“MÉTODO GIRALDI” DE TIRO DEFENSIVO NA...

of 22 /22
NPSPP NÚCLEO DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA E PRIVADA DA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ “MÉTODO GIRALDI” DE TIRO DEFENSIVO NA PRESERVAÇÃO DA VIDA, UMA PROPOSTA PARA A POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ CURITIBA 2012

Embed Size (px)

Transcript of “MÉTODO GIRALDI” DE TIRO DEFENSIVO NA...

  • NPSPP

    NCLEO DE PESQUISA EM SEGURANA PBLICA E PRIVADA DA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARAN

    MTODO GIRALDI DE TIRO DEFENSIVO NA PRESERVAO DA VIDA,

    UMA PROPOSTA PARA A POLCIA MILITAR DO PARAN

    CURITIBA

    2012

  • SIDINALDO RAMOS DE SOUZA

    MTODO GIRALDI DE TIRO DEFENSIVO NA PRESERVAO DA VIDA,

    UMA PROPOSTA PARA A POLCIA MILITAR DO PARAN

    Trabalho de Concluso de Curso Artigo Cientfico do Curso de Especializao em Gerenciamento Integrado da Segurana Pblica para a concluso do curso e obteno do grau de Especialista em Gerenciamento Integrado da Segurana Publica.

    CURITIBA

    2012

  • 3

    RESUMO

    O artigo cientfico foi desenvolvido de maneira cientfica e sistmica, abordando assuntos referentes a tiro policial na Polcia Militar de So Paulo, Rio Grande do sul e Paran, suas diferenas e aplicabilidades. Questes sobre a aprendizagem, mtodos e tcnicas de ensino, ferramentas fundamentais para que o policial desenvolva seu trabalho.

    No desenvolvimento do artigo foi empregado o mtodo de pesquisa qualitativa atravs de pesquisa bibliogrfica em fontes de consultas especializadas sobre o assunto, visando encontrar embasamento terico para as afirmaes e desenvolvimento do tema.

    Apresentao de proposta vivel, comparaes de tiro policial, implantao do Mtodo Giraldi na Polcia Militar do Paran, visando melhorar resultados.

    Palavras Chave: Tiro Policial. Aplicabilidades. Aprendizagem. Propostas

    Resultados.

  • 4

    ABSTRACT

    The scientific paper was developed from scientific and systemic way,

    addressing matters relating to police shooting in the military police of So Paulo, Rio

    Grande do Sul and Parana, their differences and applications. Questions about

    learning, teaching methods and techniques, fundamental tools for the police develop

    their work.

    In the development of the article it was used the method of qualitative

    research through bibliographical research into sources of specialized queries on the

    subject in order to find the theoretical basis for the assertions and theme

    development.

    Submission of proposal viable, police shot comparisons, implementation of

    the "Giraldi Method" in the military police of Paran, to improve results.

    Keywords: Police Shooting. Applications. Learning. Proposals. Results.

  • 5

    SUMRIO

    RESUMO .................................................................................................................................................. 3

    ABSTRACT .............................................................................................................................................. 4

    CAPTULO I .............................................................................................................................................. 7

    Identificao do Curso......................................................................................................................... 7

    CAPTULO II ............................................................................................................................................. 8

    2.1.1 Principais Fundamentos do Mtodo .......................................................................................... 9

    2.1.2 Resultados do Mtodo Giraldi ................................................................................................. 9

    2.2 Opinio Desfavorvel da Crtica ao Mtodo Giraldi ................................................................. 10

    2.3 Tiro de Combate Policial, uma Abordagem Tcnica (BMRS) ..................................................... 10

    2.3.1 Tcnicas do Tiro de Combate Policial .................................................................................... 10

    2.3.2 Avaliao de Desempenho e Treinamentos ............................................................................ 11

    2.3.3 Seguranas nos Treinamentos ................................................................................................ 11

    2.3.4 Instruo Preparatria para o Tiro ........................................................................................... 12

    2.3.5 Tiro Policial Bsico ................................................................................................................... 12

    2.3.6 Tiro Policial Avanado .............................................................................................................. 12

    2.3.7 Tiro de Combate Policial Bsico e Avanado .......................................................................... 12

    2.4 Armamento e Tiro Policial na PMPR ........................................................................................... 14

    2.4.1 Ementa ..................................................................................................................................... 14

    2.4.2 Assuntos e Objetivos Especficos ............................................................................................ 14

    2.5 Tiro Policial Montado (PMPR)....................................................................................................15

    CAPTULO III .......................................................................................................................................... 17

    Populao de Estudo ........................................................................................................................ 17

