Questoes Comentadas Puc Mg

of 57/57
APRESENTAÇÃO Nos últimos exames vestibulares da PUC Minas, é inegável o esforço da banca da elaboração das provas em propor questões que permitam verificar os conhecimentos e habilidades dos candidatos, levando-os à interpretação, à análise e à seleção de fatos e informações, o que sem dúvida contribui sensivelmente para a seleção de candidatos mais próximos do perfil desejado pelos cursos de graduação da Instituição. Este caderno, em que se comentam questões de provas processo seletivo de 2003 da PUC Minas, é uma das ações levadas a efeito pela Comissão de Vestibular com o intuito de dar continuidade ao processo de reflexão sobre esse instrumento de mensuração usado pela Universidade bem como de contribuir para as discussões relativas ao direcionamento dado às práticas pedagógicas dos ensinos fundamental e médio. Foram selecionadas cinco questões de cada disciplina, fazendo-se também o comentário da prova de produção de texto.
  • date post

    10-Aug-2015
  • Category

    Documents

  • view

    228
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Questoes Comentadas Puc Mg

APRESENTAO

Nos ltimos exames vestibulares da PUC Minas, inegvel o esforo da banca da elaborao das provas em propor questes que permitam verificar os conhecimentos e habilidades dos candidatos, levando-os interpretao, anlise e seleo de fatos e informaes, o que sem dvida contribui sensivelmente para a seleo de candidatos mais prximos do perfil desejado pelos cursos de graduao da Instituio. Este caderno, em que se comentam questes de provas processo seletivo de 2003 da PUC Minas, uma das aes levadas a efeito pela Comisso de Vestibular com o intuito de dar continuidade ao processo de reflexo sobre esse instrumento de mensurao usado pela Universidade bem como de contribuir para as discusses relativas ao direcionamento dado s prticas pedaggicas dos ensinos fundamental e mdio. Foram selecionadas cinco questes de cada disciplina, fazendo-se tambm o comentrio da prova de produo de texto.

2

LNGUA PORTUGUESA / PRODUO DE TEXTO

Em consonncia com as orientaes governamentais relativas ao ensino/ aprendizagem de Portugus na Educao Bsica, a comisso que elabora as provas de Lngua Portuguesa e de Produo de Texto do Vestibular da PUC Minas tem proposto questes atravs das quais seja possvel avaliar se o aluno construiu, ao longo de sua vida escolar, habilidades de leitura e de escrita que lhe possibilitem agir de forma autnoma no processo de aprendizagem pelo qual dever passar em sua formao inicial na Universidade e, posteriormente, em sua vida profissional. Nessa medida, as questes no tm como objetivo verificar conhecimentos especficos da gramtica da lngua, desvinculados de seu contexto de uso. Considerando esses princpios, as provas de Lngua Portuguesa e de Produo de Texto focalizam, por meio de suas questes, o funcionamento da lngua em diversos gneros textuais, manifestos em diferentes situaes de interlocuo. Espera-se, portanto, que o candidato, ao responder s questes, demonstre suas habilidades de leitura, atravs da anlise que faz dos textos apresentados na prova de Lngua Portuguesa e de produo de texto, por meio da identificao das estratgias lingsticas e textuais de produo de sentido privilegiadas pelo autor do texto a ser analisado bem como da adoo de procedimentos textual-discursivos adequados prova de Produo de Texto. Em outras palavras, o que se pretende que o candidato demonstre a capacidade de identificar, comparar, relacionar, classificar e/ou analisar informaes, fatos e fenmenos, explcitos ou inferveis, dos textos trabalhados na prova. Tomemos como exemplo dessa proposta cinco questes da prova de Lngua Portuguesa e a prova de Produo de Texto do 2 semestre de 2003.

3 As questes 01 e 02 do vestibular foram baseadas no texto a seguir, focalizando, particularmente, como tem sido praxe nas ltimas provas do vestibular de Lngua Portuguesa da PUC Minas, aspectos da relao entre funcionamento da lngua no texto, relao entre enunciadores e produo de sentidos.

PARA RESPONDER S QUESTES 01 E 02, LEIA COM ATENO O TEXTO APRESENTADO A SEGUIR, EXTRADO DE UMA PUBLICIDADE DIVULGADA EM REVISTA DE CIRCULAO NACIONAL.

Lycra marca registrada. Igualzinha quela que tem na ponta do seu dedo. Lycra marca nica, prpria. Na hora de comprar lingeries, biqunis, meias, blusas, calas, veja se tem esta etiqueta. Mais do que um certificado de qualidade, um certificado de personalidade. Ela indica que o fio no tecido resultado de anos de pesquisa e de constante aperfeioamento.

QUESTO 01 Assinale a alternativa que apresenta anlise INADEQUADA sobre o texto.a) b) c) d)

O vocbulo igualzinha elemento que tem a funo coesiva de retomar a expresso marca registrada. O vocbulo quela remete a um elemento que no foi explicitado no texto. A expresso na ponta de seu dedo tem, no texto, a funo de oferecer indicaes acerca do elemento ao qual se refere o vocbulo quela. O leitor deve atribuir expresso na ponta de seu dedo significado metafrico. OPO CORRETA: D

4

Comentrio: Enquanto a alternativa A da 1a questo trata da construo da trama textual do ponto de vista dos mecanismos de coeso textual igualzinha retoma marca registrada as alternativas B e C focalizam aspectos de construo de sentidos a partir do processo de inferenciao, atravs do qual, na leitura e compreenso do texto, relaciona-se o vocbulo quela a elemento que, embora no seja explicitado na superfcie textual, subentendido pelo que se diz quela remete impresso digital e ao adjunto adverbial na ponta do seu dedo. A alternativa D, resposta da questo por ser inadequada em termos de anlise do texto, prev que o candidato, alm de identificar o sentido previsto pelo autor do texto para a expresso na ponta de seu dedo, saiba diferenciar significado literal de sentido metafrico.

QUESTO 02 Assinale a alternativa que apresenta anlise INADEQUADA sobre o texto ou um de seus elementos. a) O enunciado Lycra marca nica, prpria parfrase do enunciado que abre o texto: Lycra marca registrada. b) Considerando-se o modo como as expresses certificado de qualidade e certificado de personalidade so encadeadas no texto, pode-se dizer que a expresso certificado de personalidade apresentada como argumento mais forte que certificado de qualidade. c) O pronome ela um elemento de coeso que retoma a expresso marca nica. d) O vocbulo lingerie exemplo de estrangeirismo que, em funo do uso corrente, passa despercebido para muitos brasileiros, em situaes de oralidade. OPO CORRETA: C Comentrio: Na 2a questo, a alternativa A prev que o candidato conhea a noo de parfrase e saiba aplic-la ao texto lido e a alternativa B explora relaes argumentativas entre enunciados do texto. A alternativa D, que trata da origem estrangeira do vocbulo lingerie, focaliza conhecimento do candidato acerca da variao lingstica. Finalmente, a resposta para a questo, a

5 alternativa C, cobra o conhecimento do mecanismo coesivo de substituio pronominal ao qual se recorre no texto ao se utilizar o pronome pessoal ela.

As questes seguintes referem-se a duas piadas retiradas de uma agenda estudantil publicada em 2003 (POSSENTI, Srio. Agenda estudantil 2003/srio possenti. Campinas, sp: mercado de letras, 2003). Falante A: Conhece o Dr. Elias? Falante B: Conheo. Falante A: um mdico muito famoso. Falante B: mesmo. A fama dele vai daqui ao outro mundo...

QUESTO 03 Sobre o texto, assinale a alternativa INCORRETA. a) b) c) d) No se pode dizer que o falante B conhea o Dr. Elias. Na ltima interveno do falante B, est presente a ironia. Os falantes A e B do sentido diferente palavra famoso. Com a sua segunda interveno, o falante A introduz uma informao que supe ser compartilhada com o falante B. OPO CORRETA: A Comentrio: A alternativa correta para a questo 3 A, que traz informao inadequada sobre a piada. Evidentemente, os dois interlocutores possuem conhecimentos diferentes sobre o personagem Dr. Elias, ou seja, no comungam uma mesma representao sobre essa pessoa, o que no significa, porm, que se possa afirmar que o falante B no conhea o Dr. Elias. As demais alternativas abrigam consideraes adequadas a respeito da piada. Em C, afirma-se que os dois falantes atribuem sentido diferente palavra famoso, aspecto que se denuncia, sobretudo, na ltima interveno do falante B, no fecho da piada, eivada de ironia, aspecto abordado na alternativa B. J em D, alude-se ao fato de que o falante A, em sua segunda interveno, supe ser conhecida do interlocutor a fama do Dr. Elias, uma vez que foi afirmativa a resposta dada pelo falante B pergunta sobre o mdico.

6

ANNCIOS: Se sua sogra uma jia... temos o melhor estojo (Funerria Sousa); Vndo mquina d scrvr com falta d uma tcla; Doce aulas de hortografya.

QUESTO 04Assinale a alternativa INCORRETA. a) b) c) d) No primeiro anncio da piada, a informao entre parnteses determina o sentido dos vocbulos jia e estojo. No segundo anncio da piada, o problema de grafia, alm de no impedir a compreenso do enunciado, responsvel pela produo de humor. No terceiro anncio da piada, o humor se produz em razo de o enunciado demonstrar o desconhecimento do anunciante quanto s convenes de grafia e s regras de concordncia, tendo em vista o servio oferecido. O humor na piada produzido com base na associao que se deve fazer entre as informaes explcitas nos anncios e aquelas que podem ser inferidas pelo leitor.

OPO CORRETA: C Comentrio: Na questo 4, apresentam-se consideraes sobre a piada transcrita, as quais incidem sobre diferentes aspectos desse texto. A resposta correta para a questo a alternativa C, uma vez que o servio anunciado no terceiro anncio aulas de ortografia estaria comprometido e a estaria o humor apenas em razo de o anunciante demonstrar desconhecimento sobre as convenes da escrita, mas no sobre as regras de concordncias (veja-se que a construo na passiva sinttica traz o verbo do em concordncia com o sujeito da orao: aulas de hortografya). A alternativa A analisa com propriedade a atuao da informao contida entre parnteses no primeiro anncio (Funerria Sousa) para a construo do sentido dos vocbulos jia e estojo. No primeiro caso, deve-se compreender a carga de ironia constante em jia; quanto palavra estojo, deve ser lida como urna/caixo. Assim, o referente de jia e de estojo so construdos a partir da informao fornecida entre parnteses. Em B, temos a meno ao fato de que o problema de grafia flagrado no segundo anncio o da mquina datilogrfica o elemento responsvel pela produo do humor, no trazendo, porm, nenhum prejuzo compreenso do enunciado. O problema de grafia representa, de

7 forma icnica, a informao veiculada no anncio a falta de uma tecla na mquina , o que promove o humor. Na alternativa D, explora-se, com propriedade, um dos aspectos que cercam a atividade de compreenso da piada: a da articulao entre informaes verbalizadas e informaes inferidas. Nesse caso, opera-se com uma estratgia bastante recorrente no processamento do gnero textual piada. Nessas duas questes, verifica-se a capacidade do candidato de refletir sobre os diferentes grupos de conhecimento enciclopdicos, sociointeracionais, lingsticos mobilizados nas estratgias adotadas no processamento textual.

