Capitulo 1.3.4.5.6.7.8 corrigido

download Capitulo 1.3.4.5.6.7.8 corrigido

of 198

Embed Size (px)

description

hdffressa

Transcript of Capitulo 1.3.4.5.6.7.8 corrigido

  • ndice I

  • I-2

    ndice

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • I-3

    ndice

    ndice geral

    Captulo

    1 Introduo

    Saudao ao cliente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3

    Histrico da empresa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4

    Meio ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-5

    Consideraes importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-6

    Como entender este manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-7

    Captulo

    2 Especificaes gerais

    Identificao do equipamento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-3

    Dados de identificao do produto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-4

    Especificaes tcnicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6

    Grfico de carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9

    Dados construtivos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-10

    Listas de mangueiras hidrulicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-18

    Captulo 3 Garantia

    Condies de garantia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3

    Certificado de garantia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-7

    Assistncia tcnica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-8

    Revendas Autorizadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-9

    Captulo 4 Montagem

    Informaes importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3

    Tipo de veculo adequado. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4

    Instrues de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-6

    Montagem mecnica. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-7

    Montagem hidrulica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-11

    Captulo

    5 Entrega tcnica

    Procedimentos de entrega tcnica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3

    Reviso de entrega tcnica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-4

  • I-4

    ndice

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    ndice geral

    Captulo

    6 Operao

    Informaes importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3

    Qualificao do operador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4

    Identificao dos componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-5

    Descrio dos comandos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-23

    Descrio das etiquetas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-28

    Procedimentos de operao . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-32

    Captulo 7 Segurana

    Informaes importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3

    Sistemas de segurana . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-4

    Limites da capacidade de carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-9

    Operao das lanas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-12

    Sistema hidrulico sob presso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-14

    Redes eltricas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-16

    Choque eltrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-17

    Procedimentos de segurana . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-18

    Normas de segurana. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-21

    Linguagem de sinais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-23

    Captulo 8 Manuteno

    Informaes importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3

    Procedimentos de segurana . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-4

    Ferramenta e recursos bsicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7

    Manuteno preventiva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-9

    Plano de manuteno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-17

    Lubrificantes recomendados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-23

    Sistema hidrulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-25

    Tubulao hidrulica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-32

    Regulagens de vlvulas e presses . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-40

    Lubrificao. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-47

    Pontos de inspeo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-57

    Torques de aperto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-67

    Diagnstico de anomalias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-71

  • Captulo 1

    Introduo

    1.1 Saudao ao cliente

    1.2 Histrico da empresa

    1.3 Meio ambiente

    1.4 Consideraes importantes

    1.5 Como entender este manual

  • 1-2

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • 1-3

    Introduo

    1.1 Saudao ao cliente

    Estimado cliente

    Agradecemos a sua confiana em adquirir um produto ARGOS .

    Cientes da utilidade, durabilidade e versatilidade que os produtos da marca

    ARGOS representam, sabemos que o equipamento adquirido vai proporcionar

    a voc os resultados desejados.

    Na elaborao deste manual foram consideradas diretrizes de racionalizao de

    custo e incorporao de novas tecnologias, visando melhor atendimento s

    reas descentralizadas da empresa.

    A sua concepo como premissa bsica a uniformizao das manutenes

    preventivas dos equipamentos de iamento de cargas, especificamente os

    guindastes articulados, em consonncia com as normas brasileiras e instrues

    dos fabricantes.

    Este manual estabelece ainda os parmetros necessrios ao uso correto,

    desempenho eficiente e segurana dos equipamentos. Desta forma, pre-

    tendemos mostrar a importncia de uma ao comum nas atividades da equipe

    de trabalho.

    Aqui voc encontrar explicaes sobre instalao, operao, cuidado e manu-

    teno dos guindastes hidrulicos fabricados pela ARGOS .

    Antes de colocar o equipamento em operao, leia atentamente este manual.

    Em caso de dvidas, mais informaes adicionais que se fizerem necessrias ao

    perfeito entendimento da operao do guindaste e reposio de peas, entre em

    contato com sua Revenda Autorizada ARGOS mais prxima ou diretamente

    com a fbrica.

    Alertamos que um guindaste mal operado, coloca em risco o operador e/ou

    terceiros e o prprio equipamento, e os eventuais danos so de responsabilidade

    nica e exclusiva do usurio.

  • 1-4

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    1.2 Histrico da empresa

    A ARGOS uma empresa que se destaca pela sua infra-estrutura, qualidade de

    seus produtos e pela constante busca de aperfeioamento tecnolgico.

    No ano de 2002 o grupo ARGOS adquiriu o direito de fabricao dos tradicionais

    e consagrados guindastes veiculares marca IMAP e seus 30 anos de mercado,

    agregando novos valores e princpios, baseados na tica, na confiana e no

    respeito aos colaboradores, parceiros e clientes.

    A constante busca por avanos tecnolgicos trouxe para a linha de montagem,

    materiais diferenciados, de forma a agregar benefcios importantes ao produto

    final. Um exemplo disso a utilizao das chapas de ao de extra e alta

    resistncia DOMEX, fabricadas pela SSAB Swedish Steel, empresa sueca lder

    mundial no setor.

    Sempre em busca das melhores solues em movimentao de carga,

    agregamos aos nossos produtos: versatilidade, durabilidade e altssimo controle

    de qualidade, levando aos clientes ARGOS a melhor relao custo-benefcio

    do mercado e o melhor valor de revenda.

    Nossa viso ser referncia em tica, tecnologia, servio e garantia de

    continuidade. Para isto, dispomos da mais ampla rede de Revendas Autorizadas

    e Assistncia Tcnica do pas, formada por um corpo de profissionais altamente

    qualificados, em contato permanente com a fbrica, disponibilizando

    atendimento imediato e eficaz em todo o territrio nacional.

  • 1-5

    Introduo

    1.3 Meio ambiente

    A ARGOS e o meio ambiente

    Na busca pela compatibilidade entre o desenvolvimento tecnolgico e a

    preservao do meio ambiente, a ARGOS considera os possveis impactos

    ambientais em todas as suas operaes industriais.

    Para garantir o tratamento de resduos ligados ao processo produtivo, conta

    com uma central de tratamento de efluentes, pioneira no plo industrial da

    regio, que assegura o equilbrio entre atividade industrial e meio ambiente.

  • 1-6

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    1.4 Consideraes importantes

    1. Os guindastes ARGOS foram projetados para operar por longo tempo,

    livres de avarias. Para tanto necessrio que se observe os limites de carga,

    a correta operao e os procedimentos de manuteno.

    2. Siga as informaes e instrues contidas neste manual, evitando que o

    equipamento sofra algum dano, acarretando prejuzos ao proprietrio e tam-

    bm a ARGOS e/ou terceiros.

    3. Observe sempre os perodos de reviso e lubrificao do equipamento.

    4. Sempre que necessria orientao e assistncia tcnica, consultar a ARGOS

    ou seu Revendedor Autorizado mais prximo, que possui estoque de peas

    originais e mecnicos treinados.

    Leia este Manual antes de operar

    o guindaste hidrulico ARGOS

    Recomendamos que todos os envolvidos na operao e

    manuteno do guindaste hidrulico articulado, leiam

    este manual e compreendam os procedimentos de

    operao e manuteno do guindaste.

  • A8-60 04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    Verificar o estado geral, folgas e desgaste das placas de nylon - inspecionar

    mensalmente ou a cada perodo de 200 horas.

    Verificar o movimento livre da haste do cilindro dentro do rasgo da guia (A).

    Figura 8-41

    Leia este Manual antes de operar

    o guindaste hidrulico Argos

    Verificar o estado geral, fixao e fazer reaperto geral - inspecionar mensal-

    mente ou a cada perodo de 200 horas.

    Verificar vazamentos e o funcionamento - inspecionar diariamente ou a cada

    perodo de 10 horas.

    Verificar o estado geral, fixao e fazer reaperto geral - inspecionar a cada 6

    meses ou 900 horas.

    Verificar vazamentos e rudos - insp ecionar diariamente ou a cada perodo de

    10 horas.

    Verificar o estado geral, fixao e aquecimento - inspecionar mensalmente ou

    a cada perodo de 200 horas.

    Manuteno

    8.11 Pontos de inspeo

    Controle do nvel de leo hidrulico

    1-7

    Introduo

    1.5 Como entender este manual

    Estrutura do documento

    O manual est estruturado em captulos especficos, a fim de organizar e

    agrupar as informaes que se interrelacionam em uma mesma seco.

    Entretanto, poder ocorrer de um ou mais assuntos em particular, virem a ser

    abordados em mais de um captulo deste manual.

    Esta redundncia se justifica, quando o objetivo for ampliar a quantidade de

    informaes disponveis, relacionadas com aqueles assuntos.

    Este manual tambm poder sofrer revises e ser complementado com anexos.

    A data da edio e o ndice de reviso esto no rodap da pgina.

    Visando facilitar o entendimento do usurio deste manual, segue a descrio de

    uma pgina tpica.

    Nome do captulo Nome do sub-captulo

    Nome do item

    Avisos e lembretes

    de segurana

    Nmero da pgina

    Balo de refernciaData da edio e

    ndice de reviso

    Texto

    Ilustraes em geral

    Nmero da figura

  • 1-8

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    1.5 Como entender este manual

    Este manual apresenta vrios lembretes sobre a segurana em geral, chamadas

    de ateno para pontos importantes, avisos e observaes sobre cuidados e

    procedimentos a serem seguidos na operao e manuteno dos guindastes

    hidrulicos articulados fabricados pela ARGOS .

    O objetivo principal reforar a ateno e cuidados dos proprietrios, usurios,

    operadores e pessoal de suporte, para executar procedimentos seguros na ope-

    rao e manuteno de seus equipamentos ARGOS .

    Para isto, importante em primeiro lugar, saber identificar os lembretes e

    mensagens, atravs das etiquetas afixadas no equipamento ou smbolos indi-

    cativos neste manual.

    Alguns pontos importantes:

    Ler com ateno os lembretes e mensagens deste manual e das etiquetas

    afixadas no guindaste.

    Manter as etiquetas em bom estado de conservao.

