Integração de software solucao e estilo

download Integração de software   solucao e estilo

of 44

  • date post

    09-Jun-2015
  • Category

    Documents

  • view

    446
  • download

    3

Embed Size (px)

description

material de aula sobre integração de sotwares. UFG, eng de software.

Transcript of Integração de software solucao e estilo

  • 1. Integrao de softwaresolues e estilosUniversidade Federal de GoisProf Leonardo A Alves

2. Integrando para resolverproblemas Necessidade de Integrao Software de diferentes fabricantes; Software desenvolvido com tecnologias diferentes; Software desenvolvido com necessidades governamentais oulegais. 3. Desafios da Integrao Integrao pode significar mudanas nas politicascoorporativas. Cada aplicao agora parte de um fluxo globalde aplicaes e servios integrados; Os esforos de integrao normalmente tm implicaes delongo alcance sobre o negcio; Uma soluo de integraoque falha pode custar milhes de dlares em negciosperdidos, ordens de pagamentos erradas e clientesinsatisfeitos. 4. Desafios da Integrao Quantidade limitada de controle que os desenvolvedores deintegrao normalmente tm sobre as aplicaes a seremintegradas. O advento do XML, XSL e Web sevices certamente marcam oavano mais significativo de padres baseados emcaractersticas de uma soluo de integrao. No entanto, oboom em torno de servios da Web tambm tem dadomotivos para nova fragmentao do mercado, resultando emum turbilho de novas "extenses" e"Interpretaes" das normas. 5. Desafios da Integrao Servios/Solues Web abordam apenas uma frao dosdesafios de integrao. A mistura de tecnologias e a natureza distribuda de soluesexige um conjuntos de habilidades que no muitas vezescombinam gesto e tecnologia. 6. O que integrar? Portais de Informao Replicao de Dados Funes compartilhadas de Negcios Arquiteturas Orientadas a Servios Processos distribudos de Negcios Integrao Business-to-Business(B2B) 7. Exemplo comum de Integrao:Portal de aplicaes empresariaisrodando na Web. 8. Portal de Informaes 9. Problemas comuns Forte dependncia entre mdulos; Manutenabilidade comprometida; Mais de um elemento integrador conjugado; Incapacidade de manuteno on-line do servio; ... 10. Soluo: Integrao comReplicao de dados 11. Como foi a resoluo dasagendas? Trabalho de agendas, qual soluo voc tomou? Qual foi a melhor? Vamos avaliar? 12. Solues Possveis H muitas maneiras de implementar a replicao de dados.Por exemplo, alguns fornecedores de banco de dadosconstroem funes de replicao no banco de dados,podemos exportar os dados em arquivos e re-import-los paraoutro sistema, ou podemos usar middleware orientado amensagem para o transporte de registros de dados dentro demensagens. 13. Soluo: Funo de negcioscompartilhada Da mesma forma que muitas aplicaes de negcio armazenardados redundantes, eles tambm tendem a implementar afuncionalidade redundante. Conferncia de CPF, averiquao de cheques, servios deavaliao de informao. 14. Soluo: Funo de negcioscompartilhada 15. Soluo: Funo de negcioscompartilhada Obs.:uma funo geralmente mais invasiva do que ocarregamento de dados na base de dados, e pode requererprogramao direta no cdigo, por isso menos usada. 16. Servios Orientados aArquitetura Esses vocs conhecem bem... 17. Servios Orientados aArquitetura 18. Servios Orientados aArquitetura Funes de negcios compartilhados so muitas vezesreferidos como servios. Iniciamente, as aplicaes precisam de uma lista centralizadade todos os servios disponveis. Em segundo lugar, cadaservio necessita descrever a sua interface de tal maneira queuma aplicao possa "negociar" sua comunicaes com baseno servio. Estas duas funes, a descoberta de servios enegociao, so os principais elementos que compem umaarquitetura orientada a servios. 19. Processo Distribudo de Negcio 20. Processo Distribudo deNegcio voc poderia desenvolver servios que compartilhem todas asfunes empresariais relevantes e ento codificar o processode negcio dentro de um aplicativo que acessa todos osservios atravs de uma SOA. 21. Integrao B2B Em muitos casos, as funes de negcios podem estardisponveis a partir de fornecedores externos ou parceiros denegcios. 22. Integrao B2B 23. Integrao B2B No entanto, a comunicao atravs da Internet ou outra redenormalmente suscita novas questes relacionadas protocolosde segurana. Alm disso, formatos de dados padronizadosso extremamente importantes. 24. Acoplamento Fraco Um grande exemplo de acoplamento forte uma invocaode mtodo local. Muitas abordagens preferem comunicaes simple, com trocade mensagens, tais como o RPC e RMI, suportado por diversosframeworks. 