PROVA DE PRODUO DE TEXTO Muitas tm sido as bandeiras levantadas contra todo tipo de preconceito em nossa sociedade. Embora no se possa dizer que haja consenso sobre o que vem a ser realmente uma ao preconceituosa para diferentes grupos culturais, pode-se dizer que, na manifestao de uma ao, fala, gesto ou prtica preconceituosa, predominam pontos de vista diminuidores e negativos em relao a etnia, sexo, classe social, grupo profissional, raa, religio, padro lingstico, etc. O preconceito se mostra, enfim, como prtica mantenedora da excluso e da intolerncia. Considerada essa realidade, sua tarefa, nesta prova de produo de texto, redigir um artigo de opinio sobre o tema Preconceito e excluso, supostamente destinado a ser publicado no jornal da escola em que voc estuda. Nesse artigo, assumindo o ponto de vista de um estudante de ensino mdio preocupado com a mobilizao da comunidade escolar bem como da comunidade vizinha escola em torno da temtica (alunos, professores, funcionrios, pais, moradores e empresas do bairro), voc assume a tarefa de: a) mostrar as diferentes faces do preconceito e seus males diretos e indiretos; b) discutir as prticas preconceituosas comuns ao cotidiano desse grupo leitor, centrando-se na manifestao de preconceito que lhe parece mais forte nesse grupo; c) sensibilizar o leitor para a necessidade de se comprometer no combate s manifestaes de preconceito. Na construo de seu texto, recorra norma culta escrita, mais adequada situao proposta.

8

Comentrio: Como sempre ocorre nas propostas de produo escrita dos vestibulares da PUC Minas, a proposta transcrita procura verificar, no candidato, a capacidade de operar com diferentes sistemas de conhecimentos na atividade de escrita. Na proposta ora em exame, esperava-se que o candidato: a) assumisse, de forma consistente, o ponto de vista previsto na proposta: estudante do ensino mdio interessado em alterar posturas preconceituosas e excludentes da comunidade escolar e da comunidade vizinha escola; b) construsse adequadamente os interlocutores previstos para o texto, levando em conta a natureza do suporte jornal da escola e seus provveis leitores; c) atualizasse o gnero definido na proposta: artigo de opinio; d) desenvolvesse argumentao consistente com o quadro interlocutivo definido pela proposta, tendo em vista, obviamente, os objetivos do artigo; e) apresentasse argumentao consistente, de modo a dar conta dos propsitos estabelecidos para o funcionamento do texto, considerando-se o quadro interlocutivo, a temtica e o gnero textual previstos na proposta; f) usasse, de forma adequada, os mecanismos de coeso textual, tendo em vista a situao de recepo do texto; g) revelasse seus conhecimentos da escrita, recorrendo ao registro culto da lngua, adequado situao.

LITERATURA BRASILEIRA As provas de Literatura Brasileira da PUC Minas orientam-se pelo princpio de que a literatura deve ser estudada a partir da relao texto/intertexto/contexto, isto , concebe-se que o estudo de obras literrias deve ter como objeto principal o texto, o qual, por sua vez, mantm relaes com outros textos no tempo e no espao, sejam eles literrios ou no, bem como deve ser entendido como parte integrante do contexto histrico-cultural de uma dada poca. Vejamos, a seguir, a anlise de cinco questes.

9

AS QUESTES DE 01 A 02 ESTO RELACIONADAS OBRA URUPS, DE MONTEIRO LOBATO.

QUESTO 01 A ocorrncia de finais trgicos um dos traos singulares da obra Urups. Em todas as alternativas identificou-se corretamente o aspecto trgico do desfecho da respectiva histria, EXCETO: a) A vingana da Peroba O filho de Joo Nunes morre esmagado pelo monjolo construdo pelo prprio pai. b) O engraado arrependido Pontes enforca-se numa perna de ceroula, depois de ter causado a morte do major Bentes e ter perdido a oportunidade de obter um cargo no servio pblico. c) Buclica A menina Anica, deficiente fsica, morre de sede por negligncia e maldade de sua me, Nh Veva. d) Os faroleiros Gerebita e Cabrea, dois faroleiros inimigos, morrem quando desaba o farol no qual trabalhavam. OPO CORRETA: D Comentrio: A questo, abordando a obra Urups, de Monteiro Lobato, visa, atravs de um aspecto tpico desse conjunto de contos, que a ocorrncia de finais trgicos, avaliar a leitura em si dos mesmos no que diz respeito ao conhecimento, por parte do candidato, dos enredos e, sobretudo, dos desfechos das estrias, cujos ttulos so mencionados nas quatro opes. A alternativa em que o desfecho no foi corretamente identificado a de LETRA D, visto que, como se sabe, no conto Os faroleiros, o personagem Gerebita quem mata Cabrea, por cimes, e no h desabamento algum do farol, como foi afirmado.

QUESTO 02 Em todas as alternativas, indicou-se corretamente o recurso lingstico presente nos trechos de Urups, EXCETO: a) O primeiro ato do vencedor foi correr a vassoura do Olho da Rua em tudo quanto era olhoarrudvel em matria de funcionalismo pblico. uso de neologismo.

10 b) Imaginao envenenada pela literatura, pensei logo nas serpentes de Laocoonte, na vbora aquecida no seio do homem da fbula, nas filhas do rei Lear, em todas as figuras clssicas da ingratido. uso de intertextualidade. c) A famlia entreolhou-se; nunca imaginaram possuir em casa semelhante preciosidade, e cada um insensivelmente sorveu o seu golezinho, como se naquele instante travassem conhecimento com o precioso nctar. uso de regionalismos. d) Uma resoluo de tal vulto, porm, no se toma assim do p pra mo: era preciso meditar, calcular. E Nunes maginava... coloquialismo. OPO CORRETA: C Comentrio: Questo cujo objetivo verificar o conhecimento, por parte do candidato, de certos conceitos da teoria literria, como o de intertextualidade, bem como de certas caractersticas da linguagem dos contos de Urups, de Monteiro Lobato, aplicados a passagens extradas da obra. A opo correta de LETRA C, por no se verificar, no trecho em recorte, nenhuma ocorrncia de termos regionalistas. Na opo A, verifica-se a presena do neologismo olhoarrudvel; em B a referncia intertextual nas expresses serpentes de Laocoonte e rei Lear e, em D, o coloquialismo das expresses p pra mo e maginava.

QUESTO 03 Leia a ltima estrofe do poema Sweet Home, de Alguma Poesia: Mas surge o imenso ch com torradas, ch de minha burguesia contente. gozo de minha poltrona! doura de folhetim! bocejo de felicidade! Os versos tm, respectivamente, o seguinte nmero de slabas poticas: a) 10 10 9 7 9 b) 10 9 7 8 8 c) 8 8 9 8 10 d) 9 10 8 8 9

11 OPO CORRETA: D Comentrio: A questo trabalha com um dos momentos mais marcantes da escalada modernista: sua luta contra as exigncias formais parnasianas, ento consideradas excessivas, artificiais, anacrnicas. Se os tratados parnasianos de versificao foram chamados, por Mrio de Andrade e Menotti de Picchia, de leito de Procusto, no qual a poesia vinha sendo obrigada a torturar-se; se o Modernismo propunha, entre outras providncias, a abolio da mtrica (regular) como uma das atitudes libertadoras do poema, ento necessrio saber-se o que mtrica, conhecimento sem o qual no se pode estimar o vulto da demolio iconoclasta efetuada pelo Modernismo. Espera-se, portanto, que o aluno tenha informaes que lhe permitam o trnsito entre uma Escola e outra, mxime quando to claramente interligadas pela oposio de sentidos.

AS QUESTES DE 04 A 05 ESTO RELACIONADAS OBRA MEMRIAS SENTIMENTAIS DE JOO MIRAMAR, DE OSWALD DE ANDRADE.

QUESTO 04 Sobre Memrias Sentimentais de Joo Miramar, concebido por volta de 1914 e publicado em 1924, CORRETO afirmar que: a) sua linguagem no promove ruptura com os estilos anteriores ao Modernismo, j que sua publicao ocorreu aps a Semana de Arte Moderna. b) o livro pode situar-se na fase pr-modernista, j que foi escrito oito anos antes da Semana de Arte Moderna. c) sua estrutura obedece a padres que seriam combatidos pelos modernistas da segunda gerao. d) trata-se de uma narrativa em 1 pessoa e seu enredo concentra-se no mundo da burguesia paulista das primeiras dcadas do sculo XX. OPO CORRETA: D

12

Comentrio: Primeiramente, a questo estabelece relaes de aspectos variados do romance de Oswald de Andrade com o contexto em que se insere. Com isso, pretende-se que o aluno, ao reconhecer as especificidades do Modernismo como movimento amplo, aplique a proposta de ruptura do primeiro momento linguagem e construo do romance, e no que faa incurses meramente cronolgicas (opes a, b, e c). As datas de escrita e publicao do livro, inseridas no enunciado da questo, funcionam como mecanismos auxiliares do reconhecimento do contexto da poca em sua abrangncia, de modo a no promover a fixao do movimento unicamente na Semana de Arte Moderna. Alm disso, a alternativa correta, d, verifica a leitura da obra avaliando o conhecimento do candidato com relao a caractersticas da narrativa em questo.

QUESTO 05 Em Memrias Sentimentais de Joo Miramar, uma das formas de utilizao da pardia a apropriao de uma linguagem empolada, combatida pelos modernistas, que pode ser identificada nos trechos das alternativas abaixo, EXCETO em:a)

b)

c)

d)

Ele era o ntimo e falava-me da imortalidade da poesia e da mortalidade dos poetas inclusive ele mesmo. Tinha perdido no bicho e andava adoentado com abuses e terrores mas escutava-me de orelha compassiva achando que todos os homens e todas as mulheres tivessem aquele corpo branco de Rolah seria a Grcia. A plenitude cafeeira e pastoril de nosso Estado se distende nos assaltos ao hinterland que foge num ltimo galopar de ndios e feras! A cada investida vitoriosa, os novos bandeirantes so a reencarnao estupenda da luta, a magnfica, a eterna ressurreio simblica da Fora! Porque aqui, meus senhores e minhas senhoras, revelando uma cultura pouco vulgar, em juventudes desta idade, as scias e scios no cogitam to-somente dos adornos que eletrizam os do respectivo sexo oposto. No! Praticam os desportos! Seguindo a lio da Grcia, realizam o eterno anexim Mens sana in corpore sano. Estive em Lisboa alguns dias e visitei a clebre Torre de Belm, donde partiram as gloriosas caravelas de Cabral, singrando o Oceano. No pude deixar de concentrar-me e transportar o meu esprito queles tempos gloriosos. E senti a mais profunda gratido por esses intimoratos descobridores ().

13 OPO CORRETA A Comentrio: Ao tratar do reconhecimento da prtica parodstica em trechos de discursos, verifica-se tambm, nessa questo, a leitura do romance, no que concerne voz do narrador (alternativa a) e de diferentes personagens (alternativas b, c, d). O enunciado da questo lembra que o conceito de pardia aplica-se especificamente linguagem do romance pelo mecanismo da apropriao da grandiloqncia, forma pela qual os modernistas a combatiam, explicitamente, em suas obras, por meio de mecanismos intertextuais e metalingsticos. O objetivo levar o aluno a reconhecer esses mecanismos no discurso grandiloqente de personagens, apresentado nas alternativas b, c e d. A alternativa a, a opo correta, no comporta o discurso parodstico. Trata-se das impresses do narrador a respeito de um dos personagens.