    Substituir as etiquetas deterioradas ou faltantes. Solicitar novas etiquetas

    ao seu Revendedor Autorizado ARGOS .

    Simbolos de alerta de segurana

    Smbolos de AVISO utilizados neste manual

    ALERTA DE SEGURANA

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para situaes de alto potencial de

    risco de acidente. Siga as recomendaes e procedi-

    mentos seguros destacados por este smbolo.

    RISCO DE ESCORREGAR E CAIR

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de quedas por

    escorregamento.

  • 1-9

    Introduo

    1.5 Como entender este manual

    RISCO DE LESO POR LEVANTAR PESO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de leses por levantar

    ou manusear objetos com peso acima do permitido.

    RISCO DE ESMAGAR OS DEDOS DA MO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de esmagamento dos

    dedos da mo.

    RISCO DE ESMAGAR A MO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de esmagamento da

    mo por objeto pesado.

    RISCO DE PRENDER OS DEDOS

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de prender os dedos da

    mo em uma corrente, corda ou cabo de ao.

    RISCO DE CORTAR A MO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de ter a mo cortada

    por objeto pontiagudo ou com aresta afiada.

  • 1-10

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    1.5 Como entender este manual

    JATO DE LEO A ALTA PRESSO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de ser atingido por um

    jato de leo hidrulico a alta presso.

    SUPERFCIE OU OBJETO QUENTE

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de tocar ou manusear

    algum objeto ou superfcie a alta temperatura.

    VAZAMENTO DE LEO SOB PRESSO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de tocar ou manusear

    mangueiras com leo vazando a alta presso.

    RISCO DE ESMAGAR O P

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco de esmagamento do p

    pela sapata estabilizadora.

    ESTABILIDADE DO GUINCHO

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, esteja alerta para o risco do equipamento estar

    mal apoiado na base ou mal nivelado.

  • 1-11

    Introduo

    1.5 Como entender este manual

    Smbolos de PROIBIO utilizados neste manual

    PROIBIDA A CIRCULAO DE PESSOAS

    Ao localizar este smbolo no seu manual, o mesmo

    indica que deve ser proibida a circulao ou presena de

    pessoas estranhas na rea de trabalho do guindaste.

    PROIBIDO EXECUTAR OU MANUSEAR

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, o mesmo indica que determinada ao ou proce-

    dimento no deve ser executado, assim como deter-

    minado componente no deve ser manuseado.

  • 1-12

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    1.5 Como entender este manual

    Smbolos de RECOMENDAO utilizados neste manual

    LIMPAR E LAVAR AS MOS

    Ao localizar este smbolo no seu manual, o mesmo indica

    que aps executar as tarefas destacadas por ele, deve-se

    limpar e lavar as mos.

    USAR O EPI

    Ao localizar este smbolo no seu equipamento ou neste

    manual, o mesmo indica o USO OBRIGATRIO do

    EPI - Equipamento de Proteo Individual. este smbolo.

    UTILIZAR LUVAS

    Ao localizar este smbolo no seu manual, o mesmo indica

    que para executar as tarefas destacadas por ele, deve-se

    utilizar proteo adequada.

    UTILIZAR VESTIMENTA ADEQUADA

    Ao localizar este smbolo no seu manual, o mesmo indica

    que para executar as tarefas destacadas por ele, deve-se

    utilizar vestimenta adequada.

  • 1-13

    Introduo

    1.5 Como entender este manual

    Smbolos de ORIENTAO utilizados neste manual

    ATENO

    Ao localizar este sinal no seu manual, o mesmo indica que

    as informaes destacadas por ele devem ser observadas

    com ateno.

    NOTAS e OBSERVAES

    Ao localizar este smbolo no seu manual, o mesmo indica

    que as informaes destacadas por ele, complementam os

    dados constantes no manual ou enfatizam determinados

    pontos.

    CONSULTAR OS MANUAIS

    Ao localizar este smbolo no seu manual, o mesmo

    sinaliza que as informaes destacadas por ele esto

    detalhadas com dados complementares nos manuais

    tcnicos indicados.

  • 1-14

    Introduo

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    1.5 Como entender este manual

    Os lembretes de segurana so identificados pelo smbolo de alerta de segu-

    rana e pela descrio Perigo, Ateno e Cuidado.

    O lembrete Perigo informa sobre alto risco de acidente, o lembrete Ateno

    informa sobre medidas gerais de segurana e o lembrete Cuidado informa sobre

    cuidados gerais a serem tomados.

    Lembretes de segurana

    Ao localizar este lembrete no seu equipamento ou neste manual, esteja

    alerta para situaes de alto de risco de acidente. Siga as recomendaes e

    procedimentos seguros destacados por este smbolo.

    Ao localizar este lembrete no seu equipamento ou neste manual, esteja

    alerta para prestar ateno e seguir medidas gerais de segurana. Siga as

    recomendaes e procedimentos seguros destacados por este smbolo.

    Ao localizar este lembrete no seu equipamento ou neste manual, esteja

    alerta para tomar cuidado com detalhes especficos ou procedimentos. Siga

    as recomendaes e procedimentos seguros destacados por este smbolo.

  • Captulo 3

    Garantia

    3.1 Condies de garantia

    3.2 Certificado de garantia

    3.3 Assistncia tcnica

    3.4 Revendas Autorizadas

  • 3-2

    Garantia

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • 3-3

    Garantia

    3.1 Condies de garantia

    Condies gerais de garantia argos

    Todos os guindastes so cuidadosamente inspecionados e testados antes da

    entrega para o cliente.

    A ARGOS garante suas peas, acessrios e equipamentos que em servio e

    uso normal apresentam a seu juizo, defeitos de fabricao, desde que sejam

    respeitadas as seguintes condies:

    1. A garantia valida pelo prazo de 06 meses, a partir da data de emisso da

    nota fiscal e do retorno do Certificado de Garantia completa e corretamente

    preenchido ARGOS .

    2. Fica convencionado que a ARGOS no dar qualquer garantia no que con-

    cerne aos comandos e bombas hidrulicas, bem como outros itens que no

    sejam de sua fabricao.

    3. A presente garantia cobre as peas defeituosas que forem analisadas pelo

    Departamento Tcnico ARGOS e tiverem constatada a existncia do

    defeito de fabricao. Assim sendo, a Revenda Autorizada ARGOS ter

    crdito correspondente em sua conta corrente. Ser de responsabilidade do

    Revendor Autorizado, o frete, a mo-de-obra e outras despesas incorridas.

    As despesas e os riscos decorrentes de alteraes necessrias instalao

    em veculos de responsabilidade do usurio.

    4. A garantia no ter validade se os produtos da ARGOS forem submetidos a

    empregos inadequados, uso de lubrificantes imprprios, negligncia da

    operao e manuteno, adaptaes e emprego de peas no genunas ou

    quando no instalados corretamente.

    5. A ARGOS no conceder garantia de componentes hidrulicos e mecni-

    cos por possveis danos causados ao equipamento em utilizao de tomadas

    e bombas no adquiridas atravs da fbrica ou com a aprovao da engen-

    haria da mesma.

    6. Em hiptese alguma, os defeitos de fabricao sero motivos de resciso do

    contrato de compra e venda ou daro direito indenizao de qualquer

    natureza.

    7. Esta garantia intransfervel e somente ter validade quando for entregue

    pelo Revendedor Autorizado e remetida no prazo estipulado, para a

    .ARGOS

  • 3-4

    Garantia

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    3.1 Condies de garantia

    Informaes importantes sobre a garantia argos

    1. O Certificado de Garantia ARGOS entregue ao comprador juntamente

    com o equipamento, no ato da assinatura do relatrio de entrega do equipa-

    mento. O carto Controle de Reviso e Manuteno que faz parte do Certi-

    ficado de Garantia dever ser preenchido e remetido pelo comprador para a

    ARGOS o mais breve possvel.

    2. absolutamente indispensvel a apresentao do Certificado de Garantia

    ARGOS por ocasio da solicitao da reposio de peas em garantia.

    3. A ARGOS reserva-se o direito de alterar a caractersticas tcnicas dos seus

    produtos, modific-los e/ou aperfeio-los, sem que isto a obrigue a pro-

    ceder as alteraes nos produtos anteriormente fabricados.

    Na prxima pgina, est a ficha de Identificao do

    Equipamento, para ser copiada e preenchida com os

    dados do seu guindaste ARGOS quando for necessrio

    fazer solicitaes de garantia.

    Argos Guindastes Ind. e Com. S.A.

    Rodovia RS 030 Km 61 n 1450 - Fone: (51)3662-3505

    CEP 95500-000 - Santo Antnio da Patrulha - RS

    www.argosguindastes.com.br

    MODELO

    NMERO

    ANO

    CAPACIDADE

    PESO

    PRESSO

    Figura 6-1

    AGI 23.5-18.9/43

    5272696

    23.500 KGFM

    4.706 KGF

    2006 210 BAR

  • 3-5

    Garantia

    3.1 Condies de garantia

    Ficha de Identificao do Equipamento

    MODELO:

    CAPACIDADE:

    NMERO:

    ANO:

    PRESSO:

    PESO:

    PGINA:

    N DA PEA:

    NOME DA PEA:

    Sempre que forem solicitadas peas de reposio ou quaisquer outras

    informaes sobre o equipamento, identific-lo conforme os dados lista-

    dos na tabela acima.

    Estes dados encontram-se registrados na plaqueta de identificao fixada

    na torre do equipamento (fig. 6-1),

    No caso das peas, identific-las atravs da pgina do catlogo, nmero

    de ordem na lista e descrio da pea de cada conjunto.

    Veja exemplo de preenchimento da ficha na prxima pgina.

  • 3-6

    Garantia

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    3.1 Condies de garantia

    Modelo da ficha de Identificao do Equipamento

    MODELO: AGI 23.5-18.9/43

    CAPACIDADE: 23.500 kgfm

    NMERO: 5272696

    ANO: 2005

    PRESSO: 210 bar

    PESO: 5.038 kgf

    PGINA: 33

    N DA PEA: 01

    NOME DA PEA: PINO DA TORRE

    As informaes acima se referem ao equipamento,

    juntamente com os dados da pea Pino da torre.

