Programação | Agosto 2014

download Programação | Agosto 2014

of 36

  • date post

    01-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    221
  • download

    3

Embed Size (px)

description

Confira o que preparamos para o ms de agosto!

Transcript of Programação | Agosto 2014

  • 21

    aes para a cidadania12

    agenda30

    alimentao

    11 artes visuais

    cinema8

    circo19

    crianas14

    21 artes manuais

    Classificao indicativa:

    No recomendado para menores de 14 anos

    Livre para todos os pblicos

    No recomendado para menores de 16 anos

    No recomendado para menores de 12 anos

    No recomendado para menores de 10 anos

    No recomendado para menores de 18 anos

    Anfiteatro: 458 lugaresTeatro: 275 lugares

    No ser permitida a entrada aps o incio dos espetculos no Teatro As inscries so vlidas apenas at o incio das atividades. Aps este horrio, as vagas sero disponibilizadas para as listas de espera As atividades realizadas no Anfiteatro podem ser transferidas para outros espaos devido a alteraes climticas

    corpo e expresso27

    cultura digital10

    dana2

    idosos23

    esporte e atividade fsica26

    jovens18

    intergeraes25

    meio ambiente

    msica

    teatro7

    turismo24

    literatura19

    sade25

    22

    4

    Trabalhador do comrcio de bens, servios e turismo matriculado no Sesc e dependentesAposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficincia, estudante e servidorda escola pblica com comprovante e usurio inscrito no Sesc e dependentesInteira

  • jovensdana

    Foto

    : Foc

    a

    2

  • jovensdana

    SESC DANAA dana nos estimula a perceber as inmeras possibilidades de movimentos do corpo, convencionais ou nem tanto. Um convite compreenso e acesso para uma comunicao por meio da leitura de um discurso corporal exclusivo que pode despertar questionamentos. A quarta edio do Sesc Dana prope difundir a dana contempornea, sensibilizar olhares e atingir, alm do pblico especfico de dana, outras plateias, por meio de espetculos, intervenes, oficinas e conversas. Aps as apresentaes no teatro, acontece um bate-papo entre as companhias e o pblico.

    lbum das FigurinhasCom Balangandana Cia. (SP)O espetculo uma coleo de movimentos, brincadeiras e danas reunidas pela Cia nos ltimos anos. Nesse lbum, todos so figurinhas: bailarinos, artistas e espectadores. Com suas memrias, corpos e sensibilidade, que desencadeiam histrias, poesias e imagens e estimulam a inveno do movimento.Direo: Georgia Lengos | Durao: 60 minutosDia 24. Domingo, s 11hTeatro | nR$ 1,60 lR$ 4,00 uR$ 8,00

    Exodus Com Anticorpos Ncleo de Investigaes

    em Dana (MG)O espetculo de teatro-dana resultado de uma pesquisa colaborativa. O estmulo inicial do processo foram as diferentes percepes e apropriaes que cada membro do coletivo possua em relao aos xodos realizados pelo ser humano, seja em um nvel pessoal seja coletivo. Direo: den Peretta | Durao: 52 minutosDia 28. Quinta, s 20hTeatro | nR$ 1,60 lR$ 4,00 uR$ 8,00

    EIR De Marina Sarmiento (ARG)Solo que tenta trazer luz, como em um ritual, aquele que parece se perder, que est escondido ou esquecido. Uma viagem esttica onde o corpo matria em transformao constante que dialoga plasticamente com outras linguagens artsticas, transcendendo assim a linguagem da prpria dana. Direo: Marina Sarmiento | Durao: 50 minutosDia 29. Sexta, s 20hTeatro | nR$ 1,60 lR$ 4,00 uR$ 8,00

    Divinia Com J.Gar.Cia Dana Contempornea (SP)Divinia o nome dado pelos presidirios da Casa de Deteno de So Paulo ao ptio amplo, em forma de funil, onde fica a sala de revista corporal. Antes do acesso aos pavilhes, preciso levantar os braos diante dos revistadores. A partir dessa descrio a Cia procura mostrar no palco a convivncia entre os encarcerados, por meio da fuso de tcnicas de dana contempornea, artes marciais e as vrias culturas existentes no universo prisional. Direo: Jorge Garcia | Durao: 50 minutos Dia 31. Domingo, s 19hTeatro | nR$ 1,60 lR$ 4,00 uR$ 8,00

    Ressonncias Com Quick Cia. de Danas (MG)Espetculo de dana-teatro que dialoga com o processo de improvisao para sua criao, construdo junto com a plateia que compe a cena, envolvendo dana, msica, espao, arquitetura e pblico em uma formao nica, o que resulta em um espetculo indito a cada apresentao. Direo e concepo: Letcia Carneiro | Durao: 40 minutosDias 30 e 31. Sbado e domingo, s 16hDiversos espaos | Grtis 3

  • msica

    Vdeo-dana100 lugares para danar Com Coletivo Os quintosUma cartografia danada das cidades de Santos, So Paulo e Rio de Janeiro, composta de 200 minivdeos-danas que podem ser escolhidos pelo espectador para serem apreciados individualmente. Os vdeos tambm esto disponveis no site: 100lugaresparadancar.orgDe 5 a 31. De tera a sexta, das 10h s 21h30. Sbados, domingos e feriados, das 11h s 18h30Espao de Exposies | Grtis

    jovensdana

    OficinaBut Com den Peretta, professor do Departamento de Artes

    Cnicas da Universidade Federal de Ouro Preto - UFOPVivncia sobre a dana japonesa But e as influncias ocidentais e orientais presentes em sua potica. Contato com diferentes possibilidades de construo do corpo cnico na dana But, baseadas na vida e obra de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ohno.Dia 29. Sexta, s 16hSala de Oficinas | Grtis, inscries antecipadas na Central de Atendimento 30 vagas

