Fanzine CITY ART

Click here to load reader

  • date post

    06-Jul-2015
  • Category

    Education

  • view

    375
  • download

    5

Embed Size (px)

description

Comemoração de 10 anos da obra(1999 - 2009)

Transcript of Fanzine CITY ART

  • 1. Este fanzine, lanado em 1999 na 2 Feira HQ do Piau, teve uma tima recepo por parte do pblico. E pensar que quase no o apresentei naquele evento, porque na verdade, eu havia feito a HQ quatro anos antes (1995). Eu achava que ela no faria sucesso algum, por consider-la velha. Como se percebe, esta HQ, em forma de fanzine, j tem 14 anos de idade. Apesar de algumas ressalvas, esta obra encantou vrios leitores. No nenhuma obra genial, mas possui um carisma que, segundo alguns, poucas vezes se viu num Quadrinho alternativo.Agora esta obra, em formato PDF, est a disposio, para download gratuito, a todos aqueles que apreciam Histria em Quadrinhos.Gilx, Outubro de 2009 Se voc deseja conhecer mais a minha arte, acesse meu blog de charges e cartuns:www.humorgilx.blogspot.com

2. QUADRINHOS ALTERNATIVOSUma das coisas mais perniciosas ao desenvolvimento das Histrias em Quadrinhos, como arte, o preconceito. Preconceito de no iniciados (pessoas que no conhecem Quadrinhos), de crianas que leram HQs infantis e deixaram de apreciar o meio ao crescerem, mas tambm o preconceito de leitores de Quadrinhos que s enxergam o que esto acostumadas a consumir, empurradas pelas grandes editoras do gnero, o mainstream.Marvel e DC lanaram timas obras de grandes artistas, como Cavaleiro Das Trevas, Watchmen e Sandman. Mas esses mesmos artistas desligaram-se das grandes editoras em busca de maior liberdade criativa. Tal ousadia nos deu obras com conceitos muito mais originais e pessoais como Sin City, From Hell e Stardust. O que queremos dizer que nem s de super-heris vivem os Quadrinhos.HQs so uma forma alternativa de infinitas possibilidades. Restringir-se a um s gnero , no mnimo, privar-se da possibilidade de se maravilhar ao descobrir obras diferentes, instigantes, feitas sob pontos de vista pessoais e originais. H muitos caminhos, muitas vises, muitas alternativas, enfim, muitas estrias a serem contadas.Esta obra de Gil Xavier (agora Gilx) um exemplo disso.Emanoel Richardson.(prefcio de 1999)