    No conjunto montado da torre, os dados da item como

    n da pea e nome da pea foram obtidos na lista

    constante na pgina 33 do Catlogo de Peas.

    MODELO

  • 3-7

    Garantia

    3.2 Certificado de garantia

    O Certificado de Garantia ARGOS

    O certificado de garantia contm o nmero de identificao constante da pla-

    queta fixada na torre do equipamento (fig. 6-1) e demais informaes a

    respeito da garantia conforme a ilustrao abaixo:

  • 3-8

    Garantia

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    3.3 Assistncia tcnica

    Definio do local da assistncia tcnica

    Visando proporcionar uma assistncia tcnica gil e eficaz aos nossos clientes,

    informamos o seguinte:

    Os clientes tm o direito de dirigir-se a qualquer Revenda Autorizada

    ARGOS para resolver problemas dentro e fora do perodo de garantia.

    Para tal suporte, no obrigatrio dirigir-se Revenda Autorizada argos

    que efetivou a venda do equipamento.

    O deslocamento do equipamento at as dependncias da Revenda Autori-

    zada ARGOS que prestar o atendimento, responsabilidade do cliente.

  • Captulo 4

    Montagem

    4.1 Informaes importantes

    4.2 Tipo de veculo adequado

    4.3 Instrues de montagem

    4.4 Montagem mecnica

    4.5 Montagem hidrulica

  • 4-2

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • 4-3

    Montagem

    4.1 Informaes importantes

    Este captulo apresenta instrues especficas para a montagem de seu

    guindaste. Aqui esto as informaes necessrias para preparar o chassi do

    caminho para a instalao do guindaste ARGOS com eventual reforo do

    chassi, alm de instrues relativas instalao da tomada de fora ou PTO e

    da bomba hidrulica.

    Estas informaes tm por objetivo gui-lo durante a instalao de seu

    guindaste ARGOS , com instrues que se aplicam de modo geral a diversos

    modelos de caminhes. Os guindastes tambm podem ser do tipo estacionrio,

    instalados em base de concreto, trens ou navios, dependendo da sua utilizao.

    Antes da instalao, faa uma avaliao do caminho, para assegurar uma

    montagem apropriada.

    Verifique se o caminho onde ser montado o guindaste,

    atende as especificaes mnimas do chassi informadas

    na seo 4.2 Tipo de veculo adequado.

    Antes de instalar o guindaste e os componentes

    hidrulicos, certifique-se que o chassi est pronto para

    receber o equipamento.

    O guindaste articulado deve ser montado em veculo apropriado, com

    capacidade de carga compatvel com o peso do equipamento, ou seja, no

    P.B.T. adequado, fixado ao sobrechass i, com a coluna posicionada no lado

    esquerdo do motorista ou centralizada de modo a permitir a instalao de

    carroceria adaptada ao tipo de trabalho a ser executado.

  • 4-4

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    4.2 Tipo de veculo adequado

    Orientao para escolha do veculo

    Para cada um dos modelos de guindaste, foram definidas as caractersticas dos

    veculos adequados para a montagem dos equipamentos.

    A tabela abaixo indica para cada modelo de guindaste ARGOS , duas

    caractersticas que o veculo a ser utilizado para a montagem do guindaste

    deve atender: o peso bruto total ou PBT e a distncia entre eixos.

    Modelo Valor mnimo do PBT

    superior

    [ kgf ]

    Distncia mnima

    entre eixos

    [ mm ]

    AGI 4.0-7.1/21 4.000 4.200

    AGI 7.5-6.0/21 7.000 4.200

    AGI 9.5-12.1/23 10.000 4.200

    AGI 11.0-12.1/23 10.000 4.200

    AGI 12.5-11.1/23 13.000 4.200

    AGI 16.5-13.6/23 15.000 4.200

    AGI 20.0-11.5/23 20.000 4.200

    AGI 23.5-18.9/43 19.000 4.200

    AGI 33.0-17.7/43 22.500 4.200

    AGI 40.5-17.7/43 22.500 4.200

    AGI 43.0-17-7/43 22.500 4.200

    TKA 70.0-23.8/53 30.000 4.200

    A distncia entre eixos indicada na tabela acima v-

    lida somente para caminhes.

    Para cada modelo de caminho est disponvel o sobre-

    chassi correspondente.

    ARGOS

  • 4-5

    Montagem

    4.2 Tipo de veculo adequado

    Ao adquirir um novo caminho, verificar o peso bruto

    total PBT mais apropriado para a montagem do seu

    guindaste ARGOS .

    Se for empregado um caminho que j est em uso,

    verificar se o peso bruto total - PBT do mesmo atende

    aos requisitos da tabela 5-1.

    Para outros casos de peso bruto total - PBT e distncia

    entre eixos, recomendamos consultar a fbrica ou as

    Revendas Autorizadas da sua regio.

    Nunca utilizar o equipamento no seu momento mximo de carga, sem que o

    caminho tenha um lastro de carga que seja, pelo menos, igual a 85% do

    seu peso bruto total - PBT.

    Em caso de dvidas, consulte a fbrica ou as Revendas Autorizadas da sua

    regio.

  • 4-6

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    4.3 Instrues de montagem

    Instrues de montagem no veculo

    Se possvel, utilizar uma bomba hidrulica montada diretamente na tomada de

    fora ou PTO.

    Esta montagem eliminar a necessidade de usar um eixo cardan auxiliar de

    acionamento e mais fcil de instalar, eliminando o ngulo do sistema

    propulsor e perda de eficincia.

    O funcionamento do sistema tambm fica mais silencioso e requer menos

    manuteno.

    Os fabricantes de tomadas de fora fornecem ins-

    trues especficas para instalao de seus produtos.

    Estas instrues devem ser seguidas ao instalar a

    tomada de fora no caminho.

    Poder ser necessrio alterar a posio ou modificar os

    componentes do sistema de escapamento do caminho

    para instalar a tomada de fora.

    Durante e aps a montagem, recomendamos que sejam feitas verificaes

    para garantir a qualidade da instalao e evitar que possveis falhas causem

    mau funcionamento do equipamento.

    No prximo captulo, Cap. 5 - Entrega Tcnica, na seo 5.2 so

    apresentadas as listas de verificao, que devem ser usadas tanto durante o

    processo de montagem como durante a preparao para a partida inicial e

    posta em marcha. Aconselhamos copiar as respectivas listas e

    disponibilizar ao encarregado da montagem .

  • 4-7

    Montagem

    4.4 Montagem mecnica

    Sequncia de montagem mecnica

    1. Desmontar a carroceria do caminho, caso seja necessrio.

    2. Instalar a tomada de fora na caixa de marchas do caminho (fig. 4-1).

    3. Usando outro guindaste ou talha e correias de capacidade adequada ao peso

    do equipamento, suspenda o guindaste um pouco acima da base, para veri-

    ficar se est bem equilibrado.

    Caso no esteja, abaixe o equipamento e ajuste a posio das correias.

    Verifique mais uma vez o equilbri o e posicione o guindaste de maneira

    que a superfcie de montagem esteja nivelada.

    4. Verificar a necessidade de usar reforos, sobre-chassi e outras modificaes

    no chassi original do veculo (fig. 4-2).

    5. Posicionar e alinhar o guindaste sobre o chassi do caminho e deixar

    espao suficiente entre a cabine e o guindaste, pelo menos uns 12 a 13 cm.

    6. Fixar os tirantes a apertar as porcas manualmente at o conjunto estar firme

    no lugar. Colocar calos internos para evitar o esmagamento das abas das

    longarinas do chassi, antes de apertar em definitivo as porcas dos tirantes.

    Figura 4-1

  • 4-8

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    4.4 Montagem mecnica

    7. Apertar as porcas com o torque recomendado conforme as tabelas de tor-

    ques de aperto do Captulo 8 - Manuteno - item 8.12 (fig. 4-3).

    No ultrapassar o torque de aperto recomendado, sob

    risco de amassar as longarinas do chassi.

    Figura 4-2

    Figura 4-3

  • 4-9

    Montagem

    4.4 Montagem mecnica

    8. Instalar a extenso do cabo do acelerador para permitir o comando externo

    da rotao do motor (fig. 4-4), bem como o dispositivo de acionamento da

    tomada de fora (fig. 4-5).

    Figura 4-4

    Figura 4-5

  • 4-10

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    4.4 Montagem mecnica

    Evitar curvas com raio pequeno no cabo flexvel - fazer

    curvas com raio mnimo de 15 cm.

    Instalar o cabo flexvel de modo a ficar bem folgado e

    com o menor nmero de curvas possvel.

    Curvas fechadas aumentam muito o esforo para acio-

    nar o cabo.

    9. Uma vez concluda a montagem, pintar as peas e reas que ainda no tem

    camada de tinta protetora (fig. 4-6).

    Figura 4-6

  • 4-11

    Montagem

    Sequncia de montagem hidrulica

    1. Antes de montar a bomba hidrulica, verificar se a rotao de trabalho da

    bomba hidrulica a mesma da tomada de fora.

    A rotao da bomba hidrulica geralmente indicada por uma plaqueta

    com desenho de uma flecha ou a flecha est estampada na carcaa da

    bomba (fig. 4-7).

    Caso a rotao da bomba seja diferente, contate a Revenda Autorizada.

    O conjunto tomada de fora e bomba hidrulica so dimensionados,

    levando em conta as rotaes de trabalho do motor, conforme o modelo de

    veculo onde o guindaste ser instalado.

    Portanto, em hiptese alguma, o conjunto tomada de fora e bomba

    hidrulica, definido pela ARGOS para o seu modelo especfico de veculo,

    poder ser modificado. Se tal acontecer, haver alteraes nas velocidades

    de operao, comprometendo a integridade do equipamento e colocando

    em risco a segurana de operao

    Figura 4-7

    4.5 Montagem hidrulica

  • 4-12

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    2. A bomba hidrulica poder ser instalada de duas maneiras:

    A - montagem direta da bomba na tomada de fora - neste caso a bomba

    acoplada diretamente na tomada de fora.

    O acionamento da bomba se d atravs da luva estriada da tomada de fora,

    onde encaixa o eixo estriado da bomba.

    Esta a montagem mais segura e eficiente.

