Jornal Itararé News / Regional - Edição 87

of 15/15
Quarta-feira, 24 de setembro de 2014 Editor Chefe: Kiko Carli – Ano II – Edição 87 R$ 2,50 Na madrugada do dia 21, o Bairro Pedra Branca sofreu mais uma vez com a enchente que inundou as residências locais. A parte baixa do bairro há anos vem sofrendo com estes trans- tornos em época de chuva, cuja situação é bastante crítica. Ca- sas, carros e plantações foram danificadas pelas fortes corren- tezas. Página 09. A prefeita de Itararé, Cristi- na Ghizzi, recebeu em seu gabi- nete nossa equipe de reportagem para falar sobre a sua adminis- tração, as críticas que vem re- Bairro Pedra Branca sofre novamente com inundação após fortes chuvas “Tenho uma lista de realizações, mas isso ninguém fala”, diz prefeita Cristina Ghizzi cebendo do Legislativo, a perda de sua liderança na Câmara e o possível documento forjado pelo PT contra o vereador Laer- cio Amado. Na oportunidade, ela também falou sobre as melho- rias que têm realizado na cida- de, as quais alega que não são divulgadas pelos vereadores. Página 06. Com o objetivo de encontrar uma solução para o problema da merenda nas escolas do muni- cípio, o prefeito Roberto Come- ron e os vereadores da Câmara Municipal reuniram-se na ma- nhã de terça-feira (23), na sede ITAPEVA Prefeito e vereadores se unem em busca de uma solução para o problema da merenda escolar da Secretaria da Indústria e Co- mércio. O fato é que professo- res e funcionários estão desco- tentes, pois não podem mais comer a merenda devido uma lei federal, que está sendo cumpri- da. Página 14. No sábado (20), alguns bar- racões que eram usados para exposição de bovinos durante Barracões do recinto de festas desmoronam as festas do peão de Itararé, des- moronaram devido o mau esta- do de conservação, o que pio- rou por causa das chuvas e o vento que se abateu na cidade nos últimos dias. Página 09. Corpo de Bombeiros faz alerta para evitar fogo em residência Após realizar análise das ocorrências atendidas pelo Cor- po de Bombeiros de Itararé no primeiro semestre de 2014, o sargento Seiji constatou um alto número de incêndio em residên- cias e edificações. Para tanto, o mesmo faz um alerta e dá algu- mas dicas para evitar este tipo de ocorrência. Página 02. Polícia Rodoviária apreende 7 armas de fogo e 41 munições No dia 17, durante fiscaliza- ção no combate ao tráfico de drogas, armas e demais ilícitos pelo quilômetro 280,5 da SP 258, Rodovia Francisco Alves Ne- grão, que liga Itapeva a Itararé foi abordado pela Polícia Rodo- viária um veículo Fiat Uno, que culminou com a apreensão de armas e munições. Página 09. Itararé adquire mais uma Van para o transporte de pacientes A Prefeitura de Itararé, atra- vés da Secretaria de Saúde, bus- cando aprimorar o atendimen- to na área e oferecer mais con- forto e segurança no transporte dos pacientes que necessitam de atendimento especializado em outros centros, adquiriu uma Van Peugeot Boxer 0km, com 15 lugares. Página 02. O prefeito Edson Sima par- ticipou da solenidade de assi- natura de convênio com o Ser- viço Social da Indústria de São Paulo (Sesi) para promover o Programa Atleta do Futuro em TAQUARIVAÍ Prefeitura firma parceria no Esporte com o Sesi-SP Taquarivaí, o qual irá incentivar a prática de diferentes modali- dades esportivas com ênfase no desenvolvimento de habilida- des pessoal e social da criança e do adolescente. Página 15. NOVA CAMPINA Secretária da Agricultura entrega 10 quilômetros de estradas recuperadas A secretária estadual da Agri- cultura e Abastecimento, Môni- ka Bergamaschi, oficializou na última quinta-feira (18), em Nova Campina, a entrega das obras do programa estadual de recuperação de estradas rurais, o “Melhor Caminho”. São 10 quilômetros que ligam a empre- sa Orsa a Itaboa. Página 13. APIAÍ Casa do Amigo Ideal desenvolve programa de convivência Comprometida com a participação e o envolvimen- to das famílias, a coordena- dora da instituição Cleusa Fortes de Apiaí, iniciou no dia 13, o curso Padaria Artesanal. A iniciativa conta com o apoio do Fundo Social de So- lidariedade e da Secretaria de Assistência e Promoção So- cial. Página 14.
  • date post

    04-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    256
  • download

    0

Embed Size (px)

description

www.jornalitanews.com.br

Transcript of Jornal Itararé News / Regional - Edição 87

  • Quarta-feira, 24 de setembro de 2014

    Editor Chefe: Kiko Carli Ano II Edio 87

    R$ 2,50

    Na madrugada do dia 21, oBairro Pedra Branca sofreu maisuma vez com a enchente queinundou as residncias locais.A parte baixa do bairro h anosvem sofrendo com estes trans-tornos em poca de chuva, cujasituao bastante crtica. Ca-sas, carros e plantaes foramdanificadas pelas fortes corren-tezas. Pgina 09.

    A prefeita de Itarar, Cristi-na Ghizzi, recebeu em seu gabi-nete nossa equipe de reportagempara falar sobre a sua adminis-trao, as crticas que vem re-

    Bairro Pedra Branca sofre novamentecom inundao aps fortes chuvas

    Tenho uma lista de realizaes, mas issoningum fala, diz prefeita Cristina Ghizzi

    cebendo do Legislativo, a perdade sua liderana na Cmara e opossvel documento forjadopelo PT contra o vereador Laer-cio Amado. Na oportunidade, ela

    tambm falou sobre as melho-rias que tm realizado na cida-de, as quais alega que no sodivulgadas pelos vereadores.Pgina 06.

    Com o objetivo de encontraruma soluo para o problema damerenda nas escolas do muni-cpio, o prefeito Roberto Come-ron e os vereadores da CmaraMunicipal reuniram-se na ma-nh de tera-feira (23), na sede

    ITAPEVAPrefeito e vereadores se unem em

    busca de uma soluo para oproblema da merenda escolar

    da Secretaria da Indstria e Co-mrcio. O fato que professo-res e funcionrios esto desco-tentes, pois no podem maiscomer a merenda devido uma leifederal, que est sendo cumpri-da. Pgina 14.

    No sbado (20), alguns bar-races que eram usados paraexposio de bovinos durante

    Barraces do recinto de festas desmoronam

    as festas do peo de Itarar, des-moronaram devido o mau esta-do de conservao, o que pio-

    rou por causa das chuvas e ovento que se abateu na cidadenos ltimos dias. Pgina 09.

    Corpo deBombeiros faz

    alerta para evitarfogo em residncia

    Aps realizar anlise dasocorrncias atendidas pelo Cor-po de Bombeiros de Itarar noprimeiro semestre de 2014, osargento Seiji constatou um altonmero de incndio em residn-cias e edificaes. Para tanto, omesmo faz um alerta e d algu-mas dicas para evitar este tipode ocorrncia. Pgina 02.

    Polcia Rodoviriaapreende 7 armas

    de fogo e 41munies

    No dia 17, durante fiscaliza-o no combate ao trfico dedrogas, armas e demais ilcitospelo quilmetro 280,5 da SP 258,Rodovia Francisco Alves Ne-gro, que liga Itapeva a Itararfoi abordado pela Polcia Rodo-viria um veculo Fiat Uno, queculminou com a apreenso dearmas e munies. Pgina 09.

    Itarar adquiremais uma Van

    para o transportede pacientes

    A Prefeitura de Itarar, atra-vs da Secretaria de Sade, bus-cando aprimorar o atendimen-to na rea e oferecer mais con-forto e segurana no transportedos pacientes que necessitamde atendimento especializadoem outros centros, adquiriuuma Van Peugeot Boxer 0km,com 15 lugares. Pgina 02.

    O prefeito Edson Sima par-ticipou da solenidade de assi-natura de convnio com o Ser-vio Social da Indstria de SoPaulo (Sesi) para promover oPrograma Atleta do Futuro em

    TAQUARIVAPrefeitura firma parceriano Esporte com o Sesi-SP

    Taquariva, o qual ir incentivara prtica de diferentes modali-dades esportivas com nfase nodesenvolvimento de habilida-des pessoal e social da criana edo adolescente. Pgina 15.

    NOVA CAMPINASecretria da Agricultura entrega 10quilmetros de estradas recuperadas

    A secretria estadual da Agri-cultura e Abastecimento, Mni-ka Bergamaschi, oficializou naltima quinta-feira (18), emNova Campina, a entrega das

    obras do programa estadual derecuperao de estradas rurais,o Melhor Caminho. So 10quilmetros que ligam a empre-sa Orsa a Itaboa. Pgina 13.

    APIACasa do Amigo Idealdesenvolve programa

    de convivnciaComprometida com a

    participao e o envolvimen-to das famlias, a coordena-dora da instituio CleusaFortes de Apia, iniciou no dia13, o curso Padaria Artesanal.A iniciativa conta com oapoio do Fundo Social de So-lidariedade e da Secretaria deAssistncia e Promoo So-cial. Pgina 14.

  • Editorial

    02 www.jornalitanews.com.br 24 de setembro de 201402

    Editor-chefe: Kiko CarliJornalista Responsvel : Marcus Oliveira - MTB 42.240

    Consultor Jurdico: Dr. Renato Jensen Rossi - OAB 234.554Impresso: Grfica Ita News

    (Reg istrada em Cartrio sob n 2470 em 26/08/2009)Tiragem: 2.000 exemplares

    Registrado em Cartrio sob n 2474, no livro de matrculas de jornal no dia 17/09/2009.A direo deste jornal no se responsabiliza por artigos assinados que no

    necessariamente expressam a opinio deste veculo.O jornal Ita News no responsvel pela qualidade, provenincia, veracidade e

    pontualidade das colocaes dos anncios classificados publicados em suas pginas,bem como os contedos de seus colunistas, os quais no possuem nenhum vnculo

    empregatcio com a empresa.

    Itarar News - Jornais, Revistase Servios de Comunicao

    Multimdia Ltda - ME

    CNPJ: 13.614.945/0001-45 Inscrio Estadual: 380.041.059.119Rua XV de Novembro, 770 - Itarar/SP - CEP 18460-000

    Fone: 3532-3948

    No dia 02 de outubro o TGde Itarar receber a visita dogeneral do Exrcito Joo Cami-lo Pires de Campos, comandan-te Militar do Sudeste e do gene-ral de Diviso Claudio CosciaMoura, comandante da 2 Re-gio Militar.

    Na oportunidade, o generalCampos far uma palestra aosatiradores e seus familiares, eem seguida ser realizada umasolenidade militar s 7h30, naPraa Siqueira Campos com apresena das autoridades domunicpio.

    Esta a primeira vez que ocomandante militar do Sudeste eo comandante da 2 Regio Mili-tar visitam a cidade de Itarar.

    Tiro de Guerra recebervisita de generais

    O chefe da Instruo do TGde Itarar salienta a importn-cia de receber os oficiais gene-rais, e isto se deve ao fato do TGde Itarar ter se destacado nasinspees que tem passado du-rante estes anos.

    Desde a assuno da Chefiado TG pelo STen ROBSON, que ogeneral Campos prometia devisit-lo, e que agora est sen-do possvel realizar esta visitaao Tiro de Guerra.

    O STen ROBSON convida atodos os antigos atiradores e apopulao em geral, para quecompaream na Praa SiqueiraCampos, s 7h30 para assistirema solenidade militar e verem deperto os Oficiais Generais.

    Gen. Ex. Joo CamiloPires de Campos

    Gen Div. CludioCscia Moura

    A Prefeitura de Itarar, atravsda Secretaria de Sade, buscandoaprimorar o atendimento na reae oferecer mais conforto e segu-rana no transporte dos pacientesque necessitam de atendimento

    Itarar adquire mais umaVan para o transporte de pacientes

    especializado em outros centros,adquiriu uma Van PeugeotBoxer2014 0km, com 15 lugares.

    O veculo, orado em apro-ximadamente R$ 124.000,00mil, fruto de uma emenda par-lamentar no valor de R$76.359,94 e teve contrapartidada prefeitura municipal no va-lor de R$ 47.640,06.

    A Van possui 15 lugares, arcondicionado, bancos soft recli-nveis, freios ABS, direo hi-drulica, air bag e est adapta-da para o transporte de pacien-tes em trajetos curtos e longos.

    O chefe da Central de Vagase Encaminhamento de Trnsito(CVET), Edenilson de Genaro, re-

    cebeu com entusiasmo maisesta aquisio e disse que osusurios do SUS tero mais con-forto e segurana com a reno-

    vao constante da frota. Gena-ro informa que,atualmente, acentral transporta cerca de3.000 usurios por ms.