LNGUA ESTRANGEIRA As provas de lngua estrangeira do vestibular da PUC Minas tm como objetivo geral avaliar a compreenso de textos em diversos nveis. Dessa maneira, o que se pretende saber se o candidato ao vestibular capaz de ler e entender o que dito no texto de uma forma global e de perceber a sua estrutura interna, ou seja, como ele est organizado. Alm desse objetivo geral, as provas tm objetivos especficos, que demandam do candidato habilidades de anlise, deduo, distino, seleo, sntese e reconhecimento de estruturas particulares da lngua. Passemos s questes a serem comentadas. INGLS TEXT 1 1 2 3 4 5 6 7 8 As soon as Brazilian President Luiz Incio (Lula) da Silva was sworn on Jan.1, the world worried that his leftist leadership would send Brazil down the path of neighboring Argentina. Foreign investors feared he would focus on pleasing his support base and fail to execute necessary reforms. Instead, Lula seems to be taking steps to defuse what some considered Latin Americas biggest time bomb. The Brazilian President has wowed financial markets by introducing a program of severe fiscal austerity. The largely impoverished voters who

14 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 elected Lula have been placated by the appointment of trade unionists (seven), women (four), blacks (two) and others of the dispossessed who have rarely graced Brazilian cabinets. All along, Lula has said that he would delay fighting poverty until he could restore Brazils teetering finances. His program should do just that. He has proposed no large new taxes. Brazil already collects 34 percent of all output in taxes, high by regional standards. For his voter base, Lula offered just one consolation food stamps for Brazils poorest under a plan called Zero Hunger, to provide each Brazilian three meals a day. And even that initiative is responsibly financed. Lula is canceling the purchase of new fighter aircraft for the military and proposes a politically courageous reduction in the lavish pension benefits paid to unionized, upper-middleclass workers in government and state-owned enterprises. Of course, Brazil still faces serious problems, and skepticism among foreign investors still exists. Even so, says John Williamson of the Institute of International Economics in Washington, I think the financial crisis is winding down. An old and nasty joke about Brazil is that it is a country with a great future and always will be. Under Lula if he can stick to his program the future may be starting now. (Newsweek, January 20, 2003, p. 4. Adapted.) QUESTO 01 The words as soon as (line 1) express a) b) c) d) time. reason. contrast. addition. OPO CORRETA: A Comentrio: Essa questo trabalha o conhecimento lexical, mas, pelo fato de estar ligada ao contexto, permite ao candidato inferir o significado da expresso as soon as atravs da associao com a data mencionada na mesma linha - Jan. 1 - o que o levar a estabelecer uma conexo com a idia de tempo.

15 QUESTO 02 The words that initiative (line 18) refer to Lulas a) b) c) d) efforts to reduce hunger. purchase of new airplanes. reducing pension benefits. increasing the number of taxes. OPO CORRETA: A Comentrio: Nessa questo, de referncia contextual, o candidato dever ter compreendido todo o pargrafo para fazer a ligao com o que precede imediatamente as palavras that initiative. Alm disso, o conhecimento prvio sobre a campanha presidencial de Lula e sua nfase no programa Fome-zero ser uma ferramenta a mais para a resoluo da questo.

QUESTO 03 The old and nasty joke about Brazil means that a) b) c) d) its great future will never come true. people must never believe in the future. future hopes should be based on the past. the present is always better than the future. OPO CORRETA: A Comentrio: Ainda que o candidato desconhea o significado da palavra nasty, poder resolver a questo com base no conhecimento lingstico do tempo futuro associado ao termo always, certamente conhecido: a piada consiste na idia de que o futuro do Brasil ser sempre futuro, nunca tornado presente.

16 TEXT 2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Greek playwright Aristophanes once wrote of a woman named Lysistrata who inspired her fellow Athenian women to push for peace against men eager for war by abstaining from having sex with them. The outcome: peace with Sparta. Now, nearly 2,500 years later, his work will be re-enacted on March 3 in more than 30 countries. More than 350 readings or performances of the play will be staged from Buenos Aires to Beirut, from Dunedin to Damascus all in the name of peace in Iraq. New York actors Kathryn Blume and Sharron Bower created the Lysistrata Project so that people could learn about the history of the peace movement. They decided to hold a New York reading of the play, followed by a discussion group on the subject of war, and suggested the idea to some friends. Within 24 hours the plan had spread, says Bower. We sent e-mails to our friends, who sent them to all their friends, who sent them to all their friends. Bower and Blume realize they may not change the world, but they are determined to make themselves heard. Lysistrata is a great example of how a powerless population got creative and was able to express their ideas and make a change, says Bower. Were actors. Were broke. We have no power. But we can do this. And while they dont expect women to actually give up sex, they agree that it would be nice if four women in particular would at least consider it. The First Lady and Saddams three wives, says Bower. (Newsweek, February 24, 2003, p.7. Adapted.) QUESTO 04 The word outcome (line 4) means a) b) c) d) target. result. cause. context.

OPO CORRETA: B

Comentrio: Nessa questo de vocabulrio, ainda que o candidato desconhea o sentido da palavra outcome, capaz de inferir a resposta correta - result, palavra cognata - no s pelos dois pontos logo aps a palavra, indicando que o que se segue seu significado, mas tambm, pela compreenso do sentido geral do texto, que concerne a montagem de uma pea grega para se obter um resultado, qual seja, impedir a guerra.

17

QUESTO 05 According to Blume and Bower, four women in particular should consider a) b) c) d) giving up sex. enacting the play. expressing their ideas. protesting against power. OPO CORRETA: A Comentrio: O que se pretende, nesta questo, uma avaliao da capacidade de sntese do candidato, pois a resposta correta depende da compreenso global do texto, principalmente do tom de ironia do ltimo pargrafo. Alm disso, pressupe conhecimento prvio sobre os ltimos acontecimentos no Iraque, alm da aluso existncia da poligamia no mundo rabe, implcita nas palavras Saddam's three wives.

ESPANHOL TEXTO 1 EL MVIL 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Tengo un mvil que invita a reflexin y del que mis hijos se ren, porque mis hijos -que han cambiado de chip recientemente-, ya no se avergenzan de sus padres ni de sus viejos instrumentos. Solamente se ren, con lo que acaso nos tildan de reliquias. Al mvil y a m. Es del tipo se al que muchos llaman ladrillo, no s bien por qu, pues an no lo he visto colocado en obra alguna, buena o mala. Tampoco lo he usado jams como arma de defensa personal, que esa es otra de las cualidades que se le atribuyen, yo creo que exageradamente. En serio. Yo no he hecho nada para que el pobre sea objeto de burlas. Es ms, yo era totalmente inocente de sus pecados de vejez y de grandeza. Yo estaba tranquilamente en mi casa, que es donde deben estar todos los hombres casados y de bien, atendiendo con diligencia sus quehaceres y sus telfonos Diga? Era una voz telefnica: amable, asptica, indocumentadamente hermosa... Pues bien, la voz vino a decirme que yo era un cliente VIP, cosa que me sonaba fatal hasta que supe que tambin pueden serlo los perros, y

18 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 que Telefnica haba iniciado una campaa. No saba que hubiera elecciones a la vista. No, no las hay, Seor, se trata de una atencin al cliente, un Erickson T - 28, ciento veinte mil pesetas en el mercado De valores? Y qu me pide a cambio? Nada, Telefnica le premia la fidelidad. Ah, vamos, ya deca yo que, el hombre que se precie, la pata quebrada y en casa, esperando las llamadas de Godot y de Telefnica. De qu color lo quiere, Seor? Rojo, para llamar a Mosc... Pas el tiempo, me vi forzado a llamar a Telefnica. Les solt el rollo, manollo. De dnde le llamaron, dice? De Telefnica. Ya, pero mire, Telefnica tiene...Y cmo se llamaba la chica? La chica? Pues espere un segundo, por favor... S, mire, su telfono ha sido devuelto. Cmo que ha sido devuelto? S, por Seur, parece que no han encontrado su casa. Que no han... ? Oiga, soy cliente VIP, recuerda?... S, mujer, todo empez por la fidelidad... y, dgame no le facilitaron a Seur alguno de mis varios telfonos, por si las moscas? Son todos de ustedes. No lo s, Seor, pero espere un minuto... Oiga? S, s, diga. Que no se preocupe usted, que se lo volvemos a enviar. Por Seur? Y les di la direccin de mis suegros, pobrecillos, que a partir de entonces apenas se atrevan a salir de su casa, una casa cntrica, como debe ser una casa para que la encuentre Seur. Y de qu color lo quiere, dice? Rojo, como la Plaza de Mosc, como el carmn de las rosas y de los besos... Pas otra vez el tiempo, me vi otra vez forzado a llamar a Telefnica... les solt otra vez el rollo, manollo. Perdone, Seor, Telefnica no ha podido enviarle su telfono porque no dispone del color que usted ha elegido... Pobre chica, pobre voz la suya, siempre diferente, siempre igual, siempre amable y cndida. Y pobre Tercer Mundo, con el que me vi obligado a insultar a Telefnica, por el mtodo de comparacin. De ello me arrepiento seriamente. Y aun as soy fiel, no en vano he cumplido ya las Bodas de Silver. Y VIP, supongo. Y soporto estoicamente las bromas que recaen sobre este mvil mo, line 608, que un da va a caerse de viejo. Y es que el ser humano, a veces, soporta chuzos de punta con tal de no mover una paja. Ya no espero nada, ahora miro el mvil y comparto con mis hijos una risa cmplice y amorosamente desentendida. (Mariano Estrada, 04.02.2001.)

CUESTIN 01 (...) y, dgame no le facilitaron a Seur alguno de mis varios telfonos, por si las moscas? La expresin destacada (lnea 31) significa: a) b) c) d) a las perdidas. para que se enteren. por si acaso. como de costumbre.

19 OPO CORRETA: C Comentrio: Trata-se de uma questo que envolve um mnimo de conhecimento de expresses lingsticas. A frase escolhida freqentemente utilizada em textos jornalsticos e programas juvenis. A resposta supe, igualmente, conhecimento lingstico e contextualizao de significados. As opes, a) a las perdidas, b) para que se enteren, d) como de costumbre, indicam afirmaes, enquanto que a questo tem o sentido de probabilidade.

CUESTIN 02 Y aun as soy fiel, no en vano he cumplido ya las Bodas de Silver... En el prrafo, el trmino destacado (lnea 46) puede sustituirse por: a) b) c) d) entonces. aunque. mismo. hasta.

OPO CORRETA: D

Comentrio: Trata-se de questo gramatical. No texto, AUN um advrbio de tempo que significa HASTA (alm de INCLUSIVE e SIQUIERA). Esse advrbio tem a particularidade de existir com acento, AN, e, nesse caso, seu significado TODAVA (ainda, em portugus). Tenta-se, portanto, testar o domnio da estrutura gramatical por parte do candidato, com duas questes envolvendo o sentido de HASTA em espanhol como marcador temporal. Entre as opes indicadas, a correta a d.

CUESTIN 03 Sobre la posibilidad de recibir un nuevo aparato, el autor: a) b) c) d) sigue esperando que le llegue. se cae de viejo. abandon la espera. soporta las bromas.

20 OPO CORRETA: C Comentrio: Trata-se de uma questo referente a compreenso de texto. As alternativas contidas nas opes: b) se cae de viejo, c) abandon la espera, d) soporta bromas, so afirmaes presentes no texto. A nica contextualizada na questo a opo c). A opo a) sigue esperando que le llegue contradiz a resposta certa. Testa-se nesta questo a compreenso de leitura.