    B - montagem da bomba em suporte - neste caso a bomba acionada por um

    eixo cardan, que conecta o eixo da bomba ao eixo motriz da tomada de

    fora.

    A bomba montada em um suporte aparafusado ao chassi do caminho.

    No acionar o motor do caminho com a bomba hi-

    drulica sem leo, pois a mesma sofrer danos irre-

    parveis.

    Tamponar as tomadas de suco e presso da bomba ou

    as mangueiras, se for o caso, antes de comear a mon-

    tagem da bomba e do guindaste.

    A bomba e o sistema hidrulico podero ser danifica-

    dos por causa de sujeira ou partculas que venham a

    entrar no sistema hidrulico.

    3. Instalar as mangueiras de suco e presso, verificando o perfeito assen-

    tamento das conexes e anis de vedao (A e B - fig. 4-8).

    Apertar de modo uniforme os parafusos dos flanges.

    No apertar em excesso as conexes hidrulicas,

    terminais de mangueiras e flanges.

    4.5 Montagem hidrulica

  • 4-13

    Montagem

    4.5 Montagem hidrulica

    4. Abastecer o tanque com o leo hidrulico recomendado, verificando o

    nvel no visor. Observar junto bomba hidrulica e mangueiras se h ind-

    cios de vazamentos de leo (A e B - fig. 4-8).

    4. Aguardar de 20 a 30 minutos e verificar o nvel do leo novamente. Com-

    pletar o nvel se for necessrio.

    Figura 4-8

    A

    B

    Figura 4-9

  • 4-14

    Montagem

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • Captulo 5

    Entrega Tcnica

    5.1 Procedimentos de entrega tcnica

    5.2 Reviso de entrega tcnica

  • 5-2

    Entrega tcnica

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • 5-3

    Entrega tcnica

    5.1 Procedimentos de entrega tcnica

    A entrega tcnica ARGOS

    Os procedimentos de entrega tcnica tem por objetivo definir as

    responsabilidades do cliente e do fornecedor, em todas as etapas do processo

    de Entrega Tcnica ARGOS , que compreende desde a chegada do equi-

    pamento na Revenda Autorizada, at a liberao do equipamento para

    operao por parte da Revenda Autorizada ARGOS.

    A Revenda Autorizada ARGOS executar e supervisionar a montagem do

    equipamento objeto do fornecimento, sendo que a mesma no se

    responsabiliza pela performance e funcionamento de equipamentos fora do

    escopo de fornecimento ARGOS.

    Montagem do equipamento

    A instalao e montagem do equipamento no veculo do cliente ser executada

    pela Revenda Autorizada, com acessoramento e superviso da fbrica,

    seguindo as normas de segurana e as instrues fornecidas pela ARGOS .

    Figura 5-1

  • 5-4

    Entrega tcnica

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Verificaes antes da entrega tcnica

    Todo o processo de fabricao e montagem dos guindastes na fbrica,

    acompanhado por um minucioso sistema de inspeo e controles, com o

    registro dos principais dados de cada produto fabricado no Relatrio de

    Produo (fig. 5-1, 5-3 e 5-4). So coletadas informaes como nmeros de

    srie dos componentes hidrulicos: cilindros, vlvulas, comandos e bombas;

    tomada de fora, regulagens das presses hidrulicas e nmero de srie do

    guindaste e data e nome do montador.

    Antes da expedio do equipamento na fbrica, feita a verificao de

    entrega, com o preenchimento do Relatrio de Entrega (fig. 5-2 e 5-5).

    Ao fazer a entrega dos equipamento ARGOS , as Revendas Autorizadas

    procedem a reviso de entrega tcnica, verificando as condies do

    equipamento que o cliente ir receber.

    Da mesma forma, o cliente poder fazer a verificao das condies do seu

    equipamento, durante ou logo aps a entrega, utilizando a lista de verificaes

    que segue abaixo.

    Se for constatada qualquer no-conformidade, o cliente dever notificar a

    Revenda Autorizada imediatamente.

    Figura 5-2

  • 5-5

    Entrega tcnica

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Relatrio de Produo

    Figura 5-3

  • 5-6

    Entrega tcnica

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Relatrio de Produo

    Figura 5-4

  • 5-7

    Entrega tcnica

    Relatrio de Entrega

    Figura 5-5

    5.2 Reviso de entrega tcnica

  • 5-8

    Entrega tcnica

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Pontos a revisar na entrega tcnica

    Aps a montagem do equipamento e precedendo a entrega ao cliente, dever

    ser feita a reviso de entrega tcnica, com a verificao de vrios pontos

    importantes do equipamento, seus acessrios e funcionamento em geral.

    As tabelas a seguir listam os pontos que devem ser conferidos.

    Reviso geral da montagem e acabamento

    Todos os componentes mecnicos standard esto montados correta-

    mente no equipamento.

    Todos os componentes opcionais esto montados corretamente no equi-

    pamento.

    Todos os tirantes e jumelos esto montados corretamente no lugar.

    Porcas e arruelas de fixao dos tirantes esto no lugar e apertadas.

    Parafusos, arruelas e porcas esto no lugar e apertados.

    A pintura no apresenta riscos, manchas ou falta de retoques.

    Todos os adesivos, plaquetas e etiquetas esto nos devidos lugares.

    As etiquetas das alavancas de comando esto coladas corretamente.

    Todos os pinos esto no lugar e podem ser retirados e recolocados sem

    dificuldade.

    Todos os pinos de segurana esto no lugar e podem ser retirados e

    recolocados sem dificuldade.

    Todos os contrapinos e arruelas espaadoras esto no lugar.

    Todas as graxeiras esto lubrificadas.

    As lanas e guias de deslizamento esto lubrificadas.

    As lanas manuais podem ser estendidas e recolhidas normalmente.

    Os estabilizadores laterais e guias de deslizamento esto lubrificados.

    Os estabilizadores podem ser estendidos e recolhidos normalmente.

    A tomada de fora, o sistema de acionamento da tomada, o suporte da

    tomada de fora, a bomba hidrulica e o cardan e o hormetro, se for o

    caso, esto montados corretamente no lugar.

  • 5-9

    Entrega tcnica

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Reviso geral da instalao hidrulica

    O tanque de leo hidrulico est abastecido e no nvel correto.

    Todas as mangueiras e tubulaes esto montadas corretamente no

    equipamento.

    Todas as mangueiras, tubulaes, flanges e conexes hidrulicas esto

    apertadas e sem sinal de vazamentos.

    Todas as vlvulas e comandos hidrulicos esto firmes no lugar e sem

    sinal de vazamentos.

    Todas as porcas e parafusos de regulagem das vlvulas e comandos

    hidrulicos esto travados e sem sinal de vazamentos.

    As mangueiras hidrulicas esto livres, sem curvas fechadas ou presas

    ou amassadas por outros componentes do equipamento.

    As alavancas dos comandos hidrulicos funcionam normalmente

    quando acionadas pelos dois lados do chassi.

    Partida inicial do sistema hidrulico

    Posicionar o caminho em um local plano, ligar o motor e deixar em

    marcha lenta.

    Ligar a tomada de fora e verificar o funcionamento do hormetro, se

    for o caso, e do sinalizador visual de funcionamento da tomada, no pai-

    nel.

    Deixar o leo hidrulico circulando pelo sistema durante pelo menos

    20 a 30 minutos, para espelir as bolhas de ar e aquecer o leo. Verificar

    se h vazamentos localizados.

    Testar o funcionamento do acelerador da bomba e levar at a rotao de

    trabalho.

    Deixar o leo hidrulico circulando por mais 5 minutos. Verificar se h

    vazamentos localizados. Verificar o indicador de contaminao do fil-

    tro hidrulico de retorno.

  • 5-10

    Entrega tcnica

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Reviso geral de funcionamento e liberao

    Verificar o nvel do leo hidru lico e completar se necessrio.

    Acionar levemente os comandos, verificando se as funes correspon-

    dem ao comando indicado nas etiquetas.

    Executar 2 giros completos de 360 da torre.

    A torre gira normalmente para os dois lados, at o fim do curso, sem

    rudos ou vibrao

    Testar todas as demais funes hidrulicas executando dois ciclos com-

    pletos. Verificar se os coma ndos funcionam corretamente.

    O cilindro do brao abre e fecha normalmente at o fim do curso.

    O brao se movimenta normalmente, sem rudos ou vibrao.

    O cilindro da lana abre e fecha normalmente at o fim do curso.

    A lana se movimenta normalmente, sem rudos ou vibrao.

    As lanas telescpicas podem ser estendidas e recolhidas normalmente,

    sem rudos ou vibrao.

    Os estabilizadores laterais hidrulicos podem ser estendidos e reco-

    lhidos normalmente, sem rudos ou vibrao.

    As sapatas de apoio podem ser baixadas e recolhidas normalmente, sem

    rudos ou vibrao.

    Testar o funcionamento do guincho a cabo, se for o caso.

    Colocar o guindaste em posio de operao e testar o seu funciona-

    mento com carga. Testar em diversas posies e nos limites de carga

    estabelecidos no grfico de carga.

    Verificar todos os cilindros hidru licos quanto a vazamentos.Inspecio-

    nar as hastes dos cilindros quanto a vazamentos.

    Verificar visualmente se h trincas ou rupturas nos cordes de solda.

    Testar o funcionamento do limitador de momento, se for o caso.

    Instalar e testar o funcionamento dos acessrios que acompanham o

    equipamento, se for o caso.

    Verificar se o operador domina perfeitamente todas os comandos e pro-

    cedimentos de operao e entendeu todas as normas de segurana para

    operao do equipamento.

  • 5-11

    Entrega tcnica

    5.2 Reviso de entrega tcnica

    Liberao de equipamento para operao

    Aps a instalao do equipamento e a reviso de entrega tcnica por parte da

    Revenda Autorizada argos , ser procedida a entrega ao cliente.

    Nesta ocasio, ser feito o treinamento do operador, se necessrio, bem como

    uma demonstrao do funcionamento do guindaste.

    Tambm sero repassadas ao usurio informaes importantes sobre

    manuteno preventiva e segurana na operao.

