Curso Musculacao Total

Click here to load reader

  • date post

    02-Dec-2014
  • Category

    Education

  • view

    19.993
  • download

    4

Embed Size (px)

description

Um curso diferenciado, onde é mostrado, o tempo todo, a aplicabilidade dos conceitos teóricos que permeiam a prescrição do treinamento em musculação. Um novo olhar sobre a metodologia de prescrição de séries para musculação e para o treinamento aeróbio, com uma abordagem realista e mais próxima do cliente/aluno. Que tal levar esse curso para a sua academia? Contato pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (21) 98768-5551.

Transcript of Curso Musculacao Total

  • 1. MUSCULAOTOTAL Prof. Leonardo Allevato

2. Biomecnica aplicada musculaoAplicabilidade prtica do conceito de sistemas energticosAvaliao fsica aplicada musculaoSistemas de treinamentoConsideraes para a montagem de programas N de exerccios N de sries N de repeties Frequncia semanal Ordem dos exerccios Escolha dos exerccios Tempo de intervaloConsideraes da prescrio do treinamento para homens e mulheresExecuo correta dos exercciosExerccios contra-indicadosTreinamento funcional na musculao: possvel?Otimizando os resultados na musculaoEstudos de casoRelaes interpessoais e atendimentoTroca de experincias 3. COMPETNCIAS (Farias, 2005) 4. MusculaoTreinamento de foraTreinamento contra-resitncia 5. MITOSMusculao no emagrece 6. BIOENERGTICA 7. Processo metablico pelo qualas clulas utilizam a energianecessria obtida pela converso de macronutrientes alimentaresem uma forma de energiautilizvel pelo corpo. 8. SISTEMAS ENERGTICOS Sistema ATP-CP (do fosfagnio) ou Anaerbio Altico Energia imediata Pouca disponibilidade No utiliza oxignio Exerccios de curtssima durao Gliclise anaerbia ou Sistema Anaerbio ltico Maior disponibilidade Depleo do carboidrato No utiliza oxignio Exerccios de curta durao Sistema Aerbio ou Oxidativo Fase final da oxidao de carboidratos Oxidao das gorduras Ciclo de Krebs Disponibilidade infinita de energia Exerccios de longa durao 9. BIOMECNICADO TREINAMENTO CONTRA-RESISTNCIA 10. ConceitosPlanos e eixos de movimento Movimentos articulares Tipos de contraoSistemas de alavancasOrigem e insero dos principais msculosMovimentos realizados pelos principais msculos Anlise de movimentos 11. CONCEITOSP=FxVP = F/AT=FxDF=MxA1 Lei de Newton "Todo corpo permanece em seu estado de repouso, ou de movimento uniforme em linha reta, a menos que seja obrigado a mudar seu estado por foras impressas nele2 Lei de Newton"A mudana do movimento proporcional fora motriz impressa e se faz segundo a linha reta pela qual se imprime essa fora"3 Lei de Newton"A uma ao sempre se ope uma reao igual, ou seja, as aes de dois corpos um sobre o outro so sempre iguais e se dirigem a partes contrrias " 12. SISTEMAMUSCULOESQUELTICO 13. MOVIMENTOS 14. TIPOS DE CONTRAOCONCNTRICA Tenso com encurtamento muscularEXCNTRICA (>T) Tenso com alongamento muscularISOMTRICATenso sem mudana do comprimento muscular 15. Tipo I Tipo IIa Tipo IIbTEMPO DE CONTRAOLENTO RPIDORPIDOTEMPO DE RELAXAMENTOLENTO RPIDORPIDO PRODUO DE FORABAIXA ALTA ALTAEFICINCIA ENERGTICA ALTA BAIXABAIXA RESISTNCIA FADIGA ALTA BAIXABAIXAELASTICIDADEBAIXA ALTA ALTA 16. FATORES QUE AFETAM APRODUO DE FORA RELAO FORA-VELOCIDADERELAO COMPRIMENTO-TENSORETARDO ELETROMECNICO 17. FUNES DO MSUCLOMOTOR PRIMRIO MOTOR SECUNDRIO AGONISTA ANTAGONISTAESTABILIZADORNEUTRALIZADOR 18. ExerccioMovimento Em TerraMovimento SubmersoRosca Bceps Flexo