A DIABETES

download

of 33

  • date post

    24-Feb-2016
  • Category

    Documents
  • view

    31
  • download

    0

Embed Size (px)

description

A DIABETES. Devidamente tratada, a diabetes no impede o doente de ter uma vida perfeitamente normal e autnoma. Contudo, fundamental que o diabtico se ajude a si mesmo, autocontrolando a sua doena. - PowerPoint PPT Presentation

transcript

A DIABETES

A DIABETESDevidamente tratada, a diabetes no impede o doente de ter uma vida perfeitamente normal e autnoma. Contudo, fundamental que o diabtico se ajude a si mesmo, autocontrolando a sua doena. Alis, se o doente for determinado neste papel de autovigilncia, a sua vida ficar muito facilitada.www.min-saude.pt/

Diabetes: Em que consiste?Vrias complicaes sade: problemas de cansao, ataques cardacos, derrames cerebrais, insuficincia renal, etc.

Aumento anormal dos nveis de acar (glicose) no sangue - hiperglicemia.

Causas da DiabetesProblemas no pncreas ou doenas endcrinas;Infees virais;

Fatores genticos;Defeitos genticos no processamento de insulina ou na ao da insulina.

Causas da DiabetesTenso arterial alta ou nveis elevados de colesterol no sangue;Respostas auto-imunes desencadeadas por infees virais;Defeitos genticos no funcionamento da clula (beta);Excesso da hormona do crecimento ;Obesidade.

Os diferentes tipos de diabetes

Diabetes Tipo 1 (Diabetes Insulino-Dependente) o tipo mais raro; O pncreas produz insulina em quantidade insuficiente e, como resultado, as clulas do organismo no conseguem absorver o acar necessrio, ainda que o seu nvel se mantenha elevado e seja expelido para a urina;No est diretamente relacionada com hbitos de vida ou de alimentao errados;Os doentes necessitam de terapia com insulina para toda a vida, porque o pncreas deixa de a produzir.

Diabetes Tipo 2 (Diabetes No Insulino-Dependente) o tipo mais frequente (90 % dos casos);O pncreas produz insulina, mas as clulas do organismo oferecem resistncia ao desta. O pncreas v-se obrigado a trabalhar cada vez mais, at que a insulina produzida se torna insuficiente;O seu tratamento, na maioria dos casos, consiste na adoo de uma dieta alimentar, de forma a normalizar os nveis de acar no sangue. Recomenda-se tambm a atividade fsica regular.

Diabetes GestacionalUma em cada 20 grvidas pode sofrer desta forma de diabetes. fundamental que as grvidas diabticas tomem medidas de precauo para evitar que a diabetes do tipo 2 se instale mais tarde no seu organismo. A diabetes gestacional requer muita ateno, sendo fundamental que, depois de detetada, seja corrigida com a adoo de uma dieta apropriada.

Surge durante a gravidez e desaparece, habitualmente, quando concludo o perodo de gestao.

Sintomas da DiabetesNas crianas e jovens (tipo 1):Urinar muito, podendo voltar a urinar na cama; Sede constante e intensa;Emagrecimento rpido;Grande fadiga, associada a dores musculares intensas; Comer muito sem nada aproveitar; Dores de cabea, nuseas e vmitos.

Sintomas da DiabetesNos adultos (tipo 2):Urinar em grande quantidade e muitas mais vezes, especialmente durante a noite;Sede constante e intensa;Fome constante e difcil de saciar;Fadiga; Comicho no corpo, designadamente nos rgos genitais; Viso turva.

Complicaes associadas diabetesLeses na retina, nos rins e nos nervos;Doenas cardiovasculares;Obstrues arteriais perifricas;Disfuno e impotncia sexual;Infeces diversas e persistentes;Cegueira;Amputaes;Arteriosclerose (Placas de gordura no sangue);Hipertenso;Tromboses e cogulos na corrente sangunea;Problemas dermatolgicos;Problemas neurolgicos, principalmente nos membros inferiores, como perda de sensibilidade e perceo.

O Diagnstico da DiabetesSinais da Diabetes:Glicemia ocasional de 200 miligramas por decilitro ou superior + sintomas da doena; Glicemia em jejum de 126 miligramas por decilitro ou superior em duas ocasies separadas num curto espao de tempo.

