Revista do Clube Monte Líbano Nov/Dez 2013

download

of 32

  • date post

    24-Oct-2015
  • Category

    Documents
  • view

    1.058
  • download

    11

Embed Size (px)

description

Revista do Clube Monte Lbano Nov/Dez 2013

transcript

<ul><li><p>2 CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>3CLUBE MONTE LBANO</p><p>Ol a todos.</p><p>Durante os ltimos quatro anos, estive a frente da direo do Clube Monte Lbano, buscando mais uma vez, honrar a confiana que recebi do Conselho Deliberativo e da Assembleia Geral. Uma confiana cuja minha contrapartida seria como foi no medir esforos para manter um nvel de gesto eficiente e focada na manuten-o do equilbrio das contas e na oferta de ser-vios e benefcios cada vez maiores e melhores para o associado e seus familiares.Minha experincia profissional em economia muito me ajudou a compreender a vida finan-ceira do Clube para tomar as melhores deci-ses. Naturalmente, nesses quatro anos, contei com a colaborao de uma diretoria dedicada e um Conselho Fiscal responsvel e atento am-bos identificados com os melhores propsitos que o Clube Monte Lbano merece.Aproximando-se do fim dessa gesto, me sinto na obrigao de em breves palavras, pontuar alguns dos importantes progressos que pude-mos levar ao Clube e que permitiram que a presena do associado s instalaes do Clube aumentasse em frequncia e intensidade.Realizamos importantes reformas, especial-mente nas reas de entretenimento e lazer esportivo um dos principais atrativos de qualquer clube. Assim, realizamos a drenagem e a colocao de grama sinttica no campo de futebol, a reforma do piso do Ginsio, a instalao de pista de skate, a reforma do va-rando, dos banheiros varando e da boite 701 e a pintura do paredo playground. Fizemos obras no Departamento de Tnis e adquirimos novos brinquedos para o playground. </p><p>Discurso do Presidente</p><p>No que se refere segurana que devemos oferecer ao associado, alm de adquirimos um novo elevador social, ampliamos o moni-toramento digitalizado, cobrindo toda rea do Clube com 56 cmaras e trocamos as tu-bulaes de gs corrodas pelo tempo. Alm disso, substitumos todos os aparelhos de ar condicionado por modelos modernos, econ-micos e silenciosos (splits), contribuindo para o aumento do conforto oferecido pelo clube aos associados.Na questo de acessibilidade, preparamos vagas no estacionamento para deficientes f-sicos, com rampas e corrimos, e banheiros para pessoas portadoras de necessidades es-peciais.Diversas outras aes foram realizadas e esta-mos estudando uma forma de formalizar essa prestao de contas para que o associado sai-ba o que feito com os recursos que advm da sua mensalidade e do aluguel do salo nobre para eventos de fora.Termino meu mandato muito satisfeito e feliz, porque pude dar uma contribuio concreta a esse clube um clube que fez e faz parte da histria de muitos de ns, moradores dessa cidade maravilhosa.Por fim, no poderia deixar de aproveitar esse final de ano final de ciclo - para desejar a todos os associados e seus familiares, um Na-tal com muito amor, paz e presentes, e um Ano de 2014 repleto de conquistas pessoais e profissionais.Que Deus esteja conosco em nosso dia a dia.</p><p>Joo Randolfo Arbex</p></li><li><p>4 CLUBE MONTE LBANO</p><p>Binio 2012/2013</p><p>Conselho Deliberativo (2011/2013)Presidente: Gilberto Adib CouriVice-presidente: Eduardo Nagib Gaui1 Secretrio: Omar Koury Jr.2 Secretrio: Bruno Felcio AsmarSecretrio Suplente: Rubens Baracat DipConsultor Jurdico: Hlio de Moraes Sarmento</p><p>Conselho DiretorPresidente: Joo Randolfo ArbexVice-presidente Financeiro: Srgio Chucri MerhyVice-presidente Administrativo: Paulo Csar de Azevedo RittoVice presidente Social, Cultural e Comunicaes : Hilton Abi-RihanVice-presidente de Patrimnio: Frederico Landim MachadoVice-presidente de Sede, Compras e Manuteno: Roberto GauiVice-presidente de Esportes: Paulo Roberto G. da CunhaVice-presidente Executivo da Presidncia: Guilherme Neder TanusVice-presidente Executivo da Presidncia: Joo Pedro Costa LeiteVice-presidente Executivo