PERICIAS 3 - Patologia Em Revestimentos Ceramicos

download PERICIAS 3 - Patologia Em Revestimentos Ceramicos

of 45

  • date post

    09-Jan-2016
  • Category

    Documents

  • view

    35
  • download

    4

Embed Size (px)

description

Problemas em Ceramicas

Transcript of PERICIAS 3 - Patologia Em Revestimentos Ceramicos

  • Ps-Graduao

    PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS

    PROFESSORA:

    TPICOS DE ATUAO PROFISSIONAL

    REVESTIMENTOS CERMICOS

    TPICOS ATUAO PROFISSIONAL

    ENG. CIVIL 9 E 10

    ENG. ERIKA PASTORI

  • Ps-Graduao

    FUNES GERAIS REQUERIDAS :

  • Ps-Graduao

    FUNES ESPECIFICAS DOS CERMICOS REQUERIDAS :

  • Ps-Graduao

    USO : - No limitante apenas para pisos e paredes.Se estende fachadas, piscinas, lojas comerciais, indstria entre outros.

    Dada suas principais caractersticas tais como:Dada suas principais caractersticas tais como:ImpermeabilidadeProteo intemperesDurabilidadeHigiene -Facilidade de manuteno e limpezaAdequado ao clima brasileiroAntiinflamvelBeleza estticaVersatilidade de corres e tamanhos

  • Ps-Graduao

    MERCADO :- Nos ltimos 15 anos AUMENTO EM 400 % na sua produo.

    - Graas ao programa (Consitec) de aprimoramento tecnolgico feito pela FAPESP(fundao e amparo e pesquisa do Estado de So Paulo)em Santa Gertrudes, na regio de Rio Claro. (antes do programa o em Santa Gertrudes, na regio de Rio Claro. (antes do programa o Brasil era o 4 mundial e os paulistas 40% da produo).

    -Atualmente o segundo maior produtor com 866 milhes (m) s atrs da China.

    - empresas paulistas respondem por cerca de 70% da produo

  • Ps-Graduao

    MERCADO :

  • Ps-Graduao

    MERCADO :

  • Ps-Graduao

    Fabrico Cermico

    5 fases principais: explorao das jazidas (Santa Gertrude uma das > explorao das jazidas (Santa Gertrude uma das > minas de argila do mundo, argila vermelha) tratamento da matria prima moldagem secagem queima

  • Ps-Graduao

    Fabrico CermicoNo tratamento da matria prima: impurezas so eliminadas - trituradores ( moinhos de rolos e martelos)- peneiradores com lavagens- misturadores e amassadores - misturadores e amassadores - laminadores (do maior homogeneidade massa)

    Moldagem:Mtodo de moldagem a seco ou semi-seco (4 a 10%) prensagemExtruso ( retirada de ar da massa vcuo) ( 5 a 10%) TijolosMoldagem mais fluida com (30 a 50% de gua) utilizada para peas com formato complexo ( aparelhos sanitrios)

  • Ps-Graduao

    Fabrico CermicoSecagem: > parte da gua retirada - A velocidade de secagem deve ser controlada para evitar retrao

    excessiva desuniforme, o que geraria fendas e deformaes nos produtosprodutos

    - Processos :- Natural com Proteo contra vento e sol- Artificial por EstufasQueima:- Desidratao - at 700 C ( continua retirada de gua e queima da

    matria carbonosa- Oxidao - at 900 C ( materiais ferrosos se tornam mais estveis - Vitrificao ocorre a cerca de 1200 C ( Contrao e fechamento

    dos poros)

  • Ps-Graduao

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico As placas cermicas so constitudas, no mximo, 4 fases, que so: massa cermica, engobe, esmalte e vidradoa) Massa cermica (o suporte ou biscoito): Formado por material argiloso no qual servir de base para demais camadas.b) Engobe: Formada por argila lquida geralmente colorida com b) Engobe: Formada por argila lquida geralmente colorida com propriedades vtrea.-Serve de camada separadora entre massa e esmalte com a finalidade de inibir possveis reaes entre o esmalte e as impurezas que existem no biscoito.- Ponte entre camadas ajustando a dilatao entre a massa cermica e o esmalte de modo que no ocorra gretamentos (trincas na superfcie esmaltada) > aderncia e resist Mecnica.- Preenchimento da pea para economizar a aplicao de esmalte.

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico O termo engobe usado para designar dois materiais distintos: no caso deengobe de muratura, refere-se a uma camada lquida aplicada no verso daplaca que tem por objetivo impedir que as placas cermicas prejudiquem osrolos do forno de queima durante sua passagem.