    CAPTULO IV ......................................................................................................................................... 18

    4 Anlise e Discusso de Dados ...................................................................................................... 18

    4.1 Anlises Finais ........................................................................................................................... 19

    CONCLUSO ......................................................................................................................................... 21

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS..................................................................................................... 22

  • 6

    INTRODUO

    Sidinaldo Ramos de Souza

    Orientador: Mrcio Adriano Anselmo

    O trabalho desenvolvido pelo autor nas atividades de ensino, bem como em

    capacitaes realizadas na rea de tiro defensivo, a motivao para o

    desenvolvimento do tema, com a viso de apresentar propostas de mudanas,

    melhorarem resultados e inovar a Policia Militar do Paran.

    A disciplina de tiro policial responsvel pela habilitao ao uso das armas

    de fogo e instrumentos de menor poder ofensivo de dotao da Polcia Militar do

    Paran, tendo incumbncia de formar, especializar e aperfeioar policiais militares

    nos cursos existentes.

    Dentro do contexto geral de ensino da Polcia Militar do Paran o curso de

    tiro policial sempre encontrou dificuldades de funcionamento: instrutores, munies,

    armamentos, estandes de tiro, padronizao de tcnicas, mtodos de ensino e

    aprendizagem, carga horria insuficiente e interesse do policial. Ao final somada

    causam prejuzos corporao e ao prprio policial. Policiais que realizaram o curso

    de tiro policial e no conseguem ter habilidades com as armas, utilizaram tcnicas

    superadas, efetuaram poucos disparos e foram considerados aptos para

    desenvolver suas atividades.

    Busca-se solues, investimentos em dotao de material e pessoal, o

    primeiro importante o segundo fundamental. Os governantes trabalham no sentido

    amplo, esperam que os policiais utilizem suas armas de fogo e instrumentos de

    menor poder ofensivo, de forma eficiente, respeitando os Direitos e Deveres

    Individuais e Coletivos, Art. 5 da Constituio Federal.

    Graduao em Pedagogia, com curso de formao de Soldado, Cabo e Sargento/PM, Curso de Aperfeioamento de Sargento/PM, atualizao profissional em Polcia Judiciria, Condutor de Viatura/PM e Tiro Defensivo de Preservao da Vida Mtodo Giraldi.

  • 7

    CAPTULO I

    OBJETIVOS DE PESQUISA

    Identificao do Curso

    Identificar no Mtodo Giraldi de Tiro Defensivo de Preservao da Vida, a

    sua aplicabilidade na atividade policial, seu desenvolvimento e emprego, novidades

    tticas e tcnicas de tiro e metodologia.

    Avaliar os manuais, desenvolvidos pelo Metodo Giraldi, no tocante a tiro

    policial, sua regulamentao e todas as atividades de ensino relacionadas a tticas

    de confrontos armados, tcnicas de abordagem e gerenciamento de crises, Tiro de

    Combate Policial, Uma Abordagem Tcnica da Brigada Militar do Rio Grande do Sul

    (BMRS), no Paran ser pesquisado o CEFC PM/2012 e o Tiro Policial Montado.

    Identificar nas instrues, seus realismos, surgimento de efeitos quanto

    segurana dos policiais, violncia e criminalidade. Se com Mtodo Giraldi, Tiro de

    Combate Policial, Uma Abordagem Tcnica ou a tcnica usada no CEFC PM/2012 e

    o Tiro Policial Montado do Paran os alunos recebem os conhecimentos bsicos e

    tcnicas de emprego dos armamentos e instrumentos de menor poder ofensivo,

    quanto prtica, aplicao dos conhecimentos adquiridos, simulaes, situaes

    reais, abordagem a pessoas suspeitas e ocorrncias com refns. Utilizao dos

    alvos, simulao de marginais e agressores, cidados de bem e policiais. Nas

    pistas, se o aluno verbaliza, busca sada pacfica, faz emprego do armamento ou

    utiliza instrumentos de menor poder ofensivo.

    meta desta pesquisa, mostrar a necessidade de aprimoramento nas

    instrues de tiro policial na PMPR, buscar a padronizao nas instrues, formar

    instrutores e qualificar mais policiais militares, com o Mtodo Giraldi melhorar

    resultados e viabilizar sua implantao. Em que situao o mtodo interfere na

    diminuio da violncia e nas atividades policiais militares? aplicvel na Polcia

    Militar do Paran? de interesse do Comandante Geral a implantao do mtodo?