    Considera-se o equipamento liberado para operao a partir do preenchimento

    completo do cupom da reviso de entrega tcnica, com a aprovao e chancela

    do cliente e a entrega do Certificado de Garantia argos para o mesmo

    cliente.

  • 5-12

    Entrega tcnica

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • Captulo 6

    Operao

    6.1 Informaes importantes

    6.2 Qualificao do operador

    6.3 Identificao dos componentes

    6.4 Descrio dos comandos

    6.5 Descrio das etiquetas

    6.6 Procedimentos de operao

  • 6-2

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • 6-3

    Operao

    6.1 Informaes importantes

    Estes procedimentos foram estabelecidos pela prtica na operao, experincia

    e conhecimento do equipamento, tendo em mente o trabalho com segurana e

    eficincia operacional.

    Os acessrios opcionais do guindaste ARGOS , ou qualquer outro acessrio

    especial criado pelo prprio usurio, requer algumas adaptaes, mas os

    procedimentos bsicos e de segurana no mudam na seqncia de operaes.

    Os guindastes ARGOS so de fcil operao. Depois

    de poucas horas de treinamento, o operador estar apto

    a operar o guindaste.

    Entretanto, um tempo maior necessrio para educar o

    operador de maneira us-lo com a mxima eficincia e

    segurana, nas necessidades mais particulares do seu

    trabalho.

    Recomendamos que todos os envolvidos na operao

    do guindaste hidrulico, leiam este manual e com-

    preendam os procedimentos para operao do equipa-

    mento.

  • 6-4

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.2 Qualificao do operador

    Qualificao e habilidades do operador

    Recomendamos que a permisso para operar um guindaste vecular, seja

    concedida somente ao pessoal que esteja enquadrado em pelo menos uma das

    situaes abaixo:

    Operador experiente e treinado no uso do guindaste.

    Operador em treinamento, sob a superviso de um operador experiente.

    Mecnico de manuteno de guindastes na execuo das suas tarefas.

    Chefes de oficina e inspetores acompanhados de operador experiente.

    Os guindastes no devem ser operados por pessoas sob o efeito de lcool,

    drogas, medicamentos ou outras substncias que possam alterar os nveis

    de ateno, reflexos e seu estado emocional.

    Recomendamos que as condies fsicas dos operadores e pessoal em

    treinamento atendam aos seguintes requisitos:

    Viso em boas condies, com ou sem o uso de lentes corretivas.

    Viso perifrica normal - percepo de profundidade e do campo de viso.

    Habilidade de distinguir cores, se o reconhecimento ou diferenciao de

    cores for necessria para operao segura do guindaste.

    Audio em boas condies.

    Coordenao motora, pacincia, agilidade e vigor fsico para atender as

    demandas da operao do guindaste.

    Estabilidade emocional.

  • 6-5

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    Um guindaste hidrulico articulado constitudo de dois conjuntos de

    componentes: componentes do sistema mecnico e componentes do sistema

    hidrulico.

    Tambm podem ser acoplados vrios dispositivos opcionais, que so utili-

    zados para executar operaes especficas.

    Alguns itens constantes neste manual e descritos a seguir

    so opcionais, como por exemplo o hormetro e a vlvula

    limitadora de momento.

    Componentes do sistema mecnico

    a) Sobre-chassi

    Estrutura que confere proteo mecnica ao chassi do caminho no qual ser

    montado o guindaste hidrulico articulado.

    O sobre chassi fabricado com chapas de ao de alta resistncia e unidas pelo

    processo de solda MIG, com gs inerte, que assegura soldas de altssima

    qualidade e alta resistncia mecnica.

    Este componente fixado ao chassi do caminho com grampos de ao, de

    forma a no interferir com a estrutura original do chassi do veculo e tampouco

    comprometer a sua segurana.

    Figura 6-1

  • 6-6

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    b) Base

    Estrutura que sustenta o guindaste, fixada ao chassi e/ou sobre chassi com

    grampos de ao, de forma a no interferir com a estrutura original do mesmo e

    nem comprometer a sua segurana.

    Parte da estrutura usada como reservatrio do leo do sistema hidrulico que

    veremos adiante.

    Nas laterais da base h um sistema de repouso para o brao, revestido com

    borracha, que serve para apoiar e fixar o brao de forma segura, durante o

    transporte.

    A base fabricada com chapas de ao estrutural de alta resistncia, soldadas

    pelo processo MIG, com cordes de solda estanques.

    c) Sapatas estabilizadoras

    So componentes que atuam estabilizando o caminho no local de trabalho,

    evitando deslocamentos e tores do chassi, por falta de pontos de apoio

    estveis.

    Geralmente os guindastes tm dois conjuntos de sapatas, com extenso lateral

    manual ou opcionalmente com extenso e fechamento hidrulico (fig.6-3).

    Figura 6-2

  • 6-7

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    d) Torre

    Estruturas montadas sobre a base, construda com chapas de ao estrutural de

    alta resistncia e soldadas atravs do processo MIG. Na parte inferior est o

    pinho de giro, construdo com tubo de ao trefilado ABNT 1045 e usinado.

    Todos os pontos de articulao da torre possuem mancais de buchas.

    Figura 6-3

    Figura 6-4

  • 6-8

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    e) Sistema de Giro

    O sistema de giro da torre funciona acionado por cilindros hidrulicos de dupla

    ao, que atravs do sistema de pinho e cremalheira, rotacionam o pinho de

    giro da torre, fazendo-a girar 360.

    f) Brao

    Componente destinado a movimentar as cargas atravs dos cilindros

    hidrulicos de elevao, extenso e giro. O brao construdo com chapas de

    ao estrutural de alta resistncia e soldado atravs do processo MIG. Todos os

    pontos de articulao do brao possuem mancais de buchas.

    Figura 6-5

    Figura 6-6

  • 6-9

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    g) Lanas

    As lanas so compostas de vigas mveis, concntricas, com vrios estgios,

    que so estendidas e recolhidas conforme a necessidade de posicionamento da

    carga. As lanas possuem estgios hidrulicos - com extenso e fechamento

    atravs de cilindros telescpicos, estgios mecnicos, com extenso e fecha-

    mento manual, feitos pelo operador e um estgio articulado.

    Como opo, o guindaste pode ser equipado com lanas complementares que

    aumentam o seu alcance. As lanas so construdas com chapas de ao

    estrutural de alta resistncia e soldadas atravs do processo MIG.

    h) Gancho

    Utilizado na movimentao de cargas, fabricado em ao forjado,

    opcionalmente dotado de trava de segurana.

    Figura 6-7

    Figura 6-8

  • 6-10

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    Componentes do sistema hidrulico

    O sistema hidrulico formado pelos seguintes componentes:

    i) Reservatrio de leo hidrulico

    Podendo ser integrado base do guindaste ou uma unidade separada, o

    reservatrio de leo hidrulico possui bocal de abastecimento dotado de tela

    filtrante e respiro para proteo contra a entrada de poeira e umidade; visor de

    nvel com indicao de nvel mnimo e mximo de abastecimento; bujo para

    drenagem do tanque, que opcionalmente pode ser do tipo nagntico.

    Internamente, o reservatrio apresenta chicanas para reduzir a velocidade de

    circulao do leo hidrulico e eliminar possveis bolhas de ar. A grande rea

    superficial em contato com o ar, atua como um excelente trocador de calor

    para o reservatrio de leo hidrulico.

    O leo hidrulico utilizado no sistema possui viscosidade e composio com-

    patvel com as caractersticas de operao e composio das vedaes e

    gaxetas dos cilindros, vlvulas e bomba.

    Figura 6-9

  • 6-11

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    j) Filtros do leo hidrulico

    A filtragem primria do leo hidrulico feita atravs de um filtro de tela

    metlica (fig. 6-10), localizado no interior do tanque, na entrada da tubulao

    de suco da bomba de engrenagens.

    Em alguns modelos de guindaste, na linha de retorno do leo ao tanque, est

    instalado um filtro de elemento de papel, para a filtragem secundria do leo

    (fig. 6-11).

    Figura 6-10

    Figura 6-11

  • 6-12

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    k) Bomba hidrulica

    A bomba hidrulica de engrenagens acionada pelo motor do veculo, atravs

    de uma tomada de fora ou PTO (power take-off). O desempenho do sistema

    hidrulico, em termos de velocidade de operao e fora dos cilindros hidru-

    licos, est diretamente relacionado rotao da bomba de engrenagens e sua

    capacidade de gerar presso hidrulica. A rotao de operao da bomba

    hidrulica deve ser regulada atravs de um dispositivo de acelerao que

    controla a acelerao e rotao do motor do caminho.

    Este dispositivo normalmente tipo manual, podendo tambm ser pneumtico

    ou eletrnico, de acordo com o veculo, visando atender as solicitaes do

    sistema hidrulico.

    l) Comando de acelerao

    Acelerador tipo boto anatmico, posicionado nos dois lados do veculo,

    possibilitando acelerar ou desacelerar o motor do caminho, fazendo a rotao

    da bomba hidrulica atingir o nvel requerido em funo do trabalho a

    executar.

    Figura 6-12

  • 6-13

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    m) Comando hidrulico

    um bloco de vlvulas hidrulicas de controle direcional, com mltiplos

    elementos de controle, podendo ser tipo monobloco (todos os componentes

    so alojados em um nico bloco) ou tipo modular ou "fatiado", composto de

    vrios elementos, que podem ser arranjados conforme o projeto hidrulico do

    circuito.

    O comando hidrulico possui internamente carretis deslizantes, com vrias

    ranhuras usinadas, que servem para intercomunicar as diversas passagens do

    leo hidrulico atravs dos blocos. A movimentao de cada carretel

    determina a direo e intensidade do fluxo de leo que sai atravs de cada

    tomada do bloco.

    Para movimentar os carretis, o comando possui sistema de acionamento

    mecnico, com retorno automtico do carretel para o ponto neutro por meio de

    molas.

    Um conjunto de tirantes e alavancas permite acionar o comando em qualquer

    lado do caminho.

    Para controlar as presses de trabalho e demais funes do comando, so

    adicionadas vlvulas de regulagem de presso, vlvulas antichoque e

    anticavitao.

    n) Placas e etiquetas de identificao

    O guindaste possui placa de identificao das caractersticas tcnicas em

    alumnio e etiquetas adesivas para identificao dos comandos.