    Para o caso engobe de superfcie, refere- se a uma camada coesa e opacaque separa o biscoito do esmalte das placas cermicas.

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico c) Segundo NBR 13.817(classificao) os revestimentos cermicos podem ser:Esmalte (G): Aps base de argila e engobe o revestimento recebe acabamento em Material sinttico que determina a tonalidade da cermica, na qual so adicionados os pigmentos.cermica, na qual so adicionados os pigmentos.Define: as caractersticas do material no que diz respeito ao desempenho mecnico:-resistncia abraso, dureza ao risco, resistncia ao choque, etc.)-propriedades qumicas (resistncia ao ataque de agentes qumicos) e estticas (brilho, textura, cor etc.).No Esmaltados( UG OU U): Sem acabamento onde a colorao superficial uniforme em todo corpo cermico.

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico

    d) Vidrado: Camada fina que recobre a superfcie do revestimento. Sua funo impermeabilizao do biscoito cermico, a fim de prolongar a resistncia da superfcie vidrada ao ataque de agentes qumicos, ao desgaste da pea. qumicos, ao desgaste da pea. -Promove a rugosidade adequada para assegurar a resistncia ao deslizamento.

  • Ps-Graduao

    SEO TRANSVERSAL.

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico

  • Ps-Graduao

    Revestimento Cermico Tipos1) Acabamento:RET: acabamento retilneo em suas bordas, junta seca. Bold: aqueles que apresentam as extremidades arredondadas

    2) Porosidade2) PorosidadeMonoporosa Revestimento poroso que fabricado atravs da prensagem a seco e passa apenas por uma fase de queima rpida. so utilizadas as matrias-primas de melhor qualidade. Somente para revestimento de paredes (azulejos e pastilhas de porcelana)Semi- Porosa - alta absoro de gua (entre 6 a 10% deabsoro). Pode ser utilizado somente em paredes e pisos de ambientaes internas.

  • Ps-Graduao

    Grs Em virtude da sua baixa porosidade, possuem resistncia mecnica alta; sua espessura compacta. So utilizados em paredes e pisos internos e externos Semi-grs resistncia mdia no que diz respeito mecnica e absoro de gua. Maior resistncia ao escorregamento que os de tipologia grs, Maior resistncia ao escorregamento que os de tipologia grs, portanto, mais utilizados em paredes e pisos internos, pisos externos e fachadas. Porcelanatos maior resistncia mecnica e absoro de gua que os demais.

  • Ps-Graduao

    Porcelanato Origem na Europa - Itlia - Brasil inicio da dcada de 90 - Menor absoro de gua < 0,5% Maior resistncia- Fabrico com tecnologia avanada. - Em cama nica- matrias primas nobres que compem a sua massa porcelanatos onde - matrias primas nobres que compem a sua massa porcelanatos onde

    70% composto de mineral pedras e porcelana- Cortes e impresso lazer.- Moagem mais refinada com maior nmero de rotaes- Prensagem com Foras com o dobro de presso em relao as peas

    cermicas- Processo de queima em alta temperatura aumento de 30% no custo- Polimento superior peas retificadas

  • Ps-Graduao

    Porcelanato TiposPorcelanato tcnico Por no possuir face esmaltada, tantoo porcelanato tcnico quanto o polido, no so classificadosconforme o PEI. O porcelanato tcnico possui um alto custo,pois consome muito corante em comparao aos revestimentospois consome muito corante em comparao aos revestimentosesmaltados.O porcelanato sem polimento (tambm conhecido comoporcelanato rstico) apresenta maior resistncia ao risco e aomanchamento que o polido, e pode apresentar veios que do aaparncia de pedras naturais.

  • Ps-Graduao

    Porcelanato TiposPorcelanato polido .Em sua confeco, so retirados alguns milmetros da sua superfcie para receber o polimento e este processo eleva o custo da pea. da pea. O porcelanato polido no recomendado para reas molhadas cozinhas, varandas, reas de servio e box de banheiros por se tratar de uma superfcie muito lisa e escorregadia.

  • Ps-Graduao

    Porcelanato TiposPorcelanato EsmaltadoDelicado aos arranhes, no indicado para entradas com grande trfego de pessoas. O uso do porcelanato esmaltado do tipo espelhado se restringe a O uso do porcelanato esmaltado do tipo espelhado se restringe a interiores residenciais ou ambientaes comerciais que requer muita limpeza. Ele pode ser usado tanto em paredes e pisos internos, pisos externos e fachadas, de ambientes de qualquer temperatura.

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridasNBR(S):- 13.816 Placas Cermicas para revestimento Terminologia.- 13.817 Classificao- 13.818 Especificao e ensaios- 15.463 Porcelanatos- 15.463 Porcelanatos- 14.081- Argamassa colante

    industrializadas para placas cermicas

    - 14.992 Argamassa a base de cimento p rejuntamento de peas cermicas

    - Execuo: 13.753 13.754 13.755 ( piso, parede int e parede externa / fachadas).

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818- BQUANTO ABSORO DE GUA:Isto est intrinsecamente ligado a abertura dos poros da pea cermica.Em dois grupos de fabricao: a) Extrudadas Ab) Prensadas Bb) Prensadas Bc) Outros C

    Porcelanatos.(tec

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - GQUANTO RESISTENCIA AO MANCHAMENTO:Indica a facilidade de remoo das manchas, limpeza conforme a seguir:

    Porc.

    Verificar o coeficiente de atrito : onde quanto maior a resistncia ao escorregamento, mais difcil de limpar a placa.

    Porc. Polidos e esmaltados

    Porc. Tecnicos Cermica rugosa

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - N RESISTENCIA AO ESCORREGAMENTO:Atrito, preocupao com o escorregamento: reas residenciais, reas pblicas e locais industriais contato com gua, barro, leos e gorduras

    - adio de cristais de xido ou de areia abrasiva sobre sua superfcie- Peas lisas com resistncia ao escorregamento alcanada com tenso superficial.

    ( coeso > adeso).

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 -CA CARGA DE RUPTURA (EXPRESSA EM N OU KGF):Mede a resistncia prpria do material cermicoDepende do material cermico utilizado e da espessura da pea

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 -FRESISTENCIA AO GRATEAMENTO

    Resistncia ao gretamento caracterstica exigida para todas as placascermicas e garantida para produtos com certificao CCB/ Inmetro.

    Centro Cermico do Brasil (CCB) um Organismo de Avaliao daConformidade acreditado junto ao INMETRO

    tendncia ao gretamento medida submetendo a placa cermica a umapresso de vapor de cinco atmosferas, ou seja, a uma presso cinco vezesmaior que a presso normal, por um perodo de duas horas.

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - JEXPANSO POR UMIDADE EPU

    EPU o termo tcnico utilizado para designar a expanso sofrida por materiais cermicos quando em contato com a gua na forma lquida ou de vapor. de vapor.

    Reduo da energia superficial da cermica com a adsoro da guana sua superfcie a problemas no fabrico da peas durante a queima.

    Segundo norma placas com EPU< 06 mm/m ou 0,06 % so consideradas mau queimadas e estufam na presena de umidade.

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - D ABRASO SUPERFICIAL PEI

    O ensaio PEI mede a resistncia ao desgaste superficial para produtos esmaltados.- Caracterstica importante na especificao de pisos cermicos quando se considera o

    trfego.trfego.- a resistncia ao desgaste da superfcie esmaltada causada pelo trfego de pessoas,

    contato com sujeiras abrasivas e movimentao de objetos.- Cermicas no esmaltadas como os Porcelanato Tcnico, no feito ensaio de PEI,

    portanto, no tem essa classificao. Para estes, feito ensaio de abraso profunda na superfcie das placas cermicas.

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 -D ABRASO SUPERFICIAL PEI

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridasMOHS escala durezas de 10 diferentes minerais existentes na crosta terrestre, -Medida de risco de outros materiais sobre a pea cermica

    Peas cermicas com superfcie brilhante so mais suscetveis ao risco, mesmo que possuam PEI 4 ou 5.

    CEUSARAPOLANO, NATURA, PORCELLANTOSTONE/ PLENIT (Polido-mate), LEGNO (fosco).

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - EABRASO PROFUNDA PEAS NO ESMALTADASAs placas no esmaltadas so, quase sempre, utilizadas em alto trfego e, por esse motivo, o ensaio de abraso ultrapassa o limite superficial. Neste caso, a resistncia ao desgaste inversamente proporcional taxa de absoro de gua da placa cermica; < absoro > resistncia gua da placa cermica; < absoro > resistncia RESISTNCIA ABRASO PROFUNDA PARA PRODUTOS NO ESMALTADOS(em mm3)Ensaio equipamento que desgasta girando sobre a pea porm no havendo grau de comparao entre ambos.Para produtos no esmaltados; 150 giros devero apresentar uma perda de massa de no mximo 175 mm.