Cultural: Jos Roberto Pires dos SantosVice-presidente Executivo de Cultura Libanesa e rabe: Antonio Hamid HamdarAssessora da presidncia: Arlinda Elias Couri Frana dos AnjosTesoureiro Geral: Raphael Luiz P. SiqueiraSecretrio Geral: Paulo Edde FilhoDiretor Jurdico: Marco Antonio CouriDiretora de Sede: Maria de Paula P. PeixotoProcurador: Michel Eduardo Chaachaa</p><p>Conselho ConsultivoPresidente: Edward Caram AssemanyVice-presidente: Munir MuradSecretrio: Amrico Jos OakimMembros: Gilberto Adib Couri, Joo Randolfo Arbex, Jos Elias Jacob Aloan, Paulo Cezar Assed, Ramez Saade, Roberto Salomo Couri e Salomo Saadi.</p><p>Conselho FiscalPresidente: Paulo Cezar AssedMembros: Adib Jamil Amin, Luiz Carlos Sabbak Tom, Osmar Fernandes Terra e Roberto Jorge e Guilherme Adib Couri.</p><p>Beirute. Vista area</p><p>Clube Monte LbanoAv. Borges de Medeiros, 701 - LeblonCEP 22430-041 - Rio de Janeiro - RJTel. (21) 2512-8833www.clubemontelibano.com.br</p><p>CLUBE MONTE LBANOFundado em 12 de setembro de 1946</p><p>Declarado de Utilidade Pblica pela Lei Estadual no. 1.952 de 1971Benemrito do Estado por Resoluo do Poder Legislativo. </p><p>Lei no. 2.297 de 1974Tombado por sua imagem cultural e fachadas arquitetnicas ins-</p><p>critas no Compndio Internacional de Arquitetura.Lei no. 3796 de 7 de julho de 2004.</p><p>Rua da Lapa, 120 / 601 - CentroTel.: (21) 3923-5155</p><p>e-mail: widebrasil@widebrasil.comwww.widebrasil.com</p><p>A revista Clube Monte Lbano uma publicao oficial do Clube Monte Lbano do Rio de Janeiro e produzida pela WideBrasil Comunicao Integrada.As opinies emitidas nas entrevistas concedidas e os textos assinados so de respon-sabilidade de seus autores, no refletindo, necessariamente, a posio dos editores nem do Clube Monte Lbano do Rio de Janeiro.</p><p>Novembro / Dezembro de 2013 - Tiragem: 1.500 exemplares</p><p>Editor e Jornalista ResponsvelRicardo Da Fonseca, MTb RJ23267JR</p><p>Conselho EditorialConselho Diretor do Clube Monte Lbano</p><p>Jornalismo e RedaoRicardo Da Fonseca</p><p>Felipe Lucena</p><p>DesignR. Gatto</p><p>FotografiaHumberto Souza</p><p>PublicidadeWideBrasil Comunicao Integrada</p><p>(21) 2242-5291(21) 3923-5155</p><p>Produo</p></li><li><p>5CLUBE MONTE LBANO</p><p>MISSO QUASE CUMPRIDAForam quatro anos convivendo com amigos.</p><p>Tentamos na vice-presidncia social fazer o melhor e em </p><p>alguns eventos, alcanamos o xito total. </p><p>No podemos deixar de registrar espetculos com presen-</p><p>as de cones da msica - cada ms, uma atrao.</p><p>Eis aqui, alguns momentos de emoo no salo do Clube </p><p>Monte Lbano: Nilze Carvalho e o Grupo Sururu na Roda, </p><p>Os Carioca, Pery Ribeiro, Luciano Bruno. Terra Molha-</p><p>da, Banda Sigilo, Serenata Moderna, Zeca do Trombone, </p><p>Marcos Moran, a cantora revelao Nina Virtti, alm das </p><p>bandas Eletra, Truck, Good Times, Tribo de Gonzaga e ou-</p><p>tros.</p><p>Alm dos eventos j citados, os scios e seus convidados </p><p>comemoraram os quatro grandes bailes de aniversrio </p><p>abrilhantados com inesquecveis orquestras como Fred </p><p>Rovella e Banda Matrix (2010), Banda Varda (2011 e 2013) </p><p>e Banda Rio Babilnia (2012). Destacamos ainda as deco-</p><p>raes de extremo bom gosto que tornaram ainda mais </p><p>nobre o Salo, sem esquecer do atendimento impecvel </p><p>do Buffet Brilhante.</p><p>Cometeria um grande erro em omitir a liderana do meu </p><p>amigo pessoal e presidente do Monte Lbano Joo Arbex, </p><p>presente em todos os momentos. Para os prximos anos, </p><p>est chegando um novo gestor, tambm grande amigo a </p><p>quem desejo muito sucesso: Edward Assemany.