Festas Juninas. As festas de São João - ou festas juninas, como também são conhecidas - são uma...

Click here to load reader

  • date post

    17-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    116
  • download

    6

Embed Size (px)

Transcript of Festas Juninas. As festas de São João - ou festas juninas, como também são conhecidas - são uma...

  • Slide 1
  • Festas Juninas
  • Slide 2
  • As festas de So Joo - ou festas juninas, como tambm so conhecidas - so uma das mais famosas celebraes do ano. Entre as tradies do So Joo, esto as fogueiras, os bales, a quadrilha e outras danas juninas e, o que no poderia faltar, vrias comidas tpicas. A histria da festa de So Joo comea com as antigas festas pags do solstcio de vero, comemoradas no dia 24 de junho. Na Idade Mdia, ela ganhou o nome atual e passou a ser conhecida em toda a Europa e, mais tarde, em pases como Brasil, Estados Unidos, Austrlia e CanadEuropa
  • Slide 3
  • Smbolo das |Festas Juninas
  • Slide 4
  • As festas juninas vieram para o Brasil na poca da colonizao, trazidas pelos portugueses. So de origem francesa, por isso nas danas aparecem vrias palavras nessa lngua. Nos arraiais juninos podemos encontrar vrios elementos da cultura popular, que traduzem a crendice da populao de cada regio. Cada um desses smbolos tem um significado para a festa
  • Slide 5
  • A quadrilha surgiu nos sales da corte francesa, recebendo o nome de quadrille, mas de origem inglesa, uma dana de camponeses chamada campesine. Na poca da colonizao do Brasil, os portugueses trouxeram essa dana, bem como seus principais elementos: os vestidos lindos e rodados (que representavam as riquezas da corte), os passos puxados na lngua francesa (anarri, avanc, tour, etc.) e os agradecimentos aos santos pelas boas safras nas plantaes.
  • Slide 6
  • O casamento caipira faz uma stira aos casamentos tradicionais. A noiva est grvida e o pai da mesma obriga o rapaz a se casar. A apresentao do casamento na roa muito engraada, pois o noivo aparece bbado, tentando fugir do altar por vrias vezes, sendo capturado pelo pai da noiva que lhe aponta uma espingarda. Este conta com o apoio do delegado da cidade e do padre para que o casamento seja realizado. Aps a cerimnia, os noivos puxam a quadrilha.
  • Slide 7
  • A Fogueira
  • Slide 8
  • A fogueira simboliza a proteo dos maus espritos, que atrapalhavam a prosperidade das plantaes. A festa realizada em volta da fogueira para agradecer pelas fartas colheitas. Alm disso, como a festa realizada num ms frio, serve para aquecer e unir as pessoas em seu redor. Cada santo tem uma fogueira, sendo a quadrada de santo Antonio, a redonda de so Joo e a triangular de so Pedro.pessoas
  • Slide 9
  • Os Bales
  • Slide 10
  • Os bales juninos indicam o incio da festa, mas foram criados para reverenciar os santos da festa, agradecendo pela realizao dos pedidos, normalmente relacionados ao namoro e ao casamento, onde as pessoas encontram seus pares romnticos. Os bales no so mais usados, podem ocasionar vrios incndios, caindo em locais perigosos e destruindo a natureza.
  • Slide 11
  • Simpatias da Festa Junina Castigar Santo Antnio ajuda arrumar marido
  • Slide 12
  • Em cada um dos lugares onde conhecido, o So Joo tem suas particularidades. No Brasil, ele comemorado em grandes festas com quadrilhas, casamento matuto e muito forr, ou ainda com as tradicionais quermesses e danas de quadrilha em torno das fogueiras. Nelas, as mulheres costumam se vestir com vestidos coloridos e os homens usam chapu de palha e blusa quadriculada. Tambm fazem parte da tradio as comidas feitas de milho, como a canjica e a pamonha.casamento mulheres
  • Slide 13
  • As festas juninas so conhecidas como caractersticas da igreja Catlica Apostlica Romana, por manter culto de venerao a trs santos: So Joo, Santo Antnio e So Pedro.
