogênio