Comportamento Organizacional Doc

download Comportamento Organizacional Doc

If you can't read please download the document

  • date post

    08-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    44
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of Comportamento Organizacional Doc

Apostila deComportamentoOrganizacionalPROF: FERNANDA ZARPELO

Aluno(a):____________________Colgio Estadual Rui Barbosa - EMP1

TEORIA COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAOAs organizaes exercem uma funo considervel na vida do ser humano por que modelam o comportamento dos respectivos membros, pois podem influenciar as necessidades e motivos dos indivduos em diferentes organizaes, ou em grupos na mesma organizao, incentivarem a produtividade, bem como respostas rpidas as estratgias administrativas variadas. Caracterizam-se pela sua complexidade e o seu empenho em superar as presses sociais, econmicas, culturais, tecnolgicas e polticas.

O Comportamento Organizacional consiste no estudo sistemtico do comportamento humano focando aes e atitudes dos indivduos, grupos no ambiente das organizaes. No intuito de alcanar produtividade, reduzir o absentesmo e a rotatividade e promover a cidadania organizacional.

As finalidades do comportamento organizacional correspondem a explicao, previso e controle do comportamento humano. A explicao refere-se a identificao dascausasourazesqueimpulsionaramdeterminados fatos/acontecimentos/fenmenos. A previso est direcionada para eventos futuros estabelecendo os resultados alcanados atravs de uma ao especfica. O controle apresenta-se como um objetivo controverso, pois h em si uma dificuldade em monitorar o comportamento do ser humano, o qual integrante fundamental nas organizaes. O controle implica na contribuio mais valiosa que o comportamento organizacional acarreta para o trabalho gerando eficcia.

A abordagem comportamental da cincia administrativa prope o abandono de posies normativas e descritivas e a adoo de uma posio humanstica e descritiva, mantida portanto, a nfase nas pessoas.

Esta abordagem diferencia-se da apresentada por Jonh B. Watson, que trabalhou o enfoque individual atravs da realizao de experimentos em laboratrio, analisando:

aprendizagem

estmulo e reaes hbitosetc.

O mtodo de Watson evoluiu para a anlise comportamental de grupos, utilizada por Kurt Lewin na chamada Psicologia Social ( Teoria das Relaes Humanas ) e a seguir para a Psicologia Organizacional em um sentido amplo, ainda que no desconsiderando os pequenos grupos sociais.

Desta forma, a Psicologia Organizacional contribuiu decisivamente para o surgimento de uma teoria administrativa mais democrtica e humanstica, a Teoria Comportamental da Administrao.

No campo da Motivao Humana, destacaram-se, principalmente:

Abraham Maslow ,Frederik Herzberg ,David McClelland.

2

A motivao HumanaComportamentos como a passividade ou a recusa de responsabilidade so sintomas de uma doena denominada Insatisfao das Necessidades Egosticas.Dessa forma, o homem frustrado est to doente quanto o homem desnutrido.

Deve, portanto a organizao, preocupar-se no somente com a satisfao das necessidades bsicas dos seus empregados, visto que aquele que no tenha a oportunidade de interagir e obter valorizao profissional, poder mostrar-se insatisfeito, ainda que disponha de excelente remunerao.

Teoria da Hierarquia das Necessidades de MaslowMotivaoCada vez mais as empresas buscam uma receita para manter as equipes motivadas e recorrem a programas motivacionais que do premiaes em dinheiro e em viagens. Porm, premiaes e dinheiro so apenas alguns instrumentos para estimular uma equipe, porm no so suficientes. De nada adianta a empresa criar um clima de alta competitividade para estimular pessoas e esquecer da importncia de um ambiente onde haja harmonia entre as mesmas. O que remdio para uma organizao pode ser veneno para outra. Na hora de implantar um programa motivacional muito importante levar em considerao o perfil e as necessidades das pessoas que fazem parte da equipe e o que realmente importante dentro do contexto.

As empresas esto errando quando procuram manter as equipes motivadas usando metas como ferramenta de motivao e cobranas excessivas causando ansiedade, preocupao e presso constante. Principalmente quando se trata de um ambiente de vendas onde a competitividade torna-se ainda maior. Estimular as pessoas a serem as melhores do mundo no um bom mtodo porque para ser melhor preciso entrar na comparao. preciso estimular as pessoas fazerem o melhor que elas podem usando seus talentos. Todos tm problemas, seus altos e baixos, at entendo que isto no interessa para as empresas porque o objetivo final a produo e a lucratividade, mas se os programas de motivao inclurem o incentivo ao auto-conhecimento e auto-estima com certeza teremos pessoas mais capazes de administrar suas vidas e com isto as empresas ganharo cada vez mais.