do cotoveloBceps braquial concntricoBceps braquial concntricoExtenso do cotovelo Bceps braquial excntrico Trceps braquial concntrico Flexo de joelhosFlexo do joelhoIsquiotibiais concntrico Isquiotibiais concntrico Extenso do joelhoIsquiotibiais excntricoQuadrceps concntricoElevao lateral do braoAbduo do braoDeltide concntrico Deltide concntricoAduo do brao Deltide excntricoGrande dorsal concntricoElevao lateral da pernaAbduo da perna Abdutores concntrico Abdutores concntricoAduo da pernaAbdutores excntricoAdutores concntricoElevao frontal do brao Flexo do braoDeltide anterior/Peitoral/bceps braquial concntricoDeltide anterior/Peitoral/Bceps braquial conc.Extenso do brao Deltide anterior/Peitoral/bceps braquial excntricoDeltide post./Grande dorsal/ Trceps braquial conc. Chute frontalFlexo do quadrilliopsoas/reto femoral concntricoliopsoas/reto femoral concntrico Extenso do quadrilliopsoas/reto femoral excntrico Glteo mximo/isquiotibiais concntrico 19. INSUFICINCIA ATIVAIncapacidade do msculo de produzir foraem duas articulaes simultaneamente. INSUFICINCIA PASSIVAIncapacidade do msculo se estender osuficiente para que se consiga umaamplitude plena de movimento em todas as articulaes atravessadas. 20. ALAVANCAS Haste rgida que multiplicao efeito do impulso aplicado para mover objetos detodos os tamanhos. 21. ELEMENTOS BSICOSFora de aoFora de resistnciaBrao de potnciaBrao de resitnciaFulcro 22. TIPOSAlavancas de primeira classe (interfixas)Alavancas de segunda classe (inter-resistentes)Alavancas de terceira classe (inter-potente) 23. TORQUE OU MOMENTO DE FORA o efeito de uma fora que causa uma rotao. A quantidade de torque que ocorre em um movimento dependeda quantidade de fora produzida multiplicada pelocomprimento do brao de fora F x BF > R x BR = Movimento em direo foraF x BF < R x BR = Movimento em direo resistncia F x BF = R x BR = Equilbrio 24. VANTAGEM MECNICARelao entre brao de potncia e brao de resistncia (Quanto mais alto o n, > a VM)VM = brao de potnciabrao de resistncia 25. VM = brao de potnciabrao de resistncia 26. Variaesdoabdominal 27. AGACHAMENTO CADEIRA EXTENSORAEXTENSO DE QUADRILPULLEY PELA FRENTE/TRS PULLEY FECHADO ABDUO DE OMBROS ROSCA BCEPSTRCEPS NO PULLEYABDOMINAL ABDOMINAL NA BOLAEXTENSO DA COLUNA 28. FISIOLOGIADO TREINAMENTO CONTRA-RESISTNCIA 29. Princpios dotreinamentoAdaptaoIntensidade x VolumeSobrecarga progressivaEspecificidadeIndividualidade biolgicaReversibilidade 30. Microleses do Sarcmero 31. CONTROLE NEURAL DO MOVIMENTOENCFALO MEDULA ESPINHAL CONTRAO MUSCULAR 32. CONTROLE NEURAL DO MOVIMENTO NMINM AlfaNM GamaPEPrS PAPsSPEPS 33. 141210Intensidade 8IntensidadeVolume 6 4 2 0 1 2 34 56 7 8 9 10 Inespecfico X Especfico 34. Periodizao Aumento Linear das cargas de treinamento.y = 1,0848x + 59,149100 Percentual da carga. 90 80 70Srie1 60 50Linear (Srie1) 40 30Linear (Srie1) 20 1001 2345 67 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 SemanasAumento no linear das cagras de Treinamento. y = 0,0066x + 0,7388100% 90%90%90%90%85% 85%85% 85%85% 85%85% 85%85% 85%85% 90%80%80% 80%80%Percentual de carga.75% 80%70%70%70%70% 70% 60% 50%OUTRAS ATIVIDADES 40% 30% 20% 10%0%Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana Semana 1 234 5 6 7 8910 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 35. PERIODIZAOMicroMesoMacro Avaliao Planos Reteno 36. PAPEL DO PROFISSIONALCONHECIMENTO TCNICOASSISTNCIA AO CLIENTEIDENTIFICAO DE DIFICULDADESCORREO DE MOVIMENTOSOTIMIZAO DA