  • 8

    CAPTULO II

    MARCO TERICO

    O mtodo Giraldi foi desenvolvido por Nilson Giraldi, policial militar de SP,

    uma doutrina de atuao armada da polcia para servir e proteger a sociedade, com

    utilizao de vrias armas de fogo e instrumentos de menor poder ofensivo, onde

    cada uma tem seu prprio manual, prevendo sua utilizao. Estabelecendo ainda

    ser possvel solucionar conflitos utilizando o mtodo, sem disparos, bombas ou

    invases, etc.

    2 Principais Fundamentos do Mtodo

    Condicionamentos de reflexos, treinarem todo o tipo de procedimentos

    (treinamento imitativo da realidade), na constatao de Giraldi (2003, p. 15, 16),

    quando menciona os reflexos positivos e negativos, natos dos seres humanos.

    O mtodo obedece fielmente a Lei n. 10.826, de 22 de dezembro de 2003 e

    aos Direitos Humanos: Decreto n. 7.037 de 21 de dezembro de 2009, Decreto n.

    6.044 de 12 de fevereiro de 2007 e Decreto n. 40 de 15 de fevereiro de 1991.

    Ressalta ainda, as qualidades exigidas do professor do mtodo, tais como,

    eficincia, competncia e referncia para os alunos.

    Quem pode atuar como professores? Somente os policiais que realizaram

    Mtodo Giraldi de Tiro Defensivo de Preservao da Vida.

    Diviso em etapas: curso bsico. O aluno aprende posies de tiro, (em p,

    ajoelhado, deitado e outras. Utiliza simulaes de ocorrncias reais, usam-se vrios

    tipos de alvos, verificando sempre o tempo de ao e reao do policial no tiro.

    Treinamento virtual, simuladores e paint Ball, no devem ser usados com

    treinamentos para policiais, por ser ilusrio falso e fora da realidade das ruas, o

    policial no tem como interagir com as cenas projetadas, como se movimentar,

  • 9

    progredir, verbalizar e negociar, fazer tomadas de ngulo, olhadas rpidas atravs

    de janelas, portas, cantos de muros, etc.

    O policial ser avaliado passando por uma pista prtica de aplicao, e

    demonstrar o que sabe e se est em condies de atuar armado em sua defesa e

    da sociedade, os acertos e erros, sero registrados em smulas prprias e conceitos

    insuficiente, regular, bom e muito bom sero expedidos.

    As pistas de tiro podem ser simples ou sofisticados, desde um barranco a cu

    aberto, casas abandonadas e modernos centros de treinamentos com construes

    imitando a realidade, utilizando alvos com silhuetas humanas, fixos, mveis,

    manuais e automatizados.

    H uma preocupao constante com a vida social do policial: famlia, amigos,

    moradia, sade, educao, segurana e laser.

    O Mtodo Giraldi tem como lema: violncia nunca, tortura jamais, fora a

    necessria, total respeito Lei n. 10.826, de 22 de dezembro de 2003 e aos

    Direitos Humanos: Decretos n. 7.037 de 21 de dezembro de 2009, 6.044 de 12 de

    fevereiro de 2007 e 40 de 15 de fevereiro de 1991 e mudanas de cultura na

    atuao armada das polcias.

    O curso totalmente prtico e pessoas de outros rgos tambm se

    interessam como os magistrados, promotores, jornalistas, ouvidores, jornalistas, etc.

    devidamente registrado e patenteado, e est disposio de todas as polcias e

    policiais.

    Giraldi (2002) comprova que a base tcnica o treinamento. Este deve ser

    correto, deve ser considerado no como gasto, mas como investimento e deve-se

    primar pela qualidade dos instrutores. Para mim, a matria mais importante para

    uma instituio policial a instruo de tiro e o instrutor de tiro tem a funo de

    maior responsabilidade entre todas as funes.

    2.1 Resultados do Mtodo Giraldi

    Reduo de mortes, menos incapacidades fsicas, condicionamentos dos

  • 10

    policiais com armas de fogo e instrumentos de menor poder ofensivo, qualidade de

    vida e servir e proteger a sociedade.

    2.2 Opinio Desfavorvel da Crtica ao Mtodo Giraldi

    "Mtodo Giraldi" isso no mnimo uma grande incoerncia, para no dizer uma grande hipocrisia.

    No somos guardas civis, no temos que aprender coisa alguma com a Polcia Militar, mas ao contrrio, somos uma polcia verdadeiramente comunitria, trabalhamos junto comunidade. No somos guardas civis, que so conhecidos pelas diversas aes truculentas, repressivas, arbitrrias e letais constantes diariamente nos noticirios.

