Riscos boechat

download Riscos boechat

of 30

  • date post

    21-Mar-2017
  • Category

    Engineering

  • view

    217
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Riscos boechat

  • Associao Brasileira de Preveno de AcidentesTrabalhador saudvel Paciente vivoNR 32- Segurana e Sade do Trabalho em Servios de SadeRiscos Qumicos e Biolgicos em Servios de SadeMedidas de Preveno e novos equipamentos de segurana e proteo

    So Paulo, 25 de novembro de 2004

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de SadeViso Prtica dos recursos de segurana

    Atividades de risco so as capazes de proporcionar dano, doena ou morte

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de SadeConceitosRisco

    a probabilidade de ocorrer um evento bem definido no espao e no tempo, que causa dano sade, s unidades operacionais ou dano econmico/financeiroPerigo

    a expresso de uma qualidade ambiental que apresente caractersticas de possvel efeito malfico para a sade e/ou meio ambienteNa presena de um perigo no existe risco zero, porm existe a possibilidade de minimiz-lo ou alter-lo para nveis considerados aceitveis

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de SadeConceitos importante que fique clara a diferena entre risco e perigo

    Existe perigo na manipulao de determinados produtos qumicos ou biolgicos

    Porm o risco dessa atividade pode ser considerado baixo se forem observados todos os cuidados necessrios e e utilizados os equipamentos de proteo adequados

  • Classificao de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministrio do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurana do TrabalhoRiscos Fsicos (formas de energia como rudos, vibraes, presses anormais, radiaes ionizantes ou no, ultra e infra-som (NR-09 e NR-15). Avaliao quantitativa

    Riscos Qumicos (substncias, compostos ou produtos que podem penetrar no organismo por via respiratria, absorvidos pela pele ou por ingesto, na forma de gases, vapores, neblinas, poeiras ou fumos (NR-09, NR-15 e NR-32). Avaliao quantitativa e qualitativa

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de Sade Classificao de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministrio do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurana do trabalhoRiscos Biolgicos ( bactrias, fungos, bacilos, parasitas, protozorios, vrus, etc (NR- 09)

    As classes dos riscos biolgicos so: patogenicidade para o homem; virulncia; modos de transmisso; disponibilidade de medidas profilticas eficazes; disponibilidade de tratamento eficaz; endemicidade

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de Sade Classificao de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministrio do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurana do trabalhoRiscos Ergonmicos (so elementos fsicos e organizacionais que interferem no conforto da atividade laboral e conseqentemente nas caractersticas psicofisiolgicas do trabalhador (NR-17 )

    www.mtb.gov.br.bits

    Posto de trabalho inadequado (mobilirio, equipamentos e dispositivos)Lay-out inadequado (caminhos obstrudos, corredores estreitos, etc)Ventilao e iluminao inadequadasEsforos repetitivosProblemas relativos ao trabalho em turnoAssdio moralProblemas relacionados com a organizao do trabalho

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de Sade Classificao de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministrio do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurana do trabalho

    Riscos de Acidentes (condies com potencial de causar danos aos trabalhadores nas mais diversas formas, levando-se em considerao o no cumprimento das normas tcnicas previstas

    Alm dos fsicos, qumicos e biolgicos, destacam-se: arranjo fsico, eletricidade, mquinas e equipamentos, incndio/exploso, armazenamento, ferramentas, etc

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de SadeAssociao dos Riscos

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeHistricoHistoricamente, os profissionais de sade no eram considerados de alto risco para acidentes de trabalhoAt a dcada de 60 ateno aos profissionais de laboratrio de anlises clnicas (hepatite B e tuberculose, 7 e 5 vezes mais freqentes que na populao em geral)A partir dos anos 80 (AIDS) ateno voltada para os profissionais envolvidos na assistncia ao pacienteOs principais riscos biolgicos envolvem os patgenos de transmisso sangnea como os vrus das hepatites B e C e o HIVMais de 30 outros agentes infecciosos podem estar envolvidos em acidentes biolgicos nos estabelecimentos de sade

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeCaractersticas GeraisPrincipais agentes: bactrias, vrus, Ricktzias, protozorios, metazoriosPresentes em aerossis, poeiras, alimentos, instrumentos de laboratrio, gua, culturas, amostras biolgicas18% dos trabalhadores so contaminados com material infecto-contagioso nas atividades relacionadas ao trabalho: 25% por inoculao percutanea; 27% por aerossis e derramamentos; 16% por vidrarias e prfurocortantes; 13% por aspirao por instrumentos; 13,5% por acidentes com animais e contato com ectoparasitasAs principais fontes de contaminao no local de trabalho podem estar relacionadas inalao de aerossisTodos os procedimentos microbiolgicos so potencialmente formadores de aerossis

  • Riscos Biolgicos em Servios de Sade Presena microbianaAlta adaptao biosferaAlguns multiplicam-se em gua destiladaUm nico micrbio em soluo simples chega a um milho em 18 horasUm micrbio pode se dividir em 10 minutosPresena na forma de clulas, esporos, toxinas e fragmentos moleculares