    Tambm h etiquetas adesivas para indicar pontos de lubrificao e chamando

    a ateno do operador para detalhes importantes a serem observados ao nvel

    de operao e segurana do guindaste.

    Figura 6-13

  • 6-14

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    o) Vlvulas de segurana

    As vlvulas de segurana so utilizadas para garantir que determinadas

    funes do sistema hidrulico sejam executadas com toda a confiabilidade e

    sem risco.

    A seguir, indicamos algumas vlvulas, suas funes e pontos de aplicao:

    1. Vlvulas de reteno duplas - tem a funo de garantir que os cilindros de

    dupla ao mantenham a posio da haste determinada pelo operador,

    evitando movimentos indesejveis da haste. So aplicadas nos cilindros das

    patolas (fig. 6-14).

    2. Vlvulas de contrabalano simples e duplas - tambm chamadas de vlvu-

    las holding, tem dupla funo: garantir o movimento controlado da haste

    com carga, sem ocorrer o "disparo" do cilindro, com a haste se movendo

    sem controle sob o efeito da carga; e atuar como vlvula de segurana,

    mantendo o cilindro na sua posio, caso ocorra um rompimento da tubu-

    lao hidrulica. So aplicadas nos cilindros das torres - vlvulas simples

    (fig. 6-15) e cilindros das lanas e cilindros telescpicos - vlvulas duplas

    (fig. 6-16).

    3. Vlvulas antichoque e anticavitao - tambm chamadas de vlvulas cross-

    over, tem a funo de evitar que os cilindros de giro da torre e os motores

    hidrulicos do guincho, ao sofrer impactos ou serem desativados sob efeito

    de uma carga, tenham problemas por causa de cavitao e resistncia aos

    choques (fig. 6-17).

    Figura 6-14

  • 6-15

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    Figura 6-15

    Figura 6-16

    Figura 6-17

  • 6-16

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    p) Cilindros hidrulicos

    Os cilindros ou atuadores hidrulicos lineares, so componentes utilizados

    para transformar a vazo do leo hidrulico e a energia transportada pelo

    mesmo, em velocidade, fora e movimento linear.

    So constitudos de tubo ou camisa, mbolos, haste, tampa e vedaes. A

    camisa fabricada a partir de tubo de ao trefilado, com tampa, orelhas e

    conexes soldadas e acabamento interno final por brunimento.

    A haste fabricada de barra de ao laminada, usinada, retificada e revestida de

    cromo duro. O mbolo fabricado de ferro fundido ou ao e usinado. A tampa

    da mesma forma. As vedaes, gaxetas e anis raspadores so fabricados em

    borracha nitrlica ou buna-N e materiais sintticos especiais, com caracte-

    rsticas de autolubrificao e possuem diversos perfis, adequados a cada

    aplicao.

    Os cilindros hidrulicos podem ser de simples ou dupla ao. Um cilindro de

    simples ao possui entrada de leo em somente um dos lados ou cmara,

    sendo a haste movida pelo leo hidrulico em um s sentido, com retorno por

    efeito de alguma carga externa, como peso de uma pea, etc.

    O cilindro de dupla ao possui entrada de leo nos dois lados ou cmaras,

    sendo a haste movida pelo leo hidrulico nos dois sentidos.

    Tambm so utilizados cilindros telescpicos, para situaes onde o curso

    necessrio da haste muito maior que o comprimento do cilindro fechado -

    geralmente, um cilindro normal tem curso da haste igual a 85-90% do compri-

    mento do cilindro fechado, enquanto que num cilindro telescpico, o curso da

    haste pode ser 2 a 3 vezes o comprimento do cilindro fechado.

    No caso do guindaste hidrulico, os cilindros utilizados so os seguintes:

    1. Cilindros de dupla ao normal - acionamento do giro da torre(fig. 6-18),

    acionamento da lana inferior (fig. 6-19), acionamento das sapatas estabi-

    lizadoras.

    2. Cilindros de dupla ao telescpicos - acionamento das lanas telescpicas

    (fig. 6-20).

  • 6-17

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    Figura 6-18

    Figura 6-19

    Figura 6-20

  • 6-18

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    q) Tubulaes hidrulicas

    As tubulaes hidrulicas utilizadas no guindaste servem para conduzir o

    fluxo de leo entre os diversos componentes do sistema hidrulico. As

    tubulaes podem ser flexveis ou rgidas:

    1. Flexveis so as mangueiras de borracha (A fig. 6-21), com malha interna

    de ao para suportar as presses de trabalho e permitir os movimentos do

    guindaste .

    2. As tubulaes rgidas so compostas de tubos de ao trefilado (B fig. 6-21)

    sem costura, algumas vezes fixados por abraadeiras. Para interligar as

    tubulaes e os diversos componentes do sistema hidrulico, so utilizadas

    conexes hidrulicas, fabricadas em ao e dimensionadas para suportar as

    altas presses de trabalho do sistema hidrulico.

    r) Extenso hidrulica das patolas

    Constituda de dois cilindros hidrulicos e registros que as conectam nas linhas

    das patolas, possibilitando estender e recolher as lanas das patolas

    hidraulicamente.

    s) Jogo de mangueiras hidrulicas

    De 5000 mm para presso de trabalho de 180 bar, equipadas com engates

    rpidos do tipo macho, de 16 mm para a linha de presso e 20 mm para a linha

    de retorno, para acoplamento nas ferramentas hidrulicas.

    t) Kit de filtragem auxiliar

    Utilizado em guindastes que opera, em locais com muita poeira e partculas

    abrasivas em suspenso no ar.

    Figura 6-21

    B

    A

  • 6-19

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    Componentes complementares

    Tambm h outros componentes que complementam o conjunto do guindaste

    hidrulico, como descrito a seguir:

    a) Preparao hidrulica para ferramentas e acessrios

    um circuito hidrulico independente, dotado de engates rpidos. Utiliza-se

    engate macho para a linha de presso e engate fmea para a linha de retorno.

    Os engates rpidos ficam localizados junto ao comando hidrulico ou em

    casos especiais, junto extremidade da lana. O sistema pode ser operado

    pelos dois lados do caminho.

    b) Malhal

    Formado por duas colunas, uma base e um apoio o qual possui encaixe para

    adaptao de bero de madeira, montado no sobre-chassi para dispor de maior

    resistncia de apoio para transporte de postes (fig. 6-22). O dimetro e o es-

    paamento das cavas do bero bem como as alas de amarrao e o

    revestimento das cavas, so executados de acordo com as necessidades do

    cliente.

    Montado de forma a permitir um vo livre entre o ponto mais alto do caminho

    de at 100 mm ou conforme especificaes do cliente.

    Figura 6-22

  • 6-20

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    c) Saca postes

    Constitudo de um cilindro hidrulico e respectivos pontos de apoio e fixao,

    podendo ser acionado atravs da mesma preparao hidrulica do guincho de

    cabo e/ou ferramentas hidrulicas.

    d) Guincho de cabo

    Constitudo de motor hidrulico, redutor e preparao hidrulica no comando

    e nas lanas para seu acionamento (fig. 6-23).

    h) Broca perfuratriz

    Acionada atravs de moto-redutor hidrulico fornecido no dimetro de 300

    mm, opcionalmente pode ser construda em outros dimetros, conforme

    solicitao do cliente.

    i) Cesto de inspeo

    Constitudo de uni suporte adaptvel extremidade da lana do guindaste o

    qual pode ser para um ou dois cestos, conforme a necessidade do cliente,

    servindo como apoio para a lana.

    j) Lanas suplementares

    De acordo com a necessidade do cliente, o equipamento pode ser fornecido

    com lana suplementar embutida ou fixada na extremidade da ltima lana.

    Figura 6-23

  • 6-21

    Operao

    6.3 Identificao dos componentes

    k) Hormetro

    O hormetro ou contador de horas de operao do guindaste instalado no

    painel do veculo e ligado a chave de ignio (fig. 7-24). A sua funo

    registrar o tempo de operao do guindaste, para controle de horas do plano

    de manuteno e garantia do equipamento.

    l) Lmpada piloto da tomada de fora

    Instalada no painel do veculo. Quando ligada, esta lmpada sinaliza que a

    tomada de fora est engatada e quando est apagada, sinaliza que a tomada de

    fora est desengatada.

    m) Acelerador automtico

    Dispositivo hidrulico que monitora a variao de presso na linha de

    alimentao do equipamento, e acelera ou desacelera o motor do veculo

    conforme a variao da presso hidrulica. Pode ser instalado em qualquer

    motor a combusto, ligado diretamente ao carburador ou bomba injetora,

    conforme o tipo de motor.

    n) Garfo para tubos

    Dispositivo auxiliar para transporte de tubos cm geral.

    o) Clip mecnico

    Dispositivo auxiliar dotado de duas garras/pinas para transporte de materiais

    diversos.

    Figura 7-24

  • 6-22

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.3 Identificao dos componentes

    p) Dispositivo limitador de momento

    Este dispositivo tem a funo de evitar que o guindaste seja submetido a

    esforos acima da capacidade para a qual foi projetado e fabricado. Se o

    momento de carga mximo para o qual o guindaste foi projetado for

    ultrapassado ao ser manuseada uma determinada carga, este dispositivo passa

    a atuar junto ao comando hidrulico do guindaste.

    Sua forma de ao muito simples, desabilitando algumas funes do

    comando hidrulico, impedindo que o operador possa colocar em risco a sua

    integridade fsica, bem como o equipamento e a carga.

    q) Outros acessrios

    Conforme a necessidade do cliente, opcionalmente pode ser fornecido

    dispositivo para desvio de escapamento do veculo conforme modelo

    fornecido pelo cliente e outros acessrios que julgar necessrio desde que

    selecionado durante o processo de aquisio.

    Figura 6-25

  • 6-23

    Operao

    6.4 Descrio dos comandos

    Este equipamento possui sistema de comando com um um estgio para cada

    funo, com circuito hidrulico tipo paralelo, permitindo acionar duas ou mais

    funes hidrulicas ao mesmo tempo.