    Isso uma total inverso de valores, mais uma demonstrao de que a Prefeitura de So Paulo est contaminada e loteada para estes elementos oriundos da Polcia Militar, querem transformar a guarda civil Metropolitana, em uma Corporao subordinada Polcia Militar.

    No deixem isso acontecer! No deixem que te manipulem.

    http://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.html Acessado em: 29 de outubro de 2012 - Blog do GCM Duarte

    Esta uma critica, feita por um Guarda Civil Metropolitano em 2010, aborda

    o aspecto da Guarda Civil Metropolitana (GCM), ser instruda pela PMESP e utilizar

    o Mtodo Giraldi de Tiro Defensivo de Preservao da Vida.

    2.3 Tiro de Combate Policial, uma Abordagem Tcnica (BMRS)

    Consiste em utilizar a tcnica correta, eliminar vcios e condicionar o homem a

    utilizar o armamento com eficincia e eficcia, mesmo em situao de stress

    elevado, na constatao de Oliveira (2001), vai depender da capacidade do instrutor

    e da maneira como o tiro de combate ensinado.

    2.3.1 Tcnicas do Tiro de Combate Policial

    realizada uma instruo progressiva, evoluindo para nveis aceitveis no

    http://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.htmlhttp://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.htmlhttp://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.html

  • 11

    desempenho e no uso da arma de fogo. Antes de atirar o policial tem de aprender a

    atirar, realizar do mximo possvel de tiros em seco (arma vazia), para instruo com

    arma curta. Treinar fundamentos bsicos, empunhadura, acionamento do gatilho e

    saque. Iniciar o tiro real buscando o agrupamento de impactos, estabelecendo

    objetivos, ou seja, comportamento, critrio e a condio.

    2.3.2 Avaliao de Desempenho e Treinamentos

    As formas especficas de avaliar o desempenho dos policiais nas instrues e

    nos treinamentos de tiro de combate se dividem em cinco mdulos e separados por

    armas, de acordo com o nvel de experincia dos instruendos, que so:

    Instruo Preparatria para o Tiro - IPT;

    Tiro Policial Bsico - TPB;

    Tiro de Combate Policial Bsico - TCPB;

    Tiro de Combate Policial Avanado - TCPA;

    Tcnica de Ensino do Tiro de Combate Policial TETCP;

    Condicionamento para o Tiro CT.

    2.3.3 Seguranas nos Treinamentos

    Preocupaes com segurana devem ser constantes por parte dos instrutores

    de tiro e auxiliares:

    a) a instruo prtica envolve um risco elevado;

    b) os alunos, estes mantero suas armas descarregadas no coldre;

    c) dever haver uma viatura no local da Instruo, para remoo dos

    acidentados;

    d) no permitir algazarras;

  • 12

    e) garantir a segurana no local;

    f) no apontar a arma de fogo para algum.

    2.3.4 Instruo Preparatria para o Tiro

    Os instruendos so habilitados tecnicamente nas regras de segurana,

    manejo bsico, desmontagem e montagem de armas dentro do escalo permitido,

    fundamentos de tiro como a empunhadura, posies e outros, de forma a ter

    condies de iniciar com segurana e economia de exerccios prticos de tiro.

    2.3.5 Tiro Policial Bsico

    Buscam-se trabalhar os fundamentos de tiro e sua prtica, treinado posies,

    empunhadura da arma e presso do gatilho de modo exaustivo de forma

    automatizar movimentos, iniciando a prtica de tiro, buscando se a preciso e o

    agrupamento dos disparos, at obter-se o nvel policial (80% de aproveitamento, no

    mnimo), mas sem exigncia de esforo fsico ou de tempo.

    2.3.6 Tiro Policial Avanado

    Tcnicas de tiro aliando preciso e rapidez, as regras de segurana nas

    pistas de tiro, os exerccios de deslocamentos com a arma de fogo, a segurana de

    edificaes, a abordagem de pessoas em diversos nveis, e os fundamentos de

    deciso na hora de atirar

    2.3.7 Tiro de Combate Policial Bsico e Avanado

  • 13

    Os instruendos iniciam os trabalhos nas pistas de combate policial, com

    nfase preciso, qualidade e deciso de tiro, com rapidez e segurana, conforme

    a instruo de direito penal aplicado ao tiro. O ambiente da instruo simular as

    condies de trabalho policial nas ruas. O Tiro de Combate Avanado destina-se

    aos policiais integrantes de equipes de atiradores de preciso, para uso ttico em

    situaes de alto grau de risco, compreendendo tcnicas combinadas, com uso de

    vrios tipos de armas e equipamentos, em aes coordenadas. A Instruo partir

    sempre da arma mais simples para a mais complexa. Observando o previsto no

    programa de instruo, o instrutor seguir uma ordem lgica, para que os objetivos

    de ensino sejam alcanados. Demonstrar posies e fundamentos do tiro com

    imediata repetio pelos alunos, os mesmos se dividiro em grupos para o mtodo

    das oficinas, onde sero montadas vrias estaes, onde so desenvolvidos

    trabalhos concomitantes, acompanhadas de um monitor:

