Lisboa Cultural 224

Click here to load reader

  • date post

    23-Feb-2016
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

description

LISBOA NA RUA | RESCALDO JAZZ EM AGOSTO 2011

Transcript of Lisboa Cultural 224

  • Em destaque Lisboa na Rua | Pg. 3

    Msica O jazz saiu rua | Pg. 4

    cinemaCinema multicultural | Pg. 5

    Msica Clssicos modernos | Pg. 6

    ReportagemAs noites quentes do jazz | Pg. 7

    Curtas | Pg. 9

    Em Agenda | Pg. 10

    Edio: CML | Direco Municipal de Cultura Departamento de Aco Cultural | Diviso de Promoo e Comunicao Cultural Editor: Frederico Bernardino Redaco: Sara Ferreira Designer: Tiago MoraisFoto de Capa: Humberto Mouco - Lisboa na RuaContactos: Rua Manuel Marques, 4F, Edifcio Utreque - Parque Europa, 1750-171 Lisboa | Tel. 218 170 600 [email protected]

    Siga-nos emhttp://twitter.com/lisboa_cultural

    http://www.facebook.com/lisboaculturalhttp://itematicoslisboa.blogspot.com

    16 a 28 de AGOSTO de11 #224

    Ficha

    tcn

    ica

    ndice

    Wadada Leo Smith Reportagem Jazz em Agosto | Pag 7

  • Quem ainda no reparou que, em Agosto, Lisboa j no vai de frias tem andado certamente distrado. Mais uma vez, o ltimo tero do Vero alfacinha vai ser animado por uma programao muito especial de jazz, msica clssica e cinema a acontecer nas ruas, largos e travessas, nos miradouros e jardins da cidade. At 11 de Setembro, Lisboa na Rua faz-se de Big Bands de jazz, de quintetos clssicos, de DJs, de pequenas formaes jazzisticas e de muitos, e bons, filmes. Tudo a acontecer c fora e borla, enquanto os entardeceres e as noites convidam a um passeio, ao convvio entre amigos ou tranquila fruio da nossa cidade. Nas pginas seguintes, deixamos-lhe as propostas para a prxima quinzena, certos que, nas semanas que se seguem, todos os motivos so vlidos para sair de casa.

    LISBOA NA RUA

    ddestaque pgina 3

    H

    umbe

    rto

    Mou

    co

  • pgina 4mmsica

    A Arte da Big BandQuintas-feiras | 19h

    Vrios locais

    Entrada livrewww.egeac.pt

    Depois do sucesso do ano passado, as big bands en-semble associado ao jazz que normalmente rene cerca de 18 msicos regressam s ruas da capital em A Arte da Big Band 5 Orquestras de Jazz em Portugal, uma iniciativa que integra o programa Lisboa na Rua.Depois da abertura, a 11 de Agosto com a Reunion Big Jazz Band, segue-se a Orquestra de Jazz de Matosinhos (OJM) que, a 18 de Agosto, vai animar o Largo de So Carlos, sob direco de Pedro Guedes e Carlos Azevedo. Considerada a mais internacional e uma das mais dinmi-cas orquestras de jazz portuguesas, a OJM conta j com dez anos de actividade, ao longo dos quais se destacam espectculos como o con-certo de encerramento do Porto 2001, a recriao de Sketches of Spain com o Remix Ensemble, os concertos com John Hollenbeck e Dee Dee Bridgewater ou a actuo no Carneggie Hall em Nova Iorque.

    A 25 de Agosto a vez de ouvir o Lisbon Underground Music En-semble (L.U.M.E.), no Jardim de Campolide. Composto por msicos com experincias diversas nos campos do jazz, rock, msica clssica, contempornea e experimental, este um projecto do msico Mar-co Barroso, que procura aliar a composio escrita com elementos de improvisao, num contexto eclctico e autoral.

    Os concertos tm incio s 19 horas e so de entrada livre. A estas big bands seguem-se ainda a Big Band da Nazar, que a 1 de Setembro to-car no Jardim de So Pedro de Alcntara, e, a 8 de Setembro, no Largo da Estao do Rossio, a Big Band do Hot Clube de Portugal.Sara Ferreira

    O JAZZ SAIU RUA

  • pgina 5ccinema

    Fitas na RuaVrios locais

    Sbados e domingos | 22h

    Entrada livrewww.egeac.pt

    CINemA mULtICULtURAL As Fitas na Rua esto de regresso cidade com o melhor cinema do mundo. At final do ms, a multiculturalidade das estticas e linguagens vo levar o pblico ndia de Bollywood, Sucia contempornea, Frana de Varda e Millet, e de Siza Vieira e Arpad Szenes, ou ao Portugal marginal de Kilas e Pepsi-Rita.

    De um cineasta que em 40 anos rodou apenas quatro filmes, Tu, Que Vives, de Roy Andersson, exibido na Praa do Rossio no prximo dia 19, numa noite dedicada ao cinema sueco, mas que no inclui Bergman. Na noite seguinte, as Fitas vo estar sob o Arco da Rua Augusta, onde se apresenta um pico do cinema indiano, Umrao Jaan, de J.P. Dutta, com a mais famosa actriz de Bollywood, Aishawya Rai, no papel de uma cortes real do sculo XIX enleada nos laos da paixo.

    A fechar o fim-de-semana, no dia 21, as escadinhas da Travessa dos Teatros, mesmo ao lado do So Luiz Teatro Municipal, transformam-se em plateia para um reencontro muito especial com a arte de Mrio Viegas, protagonista de Kilas O Mau da Fita. Dirigido em 1980 por Jos Fonseca e Costa, Kilas foi um dos maiores sucessos de sempre do cinema portugus. Da banda sonora, da autoria de Srgio Godinho, sairia o j clssico Balada de Rita, interpretado no filme por Lia Gama.

