Princípios gerais da toxicologia aula

download

of 36

  • date post

    02-Jul-2015
  • Category

    Documents
  • view

    487
  • download

    5

Embed Size (px)

transcript

Princpios gerais da ToxicologiaIFRJ campus Rio de Janeiro Especializao em Segurana Alimentar e Qualidade Nutricional Disciplina: Toxicologia de Alimentos Prof.: Marcia Cristina da Silva

Tpicos1. Importncia / Histrico 2. Conceitos gerais 3. Classificao 4. reas de atuao 5. Toxicologia de alimentos

1

1. Importncia / HistricoAlimentos podem conferir caractersticas de segurana ou de risco para a ingesto humana.

1. Importncia / HistricoImportante:conhecer as substncias txicas presentes nos alimentos e evitar que essas sejam ingeridas em nveis que imponham risco sade. Alimentos so constitudos de substncias nutritivas e no-nutritivas, podendo ser consumidos in natura ou processados.

2

1. HistricoA Toxicologia uma cincia muito antiga. 1 documento sobre agentes txicos 1500 a.C. ( 800 ingredientes) No sculo XX (2 G.M.) avanos rea de sntese qumica surgimento de diversos novos compostos para fins farmacuticos, alimentares e agrcolas. Inmeros novos casos de intoxicao Desenvolvimento da Toxicologia (avaliao da segurana e do risco)

2. Conceitos geraisToxicologia a cincia que estuda os efeitos nocivos decorrentes das interaes de substncias qumicas com o organismo. Agente txico ou toxicante a substncia qumica capaz de causar dano a um sistema biolgico, alterando seriamente uma funo ou levando-o morte, sob certas condies de exposio.

3

2. Conceitos geraisDroga toda substncia capaz de modificar ou explorar o sistema fisiolgico ou estado patolgico, utilizada com ou sem inteno de benefcio do organismo receptor. Frmaco toda substncia de estrutura qumica definida, capaz de modificar ou explorar o sistema fisiolgico ou estado patolgico, em benefcio do organismo receptor.

2. Conceitos geraisVeneno um termo popular utilizado para designar a substncia qumica (ou mistura), que provoca a intoxicao ou a morte c/ baixas doses. Xenobitico o termo empregado para designar substncias qumicas estranhas ao organismo.

4

2. Conceitos geraisIntoxicao um processo patolgico causado por substncias qumicas endgenas ou exgenas e caracterizado por um desequilbrio fisiolgico, em consequncia das alteraes bioqumicas no organismo. Toxicidade a propriedade de agentes txicos promoverem injrias s estruturas biolgicas, por meio de interaes fsico-qumicas.

2. Conceitos geraisToxicidade X Risco: Risco o termo que traduz a probabilidade estatstica de uma substncia qumica provocar efeitos nocivos em condies definidas de exposio. Obs.: Tds os medicamentos possuem, em menor ou maior grau, propriedades txicas, provocando efeitos adversos, sendo a dose um dos fatores preponderantes que determinam a intoxicao. medida que aumenta a dose, os efeitos adversos dos medicamentos se acentuam.

5

2. Conceitos geraisToxicidadeA Comunidade Europia classifica as substncias qumicas em 3 categorias: muito txica: substncias com DL50 < 25 mg/kg p/ ratos txicas: substncias com 25 < DL50 < 200 mg/kg p/ ratos nociva: substncias com 200 < DL50 < 2000 mg/kg p/ ratos Obs. Pouca utilidade na prtica.

2. Conceitos geraisFatores que influem na toxicidadeRelacionados 1. ao agente qumicopropriedades fsico-qumica; impurezas e contaminantes; formulao (veculo, adjuvantes).

2. ao organismoespcie, linhagem, fatores genticos; fatores imunolgicos, estado nutricional, dieta; sexo, estado hormonal, idade, peso corpreo; estado emocional, estado patolgico.

3. exposiovia de introduo; dose ou concentrao.

4. ao ambientetemperatura, presso, radiaes, luz, umidade, etc.

6

3. Classificao da ToxicologiaToxicologia Analtica: mtodos exatos, precisos, de sensibilidade adequada p/ a identificao do toxicante Toxicologia Clnica: exposto ao toxicante atendimento do paciente

Toxicologia experimental: estudos para a elucidao dos mecanismos de ao dos agentes txicos sobre o sistema biolgico e avaliao dos efeitos decorrentes dessa ao.

4. reas de atuao da ToxicologiaToxicologia ambiental Toxicologia ocupacional Toxicologia de medicamentos e cosmticos Toxicologia social Toxicologia de alimentos

7

5. Toxicologia de alimentosToxicologia de alimentos: define os limites e condies de exposio seguras na ingesto de alimentos que apresentam um certo grau de contaminao. Qualquer efeito que no seja nutricional e/ ou teraputico, c/ exceo dos efeitos imunolgicos, podem ser generalizados como txicos.