    a. estao de montagem/desmontagem;

    b. estao de manuteno/limpeza;

    c. estao de manejo;

    d. estao de aparelho de pontaria;

    e. estao de posies de tiro;

    f. estao de tiro em seco.

    Os monitores auxiliam na verificao de erros e regras de segurana.

    Para proporcionar ao atirador obter altos nveis de treinamento individual e na

    economia de munio, se treina muito os fundamentos de tiro, em seguida passa-se

    a utilizar munio real e pistas de tiro de combate policial. Dentre elas a Moore

    System, que tem como idealizador Srgio Colo Moore, tambm conhecido com

    pista oito. Em seguida utiliza algumas pistas com deciso de tiro, do Mtodo

    Giraldi.

  • 14

    2.4 Armamento e Tiro Policial na PMPR

    Curso Especial de Formao de Cabos Policias Militares/2012, em

    funcionamento na Escola de Formao e Especializao de Praas da Academia

    Policial Militar do Guatup/PR.

    2.4.1 Ementa

    Capacitar e habilitar os instruendos para a adoo eficiente das tcnicas e

    fundamentos necessrios para as operaes de manejo, procedimentos

    operacionais e execuo de disparos reais nas posies tradicionais e no ortodoxia

    com as armas de porte em uso na Corporao, a saber: Pistola Taurus PT940,

    PT100, PT 840 e PT24/7.

    2.4.2 Assuntos e Objetivos Especficos

    Legislao: descrever ao aluno os aspectos legais que regulam o emprego de

    arma de fogo, notadamente ao Cdigo de Conduta para funcionrios Responsveis

    pela Aplicao da Lei e princpios bsicos sobre a utilizao da fora e de armas de

    fogo pelos mesmos.

    Normas Gerais de Segurana: identificar e compreender as regras primordiais

    para a segurana em instruo, locais apropriados para treinamentos, equipamentos

    de proteo individual e coletiva.

    Fundamentos do tiro:

    - Conhecimento de arma e munio;

    - Empunhadura;

    - Posies;

    - Respirao;

  • 15

    - Visada;

    - Acionamento do gatilho;

    - Acompanhamento do alvo.

    Objetivo de compreender e executar os fundamentos bsicos do tiro policial,

    executar em seco, todos os itens da instruo preparatria do atirador com as

    armas de porte.

    Reviso dos incidentes de tiro: identificar e solucionar os principais incidentes

    de tiro com a arma de fogo.

    Prtica de tiro de preciso com pistola: executar disparos de adaptao com

    pistola, a distncias curtas com maior nfase na preciso.

    Engajamento rpido do alvo: realizar exerccios de tiro com pistola, visando

    rpida apresentao da arma e engajamento do alvo.

    Posies de tiro: realizar exerccios de tiro com a prtica de disparos nas

    posies, em p, ajoelhado e deitado.

    Treinamento de tiro com emprego de tcnicas operacionais para recarga:

    administrativa, ttica e de combate utilizar pista simulada, com emprego de tcnicas

    de recarga durante a utilizao da pistola.

    Proteo no terreno: utilizar coberturas, abrigos, existentes no terreno atravs

    da execuo de pista de tiro simulada.

    Manuteno do armamento: no final da instruo realizar a manuteno de

    primeiro escalo no armamento e a recarga do mesmo com a munio de trabalho

    dos policiais.

    Munio prevista para cada aluno no curso: 90 (noventa);

    Carga horria: 30 (trinta), STE Chefia - APMG (2012).

    2.5 Tiro Policial Montado (PMPR)

    Desenvolvido por Mrcio Luiz Fonseca, policial militar do Paran, consiste em

    uma modalidade de patrulhamento a cavalo de importncia inconteste no contexto

  • 16

    geral das mais variadas formas de policiamento e se faz presente na grande maioria

    das instituies policiais do mundo. Possui caractersticas prprias e, portanto, exige

    procedimentos especficos, particularmente quando de trata de manejo de tiro onde

    o equilbrio e a estabilidade corporal tm fundamental importncia para a preciso

    do tiro, segundo Fonseca (2006, p. 9) o policiamento montado uma variao do

    policiamento ostensivo geral o mais tradicional do mundo.