    A 27 de Agosto, no Mercado de Benfica, Agns Varda convida, a partir de um quadro de Millet, a uma inquietante reflexo sobre a persistncia, tema do aclamado documentrio Os Respigadores e a Respigadora. A fechar o ms, no Jardim das Amoreiras, oportunidade rara para ver a primeira obra de Jos lvaro Morais, Ma Femme Chamada Bicho, um olhar intimista sobre dois franceses por adopo: os pintores Maria Helena Vieira da Silva, portuguesa, e Arpad Szenes, hngaro. Nessa noite de 28 de Agosto, a Fundao Arpad Szenes-Vieira da Silva estar de portas abertas das 20h30 s 22h30.

    Frederico Bernardino

  • pgina 6mmsica

    Em Agosto e Setembro, os fins de tarde de domingo podem ser passados na companhia das diferentes formaes de msicos da Metropolitana. Esta a proposta de Clssicos da Rua que, pelo terceiro ano consecutivo, integram mais uma edio de Lisboa na Rua.

    Assim, a 21 de Agosto, na Avenida da Liberdade, ou a 28 de Agosto na Tapada das Necessidades, pelas 19 horas, pode relaxar ao som dos Almost6, um quinteto de trompetes com percusso, formado em 2007, cujo repertrio vai do barroco ao pop

    e do jazz msica portuguesa contempornea. Andrs, Escher e Carlos Santana so alguns dos compositores presentes no alinhamento destas actuaes.

    A 4 ou a 11 de Setembro, nos Jardins Mveis do Cais do Sodr e no Largo Cames, respectivamente, a vez do Quinteto de Metais da Metropolitana, formao que aposta num reportrio marcado pela versatilidade dos ritmos e pelo calor das melodias, apresentar temas de Riviera, Tom Jobim e P. Prado, entre outros.Sara Ferreira

    clssicos modernos

  • rreportagem pgina 7

    Quando as noites de Vero teimavam em no querer aparecer, eis que, a coincidir com mais uma edio do Jazz em Agosto, elas chegaram. Poder-se-ia dizer que o calor veio com o jazz para que se conjugassem condies ptimas para usufruir de boa msica num lugar singular da cidade, o Anfiteatro ao Ar Livre da Gulbenkian. Mas, pondo-se prova de caprichos climatricos, o Jazz em Agosto garantira este ano habitar os dias teis outras paragens, mais especificamente no Teatro do Bairro que, ao longo de trs noites, se transformou em clube de jazz, onde num ambiente bem informal se conversa, se fuma e bebe um copo e, claro est, se ouve excelente msica.

    Se aqui no nos cabe fazer a histria meteorolgica das noites do Jazz em Agosto, nem to pouco narrar concerto a concerto as incidncias deste festival que, todos os anos, anima o ms mais veraneante do ano, podemos permitir-nos olhar alguns momentos e protagonistas, ou at mesmo algumas noites que, mais do que estivais, foram, garantidamente, inesquecveis para quem as viveu. A comear pela primeira, quando uma lenda viva do jazz fez lotar o Anfiteatro e mostrou o quo relativo ter 82 anos de idade.

    Com uma surpreendente vitalidade criativa, bem evidente nas improvisaes que fez ao piano, balanando entre o registo erudito da msica ocidental e o experimentalismo jazzistico, Cecil Taylor apresentou-se ao pblico sem beliscar minimamente os pergaminhos que construram a lenda em seu redor.

    AS NOITES QUENTES DO JAZZ

    F

    ranc

    isco

    Lev

    ita

  • rreportagem pgina 8Musicalmente, e como nos sublinhou um f que ali, naquele mesmo local, assistira ao espectculo de 1988, os anos no passam por Cecil e ele continua brilhante. A cumplicidade do msico com o pblico s ter sido trada quando a rcita de um poema do prprio se tornou longa demais e muita gente acabou por abandonar o recinto. Inevitavelmente, no final, quem ali ficou teve a honra de aplaudir de p um dos nomes maiores do jazz contemporneo.

    A fechar o primeiro fim-de-semana do festival, um dos mais memorveis concertos desta edio do Jazz em Agosto, coube ao noneto Organic, liderado pelo trompetista Wadada Leo Smith. Ao longo de duas horas de muito groove, experimentalismo e improvisao, a plateia saiu rendida ao talento meticuloso de Wadada e dos seus extraordinrios e talentosos msicos. Um concerto empolgante onde estiveram bem presentes a memria do jazz (de Duke Ellington a Miles Davis) e o futuro perfilado na msica que no se confina a qualquer tipo de fronteira.

    Ao longo da semana, no clube de jazz Teatro do Bairro, formaes mais pequenas apresentaram excelentes espectculos a um pblico muito descontrado e animado. A estreia da sala da Rua Luz Soriano no Jazz em Agosto fez-se com um concerto vibrante do Humanization 4tet, liderado pelo guitarrista portugus Lus Lopes. O quarteto luso-americano (para alm de Lopes, constitudo por Rodrigo Amado e pelos irmos Stefan e Aaron Gonzlez) centrou a sua actuao em Electricity, lbum editado no ano passado pela francesa Ayler Records, deixando bem presente um som poderosamente rtmico onde confluem mltiplos elementos e linguagens musicais que vo do universo do rock pesado ao jazz mais clssico.

    No regresso casa-me, o Anfiteatro da Fundao Calouste Gulbenkian, e ainda com as noites a proporcionarem o conforto e a tranquilidade estival, assinala-se o regre