    Aps realizar anlise dasocorrncias atendidas pelo Cor-po de Bombeiros de Itarar noprimeiro semestre de 2014, osargento Seiji constatou um altonmero de ocorrncias de incn-dio em residncias/edificaes.

    Para tanto, o mesmo faz umalerta e d algumas dicas paraevitar este tipo de ocorrncia,confira:

    No deixe cortinas compri-das ou tapetes sobre fios eltri-cos, em caso de curto circuitopegam fogo rapidamente.

    Evite cortinas, depuradoresde ar, armrios acima do fogo

    Evite deixar ferro de passarligados quando no for usar. Pormuitas vezes incndios iniciamdevido ao esquecimento deles li-gados, mesmo os automticos,quando ligados por muitas horaspodem acontecer o termostatoquebrar e o ferro continuar es-quentando e provocar incndio

    Deixe os botijes de gs fora

    Corpo de Bombeiros faz alertapara evitar fogo em residncia

    de casa para que em caso de va-zamentos no provoquem incn-dio. Feche o registro do gs quan-do no estiver em uso

    Cuidado com botijes com

    capa, pois podem pegar fogo comfacilidade

    No jogue cigarro mal apaga-do na lixeira com papis ou gramapois pegam fogo rapidamente

    Mantenha fsforos e isquei-ros longe do alcance de crianas,sempre se certifique que o fs-foro esta bem apagado antes dejog-lo fora

    Caso ocorra sobrecarga nasinstalaes eltricas, causandoassim um superaquecimentodos fios, no ligue nenhum apa-relho na tomada e no faa liga-es provisrias. Tais atitudespodem ocasionar incndios

    Se sentir cheiro de gs noligue ou desligue a luz, no acio-ne ou desligue nenhum equipa-mento eltrico pois podem pro-vocar fascas, apenas abra por-tas e janelas e deixe o local, peapara um vizinho ou conhecidoacionar o Corpo de Bombeiros

    Em caso de incndio liguepara os Bombeiros no nmero 193

    Lembre-se no passe trote no190 ou 193, alm de ser crime,uma pessoa que realmente estprecisando de socorro estarsendo prejudicada

    Consumidores as vezesse equivocam com seus direitos

    Muitos consumidores nosabem, mas muitas vezes as lo-jas podem se recusar a fazer tro-cas de produto, cobrar multapelo cancelamento de um planode internet, vender um objetocom defeito e ainda lhe deixarde mos atadas por semanas afio. E acreditem, tudo isso den-tro da lei.

    Nossa equipe de reportagemabordou 40 pessoas nas ruas dacidade, e destas 31 acreditamnaquele lema difundido no mun-do dos negcios, o qual diz queo cliente tem sempre a razo, oque no verdade quando o as-sunto em relao ao consumo.

    Respaldados pela legislaoatual, vendedores e prestadoresde servios conseguem se de-fender e garantir direitosque,por mito ou falta de bom senso,acabam sendo atribudos exclu-sivamente aos compradores.

    Os consumidores de umaforma geral esto mal acostu-mados, mimados por lojistas que na hora de fechar o negciooferecem benefcios sem fimpara fidelizar o cliente , as pes-soas acredita sempre em estarrespaldados peloCdigo deDefesa do Consumidorquandose sentem lesados em suas re-laes de consumo.

    De acordo com o empres-rio e bacharel em Direito, Ales-sandro Onari, mesmo que mui-tas vezes o cliente tenha razonas queixas, a balana pode pen-der para o fornecedor em algu-mas situaes, como quandoconsumidores se aproveitam deerros em anncios para comprarprodutos por preos bem maisem conta. Muitos desses casos

    acabam indo para a Justia, quecada vez mais decide a favor dolojista. Para evitar que muitasvezes o consumidor gaste tem-po, energia e dinheiro buscan-do direitos que no tem, Ales-sandro Onari, d algumas dicasimportantes que informa o con-sumidor sobre o que pode e oque no pode no conflituosomundo do consumo.

    Troca de produto sem defei-to apenas um ato de gentileza

    A cena comum em algumaslojas de nosso comrcio. Lojas eestabelecimentos comerciaisso invadidos por consumidoresminados de sacolas. Eles carre-gam os presentes que ganharamem tamanho errado, que vieramrepetidos ou at mesmo porqueno gostaram da cor ou do mo-delo. Para fazer a troca, bastaapresentar o produto com a eti-queta, correto? Nem sempre.

    Exigir a troca de qualquermercadoria que no apresentedefeito, comprada pela prpriapessoa ou por terceiros, umaprtica baseada em um direito

    que no existe na legislao. OCdigo de Defesa do Consumi-dor no obriga as lojas a substi-tuir o produto por outro em ca-sos assim.

    Mas por que os comercian-tes costumam oferecer essa op-o? Por gentileza e tambmpara fidelizar os clientes, afir-mou um lojista que h 10 anosatua no mercado em Itarar.

    As lojas s so obrigadas atrocar a mercadoria se ela apre-sentar algum defeito ou vcio.Caso isso ocorra, o fornecedor ter30 dias para corrigir o problemae, se no conseguir, a sim o direi-to de troca acontecer, explicaBruna Domingues, advogada.

    Fique atento!Para evitar constrangimentos

    na hora de tentar trocar um pro-duto e no conseguir, o consumi-dor deve verificar se h possibili-dade de troca antes mesmo deadquirir a mercadoria. Nesses ca-sos, a opo e o prazo para a tro-ca, quando houver, devem cons-tar na nota fiscal ou na etiquetado produto, de preferncia.

    Preste atenoA regra que no obriga a tro-

    ca de produtos vlida somen-te para itens adquiridos pesso-almente em um estabelecimen-to comercial, como as lojas lo-calizadas em ruas. Quando acompra feita por telefone oupela internet, o consumidorpode exercer o direito ao arre-pendimento em at 7 dias. Issosignifica que, por lei, possveldesistir da compra e devolver oproduto (inclusive com ressar-cimento pelo envio) ou trocarpor outra mercadoria dentro deuma semana. O motivo da de-sistncia no importa.

    Os consumidoresEu acredito que so obriga-

    dos a fazer a troca sim. No so-mos obrigados a ficar com umproduto o qual pagamos por ele,e que no fim no nos agrada,disse Cassia Mattos.

    Aqui em Itarar o povo mal acostumado, qualquer coi-sinha aparece aqui para fazeremtrocas. E com medo de perder-mos o fregus acabamos fazen-do a troca, mas percebemos quemuitas situaes no caberiama troca, falou a comercianteRegina Soares Paes.

    Eu j tive problemas comtrocas de produto, uma vez quedeu problema e levaram 19 diaspara irem buscar. Depois mais40 dias para me trazer uma subs-tituio. No apenas a popula-o que tem que se conscienti-zar de seus deveres e os comer-ciantes tambm. Acredito queem Itarar a maioria dos comer-ciantes no sabe o que Cdigode Defesa do Consumidor, fi-nalizou Jos Emanoel Neto.

    Em Itapeva o cumprimentode uma lei federal, de que so-mente os alunos devem comera merenda nas escolas, tomouconta da cidade nos ltimosdias, j que o atual prefeito foiobrigado a cumpri-la.

    O impacto foi to grande quehouve manifestaes nas redessociais e um linchamento mo-ral contra o chefe do Executivo,que acabou levando a culpa detudo sozinho. Se a sua situaono era boa e o descontenta-mento era geral, ficou aindapior depois desde o cumprimen-to desta lei.

    Entretanto, esto sendo re-alizadas algumas reunies porparte dos vereadores para po-der sanar este problema e en-contrar uma alternativa que fi-que boa para ambos os lados.

    Mas, o que de se admirar que Roberto Comeron est indopara a guerra sozinho. Todos osseus soldados o abandonaram eningum se pronuncia em seufavor, nem mesmo o seu vice,que faz parte da classe de pro-fessores e poderia com seu dis-curso romntico amenizar a si-

    Onde come um,no comem dois

    tuao. Falta assessoria, faltapreparo para o nosso prefeitoem saber lidar com algumas si-tuaes, mas aqueles que sopagos para tal funo para nose importar com o que ele fala eficam assistindo de camarote asua derrocada.

    Sabemos que o prefeito temboa ndole, boa vontade, masalm disso necessrio tcni-ca, a qual seus secretrios e as-sesores deveriam ter de sobra,mas que ao contrrio demons-tram inexperincia e ineficciacom a coisa pblica.

    Se lei e deve ser cumprida,o que esperamos que os pre-feitos de nossa regio no en-trem no mesmo labirinto emque foi parar o Roberto Come-ron, pois o impacto com certe-za poder ser mais profundo.

    J dizia um velho provrbiochins: Ao final do jogo, rei epeo vo para a mesma caixa,no entanto o que estamos ven-do o rei pagando os pecados,enquanto os pees esto todosse deliciando com o poder e seaproveitando para fazer nome ese sobressair. Abra o olho!

  • 11www.jornalitanews.com.br24 de setembro de 2014 03por Kiko Carli

    [email protected] Facebook/kikocarliEstamos de OlhoSem memria

    A passagem do atleta profis-sional de futebol, Jlio Cesar Pi-nheiro aconteceu em gramadosdo Brasil, Mxico, Espanha, Itliae Japo. Parece que a memria dosorganizadores do jogo entre vete-ranos de Itapeva contra o Mastersdo Corinthians de nada valeu. Onome do maior jogador de nossahistria simplesmente foi esque-cido e qual seria o motivo? Feliz-mente para aqueles que sabemda importncia do rapaz, que fezbonito no futebol e levou o nomede Itapeva alm de nossas fron-teiras, o atleta de Seleo Brasi-leira Miller (So Paulo, Corinthi-ans e Cruzeiro) consertou o erro echamou nosso craque para jogarpelo Corinthians. No serve paraItapeva, mas serve para o Timo.Uma vergonha e desrespeito coma nossa histria.

    DesfilePara a tristeza de muitos o

    desfile foi adiado para o dia 12de outubro, o que deixou insatis-feito professores, pais e alunos.Quem foi o gnio que orientou oprefeito Comeron? Medo de vai-as por causa do conflito geradoentre o Poder Executivo e os pro-fessores? bom reverem commuita calma a nova data, j quea classe est disposta a boicotaro evento. Que vergonha! Estocolocando o prefeito contra todossem o mnimo escrpulo. Abre osolhos com seus amigos (?) pre-feito. Todos esto te usando comoescudo para esconder a prpriaincompetncia.

    GozadorO vereador (?) Celio Cavaco

    abordou um funcionrio do ItaNews por no concordar de algu-ma nota publicada nesta coluna.Se o senhor no est contente pro-cure um advogado e lute pelo seudireito, j que no consegue fa-zer o mesmo por aqueles que olevaram Casa de Leis. O senhorse elegeu pelo PR, foi para o PROSe hoje apoia um candidato doPDT. Isso fazer poltica? Semdizer que os votos que o senhorlevar para o seu candidato pre-judicar os de nossa cidade, So-lange, Celinho, Mazen e Dr. Ulys-ses. Quer mais?

    Eu apoioAo longo de minha vida vol-

    tada poltica, jamais fiz cam-panha para candidatos que nofossem ligados a nossa regio epartindo deste princpio apoio reeleio do Dr. Ulysses Tassi-nari para deputado estadual, que digno representante de todosns. Nunca abriu mo de estar efazer algo pela nossa gente e emespecial pelos mais humildes.Eu sou Dr. Ulysses.

    Eu apoio IIJ para deputado federal ja-

    mais abriria mo de estar ao ladode Joo Fadel, que tem a cara denossa regio. Nascido e criado emItarar sempre teve fortes vn-culos com Itapeva e sabe de to-dos os problemas que afligem osmoradores da Regio Sudoeste.Eu sou Joo Fadel. A dobradinhaperfeita, Dr. Ulysses e Joo Fadel.

    CongratulaesMarmo O que vemos hoje

    uma grande preocupao no snos processos internos e nos pro-jetos a serem aprovados, desde oincio da gesto Roberto Come-ron. Infelizmente o fato que nstemos um governo sem planeja-mento, sem objetivo e sem pes-soas competentes para adminis-trar e o que vemos uma passa-gem de quatro anos na Prefeiturasem deixar nenhuma marca emprol da comunidade e infelizmen-te Itapeva est parada no tempo,

    estamos regredindo. Quando as-sistamos ao governo Robertodizer nos primeiros meses degesto que eram os melhores 100dias da cidade de Itapeva, realmen-te eram os 100 melhores dias decongratulaes por ele ter ganhouma eleio, por ter recebido osalrio de um prefeito municipal,porque a partir daquele momen-to estamos acompanhando essagrande ineficincia da mquinapblica. Postos de Sade sem con-cluir, as unidades de sade semreformas, as pavimentaes ne-nhuma delas encaminhadas e acomunidade est nos cobrando.Na verdade o prefeito RobertoComeron se ilude com algunsaspones que o cercam e nadafazem alm de empurrar o pre-feito ladeira abaixo. Todos so-mos itapevenses e no quere-mos que o governo v mal paradizermos que o eleitor errou.Queremos sim uma Itapeva cres-cente e com bons e grandes pro-jetos, que foram prometidos emcampanha e que com a fragili-dade e incompetncia daquelesque assolam o Palcio Duque deCaxias vemos ir por gua abai-xo. Prefeito acredite no seu ca-risma com o povo, mude algu-mas peas que so inteis e faaa diferena nos prximos doisanos. Ainda d tempo!

