Balada da União Out/Nov/Dez 2012

download

of 9

  • date post

    22-Jun-2015
  • Category

    Documents
  • view

    1.943
  • download

    1

Embed Size (px)

transcript

<ul><li> 1. PROPRIEDADE: CONVVIOS FRATERNOS * DIRECTOR REDACTOR: P. VALENTE MATOS * PR-IMPRESSO E IMPRESSO: FIG - INDSTRIAS GRFICAS, S.A. 239 499 922PUBLICAO BIMESTRAL - DEP. LEGAL N 6711/93 - ANO XXXIV- N 313 - OUTUBRO/NOVEMBRO/DEZEMBRO 2012 * ASSINATURAANUAL: 10 EUROS * TIRAGEM: 10.000 EXS. * PREO: 1 EURO HOJE VOS NASCEU UM SALVADORQue ser alegria para todo o povoNo temais anuncio-vosuma boa novaLc 2.10A TODOS OS JOVENS E CASAIS DO MOVIMENTO E LEITORES DO BALADA DA UNIO FELIZ NATAL O MEU AVIVAR DE COMPROMISSO "O Verbo era a verdadeira luz que vindo ao mundo, ilumina todo o homem. Estava no mundo e o mundo foi feito por Ele, e o mundo no O conheceu. Veio para o que era seu, mas os seus no O receberam. Mas a todos os que O receberam, aos que crem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre ns, e vimos a sua glria, a glria que um filho nico recebe de seu Pai, cheio de graa e de verdade.</li></ul><p> 2. 2 BALADA DA UNIO Outubro / Novembro / Dezembro 2012 Viver o Natal, festa da vida! Procura-te e encontra-te,O natal de Jesus aproxima-se pelos caminhosdo advento e convida-nos a nascer de novo...aos que no tm po, casa, cultura, Deus nassuas vidas, que vivem na pobreza, na misriaEle est a chegar!Para a perfeita harmonia, que fortalece e social, sem amor, sem dignidade. Desde a escurido dos tempos, atravs da reflectirmos sobre este Mistrio daunifica, necessrio que eu nasa nos outros Oxal as iluminaes que vo encher as nossassua vida de sofrimento e escravido, o povoIncarnao, para nos encontrarmos connoscoe os outros nasam em mim. O bero do meu ruas, as montras, as rvores de Natal, nos de Deus procurou sempre uma luz, uma prprios e para nos prepararmosnatal o corao de todos. encaminhem para o Menino que luz doesperana e um caminho que o conduzisse espiritualmente para o tempo de alegria queNeste Natal, quantos homens e mulheres, mundo, para aquele que a vida. felicidade. Procurou essa luz e essa esperana chegar no Natal, com o Nascimento de Je-sobretudo quantas crianas, vo passar semQue o Natal nos abra o corao para viver ao em vrias coisas, sem no entanto conseguir sus. Neste perodo vamos moldar-nos de formao aconchego dum lar, metidos em ambientejeito do J.C. e nos faa renascer por dentro saciar a sua sede de felicidade. a que Jesus possa tambm nascer nos nossosde guerra, de dio, de violncia, a viver empara uma vida mais humana e mais crist.Mas Deus no votou o Seu povo aocoraes, tornando-nos mais uma vez o "barrocampos de refugiados, em cadeias, emQue o natal nos lance, sem amarras, atrs de abandono, ao nihilismo e resignao: criou nas mos de Deus". este o tempo, a que nshospitais.Jesus, para melhor o conhecer e amar.para ele um projecto de vida, de amor de chamamos Advento (Adventus significaNeste Natal, quantos no vo ter a alegria de Vamos ao prespio, com os pastores e magos,salvao. Enviou os seus profetas para lhe "chegada" em Latim). Preparamo-nos assim,viver, o gosto da felicidade que lhes alegraria com verdadeira humildade, para que o Meninotransmitir uma mensagem de confiana e parapara a chegada de Cristo, renovando a nossao corao, o po que lhes alimentaria o nos ensine os valores da vida, da famlia, dalhe pedir que pela sua f acreditasse na sua esperana num mundo mais alegre e maisestmago, um ambiente familiar pacfico e verdade, do amor, da alegria de sermos irmos. libertao e na construo de uma nova fraterno, que pode ser alcanado pelo nossofraterno. Procuremos que o natal seja natalcio. Jerusalm. renovado caminhar at ao dia em que o AnjoNeste Natal - festa de amor e da vida - quantos Coloquemos Jesus bem no centro do nosso