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeRelao entre vias de contaminao e doenasVia area: tuberculose, varicela, rubola, sarampo, influenza, viroses respiratrias, doena meningoccicaExposio ao sangue e fluidos orgnicos: HIV, hepatites B e C, raivaTransmisso fecal-oral: hepatite A, poliomielite, gastroenterite, cleraContato com o paciente: escabiose, pediculose, colonizao por stafilococos

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadePrincipais grupos expostosMdicos clinicos: 0,5 a 3 exposies percutaneas/ano; 0,5 a 7 exposies mucocutaneas/anoCirurgies: 80 a 135 contatos com sangue/ano; 8 a 15 exposies percutaneas/anoOdontlogos: 1 exposio percutanea a cada 5 anosContaminao acidental pelo HIV: Enfermeiros e pessoal de laboratrio 70% dos casos comprovados e 43% dos provveis; estudantes de medicina 10 a 12% dos casos provveis; cirurgies e dentistas 12% dos casos provveis

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadePrincipais grupos expostosA equipe de enfermagem a mais exposta ao material biolgico: o grupo mais numeroso dos servios de sade Maior contato direto com os pacientesOs tipos e freqncia de procedimentos realizados favorecem a exposio71,2% dos acidentes com perfurocortantes ocorrem entre os profissionais de enfermagem (USP, 1998)

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadePrincipais grupos expostosFreqentemente o acidente no notificadoAcidentes com prfurocortantes representam 1/3 de todos acidentes envolvendo profissionais de enfermagemRetirada de sangue, flebotomia, puno venosa perifrica, sutura cirrgica, reencapamento de agulhas, so os momentos de maior risco

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeRiscos de aquisio da doenaTipo de exposioA quantidade necessria para causar doena (carga do agente)Patogenicidade do agente infecciosoExistncia da profilaxia ps-exposioPrevalncia local da doenaSuscetibilidade do profissional de sade

  • Riscos Biolgicos em Servios de Sade

    Agente infeccciosoN de organismos (carga)Via de InoculaoSfilis57IntradrmicoMalria10IntravenosoEscherichia coli108IngestoSarampo0,2InalaoInfluenza A2790Inalao

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeImunizao: doenas imunoprevinveisHepatite BVaricelaSarampoInfluenzaCaxumbaRubolaTtanoHepatite A

    RaivaFebre amarelaCoquelucheFebre tifidePoliomieliteDoena meningoccicaVarola

    Manual das Normas de Vacinao da Fundao Nacional de Sade junho 2001Prevalncia de doenas locais e riscos individuais de exposio

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeClassificao dos patgenos por risco biolgico

    Classe 1Agente no oferece risco para o manipulador nem para comunidade. Ex: E.coli, B.SubtilisClasse 2Agente com risco moderado para o manipulador e fraco para a comunidade. Existe tratamento preventivo. Ex: Staphylococcus aureus, Candida albicansClasse 3Agente com risco grave para o manipulador e moderado para a comunidade. Leses e sinais clnicos graves e nem sempre h tratamento. Ex: HIV, Bacilllus anthracisClasse 4Agente com risco grave para o manipulador e para a comunidade. No h tratamento e os riscos so muito graves em caso de propagao. Ex: vrus de febres hemorrgicas

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeNiveis de Segurana no Trabalho

    Nvel 1Avental, proteo respiratria, luvas, culosCSB Classe II ANvel 2 Avental, proteo respiratria, luvas, culosCBS Classe II B2Nvel 3 Avental fechado, proteo respiratria, luvas resistentes, culosCBS Classe II B2Classe 4 Roupa protetora completa, proteo respiratria, luvas, culosCBS Classe III

  • Riscos Biolgicos em Servios de SadeNveis de risco do trabalho 1,2,3,4Uso de EPC (cabine de segurana biolgica classe I,II ou IIIUso de EPIs( protetor respiratrio, culos, luvas, protetores)Vesturio (avental, touca)Procedimentos operacionais descritos

  • Riscos Qumicos e Biolgicos em Servios de SadeRiscos presentes na produo e preparo de medicamentos

  • Cenrios de produo de medicamentos e injetveisCentral de diluio de misturas injetveis (farmcia hospitalar)Indstria Farmacutica

    Beira do leito Posto de Enfermagem

  • Cabines de segurana biolgicaFinalidadesProteo do pessoal e ambiental contra os agentes perigosos dentro da cabineProteo do produto ou do processo contra os contaminantes localizados fora da cabineProteo contra a contaminao cruzada dos agentes dento da cabinePrimeira cabine 1943 ( Van den Ende)Filtro HEPA - 1962

  • Medicamentos e drogas de risco tambm podem contaminar o ambiente e o manipuladorSubstncia (droga)Produto (medicamentos, saneantes, desinfectantes)

  • SUBSTNCIAS E PRODUTOS DE RISCO NAS UNIDADES DE SADEManipulao com exposio aguda e crnica

    Quimioterpicos Antine