    PsamesQuem vai ser responsabiliza-

    do por no cumprir a lei que pro-be a alimentao dos professo-res desde 2009? A bomba estou-rou na mo do prefeito atual, queapenas cumpriu a lei e est pa-gando caro por isso. O que os pro-fessores no sabem que todoaquele que for acusado de estardescumprindo a lei tambm terproblemas jurdicos. Para a nos-sa alegria os vereadores Marga-rido, urea, Toni do Cofesa, Tiodo Txi, Tutu, Edvaldo Nego ePreto estiveram reunidos com oprefeito e secretrios na nsiade buscar uma soluo.

    BrilhanteVale a pena destacar o empe-

    nho dos vereadores em tentaruma soluo para o problema cri-ado em relao a alimentao defuncionrios e que os nobres edisnada tem a ver com uma lei que federal, assim como o prefeitoque obrigado a cumpri-la, masesto em busca de uma soluo,j que os professores e meren-deiras, principalmente os que tra-balham na zona rural no podemser prejudicados.

    PerguntaOnde estavam os assessores

    e aspones que so pagos paradefender o prefeito em reuniessemelhantes? Novamente fugi-ram e deixaram o abacaxi parao prefeito descascar?

    A verdadeEsperamos que na prxima

    sesso em que comparecerem osprofessores, que tm todo o di-reito de reivindicar para a clas-se, que ningum suba Tribuna ejogue para a torcida e contra oprefeito. O governo Comeron temmuitos problemas, mas o citadono de responsabilidade sua. a lei e deve ser cumprida.

    PrevisoLembro-me que fui muito

    criticado quando no ms de julhode 2013 em um telo mostrei al-guns estudos financeiros feitoscom relao a alimentao esco-lar e me chamaram de encren-queirinho, quando eu disse so-bre o valor alto da aquisio damerenda escolar naquele perodoe que no aguentaria at dezem-bro de 2013. Eu errei, porque pas-sou dezembro de 2013, mas per-durou e o problema veio para

    2014. Quando ns trazemos nos-sas preocupaes no s por seroposio, mas pelo conhecimen-to que temos dentro da adminis-trao pblica e para que o prefei-to Roberto Comeron possa avali-ar, porque amigo aquele que diza verdade e no o que bate noombro e diz que o melhor pre-feito que j teve em Itapeva. En-gana o prefeito quem diz isso,disse Marmo. o que digo, fal-tam crticos com seriedade aolado do prefeito ou ento esteos ignora, pois nunca vimos tan-ta lambana ser feita ao mesmotempo. Quem foi o gnio (?) quefez com que o prefeito cancelas-se o desfile que tradio emnossa cidade? Sua assessoriaprefeito deveria blind-lo contrapossveis erros e fazem ao con-trrio, j que o jogam contra apopulao e se escondem e sedivertem nos camarotes. Acor-da prefeito.

    Soluo?urea Quando uma admi-

    nistrao no vai bem, prejudicauma cidade inteira e ns no po-demos deixar acontecer isso, nointeressa se servidor ou no,porque quem no tem competn-cia no se estabelece, e neste casons temos que dar nome aos bois.Quem o secretrio do Planeja-mento hoje? o seu Marco, omesmo que foi secretrio no go-verno passado na Secretaria daSade, o mesmo que o RobertoComeron fazia crticas pessoaisinclusive nessa tribuna. Agorano sei o que mudou, porque elecontinua como secretrio, conti-nua fazendo Planejamento e con-tinua na Prefeitura. O que houve?Mudou o Marco, ou mudou oRoberto Comeron? At o apelideide Zorro, porque com uma vari-nha mgica ele faz o que quer den-tro da Prefeitura. Eu conheo bemo Roberto e ele no uma pessoam, no tem maldade no corao,mas est faltando pulso. Se nod certo que troque, que no fi-que mantendo pessoas que tmcrticas pela rua inteira, queiman-do o seu filme e as atitudes dosvereadores, porque a Cmara tam-bm faz parte deste contexto po-ltico e ali no adianta ser oposi-o e nem situao e nem meiotermo. Por outro lado ns temosaquela Cozinha Comunitria e eufiquei sabendo que jogam maisde 50 quilos de alimentos ao dia,ento ns seguramos uma coisaaqui e abrimos a torneira por l, ea cozinha comunitria no podesobrar. A reclamao da vere-adora que o secretrio nadaproduz e est levando Itapevapara o fundo do poo. Quanto Cozinha Comunitria fica difcilaceitar tal colocao da nobreedil, j que os professores lutampor alimentao principalmen-te para aqueles que trabalhamna zona rural. Adequao a umasituao no ser contra a lei. melhor jogar fora do que serviros professores?

    SeriedadeTio do Txi Tanto o pre-

    feito, quanto a secretria achoque deviam ter humildade por-que a vida do professor cheiade dificuldades, no pela marmi-ta de comida que eles teriam quelevar, mas pela dificuldade emsair correndo de uma escola paraoutra e esse perodo no sufici-ente para sentar numa mesa efazer sua refeio. Eu entendoque a causa muito complexaquando se trata de horrios dosprofessores que so peas raraspara os nossos filhos e no futuropara os nossos netos. Neste sen-tido ns devemos estar ao ladodessas pessoas os defendendopara que possam ter um poucode sossego e paz na hora da ali-mentao. Muito lecionam nazona rural e isso aumenta maiso problema, porque a distncia maior e vai ficar ainda mais difi-

    cultosa a vida deles se continua-rem nesse rumo que decidiu asecretria. Os administradoresprecisam ter um pouco mais deateno, e que as rdeas sejamtomadas para que esses funcio-nrios tenham esse benefcio,que a alimentao. o quesugerimos. A lei deve ser cum-prida, mas adequada aos nobresprofessores que foram, so esero sempre de extrema im-portncia em um pas onde aEducao no tratada com se-riedade.

    Em campanha?Onde est o tal Junior Fontes,

    que foi o idealizador deste proces-so que na hora H abandonou o bar-co e deixou o Comeron a merc dopoder? Por que o senhor fugiu dacausa, j que se dizia o Salvadorda Ptria? Continua querendomandar na poltica de Itapevacom mentiras como as que contahoje para impor o nome de Vaz deLima para deputado. Tenha digni-dade e assuma ao lado do prefei-to que o senhor bancou para che-gar ao poder. Quais os benefciosque o senhor conquistou com a vi-tria do Comeron? Loteamentos?Parcelamentos? Mudanas noPlano Diretor? Obras? Conte paraa gente que a populao est es-perando tudo o que o senhor fez oprefeito prometer. fcil ficar emsua sala fazendo mdia com esteou aquele poltico, mas o que Ita-peva precisa de gente que de acara para bater em prol da comu-nidade e no que olhe apenas oprprio umbigo.

    Cad voc?Se faltam homens pblicos

    para falar a verdade me coloco adisposio, j que todos sabemque foi o senhor Junior Fontesque criou o fato e abandonou oprocesso com as mais variadasdesculpas. O senhor anteviu oque est acontecendo ou foimedo mesmo? Tenha respeito aopovo que acreditou em seu edi-torial no jornal de campanha doprefeito, assuma sua responsa-bilidade e traga novamente Ita-peva para os trilhos, j que hojeno passamos de uma locomoti-va desgovernada. Sabemos quehaver represlias em funodeste desabafo, mas nada teme-mos e estamos dando um alertapara um governo que tem aindadois anos para nos liderar e emmuito pouco tempo estamosbeirando o fundo do poo. Rober-to Comeron um bom cidado,mas precisa aprender a ouvir ecolocar as pessoas certas paraadministrar a Prefeitura, inde-pendentemente de partido.Tudo por uma Itapeva melhor.

    Cad voc? IIProblema com os professo-

    res? Quem deveria assumir o pro-blema? claro que seria o vice-prefeito Geraldo, que sempre sedisse um defensor da classe. Oque o senhor fez para ajudar osprofessores nesta luta diria?Qual a sua ao para ajudar o pre-feito? Qual a sua funo especfi-ca? O povo quer saber Geg. Es-to brindando o senhor e colocan-do o prefeito contra a classe?

    RodandoWiller Rodo, rodo, fico

    igual ao Larcio falando da ilu-minao pblica, mas vou terque falar de novo de certo candi-dato que existe a na cidade, quese diz Paz e Bem, o qual fica in-fernizando a vida dos outros.Agora fica falando mal de ambu-lncia, de vereador, e diz que do bem. Para a minha surpresame disseram que ele contratouum segurana. Segurana sabe-mos que quem contrata artistade cinema de renome, pessoarica, bandido, agora eu no sei seele contratou um segurana ou

    um marido para ele. At agoraeu no sei, mais fcil ele tercontratado um marido do queum segurana, estilo Robertopor a. Ele tem ofendido a todosos vereadores aqui desta Casa,agora no s a minha pessoa,comeou a atacar outros. Fala-mos brincando, mas para atin-gir sem brincadeira, a Justia meproibiu de falar o nome dele, en-to com j fui advertido, eu res-peito. Procuro tocar do jeito qued. hora de dar um basta aosconfrontos em Itarar. Em nadamuda os rumos da cidade comtais discusses que s fazem re-troagir o crescimento e colocaem xeque duas pessoas, que de-veriam passar uma borracha nopassado e trabalhar por uma ci-dade melhor.

    Sem dinheiroEstou preocupado com a Sa-

    de. Agorinha fiquei sabendo queduas pessoas com cncer, uma emfase terminal e outra com cncerno ovrio, precisavam ter ido paraJa, porm tiveram de escolheruma das duas, a mais grave paralevar. No vou partir em confron-to com a administrao, estoufalando o que a minha conscin-cia me diz que devo fazer. Sem fa-lar que segundo informaes, jacabou o dinheiro da Sade. Novemeses e j acabaram R$ 19 mi-lhes. Temos mais trs meses pelafrente e j me acontece uma coisadesta, cutucou Willer. Eis umasituao a qual o vereador estabraando que de fundamen-tal importncia para a cidade edeve ser resolvida de imediato.

    DesamorJulio do Rede Hoje eu e o

    presidente desta Casa de Leis fo-mos dar uma volta na zona ru-ral, porque sbado (20) eu sentina pele o que voc sofrer comestrada alagada, que no fazema sada de gua direito. Eu esti-ve em uma festa l em Furnassbado noite e a chuva foimuito forte. Quando estava vol-tando havia mais de 20 famliassofrendo com a situao. Tinhaum lamaal mais ou menos paracima do joelho. No estou com-parando nada, mas acho quequalquer secretrio, indepen-dentemente de qualquer Pasta,tem que ter um pouco de senti-mento, sabendo o que choveuno sbado e no domingo, tinhaque ter ido l com uma equipe,para ver a situao que estava,para levar todas as mquinas,todos os funcionrio e fazer ummutiro. Perfeito Julio. Emmuitos momentos falta humil-dade para alguns agentes pol-ticos e o citado pelo senhor bem tpico de pessoas que notem nada no corao.

    PerguntaA Rede IN de Comunicao

    ganhou a licitao para rodar aimprensa oficial do municpio.At o momento nenhuma foi fei-ta e a Prefeitura continua pagan-do caro os editais que so obri-gatrios por lei. O contrato j foiassinado e no nos passam o ser-vio. Por qu? Qual o motivo defazer uma licitao e no a fazerser cumprida dona Cristina Ghi-zzi? Quem est sendo beneficia-do com o atraso no processo?

    Itarar IIIHoje um funcionrio me pro-

    curou para fazer uma reclamao,pois tm dois caminhes de lixoparados, um por causa de mil epouco, outro por causa de doismil e pouco, o qual me falou queesto pagando R$ 500,00 por diapara cada caminho que est tra-balhando (terceirizados) aqui nacidade. Em duas semanas davapara arrumar os nossos e resol-ver a situao. A colocao dovereador Willer nos deixa no

    mnimo curiosos. Quem foi o g-nio que fez o clculo matemti-co a achou melhor alugar os ca-minhes? A quem interessa?

    Itarar IVA Dra. Ana da UNIPA veio

    aqui hoje. Est com srios pro-blemas l, agora esto exigindoque ela contrate um veterinrio,contrate no sei o que, o salriodos funcionrios aumenta, osgastos aumentam e o repassedela continua estagnado, elaest desesperada, disse Willer.Parece que tudo anda a passoslentos na cidade. O que acon-tece com o processo que pode-ria auxiliar a entidade? Serque algo vai funcionar aindaeste ano?