</p><p>No mais, obrigado a todos,</p><p>Hilton Abi-Rihan</p></li><li><p>6 CLUBE MONTE LBANO</p><p>Personagem da cidadeSamir Abujamra</p><p>O engenheiro e empresrio Samir Abujamra, de 76 anos, ergueu uma bela histria de vida. Se hoje pode gozar da tranquilidade de ter seu prprio negcio em uma rea prspera (construo civil), no passado, bem antes de entrar para a faculdade de engenharia, ele construiu uma verdadeira ponte na histria do esporte no Brasil. O associado do Clube Monte Lbano foi o primeiro no descendente de japoneses a praticar beisebol em terras tupiniquins, em 1949. No esporte, o jovem que nasceu em Ourinhos - divisa entre So Paulo e Paran e foi morar em Bandeirantes, no Paran, e acumulou histrias e conquistas. Defendendo a Seleo Brasileira ergueu o ttulo de bicampeo sul-americano e disputou duas edies dos Jogos Pan-americanos, Chicago, em 1959 e So Paulo, 1963. Alm de ter sido pentacampeo brasileiro, pelo time do Paran. A revista do Clube Monte Lbano, atendendo uma natural necessidade de apresentar sociedade carioca e fluminense associados que deram e ainda do importantes contribuies ao pas, conversou com Samir em sua residncia, em Ipanema, que relembrou aqueles tempos. </p><p>Como voc comeou sua carreira no beisebol?Eu morava em Bandeirantes, uma cidade que tinha uns dez ou doze anos de fundao. Tudo era novo l na poca, e durante o ps-guerra existia uma imigrao muito grande de japoneses para aquela regio. Em relao aos esportes, a colnia japonesa - depois dos Estados Unidos e da Amrica Central - tem o beisebol como nosso futebol. Eu jogava com os meninos filhos de japoneses, meus vizinhos e amigos, em um campo que tinha perto da minha casa. Uma vez, fui assitir um campeonato infantil estava sendo realizado na regio e um dos times estava sem um jogador. Os dirigentes do campeonato, que sempre me viam jogando com os meninos da colnia japonesa, me chamaram para completar o time. Na primeira jogada eu dei um home-run, que atravessou o estdio. Os dirigentes viram, ento, que eu tinha um potencial para o esporte e a partir daquele dia fiquei no time para contribuir e desenvolver minhas habilidades. Com dezessete anos, j integrava o quadro de atletas da Seleo Paranaense e com dezoito, da Seleo Brasileira. Ganhamos dois campeonatos sul-americanos, em 1957 e 1959. Pela Seleo do Paran, fomos campees do Brasileiro de selees, algumas vezes. E participei do Pan, jogando duas vezes.</p><p>Na poca, voc foi reconhecimento por essas conquistas?Eram outros tempos... O reconhecimento era mais regional. Na poca no tinha TV, essas coisas todas que tm hoje em dia. Mas existiam uns japoneses e descendentes que etinham prestgio e poder na regio, e que davam alguma ajuda para o beisebol e os integrantes da equipe.</p><p>E como foi essa situao de ter sido pioneiro no esporte?Eu fui o primeiro no filho de japons a jogar beisebol no Brasil. Mas o que pode me dar orgulho, mais do que esse pioneirismo, foi ter sido um esportista honesto e dedicado, que deu uma sincera contribuio s equipes que participou. Os japoneses e descendentes so apaixonados por esse esporte assim como ns, brasileiros, somos pelo futebol. Eles tinham um orgulho de me ver jogar que era impressionante. </p><p>Como era a resposta de todos em relao a esse pioneirismo? Havia uma rdio japonesa e um jornal japons, que sempre vinham falar comigo, ouvir minha opinio e destacar essa minha inusitada situao. Houve uma vez que um torcedor chegou para mim e falou voc me fez chorar - eu havia pegado a ltima bola de um jogo. Eram bons tempos, ende havia muita festa, namorada japonesa (risos). Alguns amigos brincavam comigo e me chamavam de espio. O boxeador Eder Jofre era um dos que sempre brincava comigo e me chamava de estrangeiro.</p><p>Apesar do esporte, voc nunca largou os estudos, como foi a escolha pela engenharia e como conciliou as duas atividades? Desde o primrio, eu queria ser engenheiro. Terminei o primrio, continuei em Bandeirantes, e ingressei no ginsio. Terminei o ginsio e entrei no cientifico - a primeira turma do cientifico. No terceiro ano do cientifico, chegou a poca do vestibular e eu tive muita sorte porque tnhamos aula com os melhores professores de Curitiba, que eram muito prximos </p></li><li><p>7CLUBE MONTE LBANO</p><p>O jovem Samir o nico atleta sem origens orientais a com-por a seleo brasileira de beisebol, em Santiago (FEV1959).