    O acionamento das funes hidrulicas feito atravs das respectivas

    alavancas de comando.

    Os guindastes possuem sistema de comando duplo, isto , as funes

    hidrulicas podem ser acionadas em qualquer lado do chassi.

    Conforme o modelo do guindaste, o comando hidrulico pode ser configurado

    do seguinte modo:

    1. Comando bi-partido, para guindastes da linha pesada modelos AGI 33.0 at

    AGI 43.0 :

    Sistema constituido por dois blocos de comando independentes - bloco de

    comando principal e bloco de comando auxiliar.

    O comando auxiliar se destina ao controle das funes como extenso hi-

    drulica dos estabilizadores e acionamento das patolas.

    2. Comando nico, para os guindastes modelos AGI 4.0 at AGI 23.5 :

    Sistema onde todas as funes, incluindo o acionamento dos estabiliza-

    dores e patolas, esto agrupadas em um nico bloco de comando.

    Figura 6-26

  • 6-24

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.4 Descrio dos comandos

    Comando tipo bi-partido - funes principais

    Abaixo, as diversas funes do comando principal em um sistema de comando

    bi-partido, na sequncia de cima para baixo, tal qual esto indicadas junto s

    alavancas de controle dos guindastes.

    LADO ESQUERDO LADO DIREITO

  • 6-25

    Operao

    6.4 Descrio dos comandos

    LADO ESQUERDO LADO DIREITO

  • 6-26

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.4 Descrio dos comandos

    Comando tipo bi-partido - funes auxiliares

    Abaixo, as diversas funes do comando auxiliar em um sistema de comando

    bi-partido, na sequncia de cima para baixo, tal qual esto indicadas junto s

    alavancas de controle dos guindastes.

    LADO ESQUERDO LADO DIREITO

  • 6-27

    Operao

    6.4 Descrio dos comandos

    LADO ESQUERDO LADO DIREITO

  • 6-28

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.5 Descrio das etiquetas

    A seguir so mostradas as etiquetas adesivas e plaquetas que sinalizam e

    reforam pontos importantes da operao do guindaste, bem como itens de

    segurana, manuteno e identificao do equipamento.

    Esta etiqueta identifica e comprova a

    utilizao de chapas de ao estrutural de

    alta qualidade e extrema resistncia

    mecnica, assegurando aos equipa-

    mentos ARGOS uma excelente relao

    capacidade de carga versus peso

    operacional.

    Esta etiqueta identifica a logomarca da

    ARGOS .

    Esta etiqueta identifica a linha de

    guindastes veiculares IMAP, fabricada

    pela argos .

    Esta etiqueta chama a ateno e informa

    sobre a necessidade de reapertar os

    parafusos, conforme recomenda o

    Manual de Operao e Manuteno.

  • 6-29

    Operao

    6.5 Descrio das etiquetas

    Esta etiqueta adverte e informa sobre a

    obrigatoriedade da operao do

    guindaste ser efetuada somente por

    pessoas autorizadas e perfeitamente

    habilitadas.

    Esta etiqueta adverte e informa sobre a

    obrigatoriedade de ler o Manual de

    Operao e Manuteno do guindaste,

    analisar o grfico de carga e planejar a

    operao do guindaste, antes de iniciar o

    trabalho.

    Esta etiqueta chama a ateno e informa

    sobre a necessidade de verificar se as

    sapatas dos estabilizadores esto

    apoiadas sobre uma base segura, antes de

    iniciar a operao do equipamento.

    Esta etiqueta chama a ateno e informa

    sobre o fato do equipamento no ser

    eltricamente isolado, proibindo o

    contato com redes e linhas energizadas.

  • 6-30

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.5 Descrio das etiquetas

    Esta etiqueta informa o sentido de giro

    dos acessrios do guindaste, quando

    acionados por motor hidrulico,

    conforme a ordem de ligao das

    mangueiras nos terminais da preparao

    hidrulica do equipamento.

    Esta etiqueta chama a ateno e informa

    sobre a necessidade de manter os ps a

    uma distncia segura das sapatas dos

    estabilizadores, para evitar acidentes.

    Esta etiqueta chama a ateno e informa

    sobre os cuidados a serem tomados no

    manuseio e inspeo das tubulaes e

    mangueiras com leo hidrulico sob

    presso.

    Esta etiqueta indica os pontos de

    lubrificao por graxa localizados no

    equipamento, como pinos, buchas, etc...

  • 6-31

    Operao

    6.5 Descrio das etiquetas

    Esta etiqueta adverte e informa sobre a

    obrigatoriedade de realizar diariamente

    os giros de 360 para evitar oxidao das

    partes internas das camisas de giro.

  • 6-32

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.6 Procedimentos de operao

    Recomendaes para operao do guindaste

    1. Colocar o veculo em posio adequada para que o mesmo possibilite um

    maior aproveitamento do equipamento e do espao disponvel.

    2. Em caso de estar em terreno inclinado, ou acidentado, colocar o veculo em

    posio que aumente a segurana do equipamento e do usurio, tendo

    assim um melhor rendimento e uma vida mais longa do equipamento.

    3. Colocar o veculo em ponto morto e fren-lo adequadamente.

    4. Acionar a embreagem e engatar a tomada de fora.

    5. Verificar a operao da bomba, segurando a mangueira de presso ou de

    retomo do leo hidrulico; ou verificando a rotao no eixo cardan.

    6. Colocar o veculo em posio de operao e verificar o nvel do leo no

    reservatrio. Tambm verificar se o guindaste est devidamente lubrifi-

    cado.

    7. Estender hidrulicamente as lanas dos ps dianteiros. Estender manual-

    mente as lanas dos ps traseiros (esquerdo e direito), caso estas no dis-

    ponham de acionamento hidrulico das extenses. Bloquear as extenses

    manuais com os respectivos pinos de travamento (fig. 6-27).

    Figura 6-27

  • 6-33

    Operao

    6.6 Procedimentos de operao

    7. Acionar os comandos hidrulicos das patolas de forma alternada, de maneira

    a apoi-los sobre o solo, at livrar o veculo de qualquer esforo resultante

    do trabalho.

    8. Efetuar todas as manobras com o guindaste (sem nenhuma carga), fazendo

    com que atinja as posies mximas e mnimas, permitindo assim ao leo

    hidrulico fluir totalmente pelo circuito. Aps esta operao, verificar se h

    algum vazamento no sistema hidrulico.

    9. Cuidar quando atingir o curso mnimo e o curso mximo das posies dos

    cilindros hidrulicos, procurando evitar que os comandos hidrulicos

    fiquem forando a passagem do leo pela vlvula de alvio. Este procedi-

    mento vai resultar em aquecimento desnecessrio do leo hidrulico.

    Verificar se o solo onde o ve culo est situado, est bem

    firme de maneira a sustentar o equipamento em oper-

    ao.

    Em caso negativo, escolher outra posio do veculo

    para operao ou aumentar a rea das patolas atravs de

    calos (cepos de madeira).

    No esquecer que o jogo de lanas est no bero de

    apoio.

    Nunca movimentar o giro em primeiro lugar.

    Utilizando-se alternadamente as alavancas de comando

    das funes, possvel efetuar os mais variados tipos de

    movimentos com o guindaste.

  • 6-34

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.6 Procedimentos de operao

    10. Prestar ateno em qualquer rudo anormal ou folga excessiva no equipa-

    mento. Havendo alguma dessas anormalidades, verificar a causa e tomar as

    precaues recomendadas. Se for necessrio, consultar a Revenda Autori-

    zada mais prxima e/ou a ARGOS .

    11.Uma vez executadas todas estas operaes, e o equipamento no apre-

    sentando nenhuma anormalidade, ento o guindaste est em condies para

    incio dos trabalhos com carga.

    12.Depois de encerrados os trabalhos, recolher as lanas e mover o guindaste

    para a posio de transporte (encaixar a lana no bero lateral - fig. 6-28).

    13.Acionar os comandos hidrulicos das sapatas, recolhendo as mesmas total-

    mente. Aps esta operao, recolher as lanas das sapatas laterais e trav-

    las com os respectivos pinos.

    Verificar sempre, antes de mover o veculo, se os

    estabilizadores e sapatas de apoio esto totalmente

    recolhidos e travados.

    14.Pisar na embreagem e desengatar a alavanca (ou cabo) da tomada de fora

    antes de colocar o veculo em movimento.

    Figura 6-28

  • 6-35

    Operao

    6.6 Procedimentos de operao

    Operao do guincho de cabo

    1. O guincho de cabo um componente opcional dos guindastes ARGOS , e

    por ocasio da montagem dos guindastes com este opcional, a configurao

    dos guindastes inclui o sistema hidrulico especial para acionar o guincho

    de cabo.

    2. Para funcionar o guincho, utilizar o primeiro conjunto de alavancas do

    comando hidrulico principal, que fica na parte superior do comando

    3. O conjunto do tambor mais acionamento do guincho instalado pala fbrica

    no lado inferior da lana, com todas as ligaes hidrulicas

    4. Para operar o guincho corretamente, veja as instrues a seguir:

    5. Remover o gancho da extremidade da lana e instalar no seu lugar a roldana

    fixa com suporte (A fig. 6-30).

    6. Soltar o cabo de ao e passar pela roldana fixa. Prender a ponta do cabo com

    a manilha na orelha do suporte. (B fig. 6.30).

    Figura 6-29

  • 6-36

    Operao

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    6.6 Procedimentos de operao

    7. Instalar a roldana mvel no gancho e encaixar o conjunto gancho mais

    roldana no cabo de ao. O guincho de cabo est pronto para operar.

    Ao utilizr o guincho de cabo, observar com ateno a

    capacidade de carga do mesmo.