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - EABRASO PROFUNDA PEAS NO ESMALTADAS

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - H RESISTNCIA AO ATAQUE QUMICO

    capacidade da superfcie cermica em manter-se inalterada quando em contato com determinadas substncias e produtos.

    Ataques mais comuns: produtos domsticos e de piscina; cidos e lcalis. Em geral, os revestimentos cermicos apresentam uma boa resistncia ao ataque qumico

    Existem trs classes de resistncia aos agentes qumicos:Classe A - Resistncia qumica elevada;Classe B - Resistncia qumica mdia;Classe C - Resistncia qumica baixa.Estas classes de resistncia qumica podem ser determinadas para 2 patamares de concentraes de produtos:baixa concentrao - L (low);alta concentrao - H (high).

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - H RESISTNCIA AO ATAQUE QUMICO

    Em funo da placa ser esmaltada ou no interfere na resistncia assim devemos observar duas informaes se G (esmaltada) ou U ( no) GHA e ULC

  • Ps-Graduao

    Propriedades requeridas NBR 13.818 - AASPECTO SUPERFICIAL:Defeitos visuais: rachaduras - crateras depresses - base descobertapor falha no vidrado - bolhas - furos - pintas manchas - defeitos nadecorao - cantos e lados lascados, despontados salincias -incrustaes de corpos estranhos - riscados ou arranhaduras e diferenasincrustaes de corpos estranhos - riscados ou arranhaduras e diferenasde tonalidades nas caixasEsta Norma classifica como produto de primeira qualidade, quando95% das peas examinadas, ou mais, no apresentarem defeitos visveisna distncia padro de observao, conforme o anexo A da seguinteforma: O observador deve se posicionar em p a um metro de distnciado painel formado com as peas a serem avaliadas, e examinar a olhonu a existncia de defeitos, como exemplo: depresses, manchas,pintas, salincias, riscos e rachaduras, etc.

  • Ps-Graduao

    Principais fatores que provocam as patologias dos revestimentos cermicos so:- Qualidades dos materiais constituintes:- Fabrico de peas- Materiais cimentcios substrato ( chapisco executado)- Materiais cimentcios substrato ( chapisco executado)- Mastiques elastomricos (poliuretano) ou siliconados para

    preenchimento de juntas -> ( em cada pavimento e de 6 em 6 mts)- Sistema de Impermeabilizao- Erro de especificao do revestimento- Problemas de execuo ( assentamento, cordo ausncia de garras de

    fixao, tardoz liso)- Qualidade da argamassa colante e de rejuntamento- Inexistncia de projetos de revestimento- Variaes trmicas no previstas.

  • Ps-Graduao

    Gretagem:So fissuras(0,2 mm a 0,5 mm) ou fissuras capilares (menor que 0,2 mm) de formato circular ou espiral em teia de arranha, que aparecem na superfcie de peas cermicas esmaltadas provocando a passagem de gua por infiltrao e at que a camada vtrea venha se soltar da massa gua por infiltrao e at que a camada vtrea venha se soltar da massa cermica.

    Exigido em norma NBR 13.818 Expanso por umidade Epu

    Dilatao ou retrao da pea por variao de temperatura ou umidade gerando tenses internas que maiores que o limite de resistncia da placa provocando fissuras na camada superficial da placa.

  • Ps-Graduao

    Gretagem:

    Placas esmaltadas de cores vivas, vermelho, laranja, amarelo, so mais suscetveis a gretagem quanto ao processo de queima

  • Ps-Graduao

    EXPANSO POR UMIDADE:Dilatao da placa cermica mediante contato com intempries e umidade.Presente principalmente em revestimento de ambientes midos, tais como piscinas, fachadas e saunas.como piscinas, fachadas e saunas.Verificar norma NBR 13.88 - J sugesto do EPU relacionada a porosidade da peaAumento lento e gradual das dimenses do corpo cermico causado pelo contato com a gua na forma lquida ou de vapor.

  • Ps-Graduao

    EXPANSO POR UMIDADE:

  • Ps-Graduao

    EXCESSO DE ENGOBE:- Camada Liquida engobe de muratura borra branca- Material pulverulento existente no verso do tardoz utilizado na

    fabricao.- Quando em excesso devem ser retirados pelo assentador - Quando em excesso devem ser retirados pelo assentador - Limite mximo at 50% da rea da pea Norma no limita- Prejudica a aderncia da pea