    ItararA forte chuva que se aba-

    teu em Itarar no ltimo finalde semana deixou moradoresdo Bairro Pedra Branca na zonarural debaixo dgua. O proble-ma acontece todos os anos eat hoje nenhuma ao efeti-va foi realizada para ampararesta comunidade. Foi prometi-do o lajotamento do bairro, queficou apenas na promessa. Va-mos orar pelo povo e que SoPedro seja piedoso com as chu-vas j que a administrao...

    Itarar IIOutra ao da chuva foi a

    queda de alguns barraces doCentro de Eventos, que servi-am para exposio de animaisdurante as festas e leiles. Afalta de manuteno e a aodo tempo corroboraram paraque o prejuzo fosse maior. Ocomentrio o mesmo acima.

    Itarar IIIA prefeita Cristina Ghizzi dis-

    se em entrevista ao ItararNews, que as pessoas que criti-cam o seu governo nunca lem-bram das aes efetivas que eletem feito no municpio e que osproblemas como limpeza, ilumi-nao, entre outros j vm de20 anos e que ela est tentandocolocar tudo no eixo. Isso no totalmente verdade, j que to-das as boas colocaes e execu-es feitas pela prefeita notici-amos com o mesmo mpeto quefazemos nossas crticas, que vi-sam apenas uma Itarar melhor.

    Itarar IVFoi concluda a reforma da

    cozinha da Escola Maria Silveira.De acordo com a diretora MariaIsabel dos Santos de Genaro a re-forma era realmente necessriadevido s ms condies em quese encontrava a antiga cozinha ea prefeita no mediu esforospara que isso acontecesse. Eis auma boa ao.

    Itarar VO Corpo de Bombeiros tem

    constatado um alto nmero deincndios em residncias e es-tabelecimentos em Itarar epede mais ateno da popula-o, principalmente com velasacesas em casa, panelas nofogo, vazamento de gs de cozi-nha, entre outros cuidados quedevem ser tomados por todospara evitar um mal maior. Pre-venir ainda o melhor remdio.

    Itarar VIA Prefeitura de Itarar, atra-

    vs da Secretaria de Sade, bus-cando aprimorar o atendimentona rea e oferecer mais confor-to e segurana no transporte dospacientes que necessitam deatendimento especializado emoutros centros, adquiriu uma VanPeugeotBoxer 2014 0km, com15 lugares. Parabns prefeita.

  • 04 www.jornalitanews.com.br 24 de setembro de 201404

    A modinha poltica da sema-na passada e desta conseguire exibir lista de endossos. Emgeral de quem tem visibilidadepblica, que de nada adiantaolhar uma lista e no reconhe-cer algum. lista para l, listapra c, que eu at me confundo.Chico apoia Dilma, parece, masCaetano e Gil esto com Mari-na. Luciano Huck e Renato Ro-maria Teixeira vo de Acio. Eainda tem celebridades daeconomia, culinria, negcios,cincia que trazem prestgioque s os especialistas conse-guem realmente estimar, mas seeles nos dizem que legal serapoiado por A ou B h de serverdade mesmo. At entidadescoletivas e inespecficas comoreitores das universidades fe-

    Entrelinhas por Elvis de Oliveira Ferraz

    A modinha Politicaderais (quantos? todos?quais?) esto endossando ou,melhor, manifestando apoio.

    O problema fazer com queas pessoas reconheam os sig-natrios dos endossos e deemo devido crdito a quem osobteve, caso contrrio toda aoperao ser intil. Acho quepodiam fazer um agncia derating de endossos eleitorais.Assim, ao modo de Fitch Ra-tings, Moodys e Standard &Poors. Podiam calibrar comChico Buarque. Exceto no casodas biografias, todo mundogosta de Chico, representa orisco mais baixo e a maiorperspectiva de ganho. Chico o golden plus ou AAA+, Chi-co a dvida americana antesda crise. Depois, ia baixando.

    Malafaia podia ser usado parao outro extremo do intervalo,seria o foge que roubada, advida pblica grega, os bnusdo tesouro argentino, o CCC-,completamente junk bond.No intervalo, iam distribuindoos outros. Marcelo Madureiraser um B-, com otimismo, mase Ronaldinho? Leandra Leal,Zez di Camargo, Jota Quest,aquele Bono do AfroReaggae(no lembro o nome, t ven-do?), Marcos Palmeiras, Affon-so Romano de Santana, Ziral-do? Isso desorienta a pessoa.Algum tem que botar umasestrelinha ao lado do nome pragente dar o devido valor. Afi-nal, no quero correr o risco deescolher errado, s pela minhacabea. Rating neles.

    No Brasil e no mundo, os jo-vens dos anos 1960 e 1970 re-presentaram papis importan-tes num cenrio de estrondosaagitao poltica, social e cul-tural, questionando valores,tradies e modos de vida. Como fim da II Guerra Mundial, o sis-tema de explorao capitalistatratou de mais uma vez reinven-tar-se, impulsionando umatransformao sem precedentesem sua trajetria.

    A chamada revoluo tc-nico-cientifica comeava aadentrar o mundo industrial.Sua base, aos poucos, deixou deser eletromecnica e foi se tor-nando inteiramente eletrnica.Por sua vez, os reflexos nas so-ciedades modernas ocidentais,cada vez mais robotizadas econsumistas, disciplinadoras eautoritrias, no foram nem umpouco benficos.

    O Sistema como um todo foicontestado em suas mais varia-das frentes e nos mais diferen-tes lugares. A Amrica Latina,assolada por regimes militarestotalitrios, reinventava suamsica, sua literatura, o cine-ma e tambm o seu teatro. No-mes como Chico Buarque, Glau-ber Rocha, Ruy Guerra, Merce-des Sosa, Victor Jara e PabloNeruda, mesmo que hoje distan-tes e, na viso de muitos, suca-teados pelo tempo e pela cultu-ra de massas, ainda orientamgostos musicais, literrios e ci-nematogrficos.

    Se aqui, a misria e a desi-gualdade social, juntamentecom a crtica aos governos mi-litares, eram os alvos da juven-tude e da intelectualidade, noVelho Continente as coisas eramdiferentes. No final dos anos

    Rebeldes com causa: contracultura,capitalismo e revoluo

    Escritos de Histria & Polticapor Luis Felipe M. de Genaro

    1960, universidades foram ocu-padas, greves gerais foram de-flagradas e as avenidas france-sas tornaram-se verdadeiroscenrios de batalha. O famosoMaio de 68 tratou espalhar osventos da Revoluo para asmais variadas regies da Euro-pa, dos EUA e do continenteamericano. Entusiasmados coma Revoluo Cubana, a Indepen-dncia da Arglia e a RevoluoCultural chinesa, a juventudeocidental parecia predisposta aquebrar tabus, erigir barricadase transformar o mundo.

    Nos Estados Unidos, berodos movimentos de contracul-tura, a luta pelos direitos civisdos negros e pelo fim da Guerrano Vietn ganhava fora, abalan-do o american way of life e ate-morizando uma classe mdiabranca, patriarcal e, no menosimportante, imersa em um con-formismo alienante.

    Quais eram os motivos darevolta? Segundo Jos Carandellem sua obra A Contestao Juve-nil, constituiu um motivo dire-to de rebelio a compreenso dosistema econmico, poltico esocial dos pases ocidentais. [...]a explorao dos pases subde-senvolvidos, a segregao raci-al, a democracia mais formal quereal, a especulao dos solos, oprincipio da autoridade paraalm do principio da razo, aguerra pelo domnio de merca-dos e fontes de matrias-primas,o materialismo grosseiro dassociedades de consumo, etc..

    De fato, de l pra c muitacoisa mudou. Grupos minorit-rios e marginais que se fizeramvisveis no perodo organiza-ram-se de forma efetiva. Hoje, omovimento feminista, negro,

    operrio, homossexual, sem-terra, sem-teto, indgena, noBrasil e no mundo, mostram-serelativamente fortalecidos.

    Contudo, hoje, sculo XXI, aslutas e conflitos parecem estarlonge do fim. Teramos nos esque-cido que ainda vivemos sob o jul-go brutal do sistema de explora-o capitalista e de democraciasracionadas? Se para as geraesde 1960 e 1970, tabus foram que-brados e modos de vida questio-nados, para onde foram os sonhosde um mundo melhor, mais justoe digno para todos?

    Hoje, estaramos repetindode maneiras diferentes e medi-ante um processo mais longo,cheio de rupturas e continuida-des, os movimentos de contes-tao que abalaram o mundodcadas atrs. Com novas rou-pagens, bandeiras e objetivos,o Sistema estaria novamentesendo colocado em xeque. Comas crises financeiras cada vezmais presentes e repetitivas e amaneira indiferente como a clas-se dirigente global tem orien-tado o porvir do mundo, ondasde insurgncia tm assoladotodos os lugares.

    Com os Indignados na Espa-nha, o Ocuppy Wall-Street nosEstados Unidos, as Jornadas deJunho no Brasil, entre tantos ou-tros levantes, temos assistidouma nova internacionalizao darebeldia. Segundo Leonardo Saka-moto, ver que muitos esto gri-tando a plenos pulmes sob o sole a chuva traz uma lufada de es-perana. Talvez esta nova gera-o, auxiliada pelas trocas e co-nexes possibilitadas pela tec-nologia, faa a diferena de umaforma que os vieram antes noconseguiram.

    As causas continuam asmesmas. Basta olhar ao redorpara perceber que a submisso,o consumismo exacerbado e aviolncia cotidiana no foramextintas. O sonho no morreu.Resta lutarmos para que eleganhe foras e se levante no-vamente.

    porPedro NovaesTempo de Aprendizado

    Confesso no nutrir grandesesperanas no futuro das taisciclovias.

    J tive minhas magrelas, bi-kes de pobre, e com elas rodavatoda a cidade, naqueles anos emque era difcil encontrar algumcarro pelo caminho. O nico ris-co que corria era a chegada dealguma chuva forte ou aquelecachorro idiota que teimava emassustar o veculo.

    O ciclismo saudvel, nopolui e altamente democrti-co. No interior, o pessoal daconstruo civil alegra e movi-menta a cidade, antes das 7 eaps as 17 horas.

    normal, onde moro, ver fa-mlias inteiras em uma nica bi-cicleta, que leva os filhos es-cola e vai deixando outros pelocaminho. Vez ou outra passa al-gum condutor profissional,com capacete, buzina, retrovi-sor, luvas e luzes.

    As bicicletas so to popu-lares quanto mais plana a topo-grafia. Existem cidades onde aatividade fsica dupla: ir bre-cando na ida e carregar a bikena volta.

    Imagens da China, Paris eAmsterd do a ideia de que possvel a convivncia entre pe-destres, motoqueiros, nibus,carros e bicicletas. No Brasil, asmetrpoles provam que pos-

    Ecoperturbaosvel, em alguns casos, ciclis-tas e motociclistas retornarem casa, vivos.

    As bikes s irritam quandodois ciclistas resolvem passearfofocando, e seguem lado a lado,ocupando completamente a pis-ta, com sua peculiar velocida-de. Ambientalmente corretos,tambm so capazes de atrope-lar, alm de operar arriscadasmanobras, tpicas de motos.Houve um tempo em que milio-nrios saiam para dar um pas-seio ecolgico de bike, acompa-nhados por 10 carros da equipede segurana, o que congestio-nava o trnsito. Para populari-zar o veculo, garantindo-lherespeito e segurana, as gran-des cidades iniciaram a cons-truo de ciclovias.

    A ciclovia, na faixa da direi-ta, consegue o milagre de per-turbar e ser perturbada com in-tensidade. Impossibilita aque-la paradinha na escola dos fi-lhos, no emprego da esposa ouno geriatra, para deixar a sogra.Qualquer veculo que pretendavirar direita, ou nibus quepare no ponto, forado a inva-dir a ciclovia exclusiva. Osciclistas no andam mesmavelocidade, o que acaba conges-tionando a faixa.

    Quando a ciclovia feita nafaixa da esquerda, comum ci-

    mentar canteiros, alem de dimi-nuir a faixa para pedestres. La-deia a pista onde os veculos de-senvolvem maior velocidade. Naesquerda ou direita, sempre ne-cessrio atravessar a via toda,em algum ponto do percurso.

    A ciclovia no prioriza otransporte de massa, chegandoa atrapalh-lo. Buscando noatrapalhar o transporte de ve-culos motorizados, as ciclovi-as optam por atrapalhar os pe-destres. Motoristas, que aderi-ram aos apelos oficiais de aqui-sio de veculos, e resolveramno mais esperar por algumasoluo no transporte pblico,so hoje acusados de poluio eindividualismo.

    Em ruas de pouco movimen-to, as ciclovias conseguem eli-minar totalmente os estaciona-mentos, de moradores e visitan-tes. Nada tenho contra as bici-cletas e ciclistas, mas no vejocomo universalizar as ciclovi-as, sem universalizar seus inc-modos.