    A ARGOS fornece dois modelos de guincho:

    a) 1,5 t de capacidade com 30 metros de cabo bitola 3/8

    b) 3,0 t de capacidade com 40 metros de cabo bitola 1/2

    Figura 6-30

    A

    B

    Figura 6-31

  • Captulo 7

    Segurana

    7.1 Informaes importantes

    7.2 Sistemas de segurana

    7.3 Limites da capacidade de carga

    7.4 Operao das lanas

    7.5 Sistema hidrulico sob presso

    7.6 Redes eltricas

    7.7 Choque eltrico

    7.8 Procedimentos de segurana

    7.9 Normas de segurana

    7.10 Linguagem de sinais

  • 7-2

    Segurana

    04.06 -00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

  • 7-3

    Segurana

    7.1Informaes importantes

    As informaes constantes neste manual, tm por objetivo trazer ao pro-

    prietrio e ao operador do guindaste ARGOS , alguns conhecimentos e infor-

    maes necessrias para a operao correta e segura do seu guindaste

    hidrulico.

    Entretanto, o sucesso e a segurana da operao do guindaste, dependem

    essencialmente da habilidade e dos cuidados da pessoa que executa o trabalho.

    As informaes constantes neste manual no substituem as regras, deveres e

    obrigaes constantes na legislao, portarias, normas, regulamentos e outras

    exigncias governamentais relativas ao equipamento guindaste hidrulico arti-

    culado e seus proprietrios e operadores.

    Leia este Manual antes de operar

    o guindaste hidrulico ARGOS

    Recomendamos que todos os envolvidos na operao e

    manuteno do guindaste hidrulico, leiam este manual

    e compreendam os procedimentos de segurana para

    operao do guindaste.

    A leitura do manual no elimina a necessidade de for-

    mao e qualificao do operador atravs de curso

    especfico, para torn-lo habilitado para a funo

  • 7-4

    Segurana

    04.06 -00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    7.2 Sistema de segurana

    Sistema de segurana do guindaste

    O sistema hidrulico dos guindastes ARGOS possui vrios dispositivos de seg-

    urana, conforme mostra a figura abaixo:

    As vlvulas de segurana complement am as principais funes do circuito

    hidrulico dos guindastes, assegurando funcionamento confivel dentro dos

    padres internacionais de proteo requeridos.

    No alterar as regulagens, remover ou substituir os

    dispositivos de segurana. Em caso de mau funcio-

    namento, consultar o Servio Autorizado ARGOS.

    Antes de iniciar a operao do guindaste, procurar ler e

    entender perfeitamente as recomendaes e instrues

    deste Manual de Operao e Manuteno ARGOS.

    A

    F

    E

    Figura 7-1

    B

    C

    D

  • 7-5

    Segurana

    7.2 Sistemas de segurana

    Dispositivos de segurana

    A) Vlvula de sobrepresso hidrulica ou vlvula de alvio, que atua como

    limitador da presso de entrada do sistema hidrulico.

    B) Vlvulas de reteno de fluxo pilotadas, tipo vlvula dupla, que atuam nos

    cilindros das patolas, bloqueando o movimento vertical das mesmas.

    Figura 7-2

    Figura 7-3

  • 7-6

    Segurana

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    7.2 Sistemas de segurana

    C) Vlvula de contrabalano simples ou vlvula holding do cilindro da torre.

    Atua garantindo o funcionamento seguro do cilindro da torre ao baixar a carga

    e em caso de ruptura de mangueiras, impede a queda da lana e da carga.

    D) Vlvula de contrabalano simples ou vlvula holding do cilindro do

    brao. Atua garantindo o funcionamento seguro do cilindro do brao ao baixar

    a carga e em caso de ruptura de mangueiras, impede a queda da carga.

    Figura 7-4

    Figura 7-5

  • 7-7

    Segurana

    7.2 Sistemas de segurana

    E) Vlvulas de contrabalano duplas ou vlvulas holding dos cilindros

    telescpicos da lana. Atuam garantindo o funcionamento seguro dos cilindros

    da lana com ou sem carga, em qualquer direo.

    Manmetro

    Os guindastes ARGOS so equipados opcionalmente com um manmetro para

    indicar a presso hidrulica de trabalho da bomba de engrenagens (G fig. 7-7).

    Figura 7-6

    Figura 7-7

  • 7-8

    Segurana

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    7.2 Sistemas de segurana

    Limitador de momento

    Os guindastes ARGOS so equipados opcionalmente com um sistema limi-

    tador de momento de carga (G fig. 7-8).

    No instante em que por algum motivo, o momento de carga mximo admissvel

    do guindaste for ultrapassado, o dispositivo hidrulico que controla o limitador

    de momento passa a funcionar, ativado pela presso de operao do guindaste.

    Ao mesmo tempo, as funes do comando hidrulico como extenso dos

    cilindros telescpicos deixam de responder ao comando do operador,

    sinalizando a necessidade de reduzir o raio de operao do guindaste e/ou rever

    o peso da carga transportada.

    Entretanto, o sistema permite que estas funes hidrulicas operem normal-

    mente no sentido oposto, isto , diminuindo o raio de operao do guindaste.

    Lembrar sempre que o sistema limitador de momento da

    carga no elimina os riscos de instabilidade do caminho.

    Portanto, antes de movimentar qualquer carga, verificar

    o grfico de capacidade do seu guindaste.

    Figura 7-8

    G

  • 7-9

    Segurana

    Capacidade de carga

    Os guindastes ARGOS foram projetados para suportar determinados esforos

    que no devem ser ultrapassados em hiptese alguma e para levantar cargas

    diversas.

    Cuidados devem ser tomados pelos operadores nas execues dos diversos

    tipos de trabalho, de maneira a preservar a integridade do equipamento e a

    segurana da operao.

    As cargas de trabalho dos guindastes so definidas nos grficos de capacidade,

    que esto afixados na estrutura da torre (H fig. 7-9), prximo ao posto do ope-

    rador e de fcil visualizao pelo mesmo.

    Verificar e seguir com muita ateno as informaes do grfico de carga do

    equipamento.

    Cada guindaste hidrulico ARGOS tem o seu prprio grfico de carga, deter-

    minado conforme a sua capacidade.

    O grfico de carga indica a capacidade nominal de carga de cada guindaste, isto

    , as cargas mximas que podero ser iadas e transportadas so proporcionais

    s distncias da ponta da lana ao eixo de giro da torre.

    Figura 7-9

    H

    MODELO

    7.3 Limites da capacidade de carga

  • 7-10

    Segurana

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    Grfico de capacidade de carga

    Exceder os limites de capacidade dos grficos, implicar em alto risco de

    segurana e reduo da vida til dos guindastes.

    O operador e outras pessoas envolv idas no trabalho, devem conhecer a

    capacidade do guindaste e o peso da carga que est sendo erguida.

    Fig

    ura

    7-1

    0

    MODELO

    7.3 Limites da capacidade de carga

  • 7-11

    Segurana

    Cuidados antes de levantar a carga

    Antes de levantar uma carga, proceder como segue:

    1. Conhecer o peso da carga.

    2. Conhecer o peso dos dispositivos que suspendem a carga.

    3. Somar o peso da carga e o peso dos dispositivos que ajudam a suspender a

    carga. O resultado ser o peso total da carga que est sendo levantada.

    4. Determinar a distncia do eixo vertical de rotao do guindaste linha de

    centro da carga que est sendo levantada.

    5. Determinar a distncia do eixo vertical de rotao do guindaste linha de

    centro do ponto para onde a carga deve ser movida.

    6. A capacidade de alcane do guindaste para a carga determinada no item 3,

    dever sempre ser igual ao maior valor obtido nos itens 4 e 5 acima.

    Nunca operar o guindaste no seu momento mximo de

    capacidade, sem ter certeza se o caminho est lastreado

    corretamente. Ou seja, a carga do caminho deve ser

    igual ao seu PBT, a fim de evitar danos ao guindaste e ao

    veculo ou at mesmo o tombamento do mesmo.

    A real condio de movimentao de carga para o seu guindaste ser

    determinada com a avaliao de outros fatores, alm do grfico de carga.

    Relembrar que o grfico de cargas indica se o levantamento de uma deter-

    minada carga possvel de ser realizado.

    Em certas situaes, esta carga no poder ser erguida sem risco de tom-

    bar o caminho.

    Todos os comandos do guindaste so hidrulicos. Duas ou mais funes

    hidrulicas podero atuar de forma simultnea, mas quando o guindaste

    estiver trabalhando com carga, a recomendao atuar uma funo de

    cada vez.

    A atuao simultnea de duas ou mais funes hidrulicas, vai resultar em

    uma diminuio da velocidade nominal de movimentao de carga.

    7.3 Limites da capacidade de carga

  • 7-12

    Segurana

    04.06-00 Argos Guindastes - Manual de Operao e Manuteno

    Cuidados na operao da lana telescpica

    Procure utilizar sempre as lanas mais prximas do brao, isto :

    1. Primeira lana hidrulica.

    2. A seguir a segunda lana hidrulica.

    3. Depois a primeira lana manual e assim sucessivamente.

    Para recolher as lanas utilize o processo inverso, isto , recolher primeira a

    lana mais afastada para evitar excesso de esforo nas placas de nylon e nos

    cilindros telescpicos e preservar a integridade das lanas;

    Evite deslocamento das lanas telescpicas com carga mxima na horizontal,

    pois este procedimento, sobrecarrega demasiadamente as placas deslizadoras

    de nylon e os cilindros hidrulicos.

    A abertura das lanas deve seguir a ordem da mais

    grossa para a mais fina.

    No se aconselha movimentar os cilindros telescpicos

    com ngulos inferiores a 45 com a horizontal.

    7.4 Operao das lanas

    Cuidados na operao da lana manual

    1. Estender as lanas telescpicas manuais, fixando-as no lugar com os pinos

    de travamento.

    Somente utilizar as lanas manuais, caso o alcance das

    hidrulicas seja inferior ao pretendido, caso contrrio,

    utilizar somente a quantidade necessria para tal.

    2. Aps estender e travar as lanas manuais, enganchar a carga e elev-la em

    um ngulo inferior a 45.

    3. Preferncialmente, manter a carga em movimento alinhada com o ponto

    onde ser depositada;

    4. Se for necessrio, aps elevar a carga acima de 45, utilize as lanas hidru-

    licas, mas observe o funcionamento das mesmas com muita ateno.

  • 7-13

    Segurana

    No ultrapassar o raio do incio da operao, pois h perigo de tomba-

    mento do equipamento.

    Exemplo: O guindaste alcanou com as lanas manuais estendidas at a

    carga, a distncia de 4 metros.