E eis que um dia o anjo Gabriel do Senhor dir:andaro por caminhos escuros e sombrios denatal. anuncia a Maria: "Eis que concebers e darsmorte e de desamor, de desprezo pelos outros, luz um filho, a quem pors o nome de Jesus."No temais, pois anuncio-vos uma grandede violncia que gera violncia.Muito boas festas do natal de Jesus! Ele ser grande, ser chamado Filho do alegria, que o ser para todo o povo: Hoje, naOxal as prendas que vamos dar e receber nos Altssimo" (Lc1, 31-32). por estas palavrascidade de David, nasceu-vos um Salvador, queabram o corao aos mais pobres e marginais,Manuela C.F. 860 (Bragana)que Deus fala a todos os homens, como que o Messias Senhor" (Lc 2, 10-12) dizendo-lhe: "Tens um Salvador!!".No fundo, aqui que a nossa Que atravs deste Advento Deus nos caminhada comea: sabemos que temos um conceda a todos ns, convivas, a graa de Salvador, e por ele somos filhos de Deus.celebrarmos frutuosamente o Nascimento de Jesus, aquele que nos veio libertar da Jesus, despertando em ns sentimentos como escravido do pecado e quebrar as amarras da a caridade e a partilha, pois Amor de Cristo morte, disse-nos um dia: "Eu vim para quequer mesmo chegar at todos nesta poca... tenham Vida e a tenham em abundncia" (Joespecialmente at aqueles que mergulhados 10, 10). Jesus nasceu, e pela sua vida deu-nos na tristeza, na pobreza e na solido anseiam a a Vida! Realmente to incrvel quantochegada do Salvador. inimaginvel o amor do Pai para connosco: alm da Sua palavra, enviou-nos o Seu prprio Filho, para que todo o homem fosse salvo! Ncleo de Convivas de Miranda do DouroSer este ento o perodo certo para da Diocese de Bragana-Miranda A f ensinaa viver melhor? Celebrao de Natal,... cada vez estamos mais distantes da fonte, do original, do acontecimento, porque vivemosDeus, por exemplo, no bate a uma porta quens no temos, mas est nossa porta e bate; Revelao de Jesus, o Menino Deus na novela dos comentrios e das interpretaes.que Deus no est numa poca passada oufutura simplesmente, mas Deus emerge no A f, manifestada em Jesus, ensina-nos a viver nosso presente histrico e a ( aqui!) que o O advento um momento privilegiado de reviso da caminhada de f j realizada e de neste mundo. O nosso ponto de partida pode encontro com Ele se torna para ns decisivo. preparar novos rumos para a vida. Cada um convidado a contemplar, numa atitudeser a passagem da Carta a Tito (Tt 2, 12), H um ensaio literrio de uma grande autora de serena adorao, esse maravilhoso passo de Deus que se torna Menino, expresso onde se diz a propsito de Jesus: "a graa deamericana, Susan Sontag, onde ela se levanta extrema de um amor sem limites. Cada um de ns, irmozinho de Jesus no prespio,Deus, fonte de salvao, manifestou-se a todos contra a interpretao, porque diz, "O mundo convidado a assumir o compromisso de fidelidade ao Evangelho, na simplicidade e os homens, ensinando-nos a viver neste encheu-se de comentrios, j s vivemos de humildade, sendo a expresso suprema da ligao a Jesus, testemunho da caminhada, mundo". Esta frase um desafio, antes decoisas em segunda mo". De facto, cada vez para melhor vivermos o quarto dia do convvio fraterno, junto dos amigos, familiares, tudo, a tomarmos a srio a humanidade de estamos mais distantes da fonte, do original, como tambm na parquia e nos grupos de jovens e casais, para que no desanimemos Jesus como narrativa de Deus e do Homem. do acontecimento, porque vivemos na novela na caminhada ao longo da vida.Nessa humanidade temos o caminho, ados comentrios e das interpretaes. H As crises, a hipocrisia, a guerra e a mentira abundam no nosso mundo. No Natalverdade e a vida.sempre mais uma interpretao que se promovemos a paz, a vivncia do perdo e do amor que Jesus "O Menino". SejamosHoje sentimos a necessidade muito grande