TEXTO 2 EL CARTEL 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Un cowboy domando el caballo del Guernika. Dos ejecutivos estrangulando a un obrero en su abrazo. Una gaviota bombardeando a la paloma de la paz y un puo asfixindola. Un inmigrante atrapado en el cepo de las estrellas de la UE. Una tele-crcel. Un escritorio-guillotina. Un cristo empuando un arma. El maltrecho pen negro de un ajedrez.Un globo terrqueo con la mitad inferior parcheada. Es slo una muestra de las casi 100 imgenes desplegadas por El Cartel en sus 23 ediciones de existencia. Pero qu es eso de el cartel? Segn sus actuales creadores, Olaf, Mutis, Jaques le Biscuit y Eneko, El Cartel es "un peridico mural de opinin". Aproximadamente cada dos meses, estos ilustradores de prensa tan conocida como El Mundo, Generacin Siglo XXI, 20 Minutos, El Siglo y colaboradores de fanzines como Mundo Bruto, El Cretino o Qu Suerte, se renen en torno a una botella de ron de la Martinica, por ejemplo, y deciden un tema. Dividen el papel en cuatro partes, cada uno expresa su idea y cada uno aporta un icono para la cabecera. Hasta ahora, El Cartel se ha impreso en una sola tinta y cada diez nmeros, en dos. Cada edicin se reproduce unas 500 veces, viene a costar unos 500 euros, y la nica condicin es la libre expresin en la calle. Y libertad de expresin es lo que ejercen estos treintaeros de Chamber, de Gran Bretaa, de Venezuela y de Blgica. A sus plumas no se les escapan asuntos como la guerra (Nmero ceguerra); la situacin mundial tras el 11-S (Nmero cruzado), el maltrato a los inmigrantes (Nmero por el moro), la desigualdad norte-sur (Nmero mal distribuido), el ftbol (Nmero de inters general), la violencia de gnero (Nmero mal pegado), la situacin de los medios de comunicacin (Nmero comunicoaccin), la vivienda impagable (Nmero 13 rue del Percebe), los accidentes laborales (Nmero accidentado), la contaminacin del planeta (Nmero destruido), o el sistema neoliberal imperante, lo que ellos llaman

21 31 32 33 34 35 36 37 38 "el gran nmero mundial". El Cartel tiene cuatro aos de vida y un largo trecho recorrido: ha participado en El Gran Juego Social de Turn, es protagonista de un pequeo libro editado por Pocko y que ver la luz muy pronto, ha sido expuesto en la reciente Casa Encendida de Madrid y tiene su propia pgina web, por gentileza de su colega Sobrnez. Eso s, todos los proyectos se han desarrollado siempre sin interferencias, sin censuras, y sin perder su razn de ser: su presencia libre y gratuita en la calle. Adaptado del texto de Ftima Martn, en http://www.bitniks.es/, accedido el 27.01.2003. CUESTIN 04 La nica caracterstica no atribuible a El Cartel es: a) b) c) d) su edicin sin interposiciones o barreras. se edita a cada dos meses. no le cuesta nada al lector. que destaca porque no acepta las censuras. OPO CORRETA: B Comentrio: Trata-se de compreenso de texto e raciocnio lgico. Pede-se identificar a nica caracterstica no atribuvel. A partir das afirmaes do texto, deduzse que a nica alternativa possvel a b) se edita cada dos meses. A afirmao presente no texto como DOS MESES refere-se reunio dos ilustradores, que, por outro lado, no indica uma regularidade e sim uma referncia temporal indeterminada.

CUESTIN 05 Hasta ahora, El Cartel se ha impreso en una sola tinta y cada diez nmeros, en dos. En la frase, la palabra destacada (lnea 17) expresa: a) b) c) d) continuidad. lmite. anterioridad. divergencia. OPO CORRETA: B

22

Comentrio: Trata-se de uma questo gramatical. As alternativas apontam a situaes de: a) continuidade, b) limite, c) anterioridade e d) divergncia. Em espanhol, a preposio HASTA (at, em portugus) indica trmino de lugar, ao, limite de tempo. No caso concreto, na frase assinalada, somente pode ser a opo b.

FRANCS TEXTE 1 Le plus froid de tous les tangos du monde Dbarqu dArgentine au dbut du XXe sicle, le tango a connu en Finlande un essor phnomnal, plus pour ses mlodies que sa danse. Car, comme le prcise Aki Kaurismki, cinaste et fan: Le tango est le seul moyen de survivre dans ce pays. Le tango est n en Finlande. Et lArgentine nous la vol! Le ralisateur Aki Kaurismki ne plaisante qu moiti. Aussi surprenant que cela puisse paratre, le tango finlandais nest pas une blague. En cinquante ans, il a supplant la valse, la polka et la humppa, pour devenir un vritable phnomne de socit. Pour sen convaincre, il suffit de faire un tour dans lun des nombreux bals de plein air du pays. Un non illumine le portail dune grange: Oivan lato (la Splendide Grange). Nous sommes chez Aki Kaurismki, ou plutt dans lhtel quil a ouvert il y a quelques annes. Kaurismki, le ralisateur de lHomme sans pass, mais surtout Kaurismki, lamateur de tango finlandais, organise tous les vendredis dt des soires tango dans lancienne grange de la proprit. Et nous sommes vendredi. Ds les annes trente, des chanteurs finlandais ont repris, traduit, transform ces airs mlancoliques qui collaient si bien lesprit national. Mais cest pendant la Seconde Guerre mondiale que le tango sest vritablement gliss dans lidentit finlandaise. Alors que les soldats se battaient contre leurs voisins sovitiques, les tangos se succdaient la radio voquant le temps heureux de la paix, les villages nichs au coeur de la fort, les fiances laisses derrire soi. Les Finlandais ont investi cette musique de leur imaginaire, transformant les complaintes urbaines de Buenos Aires en hymnes la nature. Le succs rencontr par ces mlodies va croissant jusque dans les annes soixante. Puis, avec les annes soixante-dix, cest la disparition des chanteurs mythiques et cest surtout le dbut de lexode rural. En une gnration, toute la Finlande quitte la campagne pour les villes. Lconomie se transforme,

23 abandonnant la terre pour les nouvelles technologies. Ce bouleversement saccompagne dun certain mpris pour la culture populaire et campagnarde, et donc pour le tango. Mme aujourdhui, malgr la mode rtro et le regain dintrt pour les racines nationales, le tango garde ses stigmates populaires et ce soir, sur la piste de la Oivan lato, ce sont des gens du coin qui dansent et pas les citadins. (Sara Roumette, Libration.fr, novembre 2002) QUESTION 01 Le tango finlandais est le plus froid de tous les tangos du monde parce que: a) b) c) d) les Finlandais ne lont pas investi de leurs sentiments. on transforme ses mlodies et on ne le danse pas. la Finlande est un des plus froids pays du monde. on le joue souvent dans des bals de plein air. OPAO CORRETA : C Comentrio: A questo procura avaliar a capacidade do candidato de interpretar adequadamente o ttulo do texto, j que a imagem a contida, ao atribuir ao tango uma caracterstica do clima finlands, exige uma leitura no literal do enunciado.

QUESTION 02 Lorsquil affirme que le tango est le seul moyen de survivre dans ce pays, Aki Kaurismki veut dire que: a) sa prdilection pour le tango est telle quil ne pourrait pas vivre en Finlande sans cette musique. b) les difficults socio-conomiques en Finlande se ressemblent celles de lArgentine. c) ceux qui aiment le tango ont du mal survivre en Finlande. d) le tango est sa seule chance de travailler pour gagner sa vie en Finlande. OPO CORRETA : A

24

Comentrio: A questo requer um esforo de interpretao e deduo para identificar o sentido em que se emprega no texto o verbo sobreviver, do qual as demais opes de resposta propem sinnimos tambm admitidos, seno os mais diretos e literais.

QUESTION 03 Et nous sommes vendredi. Cette phrase peut tre remplace par: a) b) c) d) Et nous aimons vendredi. Et aujourdhui cest vendredi. Et nous tions vendredi. Et on voit passer vendredi. OPO CORRETA: B Comentrio: A questo exige conhecimento do vocabulrio especfico da lngua francesa, j que interroga sobre uma expresso corrente da lngua para designar o dia da semana em que o interlocutor se encontra. O verbo tre, no caso, empregado na sua acepo de estar, sem exigir a preposio, indispensvel em portugus.

TEXTE 2 Les grenouilles, victimes de la route Les grenouilles rsistent bien au froid mais elles ne vivent activement que si la temprature nest pas trop basse. Ds quil commence faire froid, elles perdent beaucoup de leur vitalit et deviennent comme demi endormies. Elles se terrent alors dans le sol pour attendre le printemps. Dpensant trs peu dnergie, les grenouilles peuvent jener trs longtemps, deux ans environ. Mais lorsque la temprature de lair commence atteindre les 8 10 degrs, les grenouilles et les crapauds quittent leur lieu de retraite. Ils sortent de leur torpeur hivernale et vont vers les

25 points deau (les tangs, les ruisseaux, les mares) pour se reproduire. Ce sont souvent des centaines, et mme des milliers dindividus qui transitent la nuit certains endroits. Mais beaucoup dentre eux narrivent pas leur destination, car ils finissent crass sur les routes. Dans une zone humide, si une voiture circule chaque minute, cela suffit pour dtruire jusqu 90% dune population de crapauds! Or ces batraciens jouent un rle important dans la chane alimentaire: ils dvorent les insectes. Sils disparaissaient, ces derniers prolifraient. Et comme les insectes mangent la nourriture de certains poissons, oiseaux ou mammifres, ceux-ci seraient leur tour menacs. Pour viter cela les Conservatoires despaces naturels ont lanc lopration Frquence grenouille. Dans certaines rgions, les routes de campagnes proches des points deau sont interdites la circulation la nuit. Ailleurs, dimmenses bches dau moins 50cm de haut sont disposes aux abords des routes. Les crapauds qui sapprochent de cet obstacle tombent dedans et chaque matin, des bnvoles les emmnent sur les lieux de reproduction. Il existe aussi des solutions durables, mais plus chres raliser: les tunnels sous les routes, les crapauducs! lieu de retraite = abrigo jener = jejuar bches = lonas QUESTION 04 Ce texte porte surtout sur: a) b) c) d) lenvironnement. la mtorologie. la nutrition. la physiologie. OPO CORRETA : A Comentrio: A questo busca verificar a capacidade do candidato de identificar o campo de conhecimento em que se insere o texto. Para isso, mobiliza as habilidades de seleo, sntese e interpretao. (Cls Juniors, 2003)

26 QUESTION 05 Il est dit dans le texte que les grenouilles: a) b) c) d) ont une vie active en hiver. restent longtemps sans se nourrir. ne sadaptent pas des rgions humides. ne se cachent pas quand il fait froid. OPO CORRETA : B Comentrio: uma questo que procura avaliar a capacidade de compreenso do texto, bem como o manejo do vocabulrio da lngua francesa. Evidentemente, conhecimentos na rea de Biologia auxiliam o acesso do candidato resposta correta. A traduo do verbo jener, colocada logo abaixo do texto, j que se supe o termo de difcil compreenso pelo candidato, tambm facilita a sua resposta.