    Porm devido exatamente a sua mobilidade, surgem Inmeras dificuldades

    para o policial quando este obrigado a usar sua arma de fogo, dificuldades estas

    que aumentam ou diminuem conforme o andamento do animal, ao passo, ao trote

    ou a galope. Adaptar tcnicas ortodoxas de tiro a estas condies adversas um

    desafio bastante grande e difcil, requer de seu autor conhecimento em diversas

    reas da atividade policial, alm de uma predisposio muito grande pesquisa e a

    busca, Fonseca (2006, p. 11).

    O cavalo um animal irracional e apresenta reaes instintivas e

    inesperadas, resultantes de movimentos bruscos ou sons externos, para que se

    possa executar disparo de armas de fogo montado necessrio que haja

    treinamento tanto do policial, quanto do eqino. Desta forma recomenda-se comear

    o treinamento de cavalo e cavaleiro inicialmente, apeados com munio de festim,

    nos dois lados do eqino, para que o mesmo se acostume com o estampido

    produzido pela arma. Na sequncia, os disparos de festim podero ser executados

    montados a cavalo, parado, ao passo e com pacincia, tempo e persistncia, poder

    dar continuidade ao treinamento avanado nos andamentos at o galope. Porm,

    taql treinamento apenas objetiva deixar o cavalo e cavaleiro preparado para uma

    situao de emergncia, na qual o policial no tem tempo de apear do cavalo para

    execuo do disparo, aconselha-se, portanto, sempre que possvel executar disparo

    apeado.

    As instrues de aprendizagem devem ser feitas diariamente, j as de

    manuteno, mensalmente, Para as de aprendizagem, uma quantidade pequena de

    conjuntos (cavalo cavaleiro) deve ser reunida para manter a segurana de todo o

    grupo, lembrando que se tivermos dez conjuntos, teremos vinte alunos, pois cavalo

    constitui um e o cavaleiro outro, Fonseca (2006, p. 19).

  • 17

    CAPTULO III

    Populao de Estudo

    Polcia Militar do Paran, criada pela Lei n 7, de 10 de agosto de 1854,

    Decreto 667 do mesmo ano, atualmente na constatao da DP/2 setor de

    movimentao conta com efetivo de 19.272 (no foi aplicado o TCLE).

    Como parmetro de incluso desenvolvido pelo autor foi levantado que o

    efetivo da Polcia Militar do Paran em relao ao da Polcia Militar do Estado de

    So Paulo (93.986), menor, o que facilitar a implantao do Mtodo Giraldi de

    Tiro Defensivo de Preservao da Vida.

    Como parmetro de excluso seria a descentralizao do Mtodo Giraldi,

    na PMESP funciona somente na Escola Superior de Educao Fsica e no Paran

    poder se estender a todas as Unidades Operacionais.

    O critrio de escolha da populao (Polcia Militar do Paran) no foi por

    acaso, culturas e sistemas de polcias bem diferentes, porm com nveis de violncia

    parecidos. No Paran a aplicao das instrues de tiro policial funciona bem, mas

    pode ser melhor, no segue uma padronizao e nem tem muita coisa escrita, o

    desafio de implantar o Mtodo Giraldi algo desafiador, porm compensador por

    apresentar organizao, simplicidade e respostas positivas quanto a violncia do

    pblico interno e populao.

  • 18

    CAPTULO IV

    4 Anlise e Discusso de Dados

    Mtodo Giraldi de Tiro Defensivo de Preservao da Vida: doutrina de

    atuao armada completa, que estabelece, ou seja, solucionar conflitos sem

    disparos, bombas invases, etc.

    Obedece a Lei n. 10.826, de 22 de dezembro de 2003 e aos Direitos

    Humanos: Decretos n. 7.037 de 21 de dezembro de 2009, 6.044 de 12 de fevereiro

    de 2007 e 40 de 15 de fevereiro de 1991.

    Tem como caractersticas, movimentao, progresso, verbalizao,

    negociao e por ltimo o tiro.

    Qualquer pequena rea fechada ou aberta pode se transformar em locais de

    treinamentos (barrancos, construes, centros de treinamentos e em servio, etc.).

    Preocupao constante com o policial estando de servio ou no.

    Seus pilares: violncia nunca, tortura jamais e fora a necessria.

    O fato de pessoas de outros rgos se interessarem a realizar o curso.

    Tiro de Combate Policial, Uma Abordagem Tcnica: tcnica completa

    elimina vcios e condiciona o homem a utilizar o armamento com eficincia, porm

    depende da capacidade do instrutor e da maneira como o tiro de combate policial

    ensinado.

