Norma nº 019/2011 de 28/09/2011

Click here to load reader

  • date post

    08-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    216
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Norma nº 019/2011 de 28/09/2011

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 1/17

    NMERO: 019/2011

    DATA: 28/09/2011

    ATUALIZAO: 30/07/2015

    ASSUNTO: Abordagem Teraputica das Dislipidemias no Adulto

    PALAVRAS-CHAVE: Dislipidemias PARA: Mdicos do Sistema de Sade

    CONTACTOS: Departamento da Qualidade na Sade ([email protected])

    Nos termos da alnea a) do n 2 do artigo 2 do Decreto Regulamentar n 14/2012, de 26 de Janeiro, por

    proposta conjunta do Departamento da Qualidade na Sade, do Programa Nacional para as Doenas

    Crebro-cardiovasculares e da Ordem dos Mdicos, emite a seguinte:

    NORMA

    1. Na abordagem teraputica das dislipidemias os mdicos devem promover intervenes no estilo de

    vida, adequadas a cada pessoa, considerando-se nomeadamente (Nvel de Evidncia A, Grau de

    Recomendao I)1-3,9,11

    :

    a) A adoo de uma dieta variada, nutricionalmente equilibrada, rica em legumes,

    leguminosas, verduras e frutas e pobre em gorduras (totais e saturadas);

    b) A prtica regular e continuada de exerccio fsico, 30 a 60 minutos, quatro a sete dias por

    semana;

    c) O controlo e a manuteno de peso normal, isto , ndice massa corporal igual ou superior a

    18,5 mas inferior a 25; e permetro da cintura inferior a 94cm, no homem, e inferior a 80 cm,

    na mulher;

    d) A restrio do consumo excessivo de lcool (mximo 2 bebidas/dia);

    e) A diminuio do consumo de sal (valor ingerido inferior a 5,8 g/dia);

    f) A cessao do consumo de tabaco.

    2. objetivo teraputico, na pessoa com um risco cardiovascular baixo (SCORE < 1%) a moderado

    (SCORE 1% a < 5%), manter o valor de c-total inferior a 190 mg/dla e c-LDL inferior a 115 mg/dl

    (Nvel de Evidncia C, Grau de Recomendao IIa)3,9, 10,11

    .

    a Equivalncias de todos os valores desta Norma referidos como mg/dl esto em Anexo I, Quadros 2 e 3

    mailto:[email protected]

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 2/17

    3. objetivo teraputico, na pessoa assintomtica e com um risco cardiovascular alto (SCORE 5% a

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 3/17

    8. Se com a indicao de intervenes no estilo de vida no ocorrer reduo da trigliceridemia devem

    ser consideradas as seguintes opes farmacolgicas:

    a) Nos casos de risco cardiovascular alto, as estatinas so os frmacos de primeira escolha por

    reduzirem o risco cardiovascular total e a hipertrigliceridemia; fibrato, niacina ou cidos

    gordos mega-3 tambm podem ser indicados;

    b) Na ausncia de risco cardiovascular alto, para a reduo da hipertrigliceridemia considerar

    os fibratos (Nvel de Evidncia B, Grau de Recomendao I) a niacina (Nvel de Evidncia B,

    Grau de Recomendao IIa) ou os cidos gordos mega-3 (Nvel de Evidncia B, Grau de

    Recomendao IIa)6,9,11

    .

    9. No caso de hipertrigliceridemia muito elevada, isto , superior a 880 mg/dl, o principal risco clnico

    o de pancreatite; nestes casos, so obrigatrias medidas de restrio dietticas e o tratamento

    farmacolgico.

    10. Concentraes de c-HDL inferiores a 40 mg/dl no homem ou inferiores a 45 mg/dl na mulher so

    considerados marcadores de risco cardiovascular acrescido.

    11. A Qualquer exceo Norma fundamentada clinicamente, com registo no processo clnico.

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 4/17

    12. O algoritmo clnico

    Avaliao de Dislipidemias

    Doentes com DCV, diabetes, DRC

    Indivduos com fatores de risco ou risco cardiovascular aumentado

    Doseamento laboratorial CT, C-LDL, C-HDL, TG

    C-LDL100mg/dL

    2 Avaliao do perfil lipdico (intervalo mnimo de 4 semanas)

    Risco Cardiovascular Global Risco Cardiovascular Global

    10% *RCV muito

    elevado

    5% e < 10%**RCV alto

    1% e < 5%***RCV moderado

    < 1% RCV baixo e C-LDL 190mg/dL

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 5/17

    13. O instrumento de auditoria clnica

    Instrumento de Auditoria Clnica

    Norma Abordagem Teraputica das Dislipidemias "

    Unidade:

    Data: ___/___/___ Equipa auditora:

    1: Educao para a Sade

    Critrios Sim No N/A EVIDNCIA/FONTE

    Existe evidncia de que na p doente, a abordagem teraputica das dislipidemias,

    inclui a promoo de intervenes no estilo de vida, considerando-se

    nomeadamente: a adoo de uma dieta variada, nutricionalmente equilibrada,

    rica em legumes, leguminosas, verduras e frutas e pobre em gorduras (totais e

    saturadas); a prtica regular e continuada de exerccio fsico, 30 a 60 minutos,

    quatro a sete dias por semana; o controlo e a manuteno de peso normal, isto ,

    ndice massa corporal igual ou superior a 18,5 mas inferior a 25; e permetro da

    cintura inferior a 94cm, no homem, e inferior a 80 cm, na mulher; a restrio do

    consumo excessivo de lcool (mximo 2 bebidas/dia); a diminuio do consumo

    de sal (valor ingerido inferior a 5,8 g/dia); a cessao do consumo de tabaco

    Sub-total 0 0 0

    NDICE CONFORMIDADE %

    2: Tratamento Farmacolgico

    Critrios Sim No N/A EVIDNCIA/FONTE

    Existe evidncia de que no doente com um risco cardiovascular baixo (SCORE <

    1%) a moderado (SCORE 1% a < 5%) o objetivo teraputico manter o valor de c-

    total inferior a 190 mg/dl e c-LDL inferior a 115 mg/dl

    Existe evidncia de que no doente com na pessoa assintomtica e com um risco

    cardiovascular alto (SCORE 5% a

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 6/17

    consideradas frmacos de primeira opo as estatinas por reduzirem o risco

    cardiovascular total e a hipertrigliceridemia, podendo ser indicados fibrato, niacina

    ou cidos gordos mega-3

    Existe evidncia de que na pessoa com ausncia de risco cardiovascular alto, se

    com as intervenes no estilo de vida no ocorrer reduo da trigliceridemia so

    considerados fibratos ou cidos gordos mega-3

    Existe evidncia der que na pessoa com hipertrigliceridemia muito elevada, (> 880

    mg/dl), sendo o principal risco clnico o de pancreatite; so prescritas medidas

    de restrio dietticas e tratamento farmacolgico

    Avaliao de cada padro:

    x 100= (IQ) de ..%

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 7/17

    14. A presente Norma, atualizada com os contributos cientficos recebidos durante a discusso pblica,

    revoga a verso atualizada de 28/09/2011, validada pela Comisso Cientfica para as Boas Prticas

    Clnicas a 11/07/2013 e ser de novo atualizada sempre que a evoluo da evidncia cientfica assim

    o determine.

    15. O texto de apoio seguinte orienta e fundamenta a implementao da presente Norma.

    Francisco George

    Diretor-Geral da Sade

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 8/17

    TEXTO DE APOIO

    Conceitos, definies e orientaes

    A. O diagnstico de dislipidemia deve ser confirmado por uma segunda avaliao laboratorial aps

    jejum de 12 horas do colesterol total, colesterol das HDL e triglicerdeos, realizada com um intervalo

    de mnimo de 4 semanas, antes de se iniciar qualquer teraputica. Importa excluir causas

    secundrias e frequentes de dislipidemia, como sejam:

    1) Excesso de consumo de lcool;

    2) Diabetes tipo 2;

    3) Obesidade;

    4) Hipotiroidismo;

    5) Doenas renais ou hepticas;

    6) Frmacos, como corticosteroides, psicotrpicos ou ciclosporina.

    B. As pessoas submetidas a teraputica farmacolgica antidislipidmica devem ser reavaliadas em cada

    consulta:

    1) Sobre a sua adeso a um estilo de vida saudvel;

    2) Quanto aos seus parmetros laboratoriais:

    a) Se no controlados, em cada trimestre, de modo a monitorizar e obter os objetivos

    teraputicos propostos, farmacolgicos e no farmacolgicos, eventuais reajustes de

    tratamento, efeitos adversos e avaliao na reduo do risco cardiovascular;

    b) Se controlados, em cada ano.

    C. Em preveno secundria o incio imediato da teraputica farmacolgica antidislipidmica deve ser

    acompanhado de um planeamento da modificao de estilo de vida.

    D. A escolha de um frmaco antidislipidmico tem em conta:

    1) Os efeitos nos objetivos vasculares e na mortalidade total;

    2) A expresso das alteraes laboratoriais da dislipidemia;

    3) O perfil de efeitos adversos e de interaes medicamentosas;

  • Norma n 019/2011 de 28/09/2011 atualizada a 30/07/2015 9/17

    4) A relao custo-efetividade.

    E. Devem constituir prioridade na preveno cardiovascular:

    1) As pessoas com doena aterosclertica clinicamente evidente;

    2) As pessoas assintomticas com um risco cardiovascular alto (SCORE 5% e < 10%) e muito alto

    (SCORE 10%), devido:

    a) presena simultnea de mltiplos fatores de risco;

    b) A diabetes mellitus tipo 2 ou diabetes tipo 1;

    c) A doena renal crnica moderada ou grave (TFG < 60 ml/min/1.73 m2);

    d) Ao aumento marcado de alguns fatores de risco individuais, com afetao dos rgos

    alvo, de que so exemplos as dislipidemias familiares e a hipertenso arterial grau 3.

    3) Os familiares de pessoas com doena cardiovascular prematura ou risco cardiovascular muito

    alto.

    F. Apesar das indicaes de outros medicamentos antidislipidmicos serem fragmentadas (muitos dos

    estudos aleatorizados com estes medicamentos no mostraram benefcios cardiovasculares

    consistentes), pode estar indicado o uso da teraputica combinada