ITALIANO TESTO 1 La famiglia nellantica Roma A Roma la famiglia era alla base della societ. Il capo della famiglia era il pater familias ( padre di famiglia) il quale aveva una forte autorit sulla moglie e sui figli, che solo lui aveva il potere di riconoscere e che poteva condannare a morte. La nascita di un romano non era solo un fatto naturale. A Roma, appena un bambino nasceva, il padre poteva scegliere di sollevarlo da terra e dimostrare cos che era suo e che lo avrebbe allevato. Se invece il pater familias non sollevava il neonato, gli schiavi lo mettevano fuori dalla porta di casa: l il bambino poteva morire o poteva essere raccolto da altri.Il pater familias era il proprietario assoluto del patrimonio familiare. Un figlio restava sotto lautorit del padre anche da adulto, quando magari era gi sposato e con i figli. Il padre era il vero padrone di tutto, anche di quello che i figli guadagnavano o ricevevano in eredit. Solo alla morte del proprio padre i romani diventavano a pieno titolo cittadini con tutti i poteri di un padre di famiglia. Il padre di famiglia era inoltre il padrone degli schiavi. Nella societ romana gli schiavi erano molto numerosi. Essi erano spesso prigioneri di

27 guerra, ma anche bambini abbandonati o uomini liberi che erano stati venduti come schiavi. Tutti i bambini nati da una schiava, chiunque fosse il padre, erano propriet del padrone, come i piccoli delle sue bestie. In citt gli schiavi svolgevano le attivit pi diverse. In casa i meno istruiti facevano i lavori domestici, i pi istruiti insegnavano a leggere e a scrivere ai figli del padrone o addirittura amministravano i suoi beni. Il padre di famiglia si occupava anche della direzione della casa e pensava alle spese quotidiane. Le donne di solito non dovevano curarsi della casa e dellorganizzazione del lavoro degli schiavi. Cos le ricche signore romane non avevano nulla da fare: le schiave le vestivano, le pettinavano e le seguivano sempre, in casa e fuori. Le ragazze a dodici anni lasciavano la scuola e rimanevano chiuse nella casa paterna: lavoravano la lana sotto il controllo delle schiave. Quando si sposavano passavano sotto lautorit del marito e sotto il controllo delle schiave della nuova casa. Le donne romane comunque erano pari agli uomini quanto a diritti di successione e al possesso di ricchezze proprie che non dividevano con il marito. Accadeva cos, anche se raramente, che cerano signore pi nobili e pi ricche dei mariti che erano vere padrone, libere e indipendenti, e avevano la migliore condizione femminile che poteva esserci a Roma. (Cils,1996) DOMANDA 01 Nella frase (...) o addirittura amministravano i suoi beni, la parola addirittura vuol dire: a) b) c) d) mai. perfino. sempre. forse. OPO CORRETA B Comentrio: Trata-se de uma questo que exige conhecimento do lxico. A palavra addirittura pode ter alguns significados em italiano, tais como: direttamente (diretamente), completamente (completamente), nientemeno (nada menos que). O candidato que desconhece, no contexto, o significado de perfino (at mesmo) e do termo o (ou), pode, de forma equivocada, considerar como opo correta o termo sempre, pelo seu mesmo significado em portugus. As

28 opes forse (talvez) ou mai (nunca), acarretariam completa mudana do sentido da frase.

DOMANDA 02 Le donne romane non passavano ai mariti: a) b) c) d) le terre conquistate. leredit paterna. la potest sui figli. i gioielli di valore. OPO CORRETA:B Comentrio: A questo requer do candidato a capacidade de recorrer ao contexto e de realizar inferncias atravs da releitura dos dois ltimos pargrafos do texto, bem como o conhecimento do significado dos termos eredit (herana), potest (poder) e gioielli (jias). No ltimo pargrafo, a conjuno comunque (todavia) estabelece uma relao adversativa com o pargrafo anterior, que elucida o papel submisso da mulher romana da poca.

DOMANDA 03 Erano considerati schiavi, eccetto: a) b) c) d) i prigioneri di guerra. i bambini lasciati soli. i nati da una schiava. tutti i meno istruiti. OPO CORRETA: D Comentrio: Nesta questo exige-se que o candidato identifique os limites do universo semntico do texto atravs da sua releitura, no intuito de procurar informaes sobre TODOS os menos instrudos (TUTTI i meno istruiti) da poca, mencionados na alternativa D. A alternativa B exige o conhecimento da

29 expresso lasciati soli (abandonados). Informaes sobre as demais alternativas (A e C) so obtidas pela releitura do quarto pargrafo do texto.

MATEMTICA As provas de Matemtica (Matemtica I e Matemtica II) tm o mesmo programa. So elaboradas de forma a avaliar as habilidades que a PUC Minas considera necessrias ao bom desempenho universitrio. Desse modo, busca-se selecionar candidatos que sejam capazes de organizar idias, de estabelecer relaes, de interpretar dados e fatos, de aplicar os conhecimentos em situaes do dia-a-dia. A seguir, sero apresentadas cinco questes que estampam essa filosofia da prova. QUESTO 01 Para que certa indstria tenha lucro, necessrio que a desigualdade x2 > 1 , em que x o nmero de aparelhos montados diariamente, seja 8 x verificada. Nessas condies, o maior valor inteiro de x para que essa indstria tenha lucro : a) b) c) d) 5 6 7 8

OPO CORRETA: C

Comentrio: A questo pode ser considerada como sendo fcil, apesar de contextualizar, em situao prtica, a resoluo de uma desigualdade do primeiro grau. Alm da leitura atenta do enunciado, a questo exige bom manejo de operaes algbricas, habilidade para estudar a variao de sinal de uma funo e capacidade para reconhecer nmeros inteiros em um intervalo de nmeros reais. A partir das informaes da questo, pode-se escrever: x2 2 x 10 > 0 . A desigualdade verificada no intervalo [ 5 , 8 [ e, nesse >1 8 x 8 x intervalo, o maior valor inteiro 7.

30 QUESTO 02 Um operrio gastou 60% de seu salrio mensal e, do que restou, aplicou 25%, ficando ainda com R$159,00. O salrio mensal desse operrio : a) b) c) d) R$240,00 R$320,00 R$410,00 R$530,00 OPO CORRETA D Comentrio: O conhecimento exigido para soluo dessa questo de matemtica do cotidiano. Diz respeito ao clculo de porcentagem que, no caso, envolve as operaes de multiplicao e de adio, bem como suas inversas, a diviso e a subtrao de nmeros racionais. Embora requeira a leitura atenta do enunciado, pode ser considerada como questo fcil por abranger apenas contedos geralmente estudados na sexta srie do Ensino Fundamental. Se o operrio gastou 60% de seu salrio, ento, restaram-lhe 40%. Aplicar 25% de 40% significa aplicar 10% de todo o salrio. Feitos os gastos e feita a aplicao, o operrio ficou com 30% de seu salrio que, de acordo com os dados da questo, perfazem R$159,00. Para calcular o salrio mensal, basta 159 x realizar a regra de trs: = , em que x representa o salrio mensal e 30 100 vale R$530,00.

QUESTO 03 Em um terreno triangular ABC, est inscrita uma quadra retangular DEFG cujo comprimento EF o dobro da largura DE. Se a distncia de A at BC de 20m e o lado BC mede 60m, pode-se afirmar que a medida do permetro da quadra, em metros, :A

a) b) c) d)

36 48 72 84B

D

G

E

F

C

31

OPO CORRETA: C Comentrio: A questo tem dificuldade mdia por exigir que, antes de efetuar a parte computacional, o candidato organize os dados constantes no enunciado e estabelea relaes entre eles. Sua resoluo cobra conhecimento de geometria e requer a iniciativa de trabalhar com figuras, assim como o bom manejo de operaes algbricas. Os contedos relativos a essa questo so estudados, geralmente, na oitava srie do Ensino Fundamental. Supondo que a largura DE = x , pode-se escrever que o comprimento EF = 2 x . Se a distncia de A at BC de 20 m , a distncia de A at DG de (20 x) m . Considerando que os tringulos ADG e ABC so semelhantes, tem-se: 20 x 20 = x = 12 . Com o valor de x, calcula-se o permetro: x 60 permetro = 6 x = 6 .12 = 72 .

QUESTO 04 Um terreno com rea de 600 m 2 tem a forma de um tringulo retngulo; a 3 razo entre as medidas dos dois menores lados desse terreno . Nesse 4 caso, a medida do maior lado desse terreno, em metros, : a) b) c) d) 30 40 50 60

C 4 B

A

3

32 OPO CORRETA: C Comentrio: Para resolver essa questo, so necessrios conhecimentos de geometria e o uso de proporcionalidade, assuntos estudados, em geral, na oitava srie do Ensino Fundamental. uma questo que tem grau mdio de dificuldade, por exigir a leitura atenta do enunciado, aplicao contextualizada de contedos. Considere-se a figura ao lado como sendo a do terreno. De acordo com o enunciado do problema, tem-se: AB . AC AC 3 = 600. Resolvendo esse sistema, obtm-se: AC = 30 = e AB 4 2 e AB = 40 . Com esses valores, pode-se calcular a medida do maior lado do tringulo: BC 2 = AC 2 + AB 2 = 30 2 + 40 2 BC = 2500 BC = 50

QUESTO 05 Em um hospital, esto internadas trs pessoas com febre amarela e outras sete com dengue. Dentre essas dez pessoas, foram escolhidas duas para responderem a uma pesquisa sobre saneamento bsico. A probabilidade de essas duas pessoas escolhidas pertencerem ao grupo das que esto com febre amarela : a) b) c) d)1 5 1 15 1 45 3 10

OPO CORRETA: B

Comentrio: A questo apresenta dificuldade mdia por apresentar os dados de maneira contextualizada. Aborda contedos de anlise combinatria, estudados no Ensino Mdio. A soluo exige que o candidato perceba a ocorrncia de dois eventos distintos e requer a organizao de informaes.

33 A probabilidade de a primeira pessoa escolhida ser portadora de febre 3 amarela . Sendo a primeira escolhida portadora de febre amarela, a 10 probabilidade de a segunda pessoa tambm ser portadora de febre amarela 2 . Dessa forma, a probabilidade de as duas pessoas escolhidas pertencerem 9 3 2 1 ao grupo das que esto com febre amarela . = . 10 9 15

QUMICA A prova de Qumica aborda itens gerais e fundamentais para a compreenso dos fenmenos qumicos e dos modelos desenvolvidos por essa cincia. A partir da observao da natureza e dos fatos cotidianos, o candidato deve ser capaz de identificar fenmenos qumicos, associ-los a modelos utilizados pela Qumica e interpret-los, alm de fazer anlises qualitativas e estabelecer generalizaes. Deve, tambm, fazer anlises quantitativas dos fenmenos mais simples e mais gerais relacionados a determinados itens do contedo programtico. A seguir, so apresentadas e analisadas cinco questes. QUESTO 01 Um produto farmacutico, com propriedades anticidas, pode ser preparado base de bicarbonato de sdio ( NaHCO3). Esse produto usado para reduzir a acidez estomacal provocada pelo excesso de cido clordrico, de acordo com a reao: NaHCO3 + HCl NaCl + H2O + CO2 Se bebermos 2,52 g de bicarbonato de sdio, o nmero de mols do cido neutralizado no estmago igual a: a) b) c) d) 0,03 0,06 0,60 0,30 OPO CORRETA: A

34

Comentrio: Essa questo tem como objetivo verificar a habilidade do candidato em desenvolver o raciocnio sobre a seqncia do clculo estequiomtrico, estabelecendo quantidades de reagentes que participaram da reao considerada. Para a resoluo da questo, devemos, primeiramente, verificar se a equao da reao est balanceada. NaHCO3 + HCl NaCl + H2O + CO2 Em seguida, necessrio relacionar a massa do bicarbonato de sdio (NaHCO3), com o nmero de mols do cido clordrico (HCl), j na equao balanceada: 94 gNaCHO3 1molHCl

2 ,52 g NaHCO3 xx = 0,03 mol HCl QUESTO 02 Considere a tabela e o esquema seguir: aPilha cobre/nquel

Potenciais padro de reduo, em soluo a 298 K Ni2+/Ni 0,23 V Cu2+/Cu + 0,34 V Cu Ni

1,0M Cu(NO3)2 1,0M Ni(NO3)2

CORRETO afirmar que a diferena de potencial da pilha considerada : a) b) c) d) + 0,11 V 0,11 V + 0,57 V 0,57 V

35 OPO CORRETA: C Comentrio: Essa questo de eletroqumica corresponde aos itens 12.1 e 12.2 do programa das provas de Qumica e trata do potencial de uma pilha nas condies padro. Uma pilha qualquer dispositivo que transforma energia qumica em energia eltrica. Para resolver esta questo, o candidato deve conhecer os fenmenos e os conceitos associados aos processos espontneos de oxi-reduo. A corrente produzida por uma pilha provm da reao qumica espontnea que se passa em seu interior, e o potencial da pilha obrigatoriamente positivo. A reduo ocorrer sempre no compartimento possuindo o agente mais oxidante e a oxidao no compartimento possuindo o agente mais redutor. Como o potencial padro de reduo do pares redox Cu2+/Cu superior ao potencial padro de reduo do pares redox Ni2+/Ni, a reduo ocorrer no eletrodo de cobre, que ser o plo positivo da pilha, e a oxidao no eletrodo de nquel, que ser o plo negativo da pilha. A diferena de potencial da pilha considerada ser ento 0,34 V (- 0,23 V) = 0, 57 V.