desobrepe, maneira de cascas de cebola. Mas ns cristos convivas, fermento no meio da massa, construtores da paz. O mundouma f orientada para a vida. De uma f queo que a essncia do (nosso) problema? O precisa de paz e de po para alimentar os famintos, sejamos ns capazes de erguer a possa constituir uma arte de viver, um que o ncleo fundamental? Isso como que nossa voz contra todas as formas de violncia e de opresso. Ser Conviva fazerlaboratrio para uma existncia autntica enos escapa. E Sontag dizia que o que temos a convvio fraterno ao longo de todo o quarto dia, em que se d oportunidade ao Meninono apenas para a manuteno de um conjuntofazer ensinar a ver melhor, a ouvir melhor, a Jesus do prespio para transformar os coraes, de forma a acolher pela vida fora o de prticas fragmentrias. E precisamossaborear melhor, a tocar melhor. No fundo, a seu projeto de felicidade.reencontrar ou reinventar, a partir da f, uma exercitar melhor a nossa humanidade. Uma f O Natal um tempo de expetativa e de amizade, e nele os convivas so convidados agramtica do humano. A f um exerccio vivida aqui e agora tambm uma f que no contemplar e a adorar o menino Deus do prespio de Belm, a espantosa aventura de muito concreto de confiana na narrativa dese deixa capturar pelo labirinto epidrmico um Deus menino que ama at ao limite e que, por amor, aceita revestir-se da nossa Deus que Jesus nos relata com a sua prpriados meros comentrios, mas arrisca-se a fragilidade, a fim de nos dar vida em plenitude.vida, com o seu prprio corpo, os seus gestos, construir como uma aventura na ordem do o seu silncio, a sua histria, a potica da sua ser.Antnio Silvahumanidade. Que se pode concluir ento? QueJos Tolentino Mendona 3. O meu testemunhoOLHANDO O DEFICIENTEA palavra chega de bem perto, das vriasexistncia de cada um tocada por milhentasInstituies de Solidariedade Social existentes formas de falhas e fraquezas.Parando para reflectir sobre o movimento e o minha vida. Mais tarde dizia-me a minha mena nossa regio e vem com autoridade, pois, Acarretando sobre ns defeitos, lacunas eque representou para mim ao longo da minha que me vira a comungar e sentiu felicidade os seus fundadores, impressionados pelosimperfeies, somos constrangidos avida, pude concluir que foi muito bom. inexplicvel! clamores dos menos vlidos, deixam de ladodescobrir que os deficientes so o nossoNa realidade, como jovem que era, na altura, Aps o meu convvio, passei por momentos as sua vidas para se dedicarem completamenteespelho e mostram-nos, na sua dor amarga ese calhar o mais importante para mim era muito felizes e momentos tambm, por vezes,s comunidades mais incapacitadas. Algumasestranha, o fracasso de uma sociedade ondeevoluir e caminhar numa certa direco. E para dolorosos. acolhem sobretudo pessoas com insuficinciasnem todos tm lugar, pois os espertinhos eisso contribuiu muito a atitude do Sr PadreMais tarde j desgostoso de mim mesmo ementais profundas.habilidosos apressam-se a ocupar a suaValente que me abrindo os braos abriu-me odepois de muita procura quis controlar naTomemos como exemplo, o Antnio que parapousada e a dos outros, a apossar-se do seucorao a Jesus e as portas da Igreja, o minha vida impulsos negativos, paixes e asalm da falta de compreenso, no pode mexerposto e dos demais.necessrio de que eu precisava na altura jideias que me feriam e assaltavam. Deus levou- as mos, nem anda, nem articula qualquerNo mundo sempre a ensinar a competir,que de tudo andava afastado. me ao encontro de um sacerdote que muito palavra. Mas, dizem, dotado de uma beleza rivalizando com todos, vai faltando o amor eTudo a partir da teria corrido bem se certascontribuiu para que eu pudesse parar com osextraordinria, possui uns olhos brilhantes e muito mais o respeito pela pessoa seja elapessoas no