  • Slide 14
  • SANTO ANTNIO
  • Slide 15
  • Santo Antnio o Santo mais popular do Brasil e, tambm, conhecido por ser o Padroeiro dos pobres, Santo casamenteiro, sempre sendo invocado para se achar objetos perdidos.
  • Slide 16
  • So Joo A Festa de So Joo, relembra So Joo ou Joo Batista, o homem que nasceu em 24 de junho e, atravs de suas atitudes na vida, trouxe a mensagem de que "devemos mudar nossos rumos para encontrar a luz", sugerindo que o caminho para isso a meditao, a interiorizao, a reflexo, pois So Joo nos ensina que todas as respostas esto e sero encontradas dentro de ns.
  • Slide 17
  • Essa mensagem nos leva ao contedo da festa que a Sabedoria, a capacidade de aprender algo a partir de ns mesmos. Devemos trabalhar em ns a coragem para um julgamento interior consciente; visando nosso amadurecimento como pessoa. Na poca da Festa de So Joo, no nosso hemisfrio, vivemos o inverno e o frio que favorece o recolhimento, a meditao, a necessidade de ficar quieto e em silncio e se respeitarmos os momentos de recolhimento natural das crianas, tomando o cuidado para que o ambiente da casa esteja aconchegante, ento estaremos permitindo que a criana viva intensamente esta festa.
  • Slide 18
  • So Pedro
  • Slide 19
  • Segundo a Bblia, seu nome original no era Pedro, mas Simo. Nos livros dos Atos dos Apstolos e na Segunda Epstola de Pedro, aparece ainda uma variante do seu nome original, Simeo. Cristo mudou seu nome para , Kepha, que em aramaico significa "pedra", "rocha", nome este que foi traduzido para o grego como , Petros, atravs da palavra , petra, que tambm significa "pedra" ou "rocha", e posteriormente passou para o latim como Petrus, tambm atravs da palavra petra, de mesmo significadoBbliaAtos dos ApstolosSegunda Epstola de Pedroaramaicogregolatim
  • Slide 20
  • Comidas Tpicas da Festa Junina
  • Slide 21
  • Conta a histria que as comemoraes juninas surgiram na poca pr-gregoriana, em comemorao fartura das colheitas, no solstcio de vero, onde faziam-se uma grande festa pag para agradecer a fertilidade da terra. Essa festa era realizada no dia vinte e quatro de junhohistria
  • Slide 22
  • Nessa data o milho est em evidncia em nossas plantaes, sendo a base de todos os alimentos consumidos nas festas juninas. Dentre tantos pratos deliciosos podemos destacar a canjica, o curau, a pipoca, a pamonha, o bolo de milho, o caldo de milho, milho cozido, dentre outros. Porm, no so apenas esses alimentos que compem a culinria da festa. Dependendo da regio onde for realizada, a festa junina apresenta um carter peculiar com a cultura da localidade.
  • Slide 23
  • Tipos de comidas Vrias so as opes para se fazer uma boa festa junina. O man-pelado um bolo feito de mandioca crua, ralada; a paoquinha feita de amendoim torrado, bolacha de maisena e leite condensado; a ma do amor uma ma mergulhada em calda de acar, com um cabo de palito de picol; bolo de coco; cachorro- quente, o delicioso pozinho com molho e salsicha; p de moleque, feito com rapadura e amendoim torrado; pinho cozido, uma castanha caracterstica do sul e o famoso quento, feito com gengibre, canela e pinga.amor
  • Slide 24
  • Trajes usados na dana No fim do sculo XIX as damas que danavam a quadrilha usavam vestidos at os ps, sem muita roda, no estilo bluso, com gola alta, cintura marcada, mangas "presunto" (como so?) e botinas de salto abotoadas do lado. Os cavalheiros vestiam palet at o joelho, com trs botes, colete, calas estreitas, camisa de colarinho duro, gravata de lao e botinas.
  • Slide 25
  • Slide 26
  • Slide 27