QUESTO 03 O pH do suco gstrico situa-se normalmente na faixa de 1,0 a 3,0. Quando esse suco se torna mais cido que o normal, ele causa a azia prejudicando a digesto e necessrio utilizar um comprimido anticido para que o pH volte at a faixa de normalidade. Considere as afirmaes apresentadas a seguir. I. A azia causada pelo aumento do pH do suco gstrico. II. O comprimido anticido tem as propriedades de uma base. III. A ingesto do anticido diminui o pH. A afirmao est CORRETA em: a) b) c) d) I apenas II apenas I e III apenas II e III apenas

OPO CORRETA: B

36

Comentrio: Essa questo est relacionada com os itens 6.1, 6.3, 11.4 e 11.5 do programa das provas de Qumica. Para resolver esta questo, o candidato deve conhecer os conceitos de cidos, bases e pH. De acordo com a classificao de Brnsted-Lowry, um cido doa prtons e uma base aceita prtons. Um dos parmetros de interesse maior nas solues aquosas de cidos e bases o pH, que se define como pH = - log [H3O+], em que H3O+ o on hidrnio correspondendo ao estado do prton na soluo aquosa. A partir do valor do pH, ento possvel determinar se uma soluo aquosa cida (pH < 7), neutra (pH = 7) ou bsica (pH > 7). A partir desses comentrios, podemos analisar as afirmaes: Incorreta. A azia causada pelo aumento da concentrao H3O+, no suco gstrico e, conseqentemente, h diminuio do pH. II. Correta. O comprimido anticido aceita prtons. III. Incorreta. O anticido vai diminuir a concentrao de H3O+ no suco gstrico e, conseqentemente, aumentar o pH. I. A alternativa (b) ento a alternativa correta para a questo.

QUESTO 04 O elemento cujo on 2+ tem a configurao [Ar] 3d5 o: a) b) c) d) Mn V P S OPO CORRETA: A Comentrio: Trata-se de uma questo que explora o conhecimento do aluno sobre a configurao eletrnica dos elementos no seu estado fundamental e na forma de ons. A tendncia do estudante consultar a tabela peridica e encontrar o elemento que possui cinco eltrons a mais do que o argnio, que o vandio. Entretanto, necessrio ateno, pois o enunciado pede o elemento cujo on 2+ tem configurao [Ar] 4d5, ou seja, trata-se do on de um elemento que

37 perdeu dois eltrons. Assim, originalmente, a configurao deste elemento seria [Ar] 4d7 e este elemento , portanto, o mangans.

QUESTO 05 A citronela uma planta rica em citronelal e geraniol, substncias que do a ela um odor ctrico semelhante ao do eucalipto. Devido a essas propriedades, ela pode ser usada como aromatizante e em produtos de perfumaria. Alm disso, a citronela possui outra qualidade: o cheiro que agrada aos humanos insuportvel aos insetos como moscas e mosquitos, caracterstica que faz dela um repelente natural.

CHO OH

citronelal

geraniol

Sobre o citronelal e o geraniol, CORRETO afirmar: a) b) c) d) Os dois compostos possuem frmula molecular C10H18O. O citronelal um lcool. O citronelal apresenta possibilidade de isomeria cis-trans. O geraniol tem um carbono assimtrico. OPO CORRETA: A Comentrio: A questo aborda alguns conceitos importantes em qumica orgnica como o reconhecimento de funes e a estereoisomeria. Alm disso, procura relacionar a qumica orgnica com substncias presentes no cotidiano dos estudantes. Para respond-la, necessrio ainda conhecimento sobre as diversas formas de representao de um composto orgnico. A questo solicita a identificao da resposta correta. Vejamos: a) Os dois compostos possuem frmula molecular C10H18O: CORRETO. No caso da representao de um composto orgnico pela frmula de linhas, em cada vrtice ou extremidade existe um carbono. Os tomos de hidrognio so omitidos, sendo em nmero suficiente para completar a tetravalncia do carbono. Assim, a contagem dos tomos nas duas representaes acima leva, nos dois casos, frmula C10H18O.

38 b) O citronelal um lcool: INCORRETO. O citronelal apresenta a funo orgnica -CHO que , na verdade, um grupo carbonlico do tipo e que se trata, portanto, de um aldedo. c)C O H

O citronelal apresenta possibilidade de isomeria cis-trans: INCORRETO. Apesar de se tratar de um alqueno, o citronelal apresenta dois grupos idnticos (metilas) ligados em um dos carbonos da dupla, sendo portanto impossvel a isomeria geomtrica. d) O geraniol tem um carbono assimtrico. INCORRETO: No existe na molcula do geraniol nenhum carbono tetradrico ligado a quatro grupos diferentes, o que caracteriza um carbono quiral ou assimtrico.

FSICA As provas de Fsica I e II possuem o mesmo programa. Na prova de Fsica I, espera-se que o candidato consiga abordar os conceitos bsicos da Fsica contidos no contedo programtico, de uma maneira lgica e ordenada, sendo capaz de estabelecer relaes a partir da interpretao de dados, elaborando as hipteses adequadas ao contexto proposto, com um mnimo de manipulao matemtica. Na prova de Fsica II, espera-se que o candidato esteja familiarizado com os conceitos bsicos da Fsica pertinentes aos tpicos mencionados no programa e seja capaz de lidar com eles de uma maneira lgica e ordenada, para estabelecer relaes qualitativas e quantitativas, elaborando as hipteses adequadas ao contexto proposto. Vejamos, em seguida, a anlise de cinco questes.

AS QUESTES DE 01 A 03 DEVEM SER RESPONDIDAS DE ACORDO COM OS DADOS A SEGUIR.

Um motorista, dirigindo um carro, v um obstculo e pisa no freio. A distncia percorrida pelo veculo at parar determinada pelas condies do veculo, da pista, dos pneus, pela velocidade e pelo tempo de reao do motorista (aproximadamente igual a 1 segundo). Durante esse tempo, o carro percorre, com velocidade constante, uma certa distncia antes de comear a reduzir a velocidade, isto , antes de efetivamente comear a frear. A distncia total percorrida pelo veculo at parar a soma da distncia percorrida em 1 segundo (tempo de reao) com a distncia percorrida durante a frenagem. O movimento aproximadamente retilneo uniformemente desacelerado. A

39 tabela a seguir contm os dados da distncia total percorrida por um carro at parar, para pista seca e pista molhada (considerando-se pista de asfalto).DISTNCIA TOTAL (m) VELOCIDADE (Km/h) 10 50 90 130 PISTA SECA 3,5 29 74 138 PISTA MOLHADA 4 42 113 219

QUESTO 01 O motorista v um obstculo e, em 1 segundo, pisa no freio. Se a velocidade do carro de 90 Km/h (25 m/s), a distncia percorrida pelo carro, durante esse tempo, , em metros, igual a: a) b) c) d) 25 49 74 99 OPO CORRETA: A

QUESTO 02 Em pista seca, o tempo total de freada at parar, para um carro a 130 Km/h (36 m/s), , em segundos, aproximadamente igual a: a) b) c) d) 2,8 3,6 5,6 6,6 OPO CORRETA: D

40 QUESTO 03 Durante a frenagem para um carro a 50 Km/h (14 m/s) em pista molhada, a desacelerao vale, aproximadamente, em m/s2 : a) b) c) d) 2,3 3,5 5,8 9,8 OPO CORRETA: B Comentrio: O movimento do veculo a que se referem as questes 1, 2 e 3 composto por duas etapas. A primeira um movimento retilneo uniforme e a 2, conforme destacado pelo prprio texto, trata-se de um movimento retilneo uniformemente desacelerado. Espera-se que nessas questes o aluno seja capaz de analisar o movimento do veculo como um todo. Na questo nmero 01, mede-se a capacidade do candidato em tratar quantitativamente o movimento retilneo uniforme. Ao mesmo tempo, ela um alerta de que o movimento para o veculo no unicamente desacelerado naquilo que o texto trata como processo de frenagem. As questes 02 e 03 medem a capacidade do candidato em tratar quantitativamente o movimento retilneo uniformemente desacelerado. Em sntese, as questes 01, 02 e 03 no seu conjunto medem qualitativamente a capacidade do candidato para distinguir diferentes movimentos. Isoladamente cada uma delas avalia as habilidades para tratar quantitativamente cada um desses movimentos.

QUESTO 04 No incio do sculo XX, o fsico americano Robert Millikan descobriu que todas as partculas elementares ou no tm carga (exemplo: o nutron) ou tm carga +e ou e, em que e a carga do eltron. Descobriu tambm que partculas formadas pela combinao de partculas elementares podem ter cargas 2e, 3e,... etc. A carga eltrica sempre aparecia em mltiplos inteiros da carga fundamental do eltron, ou seja, q = Ne, em que N um inteiro. Qual importante propriedade da carga eltrica est relacionada com o comentrio acima?

41 a) A carga eltrica se conserva. b) Cargas eltricas de mesmo sinal se repelem e de sinais contrrios se atraem. c) A carga eltrica um fluido contnuo. d) A carga eltrica quantizada. OPO CORRETA: D Comentrio: A questo exclusivamente conceitual avalia se o candidato tem o conhecimento de que a carga eltrica quantizada. Os aspectos histricos mencionados so enriquecedores.

QUESTO 05 Uma mquina trmica executa um ciclo termodinmico entre duas fontes, em temperaturas de 500K e 400K respectivamente. Se essa mquina retira 1000J de calor da fonte quente, a menor quantidade de calor que ela rejeitaria para a fonte fria seria, em Joules, de: a) b) c) d) 400 0 500 800 OPO CORRETA: D Comentrio: Espera-se que o candidato tenha a compreenso de que o teorema de Carnot estabelece condies limites de operao de qualquer mquina trmica. Os aspectos quantitativos so bastante simples.

BIOLOGIA A prova de Biologia foi planejada, em grande parte, para proporcionar aos alunos condies de interpretao de dados para se chegar s respostas pedidas. Destacamos a presena de vrias questes que envolvem conhecimentos e observaes de fenmenos e processos biolgicos comuns no dia-a-dia dos candidatos, visando interpretao e posicionamento crtico

42 diante dos mesmos, muitos dos quais so de importncia para a sade, o desenvolvimento sustentvel da vida em nosso planta e a economia humana. QUESTO 01 Na Grcia antiga acreditava-se que doenas da humanidade haviam sido trazidas pela deusa Pandora, guardi de uma caixa cujo contedo ela desconhecia. Abrindo a caixa por curiosidade, deixou escapar todos os males do mundo. Na Idade Mdia, quando a humanidade sofreu o flagelo de doenas infecciosas, como a peste, acreditava-se que as epidemias eram causadas pela influncia dos astros. Da o nome influenza para certas doenas. O microscpio desvendou segredos da caixa de Pandora. Microorganismos celulares causadores ou no de doenas pertencem ao grupo, EXCETO: a) b) c) d) das bactrias. dos protistas. dos fungos. dos vrus. OPO CORRETA: D Comentrio: A questo relaciona o histrico e condies da existncia de certas doenas antigas.Hoje essas mesmas doenas podem e esto voltando e seu estudo est nos fornecendo dados mais concretos de sua existncia e transmisso, permitindo uma mais eficiente profilaxia (preveno), um melhor tratamento para essas doenas.