interviessem quando eraestragos que me estavam a destruir. Acabei,um sorriso admirvel. Aceitava com sossegoquem for. Depois, tendo perdido o rumo daapresentado como conviva ao grupo de jovenstodavia por ter um esgotamento que me causou a sua debilidade, sem dio e sem azedume. afectividade, nem sabemos amar. At nosda minha terra.mesmo sofrimento.Os que o assistiam ou com ele contactavam escondemos, por entre inmeros preconceitos,Afastei-me de novo da Igreja desiludido. Agora neste momento, que a minha vidaafirmam terem mudado de parecer e algunsnovas formas de violncia, para nem sequerEntretanto tirei a carta de conduo, e, comoserenou e depois de com a graa de Deus terat de vida, pois aquele doente, s com o sermos amados, pois essa nova posturasabia que os meus pais gostavam de ir avencido tantas coisas, posso dizer que sou sorriso agradecido, transportava-os a uma poderia trazer-nos algumas perdasFtima, levei-os l, embora lhes dizendo que muito feliz. admirvel comunho de coraes construda econmicas.no participaria nas cerimnias. tambm com tristeza que olhando para tudosobre mtua confiana, abandonando-se deQuando o homem moderno tem medo de amarEles nada disseram. Deixei-os l e fiquei no o que se passa no meu pas e vejo que no boa vontade aos cuidados dos outros e e ser amado, tornando-se apenas umcarro a ouvir msica. De repente, depois deplano da cultura quem mais ofende a Deus mostrando sempre uma acabada alegria. aambarcador de benefcios, em que se irpensar em Nossa Senhora, senti-memais importncia ganha. Na verdade pessoas Se nem todos os deficientes reagem comtransformar o mundo?comovido, as lgrimas caram-me dos olhos eque obstinadas e ultrapassando todos osmodos aprazveis como este jovem ceifadoNo basta proclamar, por toda a parte, o diadecidi nesse momento ir confessar-me. Tive limites se lanam no abismo do materialismopela morte, podem, no entanto, conduzir-nos do deficiente. foroso formular atitudesa sorte de encontrar um padre que me e do ateismo deixando atrs de si um caminho a descobertas importantssimas para cheias de afecto e ternura para com os maiscompreendeu Participei nas cerimnias, na que tantos jovens e no jovens ousam compreendermos o sentido profundo donecessitados, no to somente promovendo-eucaristia e no momento prprio foi comungar.incautamente seguir. pena!existir humano, sobretudo no tempo em que os a mquinas de produtividade, masConfesso que foi um momento muito feliz na Jos Carlostudo se mede pela eficincia e produtividade. mostrando-lhes que para alm do dinheiro hMesmo no absurdo da sua existncia, estes muitos outros bens a instituir no mundo comodoentes so da nossa raa, do nosso sangue, a interajuda, o sentido do outro, ada nossa famlia humana e pedem carinho,preocupao por todos sem marginalizarternura e amor. Tm o direito de cidadania, ningum.como todos os outros, e no podem seratirados para qualquer gueto, por mais belo e Grupo de Convivas de Bragana-Mirandabem organizado que tecnicamente parea. no dia Internacional das Pessoas comAntes de serem diferentes, so homens,Deficinciapessoas, irmos nossos a repetir-nos ser a SENHOR do frio. Faz frio neste inverno de manhs brancas de Gosto deste tempo em que ilumina a natureza eEste inverno assim frio faz parte da vida tal como a geada. Veio o frio no tempo que o seu e parececomtemplo neste velho grande silncio, neste quietopensaste, por ele falas e me ensinas por isso no querer partir sem que se cumpra o prazo que silncio, a serena grandeza da TUA PRESENA. importante para ele e que o reconhea na sua boa O PAI CRIADOR lhe concedeu. preciso ter um frio assim para que o meu corao verdade como reconheo a dureza dos frios invernos Faz frio neste inverno que veste de branco o alto reconhea com humildade a TUA MISERICRDIA emdo meu corao em q...</p>