    A instruo progressiva e evolutiva, preocupao com economia de

    munio, com a segurana, principalmente por parte dos instrutores e auxiliares.

    As instrues bsicas de tiro so separadas por armas, em mdulos

    especficos de acordo com o nvel de experincia do aluno. Utilizam algumas pistas

    do mtodo giraldi.

  • 19

    Curso Especial de Formao de Cabos Policias Militares: capacita e habilita

    o instruendo para tiro, executa procedimentos e disparos reais desde o incio, pratica

    diversas posies. Utilizam armas de porte em uso na Corporao.

    Repassa aos alunos os assuntos a serem tratados, os objetivos a ser

    alcanado e os procedimentos especficos para cada situao. Descreve os

    aspectos legais que regulam o emprego de arma de fogo.

    Tiro Policial Montado: Modalidade de patrulhamento a cavalo, com

    caractersticas prprias e exige procedimentos especficos, particularmente quando

    se trata de manejo e tiro policial.

    4.1 Anlises Finais

    O Mtodo Giraldi de Tiro Defensivo de Preservao da Vida apresenta-se

    mais completo e sua implantao na Polcia Militar do Paran vir a somar, por

    vrias razes: padronizao nas instrues de tiro policial, ser multidisciplinar,

    englobando tticas de confrontos armados, tcnicas de abordagem, gerenciamento

    de crises e o tiro policial num s mtodo.

    Como implantar: a PM/3, elaborar Plano de Instruo, baseado nos manuais

    do Mtodo Giraldi, promover a distribuio e divulgao virtual para o efetivo.

    O Diretor de Ensino: abrir Edital do Curso de Instrutores de Tiro Defensivo

    Categoria, Oficiais e Praas PM/BM, designar Instrutores e Monitores, Homologar

    Coordenador e Grade Curricular.

    A APMG: elaborar Grade Curricular e Plano de Curso, selecionar Instrutores e

    Monitores (pr-requisitos, ter realizado o curso do Mtodo Giraldi) e encaminhar

    para homologao do DE;

    Aos Comandantes: conhecer, analisar e incentivar seus efetivos a realizar o

    curso;

    Ao policial militar: interesse no aprendizado e orgulho de ser instrutor de tiro

    policial.

  • 20

    O Comandante Geral e o Diretor de Ensino: com a certeza do sucesso do

    curso, mas com as dificuldades de funcionamento e consequente formao de

    instrutores, poder ser preenchida as vagas solicitadas e disponibilizadas a PMPR

    por outras Organizaes Policiais Militares (OPMs), sem nus para o Estado.

    O Curso de Instrutores de Tiro Defensivo Categoria, Oficiais e Praas, ser

    apenas o comeo da aplicao do Mtodo Giraldi na PMPR, depois de concludo

    com aproveitamento, o instrutor estar apto e ser um multiplicador do mtodo em

    todas as Unidades.

    Curso de Instrutores de Tiro Defensivo Categoria, Oficiais e Praas PM/BM.

    Pr-requisitos: ser policial militar ou bombeiro militar, estar ao incio do curso,

    no mnimo, no comportamento Bom.

    Estar bem de sade, comprovado com exames de sade atestado pela

    JOS/HPM.

    Ser aprovado pelo Teste de Aptido Fsica (TAF), aplicado por uma Banca

    Examinadora, Indicada pelo Diretor de Ensino.

    Local de funcionamento: APMG (salas de aula, pista de tiro, casa de pneus,

    etc.).

    Durao do curso: 30 (trinta) dias.

    Carga horria: 220 h/a.

    Armamento: Revolver Taurus Cal. .38 SPL/.357Magnum, PT9.40, PT100, PT

    840 e PT24/7, Carabina Taurus/FAMAE CT .40 e Metralhadora de Mo

    Taurus/FAMAE MT .40.

    Alimentao: a cargo da APMG.

    Fardamento: os de uso do policial.

    OBS: poder ser solicitadas, gestes junto ao BOBE/COE, quanto

    demonstrao e utilizao de armamentos especiais e guerra qumica (Fuzis,

    metralhadoras e granadas), e a PMESP, materiais didticos correlatos.

  • 21

    CONCLUSO

    Quanto aplicabilidade, se verificou que perfeitamente possvel, j que as

    novidades apresentadas so acompanhadas de tcnicas simples e de fcil

    entendimento e valorao do policial.

    Na medida em que o mtodo enfatiza a limitao do uso da arma de fogo e

    instrumentos de menor poder ofensivo somente a situaes extremas, so

    respeitadas e valorizadas a vida e os direitos humanos.