</p><p>de ns, sempre ajudavam, como se fossem professores particulares. Sempre conciliando, o estudo com o esporte - eu estudava noite. Passei direto no vestibular, eu fui fazer engenharia. Meus amigos falavam que eu estudava para jogar. que eu no podia pegar segunda poca (recuperao), porque os jogos e as competies eram nas frias. E apesar de minha dedicao aos estudos, contava, algumas vezes, com o apoio da Federao de Beisebol, que emitia um documento justificando minhas eventuais faltas. Isso ajudava muito, para que no corresse o risco de ser reprovado por faltas. Alm disso, amigos ajudavam bastante: passavam as matrias, emprestavam cadernos. Era bastante cansativo, j que dormia umas quatro horas por dia. Mas eu sempre consegui levar o esporte e os estudos numa boa. Eu fui morar em Curitiba nessa poca, como tinha muitos amigos l por causa do beisebol, fui da primeira turma da casa do estudante. </p><p>E depois como foi a vida como engenheiro?Eu me formei em engenharia e passei a trabalhar em estradas, mas continuei jogando beisebol at os 29 anos. Nesse trabalho, fui para a divisa com o Uruguai, Campina Grande, Manaus, na Transamaznica, e outras obras de pontes e estradas. Eu ficava de um lado para o outro e, ento, decidi que precisava parar um pouco. Em 1972 vim morar no Rio de Janeiro e em 1980, montei minha empresa de engenharia: a Bandeirantes.</p><p>E seus filhos, no seguiram no esporte?No, eles seguiram outras carreiras. O meu filho mais novo, o Rodrigo, engenheiro. Ele tem a empresa dele e meu scio na Bandeirantes. Os outros dois, Samir Filho e Marco Antnio, trabalham com produo audio visual - cinema e TV. </p><p>Como foi a sua atuao no beisebol aps parar de jogar?Remontei a Federao do Rio de Janeiro, que estava abandonada. O presidente da Confederao Brasileira de Beisebol me pediu uma ajuda, eu assumi o comando e remontei a federao carioca e hoje temos esse campo da Lagoa, de sofitbol, e o de Itagua que de beisebol. Hoje temos 18 times no Estado do Rio. E quatro na cidade. No quis ser presidente, mas ajudei bastante e me nomearam presidente de honra. E hoje existe at um projeto, muito bonito, de beisebol nas escolas que patrocino.</p></li><li><p>8 CLUBE MONTE LBANO</p><p>DIA NACIONAL DO LBANOAnualmente a comunidade de origem libanesa comemora o Dia Nacional do Lbano, celebrado no dia 21 de novembro. Este ano, as comemoraes ocorreram no salo do Clube Monte Lbano. O evento, que contou com a ilustre presena do Almirante Alfredo Karam, ministro da Marinha no governo Joo Figueiredo, protagonizou diversas homenagens, entre elas a entrega de diplomas e a apresentao de cantoras da banda da marinha. Viva o Lbano! Viva o Brasil!</p></li><li><p>9CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>10 CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>11CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>12 CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>13CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>14 CLUBE MONTE LBANO</p><p>BANDA SIGILO O clima foi de muita animao e descontrao, durante o show da Banda Sigilo no ltimo dia 27 de outubro no salo do Clube Monte Lbano. Ao som de clssicos da msica pop e do rock nacional e internacional, quem no aproveitou para cantar e danar, desfrutou da ocasio para encontrar amigos e colocar a conversa em dia.</p></li><li><p>15CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>16 CLUBE MONTE LBANO</p><p>ALMOO DE CONFRATERNIZAAODurante os anos que esteve frente da Comisso Permanente das Mulheres, Teresa Arbex no economizou esforos para unir e aproximar as associadas do Clube Monte Lbano. Contando sempre com o apoio e a dedicao de sua equipe de colaboradoras, os almoos foram sempre um sucesso. No dia 4 de dezembro, a equipe de Teresa realizou mais um almoo de confraterni-zao - repleto de associadas e convidados, boa comida e, claro, msica e diverso.</p></li><li><p>17CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>18 CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>19CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>20 CLUBE MONTE LBANO</p></li><li><p>21CLUBE MONTE LBANO</p><p>NHOQUE DA FORTUNANov...</p></li></ul>