CONTRAOMELHOR ADAPTAO NEURALMELHORES RESULTADOSRETENO 37. AVALIAO FUNCIONAL EM ACADEMIAS 38. MEDIR OU AVALIAR?Medir determinar, tendo por base uma escala fixa, a grandeza de.Avaliardeterminar o valor de.Importncia da avaliao funcionalPeriodicidade da avaliaomotivao/marketing/reteno 39. OBJETIVOS 40. ANAMNESE 41. Composio Corporal Peso corporal no indicador de obesidade Peso % G IMC % G Treinamento de fora peso corporal Dmuscular > Dgordura Peso ideal Avaliador/protocolo/instrumento Protocolos 42. Perimetria Indicador de perda/ganho de massa gorda/magra Diferenas 43. Testes Neuromusculares Flexibilidade Flexo de braos Abdominal Teste de preenso manual Dinamometria 44. INTERPRETAOE APLICAODOSRESULTADOS DA AVALIAO FUNCIONAL 45. Anamnese Nvel de aptido fsica volume x intensidade Histrico mdico limitaes Hbitos dirios IMC 46. Composio Corporal Comparaes objetivos espao de tempo entre as avaliaes frequncia ao treinamento hbitos nutricionais mudana de avaliador mudana de protocolo mudana de equipamento 47. Perimetria Permetros que aumentam/diminuem Velocidade de queima de gordura Diferena entre os segmentos nenhuma abordagem no 1 momento repeties a mais exerccios a mais exerccios unilaterais 48. Avaliao Postural Cuidados na hora da prescrio dos exerccios Equilbrio de foras 49. SISTEMAS DETREINAMENTO DE FORA 50. SRIE SIMPLESUma srie de exerccios com umdeterminado nmero de repeties. SRIES MLTIPLASVrias sries de exerccios com umdeterminado nmero de repeties. 51. ROUBADALevantamento de mais pesoem detrimento da postura correta.EXAUSTO Execuo de tantas repeties quantopossvel com a tcnica adequada at uma falha concntrica momentnea. 52. CIRCUITO Uma srie de exerccios executadosum aps o outro com um mnimo de repeties.AO PERIFRICA DO CORAOVariao do circuito, consistena execuo de vrios mini-circuitos. 53. TRIPLO (TRI-SET) Circuito com 3 exercciospara a mesma musculatura.SRIES ALTERNADASExecuo de um exerccio para uma determinada musculatura e, sem descanso, execuo de um exerccio para outra musculatura. 54. ISOMTRICO FUNCIONALExerccios concntricos com isometria no pontode maior desvantagem mecnica. PESOS MLTIPLOS(DROP SET) Executar o exerccio at a falha concntrica,retirar de 10 a 20% do peso e continuar realizando repeties at nova falha. 55. PIRAMIDAL CRESCENTEExerccios executados com aumento da carga e diminuio do nmero de repeties. PIRAMIDAL DECRESCENTEExerccios executados com diminuio da cargae aumento do nmero de repeties. 56. 1 RM2 RM4 RM6 RM8 RM10 RM 57. NEGATIVO (EXCNTRICO) Exerccios realizados apenasna fase negativa (excntrica) do movimento. CONCNTRICO PURO Exerccio executado apenasna fase concntrica. 58. PARCELADO Treinamento dividido por grupamentos musculares em dias alternados. DUPLAMENTE PARCELADOTreinamento dividido porgrupamentos musculares com 2 sesses dirias. 59. ISOCINTICOExerccios realizados com velocidade constante. AGONISTA/ANTAGONISTA Executa-se um exerccio para um determinadogrupamento muscular e logo aps executa-seum exerccio para o grupamento antagonista. 60. SUPERLENTO Exerccios realizados com duraode 20 a 60 s por repetio.PR-EXAUSTOExecutar um exerccio mono-articular antes de um exerccio bi-articular. 61. PRIORIDADERealizar primeiro os exerccios que estejam de acordo com os objetivos do indivduo.ISOMTRICOExerccio executado sem movimento articular. 62. Recomendaes do ACSM 8 a 10 exerccios dos principais grupos musculares pelo menos 1 srie repeties: 8 a 12 ou 10 a 15 (menos aptos) frequncia: 2 a 3 ve