25. Acoplamento Fraco "os objetos que interagem em um sistema distribudo precisaser tratado de maneiras que so intrinsecamente diferentesdos objetos que interagem em um nico espao de endereo"[Waldo]. Waldo, J., Wyant, G., Wollrath, A., and Kendall, S., A Note on Distributed Computing, Technical Report SMLI TR-94-29, Sun Microsystems Laboratories, November 1994, http://citeseer.nj.nec.com/waldo94note.html 26. Soluo de integrao comAcoplamento fraco Devemos ter a capacidade de mover dados de um sistemapara outro, sem perceber as diferenas no formato de dados,encaminhar os dados para os sistemas necessrios emonitorizar o desempenho da soluo. 27. Soluo de integrao comAcoplamento fraco 28. Soluo de integrao comAcoplamento fraco As solues de integrao pode rapidamente tornar-secomplexas, pois lidam com mltiplas aplicaes, formatos dedados, canais de roteamento e de transformao. Todos esseselementos podem ser distribudos em vrias plataformasoperacionais e podem estar dispersas geograficamente. Parase ter alguma idia do que est acontecendo dentro dosistema, precisamos de uma funo de gerenciamento desistemas. Este subsistema controla o fluxo de dados, garanteque todos os aplicativos e componentes disponveis e ascondies de relatrios de erros em um local centralizado. 29. Estilos de integrao (cap2) Integrao de Aplicao a tarefa de fazer aplicaesseparadas trabalhar juntos para produzir um conjuntounificado de funcionalidades. Todas as empresas por menor que sejam na atualidadenecessitam trabalhar com algum mtodo que integre seussistemas aos de outras empresas, fornecedores ou governo. 30. Critrios de Integrao Acoplamento de aplicao - Mesmo aplicaes integradasdevem minimizar suas dependncias entre si de modo quecada uma possa evoluir sem causar problemas para a outra. Simplicidade na Integrao - Ao integrar aplicaes em umaempresa, os desenvolvedores devem se esforar paraminimizar a quantidade de cdigo de integrao necessrio. 31. Critrios de Integrao Tecnologia de integrao - tcnicas de integrao diferentesrequerem softwares especializados e hardware novo ou maisrobusto. Formato de dados - As aplicaes integradas devempadronizar o formato dos dados para intercambio, ou deve teruma tradutor intermedirio para unificar aplicaes queinsistem em diferentes formatos de dados. 32. Critrios de Integrao Atualizao dos dados - Integrao deve minimizar o tempona atualizao de dados entre as aplicaes. Dados ou servios - As aplicaes integradas no podemsimplesmente compartilhar dados, eles devem compartilhar afuncionalidade de tal forma que cada aplicativo possa chamara funcionalidade nos outros. 33. Critrios de Integrao Assincronia - processamento no computador geralmentesncrono, de modo que um procedimento espera enquanto asua subprocedimento executa. Um dado deve estar disponvelquando o procedimento necessitar utiliz-lo. Como ocorre namemria cache dirt data. 34. Opes de IntegraoTransferncia de arquivos - Faa com que cada aplicao produzaarquivos de dados compartilhados para outras.Banco de dados Compartilhado As aplicaes armazenam osdados que deseja compartilhar em um banco de dados comum.Invocao de Procedure Remoto Cada aplicao expe algunsdos seus procedimentos, para que possam ser invocadosremotamente, atravs de trocar de mensagens. 35. Opes de IntegraoTransferncia de arquivos - Faa com que cada aplicao produzaarquivos de dados compartilhados para outras.Banco de dados Compartilhado As aplicaes armazenam os dadosque deseja compartilhar em um banco de dados comum.Invocao de Procedure Remoto Cada aplicao expe alguns dosseus procedimentos, para que possam ser invocados remotamente.Mensagens Cada aplicao se conectar a um sistema de mensagenscomum, e trocar dados e chama procedimentos usando mensagens. 36. Integrao por Arquivo 37. Banco de dados Compartilhado 38. Procedimento Remoto 39. Procedimento Remoto 40. Concluso Mensagens tem o benefcio de permitir que as aplicaessejam muito mais dissociados umas das outras do que emInvocao de procedimento remoto e transferncia dearquivos. Como podemos ver usar as mensagens para integrao desistemas, h uma srie de novas questes a considerar eprticas que podemos empregar. 41. ExerccioVoc foi contratado por uma empresa desenvolvedora de softwareque comercializa um sistema de controle e armazena os dados emum banco de dados em Postgres, como o MER apresentada nafigura 1, e dever apresentar uma soluo para migrar dados de umbanco desconhecido para esse banco, sabendo-se que o bancodesconhecido consegue exportar os dados para xml ou txt (csv). Suaempresa ter de migrar os dados de um sistema antigo, como partedo contrato de adeso do sistema. D sua soluo, imaginando essasituao, segundo as caractersticas da ISO 1471/2000, onde aarquitetura deve considerar trs aspectos: descrio, objetivos efundamentao. 42. Figura 1 Modelo Cadastro de Clientes 43. MoodleImplemente sua prpria soluo de migrao de dados, considerea necessidade de se manter funcional os dois sistemas durante oprocesso de migrao. Enviar o trabalho compactado, com umdescritivo de Arquitetura do seu sistema e esquema deintegrao. Entrega 20/04/2012.