  • Hoje em dia, na tradio rural brasileira, o vesturio tpico das festas juninas no difere do de outras festas: homens e mulheres usam suas melhores roupas. Nos centros urbanos, h uma interpretao do vesturio caipira ou sertanejo baseada no hbito de confeccionar roupas femininas com tecido de chita florido e as masculinas com tecidos de algodo listrados e escuros. Assim, as roupas usadas para danar a quadrilha variam conforme as caractersticas culturais de cada regio do pas
  • Slide 28
  • Slide 29
  • Os trajes mais comuns so: para os cavalheiros, camisa de estampa xadrez, com imitao de remendos na cala e na camisa, chapu de palha, talvez um leno no pescoo e botas de cano; as damas geralmente usam vestidos com estampas florais, de cores fortes, com babados e rendas, mangas bufantes e laarotes no cabelo ou chapu de palha.
  • Slide 30
  • Slide 31
  • Dana Juninas QUADRILHA Tambm chamada de quadrilha caipira ou de quadrilha matuta, muito comum nas festas juninas. Consta de diversas evolues em pares e aberta pelo noivo e pela noiva, pois a quadrilha representa o grande baile do casamento que hipoteticamente se realizou.
  • Slide 32
  • BUMBA-MEU-BOI Dana dramtica presente em vrias festividades, como o Natal e as festas juninas, o bumba-meu-boi tem caractersticas diferentes e recebe inclusive denominaes distintas de acordo com a localidade em que apresentado: no Piau e no Maranho, chama-se bumba-meu- boi; na Amaznia, boi-bumb; em Santa Catarina, boi-de-mamo; no Recife, o boi- calemba e no Estado do Rio de Janeiro, folguedo-do-boi.
  • Slide 33
  • LUNDU (lundum/londu/landu) De origem africana, o lundu foi trazido para o Brasil pelos escravos vindos principalmente de Angola. Nessa dana, homens e mulheres, apesar de formar pares, danam soltos. A mulher dana no lugar e tenta seduzir com seus encantos o parceiro. A princpio ela demonstra certa indiferena, mas, no desenrolar da dana, passa a mostrar interesse pelo rapaz, que a seduz e a envolve. Nesse momento, os movimentos so mais rpidos e revelam a paixo que passa a existir entre os danarinos. Logo o cavalheiro passa a provocar outra dama e o lundu recomea com a mesma vivacidade
  • Slide 34
  • CATERET (Catira) Dana rural do Sul do pas, o cateret foi introduzido pelos jesutas nas comemoraes em homenagem a Santa Cruz, So Gonalo, Esprito Santo, So Joo e Nossa Senhora da Conceio. uma dana bastante difundida nos estados de So Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais e tambm est presente nas festas catlicas do Par, Mato-Grosso e Amazonas.
  • Slide 35
  • Festa Julina de Nova Andradina (FEJUNA)
  • Slide 36
  • A Fejuna foi criada na dcada de 80, e um evento voltado para atender as entidades assistenciais do municpio, propiciando uma oportunidade de arrecadarem recursos atravs da venda de produtos nas barracas montadas para a festa, e oferecer lazer e entretenimento populao. Este ano a Fejuna completa 27 anos de sucesso, sendo uma das maiores festas do gnero no Estado, que faz parte do calendrio cultural da Fundao de Turismo (Fundtur).
  • Slide 37
  • O prefeito Gilberto Garcia determinou que todos os esforos sejam empreendidos e cuidados tomados a fim de garantir uma excelente festa para a populao de Nova Andradina. A Fejuna (Festa Julina de Nova Andradina), em sua 27 edio, ser realizada entre 09 e 12 de julho, no Parque de Exposies Henrique Martins, e um evento tradicional na regio sul do Estado, organizada anualmente pela Prefeitura Municipal de Nova Andradina, sendo realizada em prol do fomento do turismo, bem como para propiciar s instituies filantrpicas do municpio meios para angariar fundos para a realizao de suas aes.
  • Slide 38
  • A FEJUNA ser encerada por um show pirotcnico, alem da queima da fogueira, ponto forte das festas juninas e julinas
  • Slide 39
  • Realizao e pesquisa: Alunos do 8 e 9 Ano da Escola Estadual Padre Anchieta Orientao: Professora Odal Junho de 2008
  • Slide 40