    [email protected] autor engenheiro agrnomoe advogado, aposentado.

    A Escola Maria Silveira, con-cluiu na semana passada a re-forma da cozinha da escola. Deacordo com a diretora Maria Isa-bel dos Santos de Genaro a re-forma era realmente necessriadevido s ms condies emque se encontrava a antiga co-zinha.

    A cozinha foi praticamen-te construda de novo, a tempoestvamos necessitando destareforma, solicitamos que a Pre-feita viesse ao local para ver asituao crtica em que estava,ela atendeu ao nosso pedido eprontamente se mostrou soli-daria a situao e fez com que areforma fosse realizada, afir-mou Maria Isabel.

    Maria Isabel tambm agra-deceu a secretria de educaodo municpio, Maria AparecidaDamasio, que deste do inicioapoiou e ajudou com tudo o que

    Escola Maria da Silveiraconclui reforma na cozinha

    foi preciso para que fosse reali-zada a reforma.

    A coordenadora Pedaggica,tambm resaltou a importnciada reforma e os benefcios quetrar para os alunos e para aque-les que trabalham, para fazer aalimentao dos alunos.

    A cozinha estava sem con-

    dio de uso, mas graas a Deusa reforma que durou nem 30dias trouxe uma nova cozinha,trazendo mais conformidadepara quem trabalha nela e maisqualidade para a alimentao denossos alunos, afirmou a co-ordenadora pedaggica Vanes-sa Borges.

  • 0511www.jornalitanews.com.br17 de setembro de 2014 05

  • 11www.jornalitanews.com.br24 de setembro de 2014 07

    Para esclarecer populaoquais so as aes desen-volvidas pela Secretaria daAo Social do municpio, quepor muitos anos ficou fadadacomo um local que fazia doaode roupas, alimentos, entre ou-tros, nossa equipe de reporta-gem entrevistou a secretriaBrbara Lechinsk, a qual nos re-latou o trabalho desenvolvidoem sua Pasta, quais as aes ofe-recidas s famlias e como temsido os atendimentos popula-o, confira:

    IN - Quais so os trabalhosoferecidos pela Secretaria deAo Social?

    Brbara - A Assistncia So-cial vem passando por grandesmudanas e com a criao doSUAS (Sistema nico de Assis-tncia Social) as aes passama se organizar em dois tipos deproteo: a bsica e a especial.A Proteo Social Bsica se des-tina preveno de riscos soci-ais e pessoais, por meio da ofer-ta de programas, projetos, ser-vios e benefcios a indivduose famlias em situao de vul-nerabilidade social. A segunda a Proteo Social Especial,destinada s famlias e indiv-duos que j se encontram emsituao de risco e que tiveramseus direitos violados por ocor-rncia de abandono, maus tra-tos, abuso sexual, uso de dro-gas, entre outros aspectos, se-gundo o Ministrio do Desen-volvimento Social. Seguindoesses direcionamentos, a Secre-

    A populao ainda tem um entendimento equivocadodo que o trabalho desenvolvido pela Assistncia Social

    taria de Ao Social oferece pro-gramas, projetos, servios ebenefcios populao que sodesenvolvidos por equipamen-tos sociais dentro de cada pro-teo. Hoje em nosso munic-pio contamos com os seguintesequipamentos sociais: ProteoSocial Bsica com dois CRAS,trs polos para o SCFV (Serviode Convivncia e Fortalecimen-to de Vnculos) Adolescente,dois polos para o SCFV Crian-a, um polo para o SCFV Idoso,um polo para os cursos de in-sero produtiva para mulhe-res, alm de programas, proje-tos e servios que no so con-tnuos, como cursos de qualifi-cao profissional e ProteoSocial Especial que conta comum CREAS, um Servio de Aco-lhimento na Modalidade Abri-go para Crianas e Adolescen-tes e um Servio de Acolhimen-to na Modalidade Casa de Pas-sagem para Adultos. Todos vin-culados Assistncia Social etemos tambm o Programa Bol-sa Famlia, o Cadastro nico, oPrograma Renda Cidad, o AoJovem, o PAA (Programa deAquisio de Alimentos) e oViva Leite.

    IN - Poderia nos detalhar ostrabalhos em nmeros?

    Brbara - Comeando pelaProteo Bsica os dois CRAStm hoje cadastradas 4.185 fa-mlias fazendo um atendimen-to mensal em mdia de 350 fa-mlias. Os dois polos do SCFV Criana esto divididos em 10

    coletivos e atendem hoje 94 cri-anas. Os trs polos do SCFV Adolescente, esto divididosem 14 coletivos e atendem hoje320 adolescentes, sendo que umcoletivo est na zona rural paraatender 30 jovens. O polo doSCFV Idoso est dividido em 3coletivos e atende hoje 66 ido-sos. Nos cursos de insero pro-dutiva atendemos mais de 500mulheres, que tm a oportuni-dade de se qualificar e gerar ren-da para sua famlia. Por meio doPrograma So Paulo SolidrioAlm da Renda, estamos ofere-cendo at o final do ano, 280vagas em cursos gratuitos dequalificao profissional do SE-NAI e SENAC. Passando para a

    Proteo Social Especial, o CRE-AS PAEFI tem um atendimen-to mensal em mdia de 55 fam-lias e/ou indivduos que estoem situao de risco e/ou tive-ram seus direitos violados. Jno CREAS - MSE atendemos 23adolescentes em cumprimentode medida socioeducativa. OServio de Acolhimento Abri-go est atendendo 9 crianas eadolescentes e a Casa de Passa-gem recebe em mdia 10 pesso-as por semana. Por fim temosos Programas vinculados a As-sistncia Social. Atualmente te-mos em nosso municpio 2.800famlias recebendo o benefciodo Programa Bolsa Famlia emais de 5.500 famlias cadastra-

    das no Cadastro nico. O Pro-grama Renda Cidad beneficia382 pessoas com uma bolsa deR$ 80,00 por ms. O ProgramaAo Jovem tem hoje 500 ado-lescentes, que tambm recebemuma bolsa de R$ 80,00. O PAA(Programa de Aquisio de Ali-mentos) leva semanalmentefrutas, verduras e legumes amais de 7.000 pessoas. O Pro-grama Viva Leite atende hojemais de 1.600 crianas com en-trega de leite as segundas, quar-tas e sextas.

    IN - A populao tem conhe-cimento do trabalho desenvol-vido pela sua Pasta?

    Brbara - A populao aindatem um entendimento equivo-cado do que o trabalho desen-volvido pela Assistncia Soci-al. Por muitos anos a prticadessa Pasta era apenas a doaode alimentos, roupas, etc. Hojerealizamos um trabalho diferen-te, voltado para o desenvolvi-mento social de famlias e indi-vduos e no mais para o aten-dimento de suas necessidadesimediatas. Com muito empe-nho, estamos conscientizandoa populao da real atuao daAssistncia Social no munic-pio, contudo muitas famliasainda se mostram resistentes aestas mudanas.

    IN - Qual a importncia des-te trabalho em nossa cidade?

    Brbara - O trabalho social de extrema importncia nos em nossa cidade, mas no Bra-sil como um todo. com o tra-

    balho da Assistncia Social queconseguimos diminuir a pobre-za e a desigualdade social. AAssistncia desenvolve suasatividades visando sempre agarantia de direitos das famli-as que se encontram em situa-o de vulnerabilidade.

    IN - Quais tm sido as vit-rias neste perodo que est frente da Secretaria?

    Brbara - O trabalho realiza-do pela Assistncia Social dife-rentemente de outras Secretari-as no tem resultado imediato,entretanto podemos presenciarmuitas mudanas na realidadedas famlias e indivduos queatendemos. Muitas pessoas queforam atendidas por algum denossos equipamentos sociaisvoltaram at ns apenas paraagradecer e mostrar que conse-guiram sair da situao de vul-nerabilidade em que se encontra-vam e esto vivendo em melho-res condies. Claro que gosta-ramos que esse nmero fossemuito maior, contudo esse tipode feedback que nos motiva cadavez mais a trabalhar.

    IN - Est encontrando muitadificuldade?

    Brbara - A maior dificulda-de encontrada a conscienti-zao da populao para a novadinmica da Assistncia Soci-al. Estamos trabalhando paradar subsdios aos nossos mu-ncipes para que os mesmoconsigam por conta prpriamelhorar a situao em que seencontram.

    Na quarta-feira (10), o presi-dente da Cmara, Zeca da Cofe-sa e os vereadores Joo AntonioVieira, Julio, Larcio Amado ePinguim se reuniram com o ge-rente da Elektro da regio, Mr-cio Luiz Ribeiro.

    Na pauta do encontro teve acobrana por mais agilidade noatendimento dos pedidos deservios solicitados conces-sionria e explicaes sobre oprocesso de municipalizao dailuminao pblica.

    Por resoluo da Aneel -Agncia Nacional de Energia El-trica, a partir de janeiro de 2015os municpios tero que assumira iluminao pblica, que incluimanuteno da rede, instalaode novos pontos, trocas de lm-padas e outros reparos.

    Perguntado sobre a possibi-lidade de uma nova prorrogaoou at mesmo a impugnao datransferncia - h ainda questi-onamentos na Justia Federal

    Municpios se preparam para assumir aresponsabilidade da iluminao pblica

    sobre a constitucionalidade damunicipalizao compulsria -Ribeiro considera um caminhosem volta e, em sua opinio,acontecer mesmo no prximoano, pois liminares de cidadesque tentam impugnar o proces-so tm sido derrubadas.

    Especialistas da rea e o pr-prio Tribunal de Contas vm ori-entando s prefeituras no senti-do de obter um laudo tcnicopara aferir as condies em quese encontram as instalaes.

    De acordo com o vereadorLarcio Amado, nos prximosdias a Prefeitura de Itarar j tereste levantamento em mos. Seo laudo mostrar que o equipa-mento est sucateado e no estdentro da norma, a Prefeiturapode at mesmo recusar a trans-ferncia dos ativos, explica.

    Os municpios tm sido aler-tados sobre cuidados a seremtomados para garantir o repas-se integral pela concessionria

    da taxa de IP - que est includana conta de luz - e na elaboraodo processo licitatrio, se a op-o escolhida for entregar o ser-vio para uma empresa especi-alizada.

    Tambm os novos custos aserem assumidos so motivo depreocupao. Estudo realizadopela Confederao Nacional dosMunicpios verificou que as con-cessionrias cobram hoje emmdia, mensalmente, de R$ 1,50a R$ 2,00 por ponto com despe-sa de manuteno.

    J o municpio, sem a eco-nomia de escala da concessio-nria, em um processo licita-trio individual, poder ter depagar at R$ 10,00 por unida-de, o que para Itarar, com4.200 pontos de IP, implicariaem uma despesa superior a R$400 mil por ano. Uma alterna-tiva para reduzir custos podeser a formao de consrciosde municpios.

    Aps trs meses que osmoradores da Viela Adelaidereivindicaram seus direitos,nada foi feito por parte da ad-ministrao.

    Na oportunidade estive-mos na Viela Adelaide e con-versamos com os moradores,os quais reclamavam dascondies precrias queeram obrigados a conviver. Asituao crtica e lament-vel, pois no tm energia el-trica e rede de esgoto.

    Alguns moradores che-garam a instalar postespara receber a energia el-trica, promessa no cum-prida at o momento. Deacordo com eles, a Prefeitu-ra afirma que no pode fa-zer nada, devido aquelarea ser ambiental.

    Vivemos um abandonototal, falaram que iam resol-ver nossa situao, os mesespassaram e at agora nada,lamenta um morador.

    Estamos esquecidospela administrao, nada foifeito at agora, vamos ver atquando vamos sobreviverdesta maneira, esquecidos,abandonados, quem sabe naprxima eleio para prefei-to aparece algum por aqui.Entra prefeito e sai prefeito,e ficamos aqui a Deus dar,mesmo com nossa situaocrtica como esta, no fazemnada, afirmou o muncipeNatanael.

    Trs meses se passou e Viela Adelaidecontinua na mesma situao

  • www.jornalitanews.com.br 24 de setembro de 201408

    No ltimo sbado (13), aSo Paulo Companhia de Danaesteve pela primeira vez em Ita-rar para a realizao de umapalestra e uma oficina no Tea-tro Municipal Sylvio Machado,

    So Paulo Companhia de Dana esteve na cidadeque recebeu danarinos da ci-dade e regio para as ativida-des do Ncleo Educativo daCompanhia.

    Ministrada pela coordenado-ra Marcela Benvegnu, a palestra

    debateu os principais desafiospara os bailarinos na companhiaem dilogo com o filme Can-teiro de Obras, exibido para osinscritos.

    Com o coregrafo GuivaldeAlmeida, os participantes daoficina exploraram tcnicas deexpresso corporal, alm de tre-chos dos movimentos que sodesenvolvidos nos espetculosda companhia.

