Jornal PS Dedicados a Gaia

Click here to load reader

  • date post

    23-Feb-2016
  • Category

    Documents

  • view

    225
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Jornal da candidatura de Eduardo Vítor Rodrigues, do Partido Socialista, à Câmara Municipal de Gaia.

Transcript of Jornal PS Dedicados a Gaia

  • Candidato a Presidente da Cmara

    EDUARDOVTOR RODRIGUES

    Dedicados a Gaia

    Agosto 2013 1 Edio

    JORNAL DE CANDIDATURA

    Dedicados a Gaia

    Brbara CostaARCOZELO

    Drio SilvaOLIVEIRA DO DOURO

    Filipe LopesUF PEDROSO E SEIXEZELO

    Cipriano CastroAVINTES

    Carlos PintoSO FLIX DA MARINHA

    Armnio CostaCANELAS

    Csar RodriguesUF GRIJ E SERMONDE

    Paulo LopesUF SANTA MARINHA E SO

    PEDRO DA AFURADA

    Maria Jos GamboaCANIDELO

    Artur GandraUF GULPILHARES E VALADARES

    Joo MoraisUF SERZEDO E PEROSINHO

    Antnio Reis CunhaMADALENA

    Joo Paulo CorreiaUF MAFAMUDE E VILAR DO PARASO

    Serafim TeixeiraVILAR DE ANDORINHO

    [email protected]

    psgaia.blogspot.pt

    www.facebook.com/dedicadosagaia

    www.twitter.com/DedicadosaGaia

    EU VOU FAZER TUDO O QUE ESTIVER AO MEU ALCANCE PARA VOLTAR A DAR EM VILA NOVA DE GAIA UM NOVO NIMO E UMA NOVA ESPERANA S PESSOAS

    OS NOSSOS CANDIDATOS!

    Manuel AzevedoUF SANDIM, OLIVAL, LEVER E

    CRESTUMA

    Este suplemento parte integrante do AUDINCIA edio n 369

  • Dedicados a Gaia

    COMO PRESIDENTE SEREI UMA PESSOA NORMAL, EM PROXIMIDADE COM AS PESSOAS. ACREDITEM EM MIM!

    Eduardo Vtor Rodrigues, de 42 anos, podia ter sido candidato do PS nas autrquicas em 2009, mas declinou o desafio por no ter uma carreira profissional consolidada que lhe permitisse olhar para a poltica com o desprendimento que se exige. O professor de Sociologia da Faculdade de Letras do Porto nasceu no Hospital Santo Antnio, mas sempre viveu em Oliveira do Douro (Gaia), freguesia onde jogou pingue-pongue, deu os primeiros pontaps na bola e que acabou por liderar durante oito anos como presidente da Junta. Gosta de ler, de ir ao cinema e praia e faz coleo de prespios e de miniaturas de carros, embora o desporto de eleio seja o futebol.

    Quem Eduardo Vtor Rodrigues?

    uma pessoa tranquila, serena, de bem com a vida e com a garantia que no se envolver excessivamente na atividade poltica, descurando, dessa forma, a prpria vida profissional. No me considero um poltico de carreira mas uma pessoa que tem um trajeto profissional que ser professor na Faculdade de Letras no departamento de Sociologia e que vai tentar emprestar, neste contexto municipal, algumas das suas competncias. J o fiz no passado enquanto presidente de Junta de Freguesia de Oliveira do Douro durante oito anos numa experincia muito interessante em que tambm estive como volunt rio. Participei ainda em atividades cvicas tradicionais, quer no contexto associativo, quer no contexto da ao social, que aquilo que verdadeiramente me interessa e me move.

    Trabalharei com grande responsabilidade e tentarei repetir, melhorando, o que de

    positivo foi feito no passado

    H muito a mudar, mas seria hipocrisia pol-tica dizer que tudo o que est para trs est mal

    O que o leva a querer ser presidente de uma Cmara fortemente endividada? A questo financeira importante, mas no vale a pena carpir lgrimas. H que olhar para a Cmara, no como uma zona de empregabilidade de amigos e de multiplicao de estruturas financeiramente pesadas, mas numa lgica de misso e com rigor na gesto. Em muitos domnios, sinto-me herdeiro do Dr. Menezes e o herdeiro herda tudo: as coisas positivas, em que eu participei e deixei uma marca, e as coisas negativas. Trabalharei com grande responsabilidade e tentarei repetir, melhorando, o que de positivo foi feito no passado. Sou o nico candidato que nos ltimos trs anos, participou em grande parte dos processos de deciso do Municpio. Se eu no sou o continuador de grande parte destas politicas, quem vai ser? Quem vem de Viana, passando por Lisboa, fazendo um desvio por Bruxelas, e vem dar uma perninha a Gaia sem distinguir o nome das freguesias? Por ser herdeiro, no significa que farei igual. H muito a mudar, mas seria hipocrisia poltica dizer que tudo o que est para trs est mal.