43 QUESTO 02 O esquema abaixo representa processos e componentes celulares envolvidos na expresso gnica, ou seja, transcrio e traduo.Ribossomos Nuclolo DNA NCLEO RNAt RNAm RNAm

Polipeptdeo CITOPLASMA

Assinale a alternativa INCORRETA. a) O nuclolo uma regio nuclear densa devido s altas concentraes de cidos ribonuclicos produzidos por transcrio. b) As tradues dependem de transcries, mas as transcries no dependem de tradues. c) Diferentes RNAt so produzidos no ncleo celular, mas cada um deles s pode carregar um aminocido especfico. d) Uma molcula de RNAm pode ser utilizada para a sntese de vrias molculas de uma protena. OPO CORRETA: B Comentrio: Conhecer os componentes celulares que atuam nos processos de transcrio e traduo, o papel que cada um desses componentes desempenha e as relaes de interdependncia entre os dois processos, base necessria para se compreender funo e diferenciao celular, alguns dos recentes desenvolvimentos da engenharia gentica, alm de possibilitar uma melhor compreenso dos mecanismos de ao de algumas drogas, como quimioterpicos e antibiticos, que interferem nos processos de transcrio e traduo. O esquema apresentado mostra que os trs tipos de RNA mensageiro so sintetizados no ncleo e transportados para o citoplasma onde atua em

44 conjunto para a sntese de protenas (traduo). Analisando o esquema com base em alguns conhecimentos prvios, o candidato percebe que protenas sintetizadas no citoplasma podem ser transportadas para o ncleo onde podem desempenhar funes, como, por exemplo, a enzima RNA-polimerase que atua na transcrio, e assim infere que a transcrio tambm depende da traduo.

QUESTO 03 O diagrama abaixo exemplifica a amplificao biolgica possvel no sistema endcrino.

Analise o esquema dado e assinale a alternativa INCORRETA. a) O resultado da liberao de uma pequena quantidade de hormnio hipotalmico no rgo alvo final constitui um exemplo de amplificao. b) O esquema apresenta relaes entre quatro glndulas. c) Pelo menos trs das substncias produzidas no processo indicado so de natureza qumica diferente. d) O destino de cada hormnio liberado no processo no depende do rgo alvo.

45 OPO CORRETA: D Comentrio: O sistema endcrino, juntamente com o sistema nervoso, coordena o funcionamento de todos os sistemas corporais. As glndulas do sistema endcrino liberam molculas mediadoras, chamadas hormnios, na corrente sangnea. O sangue circulante, ento, leva esses hormnios para todas as clulas do corpo. Nesta questo, a opo A verifica se o candidato compreende que uma pequena dosagem de hormnio hipotalmico suficiente para ativar a atividade hormonal da adeno-hipfise. E, seguindo o esquema, ele deve perceber uma amplificao das dosagens medida que se aproxima do rgo alvo. Na opo B, o candidato deveria ter o conhecimento de que hipotlamo, adeno-hipfise, adrenal e fgado so todos exemplos de glndulas endcrinas. Na opo C, verifica-se se o candidato percebe a natureza qumica diferenciada dos produtos secretados pelas glndulas: hormnios liberados pelo hipotlamo so de natureza protica, corticotropinas so carboidratos, corticosterides so de natureza lipdica. A opo D falsa porque cada hormnio rgo-especfico.

QUESTO 04Uma nova tcnica que utiliza a energia nuclear para o controle de pragas, foi desenvolvida e j vem sendo utilizada por vrios pases. Ela consiste em tornar estreis, por meio de radiao, uma grande quantidade de insetos, que posteriormente sero soltos nas lavouras. Se houver na lavoura nove insetos estreis para um frtil, a incidncia da praga cai em 90% na gerao seguinte, afirma um pesquisador, acrescentando que, com esse mtodo, os EUA eliminaram uma velha conhecida dos brasileiros: a mosca varejeira. (Texto adaptado da Folha de S. Paulo, 26.05.1998.)

Com base no texto dado, assinale a afirmativa INCORRETA. a) A esterilidade deve-se possivelmente ao mutagnica da radiao. b) Insetos estreis no copulam com insetos frteis na natureza. c) Insetos estreis podem competir pelo alimento com os frteis contribuindo para a devastao da lavoura. d) Esse procedimento exemplifica um controle biolgico de pragas. OPO CORRETA: B

46

Comentrio: Compreender como operam novas tecnologias e processos desenvolvidos pelos diversos ramos das cincias e as possveis conseqncias de sua utilizao de fundamental importncia para selecionar alunos que desejam ingressar na universidade com capacidade de no somente se apropriarem de conhecimentos, mas tambm de se desenvolverem como indivduos reflexivos e crticos. A questo apresenta um pequeno texto que descreve, em linhas gerais, uma nova tcnica que foi desenvolvida e vem sendo testada para o controle de pragas agrcolas. Ao compreender a operacionalidade do processo, o candidato realiza que justamente pela cpula entre os insetos estreis, liberados na lavoura, e os insetos frteis, normalmente encontrados na natureza, que se controla o crescimento de pragas agrcolas por reduzir sua taxa de reproduo. Saber que radiaes podem determinar esterilidade e que competio intra-especfica uma relao ecolgica possvel so noes bsicas que os candidatos devem ter.

QUESTO 05 Durante o perodo de 21 dias de desenvolvimento embrionrio, ocorre variao da massa de um ovo de galinha, de 60 g para 51 g.

Vapor dgua Oxignio Dixido de carbono

Analisando a figura acima e com base em seus conhecimentos sobre o mecanismo fisiolgico em ovos, INCORRETO afirmar: a) O surgimento do ovo com casca possibilitou a conquista do ambiente terrestre.

47 b) A perda de gua por evaporao pode ser compensada pelo processo de respirao celular. c) As excretas nitrogenadas produzidas so retidas dentro do ovo. d) A principal fonte de energia para o desenvolvimento embrionrio encontra-se na clara. OPO CORRETA: D Comentrio: Na opo A, verifica-se se o candidato conhece como foi o processo de conquista do ambiente terrestre. Nos tetrpodes avanados, rotas evolucionrias resolveram os problemas de economia de gua e eliminao do nitrognio. As aves e a maioria dos rpteis vivos primariamente dependem do uricotelismo. Adaptaes embrionrias que conservam gua incluem:a presena de uma casca no ovo, a qual retarda a perda de gua; produo interna de gua atravs do metabolismo do vitelo armazenado; uricotelismo. Na opo B, procura-se observar se o candidato conhece o processo da respirao celular, pois a gua perdida por evaporao pode ser compensada pela respirao celular, visto que libera H2O como produto de reaes mitocondriais. Na opo C, cobra-se do candidato a capacidade de perceber que as excretas nitrogenadas liberadas pelas aves no so muito txicas e podem ser armazenadas dentro da casca do ovo. E a opo D falsa porque ovos de aves, do tipo megalcito, possuem grande quantidade de vitelo que serve de fonte de energia para o desenvolvimento embrionrio.

GEOGRAFIA A prova de Geografia procura exigir do candidato o conhecimento dos elementos naturais, econmicos, polticos e sociais, da interao entre esses elementos e a anlise de sua influncia no processo de construo do espao geogrfico. A prova visa a privilegiar uma viso integrada da relao sociedadenatureza, de forma contextualizada no tempo e no espao. De forma mais objetiva, espera-se que o candidato seja capaz de: interpretar dados e informaes; compreender a relao sociedade-natureza em espaos especficos; contextualizar informaes e elementos geogrficos. A seguir, so comentadas cinco questes.

48 QUESTO 01 Considere quatro municpios W, X, Y e Z, cujas reas, representadas nas escalas abaixo, tm respectivamente 440 cm2, 100 cm2, 320 cm2 e 500 cm2. Sabendo-se que a populao de cada um de 25.000 habitantes, qual desses municpios tem a maior densidade demogrfica?

a) b) c) d)

W X Y Z OPO CORRETA: D

Comentario: Esperava-se, com essa questo, que o candidato trabalhasse com as noes de escala e de rea, relacionando-as com a noo de densidade demogrfica. Procurou-se fazer com que o aluno identificasse, entre os municpios, aquele com maior densidade demogrfica; para tanto, deveria efetuar uma srie de clculos desenvolvendo o seu raciocnio lgico. Soluo Municpio W Escala 1: 100000 ( cada 1 cm igual a 1 km) 1cm2 = 1 km2 440 cm2 x 1 km2 = 440 km2 Densidade demogrfica = 25000 440 = 56,82 hab/ km2 Municpio X Escala 1: 250000 ( cada 1 cm igual a 2,5 km) 1cm2 = 6,25 km2 100 cm2 x 6,25 km2 = 625 km2 Densidade demogrfica = 25000 625 = 40 hab/ km2 Municpio Y Escala 1: 500000 ( cada 1 cm igual a 5 km) 1cm2 = 25 km2 320 cm2 x 25 km2 = 8000 km2

49 Densidade demogrfica = 25000 8000 = 3,13 hab/ km2 Municpio Z Escala 1: 50000 ( cada 1 cm igual a 0,5 km) 1cm2 = 0,25 km2 500 cm2 x 0,25 km2 = 125 km2 Densidade demogrfica = 25000 125 = 200 hab/ km2 Soluo: maior densidade demogrfica = municpio Z.

QUESTO 02 Observe o perfil geolgico a seguir. Repare que as placas tectnicas se movimentam e que, nesse deslocamento, podem convergir, sobrepor-se, deslizar, afastar-se, colidir e soerguer, gerando formas especficas de relevo.

2 1

3

4

Numere as formas resultantes da dinmica de placas, de acordo com os nmeros assinalados no perfil geolgico.( ( ( ( ) ) ) )

Falhamento Cordilheiras continentais e dobramentos modernos Vulces e fossas ocenicas Cordilheiras meso-ocenicas

O resultado encontrado foi: a) b) c) d) 1, 4, 2 e 3 4, 3, 1 e 2 2, 3, 4 e 1 3, 1, 2 e 4 OPO CORRETA: B

50

Comentrio: A questo apresenta um perfil de uma parte da crosta terrestre que exibe feies geolgicas e geomorfolgicas marcantes que constituem bases para a compreenso do modelado e evoluo do relevo terrestre - a Teoria da Tectnica de Placas. Esse esquema exibe os diversos tipos de contato entre as placas tectnicas terrestres: convergentes, divergentes e transcorrentes e, em decorrncia desse tipo de contato diverso, formas de relevo e estruturas geolgicas correspondentes iro se formar. Assim sendo, a seta correspondente ao nmero 1 exibe uma margem ativa, no contato entre duas placas tectnicas. Trata-se de uma rea de subsidncia e, em decorrncia deste movimento, formam-se fossas tectnicas e atividade vulcnica. A seta correspondente ao nmero 2 exibe uma rea de divergncia entre duas placas tectnicas. Nesse tipo de contato, o movimento divergente cria cordilheiras meso-ocenicas atravs da extruso de material magmtico (vulcanismo). A seta correspondente ao nmero 3 aponta para uma superfcie enrugada, denotando processo de dobramento sofrido pelo material constituinte em decorrncia de um movimento convergente. Nesse caso, a formao de dobramentos modernos e de cordilheiras continentais a expresso deste tipo de contato. A seta correspondente ao nmero 4 mostra um tipo de contato em que as placas continentais deslizam, umas em relao s outras. Aqui, os contatos so marcados por falhamentos. Do esforo decorrente do atrito entre estas, o tectonismo uma das expresses mais marcantes.