    Avaliando os manuais do Mtodo Giraldi, o livro de Tiro de Combate Policial,

    Uma Abordagem Tcnica, o Plano de Disciplina do CEFC PM/2012 e Tiro Policial

    Montado, o primeiro se mostra mais completo, por apresentar solues viveis e

    inovadoras na rea de tiro policial.

    O Mtodo Giraldi apresenta em seu curso, realismo, segurana dos policiais

    e na prtica solues infalveis para conter a violncia e a criminalidade, atravs da

    inteligncia, sabedoria, pacincia e profissionalismo.

    Foi suprida a necessidade de aprimoramento nas instrues de tiro policial,

    com um perfeito condicionamento de tiro e padronizao de tticas e tcnicas

    aplicadas.

    H interferncia positiva do mtodo na diminuio da violncia, uma vez que

    o policial bem preparado coloca em pratica todo aprendizado e no momento do

    perigo, tem condies de decidir, qual a melhor soluo.

    Interesse dos Comandantes pelo funcionamento dos cursos de Instrutores

    depender de comprometimentos e atitudes dos policiais militares, seja buscando

    informaes, apresentando projetos na rea de tiro policial ou mostrando os

    benefcios que ele trs para Segurana Pblica. Problemas financeiros e de efetivo

    existiro e no impediro o surgimento de Programas voltados a Segurana Pblica.

  • 22

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    1. ARMAMENTO. Portaria n 426, de 8 de julho de 2010. Comando Geral da PMPR.

    2 BLOG do GCM DUARTE, 2010. Disponvel em:

    http://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.html. Acessado em: 29 de outubro de 2012.

    3. Decreto n. 7.037 de 21 de dezembro de 2009,

    4. Decreto n. 6.044 de 12 de fevereiro de 2007.

    5. Decreto n. 40 de 15 de fevereiro de 1991.

    6. DE JESUS, Damsio Evangelista. Crimes de Porte de Arma de Fogo e Assemelhados 3 Edio. So Paulo: Saraiva. 2001.

    7. FONSECA, Mrcio Luiz. Tiro Policial Montado. Paran: AVM. 2006.

    8. GIRALDI, Nilson. Tiro Defensivo de Preservao da Vida / Pistola. So Paulo: PMESP. 2002.

    9. GIRALDI, Nilson. Tiro Defensivo de Preservao da Vida / Revolver. So Paulo: PMESP. 2002.

    10. GIRALDI, Nilson. Tiro Defensivo de Preservao da Vida / Evitando Tragdias. So Paulo: PMESP. 2002.

    11. Lei n. 10.826, de 22 de dezembro de 2003.

    12. OLIVEIRA, Joo Alexandre Voss de, GOMES, Gerson dias, FLORES, rico Marcelo. Tiro de Combate Policial: Uma Abordagem Tcnica. Erechim/ So Cristovo, 2001.

    13. PD. Plano de Disciplina de Armamento e Tiro Policial CEFC PM/2012. So Jos

    dos Pinhais APMG. 2012.

    14. Policia Militar do Estado de So Paulo (PMESP),

    htp//www.wikipedia.org/wiki/Policia_Militar_do_Estado_de_Sao_Paulo. Acessado

    em: 23 de novembro de 2012.

    http://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.htmlhttp://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.htmlhttp://policiamunicipaldobrasil.blogspot.com.br/2010_09_19_archive.html

    RESUMOABSTRACTCAPTULO IIdentificao do Curso

    CAPTULO II2 Principais Fundamentos do Mtodo2.1 Resultados do Mtodo Giraldi2.2 Opinio Desfavorvel da Crtica ao Mtodo Giraldi2.3 Tiro de Combate Policial, uma Abordagem Tcnica (BMRS)2.3.1 Tcnicas do Tiro de Combate Policial 2.3.2 Avaliao de Desempenho e Treinamentos2.3.3 Seguranas nos Treinamentos2.3.4 Instruo Preparatria para o Tiro2.3.5 Tiro Policial Bsico2.3.6 Tiro Policial Avanado2.3.7 Tiro de Combate Policial Bsico e Avanado2.4 Armamento e Tiro Policial na PMPR2.4.1 Ementa2.4.2 Assuntos e Objetivos Especficos2.5 Tiro Policial Montado (PMPR)

    CAPTULO IIIPopulao de Estudo

    CAPTULO IV4 Anlise e Discusso de Dados4.1 Anlises Finais

    CONCLUSOREFERNCIAS BIBLIOGRFICAS