Toda empresa tenha suas caractersticas individuais e que devem ser respeitadas. Assim como as pessoas, as empresas so nicas. Mas existe uma receita bsica que nunca far mal a qualquer organizao. Faa com paixo, faa o melhor que puder. Quando isto acontece criado um clima de comprometimento onde a qualidade apenas um dos resultados. So poucas as pessoas que podem fazer o que realmente gostam na vida e mesmo assim existem em suas atividades fatores positivos e negativos. O segredo aprender gostar do que se faz. Se no conseguir o jeito mudar de profisso, procurar outro emprego. No preciso estar satisfeito com 100% das suas aes, mas quanto mais realizado voc se sente com as coisas que faz, maior a probabilidade de ser feliz.

3

2.1O Poder da MotivaoCertamente voc conhece, trabalha ou convive com algum que j acorda de mau humor e passa assim todo o dia. Quando voc pergunta o que houve, escuta uma resposta grosseira. impressionante como existem pessoas que se levantam pela manh j desmotivadas. Parece que suas vidas so um grande fardo a serem carregados diariamente e nunca encontram prazer no que fazem ou com quem interagem.

Por outro lado, voc tambm deve conhecer tantas outras pessoas que vivem na mesma cidade, trabalham no mesmo local, convivem com essas mesmas pessoas e transbordam simpatia, alegria, energia e vibrao. Parece que desenvolvem a melhor atividade profissional do mundo, tm os melhores amigos e sempre se do bem em tudo aquilo que fazem. So essencialmente otimistas. Quase nada tira a alegria dessas pessoas. Muitas vezes elas geram at inveja nos pessimistas, mas ainda assim no se dobram facilmente para as adversidades. Qual o segredo?

Antes de responder sobre o segredo dessas pessoas, vale lembrar que ainda temos um terceiro padro de comportamento que se reflete na maior parte das pessoas: o meio-termo - normalmente caracterizado por aqueles que no esbanjam otimismo o tempo todo, mas tambm esto longe do estado natural do pessimista. Oscilam seu temperamento e sofrem com as variaes do meio. Chamo de "pessoas em transio".

Como, ento, transformar uma pessoa pessimista e em transio num otimista? A resposta simples: atitudes positivas diante da vida e motivao. A prtica mais difcil, porm existem algumas dicas de como fazer. Segundo pesquisa realizada por uma renomada universidade americana, os pessimistas vivem sete anos menos que os otimistas. At nisso vale a pena refletir sobre nossa forma de encarar a vida. O grande fator de transformao pessoal a capacidade de encontrar a motivao e pratic-la em seu dia-a-dia, que chamamos de O PODER DA MOTIVAO!Para entender melhor o poder da motivao, importante compreender um princpio bsico sobre o comportamento humano e os fatores motivacionais: a motivao como um iceberg! Esta uma premissa que norteia todo o conceito de motivao. Mas porque um iceberg? Justamente porque o grande bloco de gelo possui cerca de 80% de sua massa submersa na gua, no sendo visvel. A outra parte que fica exposta, bem menor, metaforicamente representa o meio em que vivemos e as pessoas com quem convivemos. Comparando a motivao com o iceberg, a parte mais representativa para estarmos motivados depende de ns.

A parte que nos cabe, para estarmos motivados, a dos 80%! As outras pessoas, a empresa, a chefia, a sociedade, a famlia e tudo que nos cerca tm menor influncia em nossa motivao do que a capacidade de ao e reao de cada pessoa. Motivao tem relao com o que querer fazer, com vontade, com interesse, com iniciativa e isso depende mais de voc do que dos outros. Por isso, comum vermos pessoas em ambientes espetaculares e desmotivadas. Outros com tantas possibilidades de ser feliz, mas ainda assim desanimados. Criam uma expectativa maior4

no que est em volta e esquecem que o grande fator desencadeador da motivao est na prpria pessoa. Ningum ser capaz de motivar algum a aprender um idioma, se esse no tiver interesse ou necessidade de aprender. Isto um fato!Sendo assim, o poder da motivao reflete-se atravs de atitudes que temos diante da vida, ou seja, como cada um lida com as situaes. Na verdade, o que interessa a cada pessoa.

importante ressaltar que a motivao pode ser caracterizada como uma energia ou um impulso que mobiliza os atos de uma pessoa na busca de atingir uma meta. Neste conceito a motivao vem de dentro, constituindo uma fora interna. Ela um anseio, uma vontade, uma expectativa, uma necessidade, um desejo, uma aspirao, uma inteno, um impulso uma fora que gerencia as aes demandadas pela nsia interna. Vista dessa forma, a motivao pessoal, emerge da prpria pessoa, sendo ela a responsvel pela sua prpria motivao. Dela nasce o impulso bsico que a direciona, em seus atos.

2.2Modelos Motivacionais e a Satisfao do FuncionrioEvidentemente, todo conhecimento relativo e temporrio, mas os cientistas buscaram, em seus estudos sobre a motivao, estruturar teorias que pudessem ser aplicadas, de forma mais generalizada, ao comportamento humano, sobretudo quando de seu desempenho profissional.

Assim, as teorias que tm como suporte a crena de que a motivao respaldada pelas necessidades humanas, partem do pressuposto que as pessoas esto submetidas a uma estrutura uniforme de necessidade