QUESTO 03 A realidade espacial brasileira dinmica e tem passado por intensas transformaes, tornando difcil sua diviso. Considerando os grandes complexos regionais Centro-Sul, Nordeste e Amaznia , marque nos parnteses F se a afirmativa for falsa ou V se a afirmativa for verdadeira:( ( ( (

Desconsidera os limites estaduais na sua base territorial, refletindo em uma melhor homogeneidade de cada complexo. ) Baseia-se em elementos geoeconmicos, considerando-os os mais adequados para o atual dinamismo espacial. ) Favorece a identificao dos espaos regionais, considerando suas diversidades, no processo histrico de sua organizao. ) Desconsidera a base fsica, tendo em vista que a ao humana degrada o ambiente natural.)

51

Assinale a opo CORRETA encontrada. a) b) c) d) V V F V F V V V V V F F F F V V OPO CORRETA: B Comentrio: Esperava-se, com essa questo, que os candidatos considerassem as particularidades do processo de regionalizao do Pas, sabendo interpretar seus fundamentos conceituais. Nesse caso, a nica assertiva falsa refere-se ao ambiente fsico, que fundamental no processo de ocupao do espao e desconsiderado nessa opo.

QUESTO 04 A partir da Revoluo Tcnico-Cientfica, comearam a formar-se tecnopolos e tecnpoles, que atraem setores industriais avanados. Com referncia a essa nova realidade, assinale a alternativa INCORRETA. a) Constituem plos associados a grandes centros universitrios de pesquisa, fornecedores de mo-de-obra altamente qualificada e tecnologia de ponta. b) Constituem-se centros de criao, reciclagem e difuso da tecnologia de ponta, favorecendo o aprimoramento, a produtividade e a competitividade do setor industrial. c) Estimulam a globalizao da produo industrial, levando as transnacionais a instalarem-se em novos espaos potenciais, usufruindo da informatizao e automatizao. d) Estimulam o maior adensamento geogrfico das regies industriais do pas, acentuando a atrao para as metrpoles. OPO CORRETA: D Comentrio: A questo se refere temtica urbana. A maior parte da populao mundial encontra-se em espaos urbanos. Esses espaos comandam as redes de relaes econmicas e tecnolgicas, alm de constiturem-se

52 centros de deciso poltica global. Por tudo isso, imprescindvel a compreenso da importncia das cidades como elementos de organizao do espao mundial. A assertiva errada a letra D. Os tecnopolos foram idealizados no psguerra como centros de referncia tecnolgica, capazes de gerar produtos de elevado valor agregado e, portanto, constiturem-se propulsores econmicos regionais. A despeito de sua concepo, no estimulam grandes adensamentos demogrficos, uma vez que no foram concebidos para absorver volume significativo de populao. Esses espaos primam por priorizar qualidade de vida para atender a uma parcela seleta de populao.

QUESTO 05 O Oriente Mdio conhecido pela sucesso de conflitos armados, envolvendo atores regionais israelenses, palestinos, iraquianos e externos, movidos por diferenas culturais e interesses geoeconmicos. Os recentes atritos entre os EUA e o Iraque, mesmo antes de sua ecloso, j indicavam transformaes importantes no arranjo geopoltico mundial. So possveis reflexos desse conflito, EXCETO: a) A supremacia hegemnica dos EUA, desafiando as resolues da ONU, coloca em cheque o papel das Naes Unidas como frum de discusso dos problemas mundiais. b) A construo de alianas pelos EUA, em torno de um apoio ao conflito, refora seu papel como articulador e mediador de focos de tenso externos. c) A fragmentao do apoio ao conflito reflexo de diferenas culturais, econmicas e polticas mundiais e ameaa aprofund-las. d) O posicionamento dos pases europeus com relao ao conflito reflete-se em interesses econmicos e polticos divergentes e aponta para um enfraquecimento poltico da Unio Europia. OPO CORRETA: B Comentrio: Trata-se da abordagem de uma questo de geopoltica internacional e de atualidade, imprescindvel para a compreenso da organizao do espao mundial, uma vez que procura relacionar um conflito EUA/Iraque a suas possveis repercusses num mundo globalizado. Procura-se analisar as possibilidades da ONU como um organismo capaz de solucionar problemas internacionais, razo para a qual foi criada.

53 A assertiva est errada, uma vez que, aps os atentados de 11 de setembro de 2001 e a implantao da chamada Doutrina Bush, os EUA tenderam a agir de maneira isolacionista com vistas imposio de interesses unilaterais da nica hiperpotncia global. O Oriente Mdio, espao geogrfico situado no entroncamento de trs continentes - sia, frica e Europa - regio de passagem e, portanto, de multiplicidade tnica, bero das trs grandes religies monotestas do Ocidente. fonte principal de abastecimento de petrleo do mundo. Constitui-se, por tudo isso, um dos focos contnuos de conflitos da humanidade. Os reflexos polticos da interveno americana no Iraque apontam para divergncias no seio do bloco Ocidental, uma vez que coloca em evidncia choque de interesses polticos e econmicos centrados regionalmente.

HISTRIA A prova da Histria elaborada com o objetivo de avaliar a capacidade do vestibulando de interpretar as diversas linguagens verbais e no verbais, como documentos, textos histricos e jornalsticos, grficos, charges e mapas, dando-lhes historicidade; de aplicar conceitos a determinadas situaes histricas; de fazer correlaes entre fatos, informaes e conhecimentos; de Analisar criticamente os fatos e informaes gerais do mundo contemporneo, que afetam o conjunto da vida individual e coletiva e que so julgados atravs da imprensa. Esses objetivo foram levantados a partir da expectativa da Universidade com relao aos sujeitos acadmicos que pretende formar, com cidadania ativa, de modo a levar permanncia e/ou transformao da realidade em que vivemos. Passemos explorao de duas questes, que refletem os objetivos apresentados. QUESTO 01 Sobre a Reforma Protestante do incio dos Tempos Modernos, correto afirmar que, EXCETO: a) foi um movimento que eclodiu sob o impacto das medidas tomadas pelos catlicos durante a realizao do Conclio de Trento, de 1545. b) procurou expressar muitos dos anseios da poca, como as crticas aos abusos cometidos pela Igreja. c) defendia o livre exame da Bblia e pregava a salvao pela f e no pelas boas obras.

54 d) marcou o surgimento do anglicanismo com o rompimento entre Henrique VIII e o papa, atravs do Ato de Supremacia de 1534. OPO CORRETA: A Comentrio: A opo a est incorreta porque o Conclio de Trento, convocado pelo papa Paulo III em 1545, decorreu da Reforma Protestante iniciada pelo monge agostiniano e telogo da igreja, Martinho Lutero, em 1517, na Alemanha, com as suas 95 teses.

QUESTO 02 A criao do Estado de Israel, na regio da Palestina, que contribuiu para agravar a crise no Oriente Mdio, deu-se num contexto histrico marcado pela: a) rivalidade entre Frana e Inglaterra, herdeiras de territrios do Imprio Otomano. b) derrota da Trplice Aliana durante a Primeira Guerra Mundial. c) partilha da regio entre as potncias europias no perodo de entreguerras. d) configurao da Nova Ordem Mundial, aps 1945, com a bipolarizao do mundo. OPO CORRETA DComentrio:

Aps a Segunda Guerra Mundial, com a derrota da Alemanha e Itlia, a multipolarizao do perodo de entreguerras foi substituda por uma Nova Ordem Mundial caracterizada pela bipolarizao e tendo como principais protagonistas os Estados Unidos da Amrica do Norte e a Unio das Repblicas Socialistas Soviticas. As duas superpotncias vo se fazer presentes no Oriente Mdio, regio estratgica e que esteve sob a influncia da Frana e do Imprio Britnico, pases beneficiados pelo Tratado de Versalhes de 1919 e de outros que foram posteriormente assinados. A criao do Estado de Israel contribuiu para agravar a crise no Oriente Mdio porque o estabelecimento de um Estado Palestino acabou no se concretizando e os EUA e a URSS vo procurar exercer influncia na regio em funo de interesses estratgicos e ideolgicos.

55

QUESTO 03 Sobre a presena dos hispnicos no Novo Mundo, da chegada de Colombo at por volta de meados do sculo XVI, correto afirmar que, EXCETO: a) a conquista revestiu-se de um carter cruzadista, sendo os ndios tratados como infiis, mouros, e muitos de seus templos considerados como mesquitas. b) Hernn Corts, ao desembarcar em terra, em 18 de fevereiro de 1519, partiu para a conquista dos astecas, recebendo apoio de vrias tribos. c) as reas do Mxico e do Peru, por suas potencialidades econmicas, concentraram as atenes dos colonizadores durante a conquista. d) a economia de plantation, introduzida por Colombo na ilha de So Domingos, a Hispaniola, foi determinante para o incio da colonizao. OPO CORRETA: D Comentrio: Cristvo Colombo no introduziu a economia de plantation na ilha de So Domingos, pois, da sua primeira viagem em 1492 at a ltima, os hispnicos ainda no tinham um projeto para a adoo de uma colonizao no mbito da produo. At meados do sculo XVI, a pilhagem e o saque dos tesouros indgenas, principalmente do ouro, caracterizaram a ao dos adelantados. Com o incio da colonizao na segunda metade do sculo XVI, a caracterstica bsica da economia na Hispano-Amrica vai ser a minerao.

56 QUESTO 04

A charge acima se refere ao processo da independncia do Brasil, na primeira metade do sculo XIX, e representa: a) o descontentamento de liberais e conservadores com o governo autoritrio e desptico de D. Pedro I. b) a Coroa, smbolo da Monarquia, como abrigo dos conservadores capaz de resguardar seus privilgios. c) os senadores e deputados que representavam os interesses populares, desafiando a Monarquia. d) as lideranas populares que assumiram o governo monrquico por ocasio da abdicao de D. Pedro I. OPO CORRETA: B Comentrio A opo b a correta porque a charge representa a Coroa, smbolo da Monarquia, como abrigo dos conservadores preocupados em resguardar seus privilgios contradizendo-se com os enunciados das opes c e d, que colocam em evidncia interesses populares e lideranas populares. Na charge no h representao de populares e a letra a, por sua vez, fala de descontentamento de liberais e conservadores com o governo de D. Pedro I. Na verdade, eram eles os liberais e conservadores os privilegiados retratados na charge.

57

QUESTO 05 O Brasil vive atualmente (sc. XXI) numa democracia representativa. Isso significa dizer que, EXCETO: a) os brasileiros podem criar, dentro das normas da legislao vigente, novos partidos polticos. b) o cidado pode livremente manifestar sua ideologia poltica e sua opo partidria. c) os indivduos analfabetos podem votar e ser eleitos para qualquer cargo no executivo. d) os cidados podem eleger, pelo voto, seus representantes no legislativo e no executivo. OPO CORRETA: C Comentrio: A Constituio da Repblica Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, no captulo IV DOS DIREITOS POLTICOS estabelece no Art. 14, pargrafo 4 que so inelegveis os inalistveis e os analfabetos.