Novas Oportunidades - Francisco Lima - IST

of 24/24
Participantes na Iniciativa Novas Oportunidades Avaliação do desempenho no mercado de trabalho - Eixo Adultos - Francisco Lima Instituto Superior Técnico, Universidade Técnica de Lisboa e CEG-IST, Centro de Estudos de Gestão do IST 18-05-2012 1
  • date post

    05-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    2.349
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Novas Oportunidades - Francisco Lima - IST

  • 1. Participantes na Iniciativa Novas OportunidadesAvaliao do desempenho no mercado de trabalho- Eixo Adultos -Francisco LimaInstituto Superior Tcnico, Universidade Tcnica de Lisboa eCEG-IST, Centro de Estudos de Gesto do IST18-05-2012 1

2. Estrutura da Avaliao Avaliao separada em dois estudosOs Processos de Reconhecimento, Validao e Certificao deCompetncias e o Desempenho no Mercado de TrabalhoAvaliao dos Cursos de Educao e Formao de Adultos eFormaes Modulares: Empregabilidade e Remuneraes2 3. Equipa Centro de Estudos de Gesto do IST (CEG-IST) Coordenao: Francisco Lima Professor do Departamento de Engenharia e Gesto do Instituto Superior Tcnico, Universidade Tcnica de Lisboa e Investigador do CEG-IST, Centro de Estudos de Gesto do IST Colaboraram no tratamento de dados estatsticos: Hugo Silvae Tiago Fonseca do Instituto Superior Tcnico e do CEG-IST3 4. Objetivos Avaliao do desempenho no mercado de trabalho Medir o impacto da participao em Processos de Reconhecimento, Validao e Certificao de Competncias (RVCC) Cursos de Educao e Formao de Adultos (EFA) e Formaes Modulares (FM) Duas dimenses de desempenho Empregabilidade Remuneraes4 5. Metodologia Comparao do desempenho no mercado de trabalho entreparticipantes e no participantes nas diferentes modalidades O grupo de no participantes ajustado para tercaractersticas semelhantes aos participantes Caractersticas demogrficas Situao no mercado de trabalho antes da participao A estimao do efeito da empregabilidade Aumenta a probabilidade de transitar para o emprego, reduzindo a durao da experincia de desemprego? Estimao no efeito nas remuneraes Aumenta a remunerao um ano depois? Dois anos depois?5 6. Bases de Dados Fontes de informao - microdados Ficheiros de remuneraes dos trabalhadores e dos beneficirios de subsdios de desemprego e de outras prestaes sociais, do Instituto de Informtica do MSSS informao sobre os formandos adultos - Sistema de Informao e Gesto da Oferta Educativa e Formativa (SIGO) Dados cruzados atravs de um nmero encriptado Perodo coberto: 1. trimestre de 2005 2. trimestre de 2011 Perodo anterior ao incio dos dados do SIGO 2005/2006 permite construir o historial do trabalhador anterior participao6 7. Estudo 1Os Processos de Reconhecimento, Validao e Certificao de Competncias e o Desempenho no Mercado de Trabalho7 8. Processos RVCC Avaliar o impacto dos processos RVCC no desempenho nomercado de trabalho Adultos que se inscreveram e completaram um processo deReconhecimento, Validao e Certificao de Competncias(RVCC) entre 2007 e 2011 O RVCC tem a particularidade de atribuir um nvel deescolaridade sem implicar a aquisio de novosconhecimentos no decorrer do processo de certificao O RVCC ter um efeito positivo no mercado de trabalho Se reduzir a assimetria de informao sobre as qualificaes do trabalhador Se o mercado reconhecer o processo de certificao como credvel8 9. Processos RVCC RVCC RVCC B12 Certificao com equivalncia ao 1. ou 2. ciclo do nvel bsico de escolaridade (pelo menos um dos ciclos) RVCC B3 Certificao com equivalncia ao 3. ciclo do nvel bsico de escolaridade RVCC S Certificao com equivalncia ao nvel secundrio de escolaridade RVCC P Pessoas certificadas no processo RVCC Profissional Cruzamento entre RVCC e Formaes Modulares (FM) e entre RVCC e cursos EFA Estrutura do Estudo Enquadramento Dados e Metodologia Caracterizao dos participantes em processos RVCC e comparao com no participantes Estimao do impacto na empregabilidade e remuneraes 9 10. 50 45 40 3940 37 37Os participantes so, em30mdia, mais novos do queos no participantes,20exceto os RVCC B1210 0 No part. RVCC B12 RVCC B3 RVCC S RVCC P 201817 Os participantes detm1415 14 15 mais anos de experincia profissional quando 10 comparados com os no5 participantes0 No part. RVCC B12 RVCC B3 RVCC S RVCC P10 11. Trabalhadores por conta de outrem so oriundos essencialmente desectores da indstria de menor intensidade tecnolgica e dos serviosde menor intensidade de conhecimentoRVCC - 2010Indstria - High-TechIndstria - Medium-High-TechIndstria - Medium-Low-TechIndstria - Low-TechServi - High-Tech KIS os Servi - Market KISos Servi - Financial KISosServi - Other KIS osServi - Market Less KIS os Servi - Other Less KISosAgricultura e PescasExtraoo Constru gua e EnergiaOutros40 30 20 10 0 10 20 30 40% HomensMulheres11 12. A percentagem de inscritos em processos RVCC desempregados aumentouentre 2007 e 2011A durao do desempego dos participantes superior dos noparticipantes e mais longa para menores nvel de escolaridadeAs remuneraes 950mdias (ilquidas)Remuneraes900dos participantes so850No part.menores800RVCC B12750RVCC B3Participantes em700RVCC Sdesvantagem no RVCC P650mercado detrabalho600200520062007200820092010201112 13. RVCC: impacto empregabilidade e nas remuneraes Impacto na empregabilidade medido pela probabilidade detransitar para o emprego Reduz a durao da experincia de desemprego A participao no processo RVCC ocorre no momento de entrada no desemprego ou em data posterior Estimao do impacto nas remuneraes para diferentes transies entre condies perante o trabalho (desemprego e emprego), antes e depois da concluso de um RVCC considerando variaes das remuneraes de um e dois anos13 14. RVCC: Concluses do Estudo 1 Os processos RVCC tiveram mais impacto no aumento daprobabilidade de emprego, para um desempregado, quandoestiveram associados a RVCC Profissionais ou a Formaes Modulares Certificadas, se estas tiverem sido combinadas com RVCC Escolares de nvel bsico (do 1. ao 3. ciclo) O impacto dos processos RVCC sobre as remuneraes, porseu lado, geralmente nulo, exceto em casos especficos: quando os processos tiverem estado associados a um nvel maior de escolaridade no momento em que se inicia o processo (RVCC S), ou se ocorreu conjugao entre RVCC B12 e Formaes Modulares Certificadas 14 15. Estudo 2Avaliao dos Cursos de Educao e Formao de Adultos eFormaes Modulares: Empregabilidade e Remuneraes 15 16. Cursos EFA e Formaes Modulares Avaliao de duas modalidades formativas Cursos de Educao e Formao de Adultos (EFA) Formaes Modulares (FM) Adultos que se inscreveram e completaram uma das duasmodalidade formativas entre 2007 e 2011 Investimento na aquisio de novas competncias acumulao de capital humano Estrutura do Estudo Enquadramento Dados Caracterizao dos participantes nas duas modalidades formativas e comparao com no participantes Metodologia e estimao do impacto na empregabilidade e remuneraes16 17. 50 41 Os participantes nos cursos 3940 3940 3335EFA so, em mdia, mais30novos do que os no20participantes e com menor10 0experincia profissional20 15 1616Idades dos participantes em FM15131412aproximam-se da idades de no 10participantes, mas tm mais 5experincia profissional017 18. 1000Remuneraes por900modalidade de formao800 (nos trimestres at ao700No part momento da inscrio) EFAHomens600 FM5004001000Remuneraes por900modalidade de formao(nos trimestres at ao800momento da inscrio) 700 No partMulheresEFA600FM50040018 19. Caracterizao dos participantes e no participantesem curos EFA e FM Maior incidncia de desemprego entre os participantes EFA Desemprego menos expressivo nas FM (mas superior ao dosno participantes) As duas dimenses empregabilidade e remuneraes demostram que o grupo de participantes est em claradesvantagem no mercado de trabalho Esta desvantagem mais evidente no caso dos participantesem cursos EFA, dada a maior incidncia de desemprego emenores remuneraes 19 20. EFA e FM: Impacto na empregabilidade A durao do EFA implica que o efeito no momento dainscrio e diferente do efeito no momento aps a concluso Homens - EFA aps concluso0.0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1.0Permanncia nodesemprego porparticipao nos cursosEFA (medido a partir dotrimestre de concluso)04812162024Durao do desemprego (trimestres) No participantes Participantes20 21. EFA e FM: Impacto na empregabilidade Quando se mede o impacto da participao aps a conclusodo curso, a probabilidade de transio do desemprego para oemprego aumenta em 14% para os homens e 2% para asmulheres Participao nas FM aumenta a probabilidade de transio em3% para os homens e em 1% para as mulheres As FM tm uma durao menor, entre 25h e 600h (os EFA podem chegar s 2000h) 21 22. EFA e FM: impacto nas remuneraes A concluso de um curso EFA associada a um aumento daremunerao (em 4%) no caso dos homens Face sua situao oito trimestres antes, quando se encontravam desempregados A estimativa superior quando este inclui uma componenteformativa em reas tcnicas/tecnolgicas, por oposio areas de cincias sociais e servios Efeito significativo para ambos os sexos As FM esto associadas a um crescimento na remunerao de3,1% para empregados com pelo menos um trimestre sememprego22 23. EFA e FM: Concluses do Estudo 2 Os cursos EFA esto associados a um aumento da probabilidade detransio do desemprego para o emprego O efeito da FM na reduo da durao do desemprego tambmpositiva, mas o efeito menor Relao positiva entre a evoluo da remunerao e a concluso deum curso EFA, nos casos em que o trabalhador estavadesempregado A relao mais forte quando a formao incide sobre reas tcnicas, com uma maior componente tecnolgica (cincia, incluindo informtica, engenharia e reas afins) Quando o trabalhador passa por uma experincia de desempregocurta, as FM permitem gerar uma variao positiva na remunerao 23 24. Participantes na Iniciativa Novas OportunidadesAvaliao do desempenho no mercado de trabalho- Eixo Adultos -Francisco LimaInstituto Superior Tcnico, Universidade Tcnica de Lisboa eCEG-IST, Centro de Estudos de Gesto do IST18-05-2012 24