5. Toxicologia de alimentos5.1. Efeitos txicos - Gravidade dos sinais/sintomas leve, moderado, severo - Velocidade de surgimento dos sinais e sintomas agudo, subagudo, subcrnico ou crnico - Ao dos agentes txicos Sistmico ou Local (TGI) Interao entre agentes txicos adio, potencializao, sinergismo, carcinognico (mutagnico), fetotxico

8

5. Toxicologia de alimentos5.1. Efeitos txicos - Efeito Agudo qdade/ [C] X frequncia Severos e Letais - Efeito Crnico qdade/ [C] X frequncia Leves e Moderados Reversveis

5. Toxicologia de alimentos5.2. Exposio humana a agentes txicos (AT) presentes em alimentos - Natureza (natural ou artificial) e concentrao do AT presente no alimento - Frequncia com que o alimento ingerido pela populao - Via de introduo no organismo - Suscetibilidade do organismo

9

5. Toxicologia de alimentos5.3. Casos de intoxicao - Grande parte dos acidentes txicos ocorrem quando h a ingesto de alimentos contaminados intencionalmente ou incidentalmente nica refeio ou poro do alimento concentrao do AT: Agudo/Curto prazo ou com alta

Vrias refeies ou pores do alimento com baixa concentrao do AT: Crnico/Longo prazo efeito txico desapercebido

5. Toxicologia de alimentos5.4. Efeito crnico * Ocorre em populaes onde: - A qualidade dos alimentos deixam a desejar - Dietas montonas/repetitivas * Cintica dos efeitos do AT - Velocidade de eliminao do AT ingerido com o alimento < velocidade de absoro AT acumula-se no organismo - Se essa velocidade de eliminao for muito baixa Efeito do AT pode tornar-se agudo

10

5. Toxicologia de alimentos5.5. ndices de Toxicidade * As Boas Prticas de Fabricao controlam a contaminao de alimentos * Tipos de no nutrientes:-

Naturalmente presentes Adicionados diretamente c/ propsitos definidos Contaminantes controlveis Contaminantes inevitveis

5. Toxicologia de alimentosClassificao dos no-nutrientes

1. naturalmente presentes nos alimentos Ex.: antinutrientes (inibidores de tripsina da soja e de feijes); substncias txicas (glicosinolatos, glicosdios cianognicos, glicoalcalides etc.)

11

5. Toxicologia de alimentosClassificao dos no-nutrientes

2. adicionados aos alimentosA possibilidade de contaminao durante o processamento, conservao e armazenamento pode ocorrer por: contaminao direta incontrolvel - produo de toxina por microrganismos - gerao de compostos txicos nos alimentos - incorporao de metais txicos dosagem excessiva de aditivos

5. Toxicologia de alimentosClassificao dos no-nutrientes

2. adicionados aos alimentosContaminao indireta - Promotores de crescimento - Medicamentos de uso veterinrio - Praguicidas - Migrantes de embalagens

12

5. Toxicologia de alimentosExemplos dos no-nutrientesContaminao direta Produo de micotoxinas: aflatoxina, ocratoxina, tricoteceno, zearalenona... Gerao de compostos txicos: N-nitrosos (nitrosaminas e nitrosamidas)... Incorporao de metais txicos: arsnio, cdmio, mercrio, chumbo... Dosagem excessiva de aditivos, principalmente dos no-GRAS (GENERALLY RECOGNIZED AS SAFE).

5. Toxicologia de alimentosExemplos dos no-nutrientesContaminao indireta Frmacos e hormnios promotores de crescimentos Antibiticos de uso profiltico Resduos de herbicidas, fungicidas, raticidas, inseticidas steres ftlicos migrantes de embalagens plsticas

13

5. Toxicologia de alimentos5.5. ndices de Toxicidade * Tolerncia ou Limite Mximo Permitido (LMP): qde que no causa efeito nocivo * Ingesto diria aceitvel (IDA): aditivos e contaminantes qde de um agente qumico presente no alimento que pode ser ingerido atravs da dieta, diariamente, durante toda a vida do indivduo, sem provocar risco de intoxicao (mg/kg peso/ dia)

5. Toxicologia de alimentosLegislaoResoluo n 17, de 30 de abril de 1999. Regulamento tcnico que estabelece as diretrizes bsicas para avaliao de risco e segurana dos alimentos. MS/Anvisa.Para efeito deste regulamento, considera-se: Perigo: agente biolgico, qumico ou fsico, ou propriedade de um alimento, capaz de provocar um efeito nocivo sade. Risco: funo da probabilidade de ocorrncia de um efeito adverso sade e da gravidade de tal efeito, como conseqncia de um perigo ou perigos nos alimentos. Anlise de risco: processo que consta de trs componentes: avaliao de Risco, gerenciamento de risco e comunicao de risco. Avaliao de risco: processo fundamentado em conhecimentos cientficos, envolvendo as seguintes fases: identificao do perigo, caracterizao do perigo, avaliao da exposio e caracterizao do risco.

14

5. Toxicologia de alimentosComo avaliar a exposio humana contaminantes e os riscos sade? Anlise de Risco -> processo para identificar e controlar o risco de uma populao exposta a um dano causado por um organismo, sistema ou substncia.

5. Toxicologia de alimentosAvaliao de risco Processo no qual dados relativos a toxicidade e exposio so combinados para produzir uma estimativa quantitativa ou qualitativa do efeito adverso resultante de um determinado agente1. 2. 3. 4.

Identificao do dano Avaliao da relao dose/resposta Avaliao da exposio Caracterizao do risco

15

5. Toxicologia de alimentosIdentificao do danoAnimais de laboratrios ratos, coelhos, cachorros, macacosagudo, sub agudo, sub crnico e crnico Experimento totalmente controlado Expe os animais a diferentes doses da substncia (via oral) e observa os efeitos adversos ocorridos