    VivnciaPermeabilidades estratgicas para uma dana criativaCom Letcia Carneiro e Rodrigo QuikVivncia com a improvisao como um meio de aproximao do bailarino com o seu sensrio e sua percepo, potencializando sua sensibilidade atravs da explorao deste corpo.Dia 30. Sbado, s 17hConvivncia | Grtis

    4

  • msica

    Flavio Tris Cantor, violonista e compositor, Flvio Tris apresenta msicas de seu primeiro disco, produzido por Al Siqueira e lanado em 2013. As msicas resgatam o universo da cano popular dos Anos de Chumbo, aliado ao transe monocrdio da msica indiana, o pulso etreo do fusion e os timbres da psicodelia sessentista. Em seu altar convivem Gilberto Gil e Miles Davis, Claude Debussy e Ravi Shankar, Beatles e Astor Piazzolla, Baden Powell e Bob Dylan.Dia 23. Sbado, s 20hConvivncia | Grtis

    EmPulsoApostas musicais da equipe do Sesc Sorocaba. Trabalhos de vanguarda que apontam uma luz no cenrio atual e merecem ser compartilhados.

    Foto

    : Jos

    de H

    oland

    a

    MSICA NA CONVIVNCIAConvivncia | Grtis

    Sociais do Forr Na estrada desde 1989, o grupo formado por nordestinos de diferentes estados que se renem para tocar o forr em sua vertente mais tradicional. Nesta apresentao, clssicos do gnero se misturam a msicas de autoria do grupo.Dia 1. Sexta, s 20h

    Rainer Miranda Violeiro natural de Votorantim, comeou a se desenvolver como instrumentista aos 10 anos. J tocou com violeiros amigos como Jlio Santin, Levi Ramiro, Milton Arajo, Ricardo Anastcio, Arnaldo Freitas, Zeca Collares e Chico Moreira. Com muita energia e velocidade no palhetado, Rainer nos remete a um passeio pela Bacia Del Plata. Chamams, polcas, rasqueados, ponteados ao estilo Helena Meirelles e outros ritmos compem o repertrio deste show.Dia 3. Domingo, s 13h

    Mesa de Bar O melhor do samba e do partido alto interpretado com paixo, personalidade e ritmo. Em seu repertrio, grandes sucessos do samba, de nomes como Noel Rosa, Cartola, Adoniran Barbosa, Nelson Cavaquinho, Chico Buarque entre outros grandes sambistas imortais.Dia 10. Domingo, s 13h

    Rudo Fino Participao especial Nanny SoulO grupo faz o lanamento do seu primeiro disco convidando a cantora Nanny Soul, integrante da banda Altas Horas, para interpretar canes da banda e resgatar clssicos do soul. O show apresenta canes que se destacam pela valorizao do groove e pelas letras poticas que extravasam as fronteiras do funk. O trabalho do grupo marcado por passagens pelo soul, pop e MPB, com forte influncia da obra de Stevie Wonder, Ed Motta e Jamiroquai.Dia 22. Sexta, s 20h

    Choro de Bolso Formado por Marcos Canduta (violo) e Dbora Gozzoli (flauta), o duo executa obras de grandes compositores brasileiros. Nomes como Jacob do Bandolim, Pixinguinha e Tom Jobim so frequentes nas apresentaes, entre canes autorais e outros ritmos, como tango, bossa nova, jazz e baio.Dia 24. Domingo, s 13h

    5

  • msica

    Samba de Cacete da Vacaria (PA) O grupo paraense formado por pessoas que mantm relaes familiares e de vizinhana e que participam regularmente de atividades sociais onde se pratica o samba de cacete. Uma delas o convidado, um movimento de solidariedade e unio de foras, quando uma pessoa da comunidade vai preparar o terreno para o plantio e todos se juntam para ajudar. Da limpeza do terreno ao plantio, o samba de cacete tocado no intuito de animar o grupo.Dia 5. Tera, s 20h

    Razes do Samba de Toco (BA)Representando a tradio do samba de roda da Bahia, o grupo foi organizado h sete anos, liderado pelo Mestre Satu. Apresenta-se em eventos, geralmente de carter profano, e em algumas festividades religiosas, principalmente as ligadas a So Cosme e So Damio. O grupo formado principalmente por camponeses que vivem na regio da antiga fazenda de Tocos, municpio de Antnio Cardoso, no interior da Bahia, tendo como principal atividade econmica a produo agrcola.Dia 6. Quarta, s 20h

    Alab Oni (RS) O grupo gacho formado por quatro msicos pesquisadores que se dedicam recuperao da histria do tambor de sopapo o Grande Tambor, e traz ao palco repertrio de maambiques, quicumbis, alujs e candombes, manifestaes da cultura negra gacha ligadas tradio religiosa. Os msicos representam um movimento de pesquisadores que vem buscando a valorizao e revitalizao das manifestaes musicais oriundas da matriz africana no estado.Dia 7. Quinta, s 20h

    Razes do Bolo (AP) Msica e dana tpicas do Amap, o marabaixo muito valorizado pela populao do estado e reconhecido em sua identidade local. Est associado a festividades da igreja catlica em louvor a diversos santos e remete a tradies seculares que tiveram origem nos quilombos da regio. O grupo vive no quilombo do Curia, rea rural de Macap, onde mantm a tradio de cantar os ladres (cnticos) que