Verificao das alteraes do nvel de glicose no sangue em jejum e aps ingesto de grandes doses de acar em dois dias diferentes.

Preveno da DiabetesControlo rigoroso da glicemia, da tenso arterial e dos lpidos;Vigilncia dos rgos mais sensveis (retina, rins, corao, nervos perifricos, etc);Bons hbitos alimentares; Prtica de exerccio fsico; No fumar; Cuidar da higiene e vigilncia dos membros inferiores.

A INSULINAEm que consiste?Pode ser obtida a partir do pncreas de porco ou feita quimicamente em laboratrio e de forma idntica insulina humana.

Em Portugal, s comercializada insulina igual insulina humana, produzida com recurso a tcnicas de engenharia gentica, sendo as reaes alrgicas muito raras devido sua grande pureza.

Hormonal segregada pelas clulas (beta) dos ilhus de Langerhans do pncreas.

Porque a insulina necessria para o tratamento da diabetes tipo1?Nos doentes com diabetes tipo 1, as clulas do pncreas que produzem insulina foram destrudas, motivo pelo qual este produz muito pouca ou nenhuma insulina. Como no se pode viver sem insulina, a produo desta em laboratrio um tratamento de substituio imprescindvel.

Diabetes ControladaQuando os nveis de acar no sangue de um diabtico se encontram dentro dos parmetros definidos pelos especialistas. A melhor forma de saber se a diabetes se encontra ou no controlada realizando testes de glicemia capilar (picada no dedo) diariamente e vrias vezes ao dia.

ACROMEGALIA E GIGANTISMOEm que consiste?Vrias complicaes sade: hipertenso arterial, insuficincia cardaca, obstruo das vias respiratrias, etc.

Aumento anormal dos nveis de hormona do crescimento (GH) no sangue.

AcromegaliaExcesso de produo de GH na vida adulta

Quando as cartilagens de envelhecimento j se encontram inativas

Excesso de produo de GH na infncia ou puberdade

Gigantismo

AcromegaliaGigantismo

A Hormona do CrescimentoProduzida pela hipfisePromove o crescimento de quase todas as clulas e tecidos do corpo humano

Causas da Acromegalia e Gigantismo98% dos casosTumores benignos na hipfise.2% dos casosTumores malignos na hipfise.Tumores que estimulam a hipfise a produzir GH.Tumores produtores de GH localizados no pncreas, pulmes ou outros tecidos.A produo excessiva est associada presena de:Sintomas do excesso de GH no organismoCrescimento das mos e ps;Alargamento da regio frontal e da testa;O queixo fica proeminente, dando ao rosto um aspeto caracterstico;Significativo espaamento entre os dentes;Perda dentria;Aumento do volume do trax, do nariz e dos genitais;Os lbios engrossam.

Complicaes associadas acromegalia/ gigantismoAlteraes dermatolgicas (ex: pele torna-se propensa ao acne);Alteraes cardiovasculares (ex: insuficincia cardaca);Alteraes gastrointestinais (ex: aumento de volume do fgado e do pncreas);Alteraes metablicas/endcrinas (ex: intolerncia a hidratos de carbono e resistncia insulina);Alteraes musculares (ex:alteraes na sensibilidade da pele)Alteraes neurolgicas (ex: dor de cabea persistente).

O DiagnsticoRealizao de exames de imagem (tomografia computadorizada, ressonncia nuclear magntica, etc) para detetar a presena de tumores.

Verificao dos nveis de de GH e de IGF-1 no sangue atravs de vrias colheitas, uma vez que porque a hipfise liberta esta hormona de forma irregular, no decorrer do dia.

Objetivos do tratamento da acromegalia/ gigantismoReduzir as concentraes de GH e de IGF-1 para os nveis normais;Aliviar a presso que tumores situados na hipfise possam exercem sobre o nervo ptico e reas cerebrais vizinhas;Preservar as funes hipofisrias;Reverter ou melhorar os sinais e os sintomas da acromegalia.

Opes de TratamentoCirurgia

RadioterapiaTratamento clnico.Trabalho realizado no mbito da disciplina de Cincias Naturais por:Ana TavaresCatarina GuedesSara TamagniniAna CarolinaCarlos Torres

Turma: 9 A