    Guivalde Almeida o core-grafo de um dos maiores espe-tculos de dana j protagoni-zados no municpio. dele aconcepo de Grandes Clssi-cos, apresentao da Compa-nhia Brasileira de Danas Cls-sicas, que esteve em Itarar noltimo ms de maio atravs doCircuito Cultural Paulista.

    Na segunda-feira (22), foirealizada uma palestra na Esco-la Maria da Silveira, o qual teveo objetivo de conscientizar ascrianas da importncia das leisde transito.

    Por essa semana ser a Sema-na do Trnsito, que vai at o dia26, convidamos o Guarda Muni-cipal Rivelli para abordar estetema para nossas crianas, econscientiz-los sobre os deve-res, leis, e do perigo que se temem no seguir as regras de trn-sito, que com certeza atravsdelas os seus familiares sabe-ro da importncia e do dever derespeitar as leis de trnsito, afir-mou Vanessa Borges.

    Os temas abordados foramdiversificados, e de acordo coma coordenadora pedaggica, apalestra tem uma contribuioimportante na vida das crianas,pois elas devem deste de cedoter a conscincia do certo e oerrado.

    Unidade escolar realizapalestra parra conscientizar

    criana sobre as leis de trnsito

    O objetivo o de poder pas-sar para as crianas o que devee no ser feito, no apenas en-quanto est dirigindo carro oumoto, mas tambm sendo ci-clista, a idade que pode andarno banco da frente, o uso corre-to do capacete, o uso correto docinto de segurana, lugar certopara andar de bicicleta, quandoatravessar na faixa de pedestre,

    dentre muitas leis que preci-samos cumprir e passam des-percebidas, as quais muitos nodo importncia e que acha quenunca vai acontecer com voc,ressaltou.

    Ela agradeceu aos guardasmunicipais, Riveli e Ribas, queprontamente atenderam ao con-vite da escola para a realizaoda palestra.

    Boris Yellnikoff um velhorabugento que tem o hbito deinsultar seus alunos de xadrez.Ex-professor da Universidade deColumbia, ele considera ser o ni-co capaz de compreender a insig-nificncia das aspiraes huma-nas e o caos do universo. Um dia,prestes a entrar em seu aparta-mento, Boris abordado por Me-lodie St. Ann Celestine, que lheimplora para entrar. Ele atende aopedido, a contragosto. Perceben-do sua fragilidade, Boris permiteque ela fique no apartamento poralguns dias. Ela se instala e, como passar do tempo, no aparentater planos de deixar o local. Atque um dia lhe diz que est inte-

    Sesso Pontos MIS - Tudo pode dar certo

    Maurcio Pellissari, RodrigoSoares e Luis Henrique Pellissa-ri receberam da Cmara Muni-cipal de Itarar, votos de con-gratulaes pela realizao do2 Leilo de Equinos Pinta deLao e Hospedaria de EquinosCaiara, ocorrido no dia 07 desetembro no Recinto de LeilesMezzo Harm Wolters da SAGROem Itarar, sendo parte da ren-da destinada ao VICC - Volunt-rios Itarareenses no Combate aoCncer.

    A moo justifica o eventoocorrido no dia 07 de setembro.O evento teve como chefe docerimonial o conhecido locutorBoto Rosa, contando com a par-ticipao de convidados espe-ciais, autoridades constitudasde Itarar e regio, sendo comer-cializados trinta e trs animaisde alta qualidade, dentre eles,de lao comprido, passeio, tra-balho, potros e pneis com umagrande variedade de raas taiscomo: Quarto de Milha, Criou-

    Organizadores do leilo beneficenterecebem voto de congratulao

    los e outros, todos com docu-mentos e gentica de ponta.

    Segundo os organizadores,as expectativas foram supera-das, tanto na realizao de ne-gcios como nos valores alcan-ados com a venda de 100% doslotes oferecidos, ressaltandoque mesmo sendo o Segundoleilo realizado em nossa Re-gio, o evento atraiu um publi-co dos Estados So Paulo, Para-n, Rio Grande do Sul, Mato

    Grosso do Sul e Rio de Janeiro.Tradicionalmente esse even-

    to destina parte da renda arre-cadada a algumas entidades fi-lantrpicas, sendo agraciadas aEquoterapia de Itarar e o VICC Voluntrios Itarareenses noCombate ao Cncer, que ficouresponsvel pelo servio de bar,almoo e decorao, recebendomuitos elogios dos presentes,colaborando plenamente para osucesso do Leilo.

    ressada nele.Esta foi a sinopse do longa-

    metragem Tudo pode dar cer-to, do clebre cineasta norte-americano Woody Allen. O fil-me foi destaque na programa-

    o do Pontos MIS em Itararda ltima semana. A sessoespontnea foi aberta a todo opblico interessado, que acon-teceu no dia 20, no Teatro Muni-cipal Sylvio Machado.

  • 11www.jornalitanews.com.br24 de setembro de 2014 09

    Na madrugada do dia 21, oBairro Pedra Branca sofreu maisuma vez com a enchente queinundou as residncias daquelebairro. A parte baixa do bairroh anos vem sofrendo com estestranstornos em poca de chuva,

    Bairro Pedra Branca sofre novamentecom as inundaes aps fortes chuvas

    e a situao crtica. Casas, car-ros e plantaes foram danifica-das pelas guas da enchente.

    De acordo com informaesde alguns moradores este trans-torno do alagamento se d de-vido um aude de uma proprie-

    dade rural particular, que quan-do chove em excesso, o propri-etrio do mesmo abre as com-portas para no sair prejudica-do, e com isso ocorre o alaga-mento no rio que corta o bairro.

    Os moradores j esto pro-videnciando uma denncia aosrgos competentes e buscan-do ajuda no Ministrio Pblicode nossa cidade.

    O setor operacional do DE-MUTRAN, logo pela manh es-teve no local e j realizou a si-nalizao dos locais de riscos.

    Os moradores do bairrotambm reivindicam melhoriasna ponte de acesso ao PedraBranca, que segundo os mesmosestaria em estado de abandonopelo Poder Pblico Municipal.No houve vtimas fatais destavez, apenas danos materiais.

    No sbado (20), alguns barra-ces que eram usados para expo-sio de bovinos durante as fes-tas do peo de Itarar, desmoro-naram devido o mau estado deconservao, o que piorou devi-

    Barraces do recinto de festa desmoronamdo s chuvas e o vento que se aba-teu na cidade nos ltimos dias.

    A populao ficou revoltadacom o ocorrido. Por sorte nocaiu em cima de ningum, se noa coisa seria mais sria. A Pre-

    feitura sempre espera aconteceralguma coisa para realizar o ser-vio. Por que ela j no demoliuaquilo que estava ameaado decair? Fica a pergunta, disse omuncipe Clio Garcia.

    Imagine se alguma crianaestivesse brincando ou corren-do pelo local no momento dodesmoronamento? Se a Prefei-tura no conseguiu conservar,que tomasse providncia deimediato, comentou o munci-pes Jos Santos.

    J no temos nada em nos-sa cidade e o que temos no re-cebe manuteno e acaba assim,vai tudo para o cho. Vamos vero que a senhora prefeita vai fa-zer, se vai construir outro ou sevai deixar sem mesmo, finali-zou o muncipe Lucas Jos Ail-ton Alves. (Imagens: MiltonKomnicki)

    No dia 18, por volta das07h10, a guarnio da GuardaCivil estava realizando Policia-mento Preventivo durante a en-trada de alunos da Escola Hei-tor Guimares Crtes, quandofoi informada por populares de

    Desinteligncia

    No dia 17, por volta das23h15, durante fiscalizao nocombate ao trfico de drogas,armas e demais ilcitos peloquilmetro 280,5 da SP 258 Rodovia Francisco Alves Ne-gro, que liga Itapeva a Itararfoi abordado pelo TOR (TticoOstensivo Rodovirio), o vecu-lo Fiat Uno placas de Itapeva.

    O veculo foi devidamente fis-calizado e aps busca minuciosano interior do carro foi localiza-do um revlver marca Rossi, cali-bre 22, e no porta-malas uma es-

    Polcia Rodoviria apreende 7armas de fogo e 41 munies

    pingarda marca Lerap, calibre 36,um rifle marca Rossi, calibre 22 e25 munies calibre 22 intactas.

    Aps diligncias na residn-cia do indivduo foram localizadasmais quatro armas de fogo sendoum espingarda marca Sarasqueta,calibre 28, uma espingarda marcaGaland, calibre 28, uma espingar-da marca ELG, calibre 28, um pis-tolo marca Belga, calibre 36 e 16cartuchos calibre 28 intactos.

    Diante dos fatos, o indivduobem como as armas de fogo fo-ram encaminhadas at Delega-

    que estava ocorrendo uma de-sinteligncia prxima a Rua FreiCaneca e um dos envolvidos es-taria ameaando o outro comum faco.

    Os guardas se deslocaram aoreferido endereo e depararam

    com dois adolescentes em discus-so, sendo que um deles estavacom uma faca em punho, prontopara golpear o oponente. A inter-veno ps fim a uma possveltragdia. A ocorrncia foi apre-sentada na Delegacia de Polcia.

    cia de Polcia de Itapeva, onde odelegado de planto Helio Edsonde Souza Junior, tomou cinciados fatos e determinou a elabora-o do BOPC n 1923/14 de portee posse ilegal de arma de fogo,apreendendo as mesmas e o indi-vduo preso em flagrante delito.

    O Policiamento Rodovirioda regio atende pelo telefone(15) 3272-4001, pelo endereoeletrnico [email protected] ou pelo site:www.policiamilitar.sp.gov.br/unidades/cprv.

  • www.jornalitanews.com.br 24 de setembro de 201410

    O guarda civil municipal Joci-mar Ribas, recebeu do Legislativoos votos de congratulao pelosrelevantes servios prestados emprol de nosso municpio. A mooque foi de autoria do vereador JosDonizete Camargo e aprovado portodos os vereadores.

    Jocimar Ribas nascido emItarar, aos 07 de dezembro de1979, filho de Pedro Gomes Ribase Maria Joana Ribas. Passou suainfncia no Distrito de Santa Cruzdos Lopes, comeando a trabalharaos 10 anos de idade como lavra-dor junto de seus familiares, mu-dando-se para a zona urbana em1998, trabalhando primeiramen-te como frentista em postos decombustvel e tambm como ven-dedor em lojas do ramo de eletro-domsticos e mveis. casadocom Grasiele Cristina de Souza Ri-bas, pai das gmeas Ingrid e Ias-min, de 06 anos.

    Em 2005 ingressou na entoGuarda Municipal de Itarar, hojea denominada Guarda Civil Muni-cipal, na funo de Guarda Munici-pal 2 Classe, exercendo suas ati-vidades em diversos postos deservios como escolas, praas,prefeitura, Conselho Tutelar, Am-bulatrio de Sade Mental, patru-lhamento em viaturas, e por 18meses prestando servios junto aoCAPS, considerando o local maisgratificante onde j trabalhou, poismantinha timo entrosamentocom funcionrios e pacientes, in-clusive, aps 05 anos de sua sadadaquele posto ainda abordado ca-rinhosamente na rua por pacien-tes da poca.

    Em 2011 prestou concursointerno para ascenso na carrei-ra sendo aprovado na funo deGuarda Civil Municipal 1 Clas-se, passando a exercer a funode superviso.

    Jocimar tinha o sonho de po-der colaborar com a evoluo daCorporao, a qual tem orgulho empertencer e acreditava que se va-lorizada e capacitada poderia atu-ar em apoio a diversas reas noMunicpio, colaborando sobrema-

    GCM Jocimar recebe votos de congratulaoneira com o seu progresso.

    Ainda em 2011 foi convidadojuntamente com outros colegaspara um Frum de Segurana P-blica na Assembleia Legislativaem So Paulo, e aps o trmino,visitou o gabinete de um Deputa-do solicitando recursos para aaquisio de uma viatura para aGuarda Civil Municipal, e o mes-mo apesar de se comprometer aatender a reivindicao, posteri-ormente informou que no dis-punha de rubrica no Estado parainvestimento na GCM, mas queestaria disponibilizando essesrecursos para infraestrutura doMunicpio, o qual foi feito.

    A sua vontade de ajudar eratanta, que ainda em 2011 realizoupesquisas de como obter doaespara o municpio atravs de rgosfederais e descobriu que havia apossibilidade da Receita Federaldoar veculos apreendidos. Volun-tariamente, elaborou um projetoe enviou a Superintendncia Regi-onal de So Paulo da Receita Fede-ral, realizando vrios contatos atdescobrir que o pedido no seriaatendido, pois a apreenso de ve-culos no Estado era pequena.

    Incansvel e determinado, Jo-cimar montou outro projeto e en-viou para a Delegacia da ReceitaFederal de Foz do Iguau, que dis-punha de um estoque imenso deveculos. E graas ao seu empenho,o Municpio de Itarar foi contem-plado em julho de 2012 com 09veculos, que hoje esto sendo uti-lizados pela Guarda Civil Munici-pal, DEMUTRAN e FiscalizaoMunicipal.