    J disse mais de que uma vez que se considera o legtimo herdeiro de Lus Filipe Menezes. Porqu? Disse isso num contexto muito especfico. De facto, considerando que nestes ltimos trs anos grande parte da atividade do Dr. Menezes esteve ancorada em mim e

    nos Vereadores do Partido Socialista. Os Vereadores do PS no tiveram uma mera participao passiva nas reunies de cmara, pelo contrrio, tiveram um papel muito ativo na iseno do IMI, na retirada das taxas de resduos s IPSS, na iseno de pagamento de taxas nas piscinas municipais s associaes ligadas a deficientes, ou na atribuio de manuais escolares at ao 6 ano. Neste contexto, o que eu tenho dito

    que, sou um ativo participante da poltica municipal dos ltimos trs anos para o bem e para o mal. Porque depois tambm tenho a herana da dvida naturalmente e atendendo diviso interna geral que houve e que h, neste momento no PSD, de facto, sou a pessoa melhor colocada para continuar o legado do Dr. Menezes. Mesmo ele, neste contexto de diviso interna, penso que entende duas coisas. Em primeiro lugar, que a figura que tem para Gaia, que no era quem queria, algum que pouco tem que ver e pouco conhece da dinmica de Vila Nova de Gaia. Eleito deputado por Viana do Castelo, est em Lisboa e, ao que tudo indica, tem o objetivo de ir parar ao Parlamento Europeu. Depois, o Dr. Menezes no se pode esquecer

    que precisa de algum que fique em Gaia como seu herdeiro, porque ele deixou uma herana de 400 milhes de euros de dvidas para pagar, e at isso eu vou ter que assumir.

    Caso ganhe as eleies em outubro, que Gaia vai encontrar? Vou encontrar um concelho que tem um problema muito srio de endividamento. Um problema que tem vindo a ser camuflado pelo atual executivo da Cmara, porque evoca o facto de ter sido apresentado o relatrio de contas 2012 e ter havido um balano positivo de um milho de euros, como se isso fosse uma grande coisa. Em primeiro lugar, este balano positivo decorre do facto de o ano de 2012 ter sido o ano de menor atividade da cmara. Em segundo lugar, uma Cmara que tem 400 milhes de euros de dvida, a dar lucro de um milho de euros por ano, precisa de 400 anos para pagar a dvida. O municpio de Gaia est com este problema srio. Mas no isso que me move. No este o eixo da campanha do PS, no essa a crtica que ns fazemos e no isso que nos move em termos de projeto. Pior do que a dvida neste momento, o desemprego e a fragilidade de alguns grupos sociais. Estamos com uma taxa de desemprego de 22,5 por cento, cinco por cento acima da mdia nacional. E estamos a falar de um desemprego hper desqualificado. Quase 70 por cento dos desempregados em Gaia tem o 6 ano de escolaridade ou menos. O problema de Gaia, no s o desemprego. mais que isso.

    SOU O NICO CANDIDATO QUE NOS LTIMOS TRS ANOS PARTICIPOU EM GRANDE PARTE DOS PROCESSOS DE DECISO DO MUNICPIO, AFIRMA O CANDIDATO

    DISCURSO DIRETO

    um problema de qualificao e formao, que pode no ser resolvido quando passar a crise, porque os handicapes que explicam o desemprego vo muito para alm da crise. Se eu tivesse que fazer uma crtica ao executivo, seria exatamente o alheamento em relao a esta questo. Foram muito bons ao nvel infraestrutural, mas do ponto de vista daquilo que so as preocupaes com as realidades sociais, isso foi descurado de forma inadmissvel. Ainda por cima, quando temos em Gaia uma boa rede de escolas profissionais e de ensino superior, podiam e deviam ter sido mobilizadas. At porque o atual quadro comunitrio de apoio teve na formao uma enfse particular. Tem outro problema muito srio que o problema da fachada. Foram feitos progressos importantes sob o ponto de vista das acessibilidades, mas depois samos de um IC ou de uma VL e entramos numa rua esburacada e num sistema de trnsito catico. Se a isto associarmos aos transportes em Vila Nova de Gaia, temos razes para nos assustarmos. Se viermos de Lever ou de Crestuma ao centro de Gaia, a viagem custa 4 euros. Significa que cada desempregado de Lever que tenha que vir duas vezes por ms ao centro de emprego fazer a sua apresentao quinzenal, precisa de cerca de 10 euros. Isto consegue resolver-se se houver uma generalizao do andante em Gaia, semelhana do que j acontece noutros municpios. Esta cmara foi boa para fazer o ciclo do beto, mas neste momento os problemas so outros. Fiquei escandalizado quando ouvi o meu adversrio falar das prioridades que tem para o municpio e no topo da lista esto as trs pontes sobre o Douro. Numa altura destas, com a realidade que temos em Vila Nova de Gaia, ter nas pontes uma prioridade no mnimo anedtico. A no ser que ele esteja a pensar transformar as pontes em pedonais porque toda a gente sabe que cada vez h menos carros a travessar as pontes que j existem.

  • Agosto 2013 DEDICADOS A GAIA 3

    para os agregados domsticos e a iseno dos resduos slidos para escolas, bombeiros, coletividades e IPSS.

    Que projetos tem para Gaia? H um projeto que tenho orado para cinco milhes de euros por ano, para a reabilitao de todas as vias secundrias das freguesias. E esta verba ser paga parte pela Autarquia e parte pelas guas de Gaia porque a reboque da reabilitao das vias secundrias vamos substituir infraestruturas, uma vez que em muitos stios deste concelho se trs vizinhos abrirem ao mesmo tempo as torneiras, o de cima deixa de receber gua, porque as canalizaes esto subdimensionadas. A ponte pedonal um compromisso absoluto. O resto das pontes para esquecer. O custo da ponte pedonal tem cabimento no mbito dos financiamentos previstos no prximo quadro comunitrio de apoio. E o meu primeiro ano de mandato tem que ter jogos juvenis.

    Gaia tem o nvel de desemprego mais elevado do pas. O que pode uma autarquia fazer para mudar este cenrio? Em primeiro lugar, a cmara pode proteger o emprego. A primeira forma de proteger o desemprego proteger o emprego existente. Se algum abrir uma barbearia e se colocar na porta algo a dizer barbeiro vem a Gai