    Participativo, sempre apresen-tava sugestes ao comando sobreprojetos que haviam sido implan-tados com xito em outras cida-des, porm, por diversas vezesouviu a frase vai cuidar de seuservio, no se meta onde no dasua conta, mas no desistiu, poisacreditava que podia colaborarpara o progresso de sua Corpora-o, e, consequentemente, de nos-sa populao.

    Em 2012 juntamente com seus

    colegas iniciou uma negociaocom o ento Prefeito Luiz CsarPercio, sobre a necessidade dosintegrantes da Guarda Civil Muni-cipal terem um regime especial detrabalho, devido suas atividadesserem diferenciadas dos demaisservidores.

    Elaborou um projeto de lei eaps varias reunies e negociaescom os colegas e com o Chefe doExecutivo, a categoria foi benefi-ciada com 70% de aumento, ten-do seu projeto de lei redigido nantegra pelo Departamento Jurdi-co Municipal e aps sendo envia-do a esta Casa de leis onde foi apro-vado por unanimidade pelos Vere-adores, coroando uma luta de 10anos da categoria.

    No incio de 2013 conversoucom o novo comando e Secret-rio de Defesa Social sobre a ne-cessidade da criao de um se-tor dentro da Guarda Civil Muni-cipal ou da Secretaria, que tives-se autonomia e a responsabili-dade de buscar recursos junto argos estaduais e federais paraque a corporao pudesse evo-luir sem depender apenas do cai-xa do municpio, pois tinha co-nhecimento de que existiam re-cursos para os Municpios, po-rm Itarar no estava exercen-do seu papel de reivindicao.

    Em maio de 2013 foi nomeadopelo Secretrio de Defesa SocialGustavo Jansson para exercer suas

    funes como responsvel pelosetor de projetos e convnios, cri-ado atendendo sua sugesto. As-sim, Jocimar iniciou oficialmenteem nome daquela Secretaria a co-locar em prtica seus planos, ten-do o aval de sua chefia.

    Participou diretamente na re-alizao de uma parceria com aGuarda Civil de Guarulhos a fim deque a GCM de Itarar pudesse re-ceber cursos de capacitao gra-tuitamente.

    Elaborou o projeto de criaodo GEPAR (Grupamento Especi-alizado em Proteo Ambiental eRural), onde instrutores da cidadee da Guarda Civil de Guarulhosministraram o curso de formaogratuitamente aos agentes.

    Solicitou a doao de equipa-mentos de sinalizao sonora evisual para equipar as viaturas daGCM, junto a Delegacia da PolciaRodoviria Federal em Ourinhos,sendo contemplado.

    Entrou em contato com o Mi-nistrio da Justia resultando naliberao do Sistema INFOSEGpara consulta de dados pela Guar-da Civil Municipal, aps firmaode convnio pelo Ministrio daJustia e a Prefeitura.

    Realizou uma pesquisa atravsde dados do municpio onde con-seguiu comprovar no ano de 2012que o municpio tinha mais de50.000 habitantes, apresentandoesta pesquisa em audincia com oSuperintendente da Polcia Fede-ral em So Paulo, a qual foi aceita efoi possvel ento dar incio aostrmites da formalizao do con-vnio entre a Polcia Federal e omunicpio de Itarar para arma-mento da GCM, estando hoje esteprocesso em fase avanada.

    Solicitou junto a Guarda Civilde Guarulhos, a liberao de uminstrutor credenciado pela Pol-cia Federal para realizar a capaci-tao da Guarda Civil Municipalpara receber o porte de arma defogo, tendo o municpio disponi-bilizando apenas transporte, ali-mentao e hospedagem ao ins-trutor, e ainda juntamente comseus colegas solicitando junto aempresrios e produtores ruraisa doao de recursos para com-pra das munies para a realiza-o dos treinamentos.

    Reivindicou junto ao TribunalRegional Federal em So Paulo adoao de 50 computadores semi-novos para o municpio, os quaisforam distribudos a setores daPrefeitura, Guarda Mirim e Educan-drio. Ainda no TRF est em anda-mento um processo de doao paraa Guarda Civil Municipal de 02motos seminovas de grande por-te, que foram utilizadas pela Pol-cia Rodoviria Federal.

    Elaborou o projeto contempla-do atravs de emenda parlamen-tar do Deputado Federal OtonielLima, em parceria com o vereadorMarcos Vincenzi, inclusive comarticulaes diretas com o Depu-tado, sendo que a Guarda CivilMunicipal receber em breve 04viaturas.

    Elaborou ainda, o projeto de

    Vdeo Monitoramento que foiinaugurado recentemente, dosrecursos disponibilizados pelosnobres integrantes desta Casade Leis em entendimento com oExecutivo.

    Teve um projeto aprovado peloMinistrio da Justia no ano pas-sado, porm o municpio no pos-sua pontuao suficiente para orecebimento dos recursos, tendoo municpio realizado as adequa-es e no ltimo dia 04 de setem-bro, o projeto enviado novamentepara anlise do Ministrio.

    Est em tratativas avanadascom rgos estaduais e federaispara a doao de todo o armamen-to que ser utilizado pela GuardaCivil Municipal, gerando uma eco-nomia significativa ao municpio.

    Solicitou parceria com a ETECatravs da Diretora Maria LuizaCavazoti, onde os Guardas CivisMunicipais tero aulas de atuali-zao jurdica atravs dos profes-sores do curso tcnico jurdico.

    O reconhecimento do seu tra-balho se faz pela presente propo-situra, outrora j se manifestouagradecido pelo apoio prestadopela corporao Guarda Civil Mu-nicipal desde a sua implantao,bem como aos seus familiares,colegas da GCM, a todos os Verea-dores e aos superiores, pois noconseguiria concretizar os proje-tos se no tivesse apoio e incenti-vo. Tem grande carinho pelo ami-go Mrcio Pontes, itarareense quemora em Guarulhos, que lhe pres-ta consultoria e disponibiliza to-dos os seus contatos em benef-cio do seu trabalho e da GuardaCivil Municipal de Itarar.

    Resumimos o pensamentode Jocimar em sua prpria frasetenha na famlia seu maior beme acredite que tudo possvelquando se tm objetivos e seluta por eles.

    No domingo (28) aconteceem Itarar, o Passeio Ciclsticoe Caminhada Contra as Drogas.O evento aberto a toda a co-munidade e j esto confirma-dos a presena dos guardas mi-rins, diversos grupos de jovensdas igrejas evanglicas e cat-licas entre outras instituies.

    Para participar do PasseioCiclstico e Caminhada Contraas Drogas, basta comparecer no

    Passeio Ciclstico eCaminhada Contra as Drogas

    dia 28 na Praa So Pedro, a par-tir das 14h30.

    Haver show com Tataco &Banda e o cantor Rodolfo. Almdas atraes artsticas, o even-to sortear diversas bicicletas,brindes e uma Bicicleta ShoperPersonalizada.

    O percurso se iniciar na Pra-a So Pedro e retornar pela RuaXV de Novembro. Ser um dosmaiores passeios ciclsticos e

    caminhada j visto na cidade deItarar devido ao grande nme-ro de grupos que esto mostran-do apoio ao evento.

    Servio:Passeio Ciclstico e Caminha-da contra as DrogasData: 28 de SetembroLocal: Praa So PedroHorrio: concentrao s14h30 e sada s 15h

  • 11www.jornalitanews.com.br24 de setembro de 2014 11

    Os atletas Alexandre Ma-rinho, 19 anos e RafaelRamos de Oliveira, 23,tiveram sua participao e es-treia como lutadores de MMArepresentando Itarar no cen-rio nacional.

    Estes dois atletas logo emsua estreia venceram lutas deMMA em um evento realizadono ltimo dia 23, na cidade dePonta Grossa, no Arena Fight.

    O MMA a sigla para MixedMartial Arts, ou em portugus,Artes Marciais Mistas. O MMA uma arte marcial que incluigolpes de luta em p e tcnicasde luta no cho, sendo uma mo-dalidade de luta em que os pra-ticantes no precisam seguirnecessariamente um estilo es-pecfico e isto possibilita aopraticante utilizar qualquer es-tilo, de qualquer arte marcial,como boxe, jiu jitsu, karat,jud, muay thai, entre outras.

    Os atletas, ambos faixas ro-xas de jiu jitsu, treinam desde2010 com o sansei e faixa pretaJuliano Baraquetti da internaci-

    Atletas de Itarar vencemluta de MMA em Ponta Grossa

    onalmente equipe Behring, eatualmente aperfeioam seusestilos no Centro de Treinamen-to Dobermans, juntamente como professor de muay thai Lean-dro da equipe World Strong.

    Eles tambm receberam vo-tos de congratulao do Legis-lativo de Itarar, pela brilhanteparticipao e estreia como lu-tadores, representando assim anossa cidade de Itarar.

    Em entrevista nossa equi-pe de reportagem, Juliano Ba-raquetti, falam um pouco so-bre a estreia de seus alunos edos desafios que enfrentaropela frente.

    IN Como foi a participaodos lutadores itarareenses emPonta Grossa?

    Juliano Baraquetti - Esta-mos nos preparando para istoh 5 anos. Os atletas que com-petiram tm um treinamentointenso e de alto nvel desde2010, quando manifestarampara mim o desejo de se profis-sionalizar no MMA. A estrat-gia foi muito bem treinada e

    estudada, e como sempre acon-tece, o bom jiu jitsu supera qual-quer outra modalidade. O nos-so jiu jitsu o que tem de me-lhor hoje no mercado, aliado aum treinamento fsico intensoe a uma estratgia direcionadaao estilo de luta deles o suces-so estava garantido. O segredo saber usar a cabea e levar oadversrio a fazer o que vocquer que ele faa, e no entrarno jogo dele ou esperar para vero que acontece na hora. Fomosl, pegamos o que era nosso evoltamos para casa. Para essesmeninos, o Rafael e o Alexandre,a vitria era obrigao (risos).

    IN - Deste de quando elesvem treinando?

    Juliano Baraquetti - Desde2010, o Rafal Ramos comeoua treinar comigo, na poca com18 anos e o Alexandre Marinhocom 14. Conheo eles desdemuito cedo, pude form-lossem vcios, conscientes do pa-pel deles na luta. Um atleta deMMA, quando voc pega elepara treinar desde cedo ficamais fcil, porque alm do trei-namento tcnico e fsico, voctem a parte psicolgica, que 50% da estrutura de um luta-dor de sucesso.

    IN - Quantas participaeseles j tiveram em lutas?

    Juliano Baraquetti - Emcampeonatos de jiu jitsu j ti-veram muitas, desde 2010 elesvm competindo e ganhandotambm. J lutaram trs PanAmericanos e trs mundiais dejiu jitsu, sem contar os eventosestaduais e regionais. J estocalejados de campeonatos.

    IN - necessrio muito trei-namento?

    Juliano Baraquetti - O trei-namento o segredo, ou me-lhor, no tem segredo, o cami-nho est em treinar muito!Quanto mais se treina, mais sor-te se tem.

    IN - Quais so os prximoseventos?

    Juliano Baraquetti - Temoseventos de jiu jitsu todo o ms.s vezes at mais de um porms. Mas como os meninos es-to em fase de profissionaliza-o, teremos mais uma luta de

    MMA ainda este ano. A data surpresa para todos. Aguardemque logo mais o nome de Itara-r estar na mdia mundial.

    IN - O que necessrio paraum bom treino?

    Juliano Baraquetti - Costu-mo dizer que o treino comeaquando o cara acorda. Ter hbi-tos saudveis o principal, co-mer bem e com qualidade, dor-mir bem para se recuperar, lermuito para exercitar o racioc-nio, que fundamental na horada luta. E na hora do treino, es-tar focado, de corpo e alma.Quando eu percebo que o atletachega na academia com a cabe-a na namorada, na balada ou emproblemas no trabalho, eu man-do de volta para casa. No adi-anta estar de corpo no tatame ecom a cabea voando, no ab-sorve nada do treinamento eainda corre um grande risco dese lesionar. Mas tudo isso podeser descartado se no tiver umaequipe de ponta por trs, o trei-no se faz com muita gente, mui-to atleta envolvido para ajudaros outros a evolurem, por issoque as vitrias so da equipeinteira. Ningum treina sozinhoe saco de pancada no d contragolpe, ento os colegas de trei-no so a pea mais importante

    durante o treinamento, pois necessrio o comprometimen-to de todos.

    IN - Qu al o futuro dosatletas?

    Juliano Baraquetti - O fu-turo incerto, estamos fazen-do a nossa parte, que treinare vencer, o resto vamos deixarpara Deus escolher o melhorcaminho.

    IN - O que importante nes-te momento?

    Juliano Baraquetti - O im-portante neste momento nose deslumbrar com a vitria emanter o mesmo ritmo deaprendizado e treinamento. Lu-tador gosta de fama, e isso um perigo, o cara ganha umaluta, entra uma grana que eleno tinha, umas meninas come-am a olhar diferente, e a queest a queda do lutador. O ne-gcio ter o p no cho e que-rer sempre mais, se ganhouuma, agora o trabalho aumen-ta, pois manter mais difcilainda. E para quem est notopo, tem sempre um queren-do derrubar, no ? Cabea nolugar, conscincia e disciplinasempre faro um bom lutadorse destacar cada vez mais.

    IN - Gostaria de fazer algumagradecimento?

    Juliano Baraquetti - Gosta-ria de agradecer a oportunidadede poder falar um pouco sobreo nosso trabalho e queria aler-tar aos interessados em prati-car artes marciais, para toma-rem cuidado com os maus pro-fissionais. O mercado das artesmarciais hoje em dia est mui-to deturpado, qualquer um quese diz faixa preta de jiu jitsu saipor a dando aula, sem ter his-tria nenhuma dentro da arte.Antes de procurar uma acade-mia para treinar, se informe so-bre a procedncia do profissio-nal, de qual equipe ele vem, quala origem dele, analise os resul-tados da equipe, dentro e forado tatame. O professor de ar-tes marciais tem que formar ci-dados e no somente lutado-res. Eu como faixa preta de jiujitsu, vindo da escola mais tra-dicional que se tem hoje em dia,sempre digo que moldo o serhumano para entreg-lo umapessoa melhor para a socieda-de. Convido a todos a viremtreinar no Dobermans Centrode Treinamento, pois arte mar-cial para todo mundo, no im-porta idade, nem sexo, o impor-tante ter disposio paraaprender e conhecer uma filo-sofia de vida saudvel.

    Em outubro, a AssociaoComercial e Empresarial deItarar traz a Itarar uma pa-lestra diferente. Unindo infor-maes e mgica, Mauro Diasapresenta um novo conceitoem palestras e treinamentosusando a arte damgica e ilu-sionismo para informar e for-mar pessoas, j que est cien-tificamente comprovado que ocrebro humano absorve me-lhor uma ideia quando esti-mulado por algo impactante.

    Em cada palestra e treina-mento os nmeros de mgicaso desenvolvidos e adapta-dos de forma nica de acordocom a necessidade e objetivode cada cliente, procurandoassim a excelncia em cadatrabalho desenvolvido.

    ACEI apresenta Palestras Mgicas com Mauro DiasEvento ser no dia 30 de outubro, s 20h, no auditrio da FAFIT

    Mauro Dias um dos maisjovens e promissores confe-rencista da atualidade, possuiexperincia em Assessoria e

    Consultoria de Empresas comfoco em treinamentos e pales-tras, professor e Consultor doInstituto de Sustentabilidade

    administrativa, treinamentose assessorias de Ribeiro Pre-to, Conferencista do InstitutoGessoni de So Paulo, j mi-

    nistrou mais de 400 palestras,cerca de 200 empresas j oaplaudiram pelo Brasil . Sem-pre utilizando de tcnicas e

    habilidades inovadoras emreas: Pblica, Comercial, Ges-to e Estratgia Empresarial,Estruturao, alm do Desen-volvimento Corporativo e Sa-de Ocupacional/Segurana doTrabalho.

    Mauro Dias utiliza duran-te seus treinamentos e pales-tras nmeros de Mgica e hu-mor, habilidades estas adqui-rida em sua experincia deoito anos como Mgico pro-fissional.

    Voc est convidado a par-ticipar desta palestra paraaprender a transformar difi-culdades em oportunidades.Os ingressos esto venda nasede da ACEI. Mais informa-es pelo telefone (15) 3531-3000.

  • www.jornalitanews.com.br 24 de setembro de 201412

  • 11www.jornalitanews.com.br24 de setembro de 2014 13

    O Grupo de Idosos de NovaCampina, que completou umano no ms de julho foram co-

    Terceira Idade e crianas da Casa de AcolhimentoPaulina de Moraes viajam para Poos de Caldas

    NOVA CAMPINA

    O grupo foi acompanhado pela diretora da Assistncia Social Simone Cristina da Silva, assistente social Viviane Breda,professor de educao fsica Anderson Fabricio, orientador desportivo Sander Couto, diretora da Casa de AcolhimentoAndressa Polidoro e pelas atendentes infantis Meire, Fernanda e Leiva

    nhecer a cidade mineira de Po-os de Caldas, no ltimo finalde semana.

    Os idosos no conheciam omunicpio e a grande maiorianunca tinha feito uma viagempara outro Estado. Em MinasGerais provaram a culinria, sa-borearam o verdadeiro po dequeijo e o legtimo tutu de fei-jo, sem falar nos queijos e do-ces.

    Na sexta-feira (19) todosdescansaram e aproveitaram acomodidade do hotel. As crian-as da Casa de Acolhimentoaproveitaram tarde para co-nhecer a cidade e andar de bon-dinho at o Cristo Redentor.

    No sbado (20) o dia come-ou com a visita ao Santuriode Nossa Senhora de Ftimacom um breve culto ministra-do pelo frei e uma orao San-ta em agradecimento. Visitarama Fonte dos Amores, em que to-dos tomaram a gua, que segun-do a lenda quem a bebe casa-serpido. Tambm puderam ver aPedra Balo, o Cristo Redentorlocalizado no Alto da Serra deSo Domingos, a 1.686 metrosacima do nvel do mar, a Cacho-eira Vu das Noivas, a Fbricade Sabonetes Medicinais, a F-brica de Cristais, onde puderamobservar a fabricao de cristaisao vivo e a Fbrica de Queijos eVinhos com degustao. A no-vidade foi o queijo com requei-jo que nenhum deles conhecia

    e o suco de uva sem acar tudomuito saboroso. A tarde todosforam tomar banho de piscina ehidromassagem.

    No domingo (21) como amaioria do grupo religiosoforam conhecer a Catedral quetem uma bela arquitetura e par-ticiparam da missa. Em segui-da foram at a Praa dos Maca-cos, que possui uma fonte degua quente, a qual cheira en-xofre e segundo a populao medicinal e cura qualquer mal.Todos do grupo lavaram a partedo corpo que tem algum proble-ma e alguns at beberam a gua,compraram lembrancinhas nafeirinha, conheceram o calend-rio floral e o relgio, tiraramfotos na fonte do parque JosAffonso Junqueira, encerrando ofinal de semana no Recanto Ja-pons, um dos pontos mais be-los de Poos de Caldas.

    Com exceo do telefricotodos os passeios foram feitosjunto com as crianas e adoles-centes da Casa de Acolhimento.

    Os idosos agradeceram pelaoportunidadeque a Prefeitura

    A secretria estadual da Agri-cultura e Abastecimento, Mni-ka Bergamaschi, oficializou naltima quinta-feira (18), em NovaCampina, a entrega das obras doprograma estadual de recupera-o de estradas rurais, o MelhorCaminho, que liga as estradas daempresa Orsa a Itaboa.

    Mnika foi recepcionada noSalo Nobre da Prefeitura Mu-nicipal, pelo prefeito Nilton Fer-reira da Silva, pelo vereador Ju-nior, que representou o Legisla-tivo do municpio, pelo diretorde Gabinete Ary Russo e pelodiretor da Agricultura do muni-cpio Leandro Teixeira.

    A mesa tambm foi compos-ta por Estelio Ferreira (tcnicooperacional da Codasp) e porValnrio de Castro (diretor daCATI/Regional de Itapeva).

    O prefeito Nilton agradeceua sensibilidade para com o mu-

    Secretria da Agricultura entrega 10quilmetros de estradas recuperadas

    nicpio e disse que em 23 anosde emancipao, aquela tinhasido primeira vez que NovaCampina recebeu a visita de umasecretria da Agricultura do Es-tado. O chefe do Executivo tam-bm aproveitou a oportunida-de para entregar um pedido desolicitao de mais ajuda para

    as estradas do municpio.A secretria agradeceu a re-

    cepo e disse que para ela erade grande satisfao entregaresses 10 km de estradas recu-peradas, mencionou tambm aimportncia em conservar asestradas e que a populao uti-lize-as com responsabilidade.

    Promovido pelo Fundo Soci-al de Solidariedade de Nova Cam-pina, em parceria com o Fussesp(Fundo Social de Solidariedadedo Estado de So Paulo), foi rea-lizada a formatura do Curso daPadaria Artesanal, a qual foi re-almente um sucesso e deixou asparticipantes muito satisfeitascom o que aprenderam.

    O curso teve a durao de 40horas, contendo partes tericas

    Formada a turma do cursode Padaria Artesanal

    e prticas. As aulas foram mi-nistradas pela instrutora Miri-an Rodrigues h 10 alunas, quese formaram na produo de di-versos tipos de pes artesanais,e receberam certificados de con-cluso, alm de uma apostilacontendo as receitas aprendidasdurante as aulas.

    O curso da Padaria Artesa-nal tem como principal objeti-vo qualificar as pessoas na pro-

    duo de pes, feitos com ve-getais e frutas, com a intenode garantir aos alunos uma ren-da complementar, alm de pro-porcionar suplementos parauma alimentao saudvel emsuas rotinas.

    O prefeito Nilton Ferreira es-teve presente formatura e para-benizou todas as alunas e a instru-tora pelo esforo e pelo belo tra-balho que realizaram nas aulas.

    A Vigilncia Epidemiol-gica do municpio informa quesegundo o INCA (Instituto Na-cional do Cncer), o cncer demama o mais comum entreas mulheres e o segundo maisfrequente em todo mundo.

    No importa qual tipo,pode ser empinado, silicona-do, grande ou pequeno. O im-portante o autoconhecimen-to das mamas. Por isso a ne-cessidade de preveno, poisquanto mais cedo a doena detectada, maiores so aschances de cura. Um toquepode salvar a sua vida!

    Outubro Rosa

    de Nova Campina, atravs doCRAS, proporcionou a eles, poisnunca haviam conhecido umlugar to lindo. Alguns idososat choraram de emoo, poish mais de 20 anos no saiam.

  • www.jornalitanews.com.br 24 de setembro de 201414

    Comprometida com a par-ticipao e o envolvimento dasfamlias, a coordenadora dainstituio Cleusa Fortes, ini-ciou no dia 13, o curso PadariaArtesanal. A iniciativa contacom o apoio do Fundo SocialMunicipal de Solidariedade e daadministrao municipal, atra-vs da Secretaria Municipal de

    Casa do Amigo Ideal desenvolve programa de convivnciae fortalecimento de vnculos atravs da Padaria Artesanal

    Assistncia e Promoo Soci-al, qual a Casa do Amigo Idealest vinculada.

    Inicialmente, sero benefi-ciadas as famlias dos alunosassistidos pela entidade, e embreve sero oferecidas vagas aobairro Alto da Tenda, onde a ins-tituio est localizada. A Casado Amigo Ideal atende a 130

    crianas e adolescentes, de seisa 17 anos, no perodo de contraturno escolar. A entidade ofe-rece oficinas de arte, artesana-to, capoeira, sala de leitura, es-porte, msica, dana do barroe outras atividades culturais,como viagens e apresentaesdiversas.

    A coordenadora da Casa do

    Amigo Ideal, Cleusa Fortes agra-dece a todos que contribuempara o andamento das ativida-des da entidade. Agradeo aoprefeito Ari Kinor, ao vice- pre-feito Erisvaldo Caf pelo apoioque tm nos dado, realizandoalgumas reformas, as quais pro-porcionam um ambiente ade-quado para o desenvolvimento

    das atividades, afirmou.Gostaria de mencionar o

    apoio do secretrio de Promo-o e Assistncia Social, Alys-son Garcia, que nosso grandeparceiro, sempre preocupado

    com a qualidade dos serviosoferecidos pela pasta, s fam-lias envolvidas, minha equi-pe e Intercement, que noscede o excelente espao fsico,concluiu.

    ITAPEVA

    Com o objetivo de encon-trar uma soluo para oproblema da merenda nasescolas do municpio, o prefei-to Roberto Comeron e os verea-dores da Cmara Municipal reu-niram-se na manh de tera-fei-ra (23) na sede da Secretaria deIndstria e Comrcio. Em entre-vista, o vereador Wilson Mar-garido falou sobre o documen-to relacionado merenda esco-lar que foi levado ao prefeitopara protocolar. Confira:

    IN Do que se trata essedocumento que vocs foramprotocolar junto ao prefeito emuma reunio?

    Margarido Todos os vere-adores em conjunto fizeram umrequerimento para que o prefei-to, por lei ou por decreto, regu-lamente as merendeiras de to-das as escolas e para aquelesprofessores que trabalham nazona rural e que no tm tempode fazer a sua comida na escolapossam fazer as suas refeiesjunto aos alunos. Talvez issofuja um pouco da